Preliminares do UFC 212: Raphael Assunção vence decisão controversa na estreia de Marlon Moraes

Preliminares do UFC 212: Raphael Assunção vence decisão controversa na estreia de Marlon Moraes
MMA

Na principal preliminar do UFC 212, Raphael Assunção garantiu seu lugar entre os quatro melhores do peso galo com uma vitória controversa sobre o ex-campeão do WSOF Marlon Moraes. Brasileiros vencem quatro de seis contra estrangeiros.

Técnica em alta, emoção nem tanto. Assim foi a estreia de Marlon Moraes no octógono mais famoso do mundo. O ex-campeão do WSOF teve em Raphael Assunção um oponente bastante difícil na principal preliminar do UFC 212, disputado neste sábado, na Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro.

A primeira etapa foi disputada em alto nível técnico. Assunção já tinha vendido caro para TJ Dillashaw e não se intimidou com Marlon. A defesa do friburguense estava bem plantada e vários contragolpes entraram limpos. Por outro lado, Assunção também teve bons momentos quando se postou de forma agressiva. Numa parcial muito parelha, o 10-9 para Assunção poderia ser marcado para o outro lado.

O segundo round foi menos movimentado – os lutadores chegaram a ser vaiados pela falta de ação. Assunção seguiu como agressor e Marlon se manteve na postura de contragolpeador, mas os golpes mais limpos foram aplicados pelo friburguense, que empatou a luta em 19-19.

Marlon finalmente se soltou no terceiro assalto (mas nem tanto). Com isso, algumas combinações fluiram melhor, além dos chutes, rendendo o assalto mais tranquilo de julgar na luta. Se o duelo não empolgou a torcida no âmbito do entretenimento, pelo menos foi uma disputa bastante técnica. Na contagem do MMA Brasil, o estreante venceu por 29-28. Porém, dois dos juízes acharam que Assunção mereceu vencer, inclusive com um marcando um incorreto 30-27.

Foto de destaque: Esther Lin/MMAFighting.com

Cara de Sapato imprime forte volume de jogo no chão e finaliza Eric Spicely

Eric Spicely chegou a dar trabalho no chão, mas o equilíbrio teve vida curta. Quando Antonio Carlos Cara de Sapato aumentou o volume de jogo, o confronto mudou completamente e o americano se meteu numa furada.

Meia hora de guarda 50-50 no duelo entre os grapplers no primeiro round, troca de pegada na tentativa de encaixar chaves de perna. Sapato como um ninja pegando as costas de Spicely e encaixando o mata-leão. Jiu-jítsu puro no primeiro round, com 10-9 para o brasileiro.

Se o primeiro round foi meio travado, o segundo foi um passeio no parque do craque brasileiro. Sapato imprimiu um elevado volume de jogo no solo, como se estivesse disputando um combate de submission. Fora um ou outro momento de marretadas para abrir espaço, Sapato colocou o fino de sua arte suave pra jogo, pegou as costas umas três vezes e fez Spicely batucar na marca de 3:49 do segundo assalto. Não tinha como suportar a pressão do ex-campeão mundial na faixa marrom.

Matt Lopez atropela Johnny Eduardo

No confronto de gerações do peso galo, melhor para Matt Lopez. O americano passou o carro no veterano Johnny Eduardo em sua segunda vitória no UFC.

Eduardo mais uma vez deixou de lado seu funkão nervoso, mas o muay thai estava neurótico no começo. Ele disparou petardos em forma de chutes baixos e parecia controlar as ações. Quando Lopez acertou o primeiro par de socos em contragolpes, que entraram limpos, a situação mudou.

O brasileiro deu um bote nas pernas do rival e tentou uma chave de joelho. Johnny ficou um bom tempo na posição, mas Lopez teve calma para escapar. Quando finalmente livrou a perna e ficou por cima, Matt despejou um ground and pound insano diante de um passivo Mario Yamasaki. O árbitro demorou horrores para interromper o duelo depois que Eduardo engoliu pelo menos duas dezenas de marretadas sem defesa.

Estreante Brian Kelleher pega Iuri Marajó no mata-leão

Já fazia um tempo que Brian Kelleher merecia uma vaga no UFC. Quando a oportunidade chegou, o americano não desperdiçou e surpreendeu Iuri Marajó no primeiro assalto.

O brasileiro começou o combate de modo acelerado, mostrando a versatilidade de seu jogo, tanto na troca de golpes quanto nas quedas e trabalho de solo. Kelleher parecia sentir o clima da arena quando foi derrubado. Num movimento muito inteligente, ele armou a guilhotina e fez Iuri batucar rapidamente.

