Resenha MMA Brasil: ACB 71

Com um ótimo card, o ACB 71 recebe o tratamento do Resenha MMA Brasil para abordar seu principais pontos, incluindo a defesa de cinturão de Petr Yan, a conquista do título interino dos leves por Eduard Vartanyan e o desempenho dos diversos ex-UFC.

O Dinamo Sports Palace, em Moscou, capital da Rússia, recebeu o ótimo card do ACB 71, que contou com duas disputas de cinturão durante este sábado, 30 de setembro. Com uma lista de lutas tão espetacular, o evento mereceu o tratamento de Resenha MMA Brasil, que abordou os combates mais importantes, com muitos vídeos, a começar pelo duelo principal, no qual Petr Yan fez a primeira defesa de seu segundo reinado como campeão dos galos contra o ex-TUF Brasil Matheus Mattos.

O primeiro round foi de muito estudo, com movimentação constante por parte de Yan, que lançava chutes para marcar a distância e pontuar, enquanto “Adamas” pouco atacava. No minuto final, a ação se tornou mais intensa, com troca de golpes pesados, que prometia continuar no segundo assalto.

Foi o que aconteceu e a luta que era interessante se tornou ótima. Ambos lançaram um volume forte de socos da curta distância até que um cruzado de Yan mandou o brasileiro a knockdown. Adamas sobreviveu aos avanços do bielorrusso, que buscava encerrar o combate, mas não foi capaz de reverter o prejuízo na parcial. Quando o combate entrou no terceiro round, o campeão manteve a superioridade e conectou uma poderosa sequência de golpes que derrubou Matheus mais uma vez. Dessa vez, não houve opção para Herb Dean a não ser interromper o embate e declarar o nocaute técnico a favor de Yan.

A vitória de Petr Yan contra um adversário invicto e de qualidade é mais uma boa adição para seu cartel e o confirma como um dos melhores nomes jovens do peso galo. Além disso, ele quase sempre entrega lutas recheadas de ação e alto grau de entretenimento, o que deve torná-lo um favorito dos fãs.

Eduard Vartanyan domina e tem encontro marcado com Abdul-Aziz Abdulvakhabov

Já no segundo combate mais importante do evento, o título interino dos leves esteve em disputa entre Andrey Koshkin e Eduard Vartanyan. O duelo foi casado por conta de uma lesão do campeão Abdul-Aziz Abdulvakhabov sofrida na época em que ele estava agendado para defender seu cinturão contra Koshkin.

O que se viu no confronto foi uma grande exibição de Vartanyan, que mostrou um repertório completo para dominar o adversário do início ao fim. Seu principal atributo foi o dinamismo para implementar um jogo baseado em quedas e controle posicional combinadas com algumas tentativas de finalização que quase forçaram a interrupção do combate. Os melhores momentos de Koshkin vieram quando o combate estava de pé e Eduard deixou brechas para contragolpes pesados. Todavia, isto não foi suficiente para frear seu ímpeto e pressão constante, que o levaram para uma tranquila vitória por decisão unânime e ao título interino.

Agora, Vartanyan terá a chance de vingar sua última derrota. Ele e Abdulvakhabov se enfrentaram no ACB 32 e o atual campeão saiu vitorioso por nocaute técnico no primeiro round. Desde então, foram quatro triunfos para Vartanyan, que mostrou grande evolução e parece pronto para entregar um desafio mais interessante, numa luta que já gera boa expectativa.

Aslambek Saidov esmaga Marcelo Grilo e buscará segundo título importante

Depois de uma derrota polêmica quando disputou o título dos meios-médios, no ano passado, Aslambek Saidov parece ter garantido o posto de desafiante da primeira defesa do cinturão por parte de Mukhamed Berkamov. A vaga foi conquistada após uma vitória no ACB 54 e agora um forte nocaute sobre o brasileiro ex-TUF 21 Marcelo Grilo. A interrupção veio ainda no primeiro round de um duelo disputado inteiramente de pé e sem muito volume, mas que terminou com um potente gancho do polonês, seguido de golpes matadores, quando Grilo tentava se recuperar. Assim, Saidov buscará ser campeão do ACB para adicionar ao seu currículo, que já inclui um reinado no KSW.

Jonas Billstein passeia no grappling e fica próximo do cinturão

Com o cinturão vago do peso médio agendado para estar em disputa no ACB 77 em dezembro, Jonas Billstein e o dono da casa Aleksei Butorin se enfrentaram com o intuito de se posicionarem para o posto de desafiante. Com um desempenho excelente, Billstein conseguiu derrubar o brutamontes adversário no primeiro round, avançou calmamente pelas posições e atacou no ground and pound, cansando Butorin aos poucos. Ele ainda contou com a ajuda do russo, que gastou muita energia em um estrangulamento quando estava por baixo e que obviamente não levaria a lugar algum.

