Por Alexandre Matos | 27/08/2017

A luta antes considerada impossível enfim aconteceu. Neste sábado, Floyd Mayweather saiu da aposentadoria de quase dois anos para nocautear Conor McGregor e chegar à impressionante marca de 50-0 no boxe profissional. O combate aconteceu na T-Mobile Arena, em Las Vegas, que contou com torcida em sua maioria a favor do campeão do UFC.

O combate foi previsível em inúmeros pontos de vista. McGregor mostrou coragem, determinação. Tentou ser agressivo, tentou ditar o ritmo das ações. Porém, ficou claro desde o começo que a disparidade de nível técnico era imensa. Para piorar, o irlandês cansou cedo. A partir de então, o combate virou um monólogo.

Talvez um tanto pela longa inatividade, pelos 40 anos e pelo absoluto discernimento da diferença de habilidades e experiências, Mayweather lutou de freio de mão puxado, o que deu ao combate um ar mais equilibrado do que a maioria esperava, pelo menos no começo. Floyd concedeu os três assaltos iniciais para o irlandês tentar mostrar alguma coisa. Guarda alta, usando pouco o shoulder roll, o americano praticamente só se defendeu, sem produzir quase nada ofensivamente. A grande maioria do volume ofensivo de McGregor parou no bloqueio de Mayweather, mas o irlandês conseguiu beliscar dois ou três rounds, ainda que mostrasse técnica rudimentar nas combinações e na movimentação – várias vezes Conor parava nas costas de Floyd, sem contar a quantidade inaceitável de golpes atrás da cabeça, apenas alertado pelo passivo árbitro Robert Byrd, o mesmo que já havia sido permissivo demais com Robert Guerrero contra o próprio Mayweather.

O combate mudou a partir do quarto assalto e se tornou totalmente unilateral. A produção ofensiva de McGregor despencou em progressão enquanto Mayweather passou a acertá-lo cada vez mais. O americano trabalhou ganchos na linha de cintura, agravando o conhecido problema de condicionamento cardiorrespiratório do europeu. Mesmo sem mostrar a velocidade de outrora, Mayweather teve o costumeiro aproveitamento e foi paulatinamente deixando o rosto do rival vermelho.

A partir do sétimo, dava a impressão que só um milagre manteria McGregor de pé até o fim. No começo do nono assalto, o irlandês tentou acelerar, mas logo voltou a ser alvejado. No décimo, uma direita violenta de Mayweather jogou a cabeça de McGregor para trás. A lenda do boxe sentiu a oportunidade e caçou o rival pelo ringue. Depois de cerca de uma dúzia de golpes sem defesa, McGregor foi salvo pelo árbitro, que interrompeu a contenda na marca de 1:05.

Mayweather disse após o combate que esta é sua última luta – McGregor disse que certamente voltará ao UFC. Esta foi a primeira vez que o americano vence por nocaute desde 2011, na infame vitória sobre Victor Ortiz. Com 50-0, Mayweather se tornou apenas o sexto boxeador a chegar à 50ª vitória nas primeiras 50 lutas. Antes dele, alcançaram a marca Julio Cesar Chavez (87-0 antes da primeira derrota), Nino Benvenuti (65-0), Willie Pep (62-0), Carlos Zarate e Tom Bogs (ambos com 52-0). Na atualidade, o campeão do peso mínimo Wanyeng Menayothin é quem está mais perto de igualar o feito, com 47-0.