Com a surpreendente vitória em 1:48, tome de torcedor mal educado vaiando um estrangeiro que vence de modo honesto. A partir disso, Kelleher tirou onda com a torcida, cantando “Uh, vai morrer” cheio de sotaque e mandando as arquibancadas silenciarem. Obviamente o efeito foi o contrário.

Pequenina Viviane Sucuri conquista vitória segura contra Jamie Moyle

Viviane Sucuri finalmente encontrou uma adversária de sua altura fisicamente falando. Jaime Moyle

A brasileira iniciou o combate em seu tradicional uso do clinch e, assim que passou a ficar mais à vontade, iniciou um bom trabalho de punhos e chutes, primeiro nos contragolpes, depois na iniciativa. Esta acabou sendo a toada do restante do combate.

A metade inicial do segundo round teve pouca ação, mas Viviane conseguiu manter Moyle em posição defensiva, recuando o tempo inteiro. Assim, a ex-campeã do XFC passou a trabalhar as combinações sem ser incomodada. No minuto final, Sucuri mandou a americana à lona depois de bloquear um chute, mas não teve espaço para atuar no ground and pound.

Moyle acionou o senso de urgência no terceiro round e a luta ficou mais agitada. A boa noção defensiva de Sucuri evitou maiores transtornos e ainda serviu para os contragolpes. Jamie voltou à movimentação defensiva na metade final do round, mas Viviane conduziu as ações de modo cadenciado, sem impor um volume que pudesse lhe render o nocaute. Ainda assim, mais um 10-9 tranquilo de marcar, rendendo 30-27 na marcação do MMA Brasil. Nos placares oficiais, dois juízes anotaram o mesmo e o outro deu um esquisito 29-28 para a brasileira.

Luan Chagas bate Jim Wallhead em seu primeiro triunfo no octógono

Depois de duas lutas muito movimentadas, mas sem vitória no UFC, Luan Chagas prometeu uma nova versão de si próprio para o UFC 212. Bem nos contragolpes, ele finalizou Jim Wallhead no segundo assalto.

Wallhead tomou a iniciativa de um combate que começou morno, parecendo uma sessão de sparring. Quando o combate acelerou, Luan montou uma forte defesa de quedas e acertou golpes mais pesados, especialmente no contra-ataque, levando o primeiro assalto por 10-9.

No retorno para a segunda etapa, o estilo agressivo do inglês continuou alimentando os contragolpes de Luan. Os chutes baixos do brasileiro entraram com facilidade, mas um deles pegou onde não devia e o combate foi interrompido. Melhor no combate, o brasileiro acertou uma poderosa direita e Wallhead desabou como uma árvore abatida. Inteligentemente, Chagas pegou as costas do oponente abalado e o finalizou com um mata-leão faltando 12 segundos para o fim do segundo round.

Deiveson Daico estreia com vitória sobre Marco Beltrán

O UFC tem mais um praticante da luta marajoara em seu plantel. Deiveson Daico estreou neste sábado com uma vitória cheia de disposição contra o mexicano Marco Beltrán.

Não demorou nada para Daico chegar à grade, derrubar Beltrán e encaixar uma guilhotina por cima. A posição parecia justa. O mexicano sustentou, Deiveson girou para a guarda e apertou ainda mais. De tanta força, o estreante acabou perdendo pressão e terminou o assalto por baixo de ground and pound.

No segundo round, Daico bloqueou uma joelhada voadora, caiu por cima e montou. Pegou as costas e tentou encaixar um mata-leão. Beltrán pareceu batucar marotamente, mas o árbitro Osiris Maia mandou seguir. Quando o mexicano conseguiu se livrar e ficar de pé, os lutadores trocaram pancadas muita potência e baixa técnica. Porém, uma dessas pedradas de Daico deixou Beltrán com as pernas bambas. O aviso de 10 segundos para o fim já tinha soado e Deiveson acelerou para tentar matar a luta, mas a buzina soou. No intervalo, Osiris chegou à conclusão que Marco não tinha mais condições de continuar e encerrou o duelo no intervalo, decretando o nocaute técnico a favor de Daico.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Aí Alexandre, acha que o Raphael já merece um title shot (por mais que duvido que o UFC dará) caso o Garbrandt vença o TJ na próxima defesa de cinturão?

  • James sousa

    discordei do resultado da luta do Raphael vs Marlon principalmente do 30-27 só uma pessoa deu para o Raphael no mma decisions mais fácil 30-27 Marlon ao invés de 30-27 Raphael

  • Lero

    Não achei que os chutes do Marlon no final do terceiro round foram suficientes para virar o round. Esses chutes estavam entrando na defensa do Raphael.

  • Malk Suruhito

    Só vim para falar: Que Fotão da Porra esse da Ester na capa da matéria, hein?