Poliana Botelho conta sobre felicidade na estreia e planeja volta no primeiro trimestre

Um dos novos raios brasileiros no UFC é a mineira Poliana Botelho. Ex-campeã do XFC, ela fez sua estreia na maior organização de MMA do mundo há exato um mês, quando derrotou a americana Pearl Gonzalez por decisão unânime no card preliminar do UFC 216.

Apesar de ser uma atleta conhecida pela agressividade e por sempre proporcionar grandes lutas aos fãs, o combate acabou não sendo dos mais positivos, com Pearl segurando muito a luta na grade e sem total ataque ou efetividade. Em entrevista ao MMA Brasil, Poliana foi perguntada se achou que o árbitro teve culpa no andamento da luta, e ela comentou sobre:

“Muita gente comentou sobre isso. Na verdade, comecei a ver e rever a luta, aí achei que ele poderia ter parado, até porque quem estava fazendo alguma coisa ali era eu. Ela não estava fazendo nada, estava ali parada e praticamente só tomando os golpes, acredito que se realmente ele tivesse parado, a luta poderia ter sido um pouco mais interessante”.

Fazendo sua estreia no UFC, Poliana vinha parada desde 2015 por conta de lesões na mão. Ela também falou sobre a felicidade exaltada ao entrar na T-Mobile Arena e pela grande vitória em sua estreia pela organização nova:

“Eu tava conversando com o meu professor Rafa, e falei que ‘estava começando a ficar nervosa de tão calma que estou’. Me senti muito calma, estava muito feliz. Queria mostrar meu trabalho ali mais que qualquer outra pessoa. Eu treinei muito, treino muito pra isso, não acredito que exista uma pessoa que treine mais que eu, que se dedique mais que eu. Então, só queria chegar lá dentro e mostrar meu trabalho da melhor forma, acho que por isso estava naquela alegria imensa na entrada, na saída, enfim. Conversei com várias pessoas e eu passava essa alegria para as pessoas, era um sonho realizado.

Uma atleta fisicamente grande para o peso palha, Botelho fez boa parte de sua carreira no peso mosca, inclusive ganhando o cinturão do XFC na divisão até 57kg. A mineira contou sobre o seu acompanhamento médico e pretende permanecer na categoria dos palhas:

“Eu gostei muito de lutar na 52, bati o peso muito tranquilo, com os médicos e nutricionistas todos em cima. Fiquei forte na categoria, então vou me manter na 52 mesmo’.

Após ficar um bom tempo longe do MMA, a atleta da Nova União quer dar sequência as lutas, e já comenta sobre a possibilidade de lutas no primeiro trimestre de 2018:

“Já estou cogitando, já conversando com o Dedé (Pederneiras) pra ver se a gente volta no final de fevereiro ou início de março. Acredito que seriam as boas datas para voltar ao octógono”.

Poliana Botelho também ganhou notoriedade nacional nas últimas semanas após participar do capítulo final da novela “A Força do Querer”, da Rede Globo. A brasileira comentou que jamais tinha pensado na possibilidade em ser assistida por milhões de pessoas por conta da dramaturgia:

“Acho que nunca tinha pensado que poderia ser uma coisa de novela, na verdade, na minha carreira sempre pensei, me dediquei e me doei para a luta, era um sonho que tinha entrar no UFC, que é o maior evento do mundo, mas em questão de passar em novela, nunca tinha cogitado, nunca tinha entrado na minha cabeça essa coisa”.

 

  • Fernando Cruz

    A Poliana tem o pacote completo para ser uma das grandes destaques na categoria peso palha feminino: é talentosa, jovem, bem articulada e bonita. Por treinar aqui no Brasil, a vejo com potencial para ser a “versão feminina” do Aldo aqui no Brasil, podendo ser até mais representativa que o Manauara por ter muito carisma (ela já deu até o ar da graça na Globo).

  • James sousa

    Esperando qual o próximo passo o UFC vai Dar pra ela , se ela vai enfrentar alguém já ranqueado ou não