Mesmo após uma vitória clara no primeiro assalto, Jonas voltou ainda melhor para o segundo. Anotou mais uma queda, fez a transição para as costas quando Butorin tentava levantar e passou a trabalhar no mata-leão, até forçar os três tapinhas e chegar à segunda vitória na organização e uma posição de destaque para encarar o vencedor do embate entre Vyacheslav Vasilevsky e Albert Duraev.

O míssil russo de Oleg Borisov

Ex-desafiante do peso galo, Oleg Borisov encarou o ascendente Murad Kalamov. O confronto começou com o domínio do segundo, que utilizou sua maior envergadura para golpear na distância e evitar momentos prolongados no clinch. No entanto, Borisov conseguiu encurralar o oponente e disparou um míssil de direita que mandou Kalamov diretamente para a lona e decretou o nocaute ainda no primeiro round. Com isso, Oleg chega ao segundo triunfo desde que foi superado pelo então campeão Magomed Magomedov e se coloca muito próximo de uma nova chance de disputar o cinturão, dessa vez contra Petr Yan.

Ali Bagov mostra força em primeira vitória por decisão

Seguindo a tônica de diversos antigos participantes de lutas por cinturão no card, Ali Bagov fez um importante embate contra o brasileiro Herdeson Capoeira, pelo peso leve.

Os dois primeiros rounds foram muito parecidos, com o russo evitando a vantagem de Capoeira em pé e aplicando belas quedas. Com um trabalho muito superior no wrestling e uma integração bastante eficiente com o jiu-jítsu, Bagov ameaçou com diversas finalizações, montou, golpeou constantemente e chegou a ter as costas por diversos momentos, com estrangulamentos bem encaixados. Contudo, o brasileiro mostrou enorme coração e boa consciência para sobreviver e levar o combate para o terceiro assalto, mesmo que em desvantagem clara.

No último round, o momento do duelo se transformou completamente. Capoeira caiu por cima após defender uma entrada de queda e avançou aos poucos pela guarda de seu cansado oponente até alcançar a montada. O problema foi que a intensidade de seus golpes caiu muito e o russo lhe travou. Numa última tentativa desesperada, o brasileiro tentou puxar um triângulo, mas não passou nem perto de encaixar a finalização e terminou a luta por baixo. Assim, por mais que tenha vencido a parcial, Capoeira perdeu o combate na decisão dos juízes.

Apenas pela segunda vez em sua carreira de mais de 30 lutas, Bagov viu uma decisão dos juízes. Na primeira, saíra derrotado por Khabib Nurmagomedov. Depois de uma vitória sobre o ex-Bellator Bubba Jenkins, ele mostrou novamente que é uma força na divisão dos leves do ACB ao alcançar a segunda vitória consecutiva desde que foi derrotado pelo campeão Abdul-Aziz Abdulvakhabov.

Ex-UFCs sofrem

Três antigos membros do plantel do UFC estiveram presentes no card e todos saíram derrotados. O mais conhecido deles é o japonês Takeya Mizugaki, que chegou a habitar o top 5 do peso galo, mas acabou nocauteado no primeiro round por Rustam Kerimov em sua estreia no ACB.

Vice-campeão do TUF Brasil 4, Dileno Lopes também fez sua primeira luta na organização e chegou a ter bons momentos, inclusive pegando as costas de Dukvaha Astamirov, mas perdeu a posição e sofreu com o ground and pound do russo. Tudo ficou ainda pior quando o brasileiro cansou e se tornou presa fácil tanto em pé quanto no solo, saindo derrotado em decisão unânime.

Já no combate de resultado polêmico do evento, Shamil Nikaev superou momentos adversos, como um knockdown no segundo assalto, e superou Christos Giagos em duelo no qual a maioria viu vitória para o americano.

Confira aqui os resultados completos do ACB 71:

Cinturão peso galo: Petr Yan derrotou Matheus Adamas nocaute aos 2:27 do terceiro round
Cinturão interino peso leve: Eduard Vartanyan derrotou Andrey Koshkin por decisão unânime
Peso meio-médio: Aslambek Saidov derrotou Marcelo Grilo por nocaute aos 4:47 do primeiro round
Peso médio: Jonas Billstein derrotou Aleksei Butorin por finalização (mata-leão) aos 2:31 do segundo round
Peso galo: Oleg Borisov derrotou Murad Kalamov por nocaute aos 2:31 do primeiro round
Peso leve: Ali Bagov derrotou Herdeson Capoeira por decisão unânime
Peso leve: Shamil Nikaev derrotou Christos Giagos por decisão dividida
Peso galo: Rustam Kerimov derrotou Takeya Mizugaki por nocaute aos 03:20 do primeiro round
Peso meio-pesado: Karol Celinski derrotou Maxim Futin por decisão unânime
Peso galo: Dukvaha Astamirov derrotou Dileno Lopes por decisão unânime
Peso mosca: Ruslan Abiltarov derrotou Valeriy Khazhirokov por finalização (mata-leão) 02:24 do primeiro round
Peso pena: Tural Ragimov derrotou Taichi Nakajima por decisão unânime
Peso pesado: Amirkhan Isagadzhiev derrotou DJ Linderman por nocaute técnico aos 0:29 do primeiro round

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Já ouvi boatos de que nessa implementação de doping no ACB, que eles tão pouco a pouco colocando pegaram o Yan… enfim sei lá, é bom lutador.

    E o ACB se mostrando um lugar não muito legal pra galera que sai do UFC kkk, o nível do MMA russo tá só crescendo,

  • James sousa

    Petr yan pra mim já merece uma oportunidade no UFC

  • MMAnta

    Show de bola ver vcs fazendo resenha do ACB. Parabéns, João! É até estranho ver como um evento com cards tão fortes passa batido no Brasil. Não só deveria ter visibilidade por aqui, como já deveria ter transmissão também. Ainda bem que os eventos russos soltam as lutas no youtube.

    Rapaziada, vcs não acham que o Petr Yan é candidato a uma edição do Radar MMA Brasil? O talento desse moleque beira ao absurdo. Apenas 24 anos… Já passou por algumas provas de fogo, sua única derrota é muito contestada. Falando na coluna, o Jose Torres do Titan também seria um bom candidato, hein? Tem um currículo incrível no MMA, com poucas lutas no profissional já tem história pra contar, campeão de duas categorias do Titan. Sem querer fugir do assunto do ACB, mas a ideia me veio a cabeça.

    Enfim, parabéns novamente pela iniciativa!

    • João Gabriel Gelli

      ACB sempre terá espaço por aqui, ainda mais com um card como esse.

      Pare de spoilers do Radar, rapaz. Tanto Yan quanto Torres são nomes fortíssimos pra coluna. Inclusive ela está pra retornar em breve.

      • MMAnta

        Aí sim, hein! kkkkk Quis dizer ali que o Shorty tem um currículo incrível no MMA amador, mas comi a palavra. Aguardo o retorno da coluna e parabéns novamente!

        Vou assistir o resto do card e volto para comentar.

        • João Gabriel Gelli

          Aproveite que praticamente todos os vídeos já estão na matéria.

          • MMAnta

            Agora sim, assisti tudo. Nocaute bruto do Borisov. Sempre curti ele, é um peso galo anão, mas é um armário. Quedas explosivas e mão muito pesada. O que me impressionou foi a idade, 34 anos, sempre imaginei que ele fosse um pouco mais novo. Seria um grande reforço para os galos do UFC/Bellator.

            Kerimov é pra ter uma atenção. Atropelou Ragimov e Mizugaki nas últimas 2 lutas. Parece ser um prospecto interessante. Pqp só tem peso galo monstro na Rússia. E o Mizugaki pelo jeito não vai arrumar nada no ACB também kkkk

            Assistindo a luta do Giagos, apareceu o Adam Yandiev(ou era o Abukar kkk) na plateia. Achava ele um senhor prospecto do meio pesado e de repente não lutou mais. O irmão dele resolveu se afastar no auge também. Pelo que vejo nas redes sociais os dois são montado na grana. Sabe alguma coisa sobre o paradeiro do Adam?

            • João Gabriel Gelli

              Borisov é muito bruto, mas vejo ele abaixo do Yan e do Magomedov.

              Kerimov podia lutar com o Askarov. Ia ser sinistro.

              Sobre os Yandiev, eu sei que eles são filhos de um dos caras mais ricos da região, o que justificaria eles se afastarem mais cedo, mas não li nada a respeito. Inclusive o Abukar ganhou o cinturão dos leves do M-1 no começo do ano.

              • MMAnta

                Exatamente, Abukar pegou a cinta e anunciou que se afastaria por tempo indeterminado. Sabia que eles tinham grana mas não sabia de veio. Valeu!

                Abraço!

  • Matheus V.

    Me vejo obrigado a comentar não só por ter cobrado isso na pesquisa que o MMA Brasil fez, mas tbm pelo texto sintetizar muito bem o evento!
    Que monstrinho esse Petr Yan! Doía minha alma toda vez que ele acertava um body kick e emendava uma combinação. Tenho minhas dúvidas se já devem fazer a trilogia com o Magomedov, aliás, li que essa foi última luta do contrato dele com o ACB e que há uma proposta do UFC na mesa.
    Quanto ao co-main event, boa atuação do Vartanyan, mas não acho que ele segure o Abdulvakhabov

    • João Gabriel Gelli

      Vartanyan tá evoluindo bastante, mas o ímpeto do Abdulvakhabov é complicado de segurar. Maluco é um tanque.

      Yan é excelente e um dos melhores para o futuro do peso galo.