Podcast It’s Time! Ep. 205: Análise do UFC 213, TUF 25 Finale e Gegard Mousasi no Bellator

Melhor luta do ano, campeão improvável coroado, potencial desafiante se despedindo, campeã derrubando luta em cima da hora. O episódio 205 do podcast está repleto de assuntos importantes.

Os fãs de MMA curtiram um fim de semana cheio. Na sexta-feira, o TUF 25 Finale trouxe à tona a melhor luta do ano até agora. No dia seguinte, o UFC 213, mesmo com diversos desfalques importantes, coroou um novo campeão improvável, recuperou um ex-detentor de título e recolocou um astro no caminho de volta à disputa do cinturão.

Robert Whittaker teve uma atuação sensacional, dentro de um cenário muito complexo, para superar contusão, um oponente duríssimo em Yoel Romero e a desconfiança para conquistar o cinturão interino do peso médio, um enorme passo para um vencedor de uma edição de TUF longe dos holofotes.

A divisão dos médios ainda recebeu uma notícia bombástica. Aos 31 anos, com cinco vitórias consecutivas, na melhor forma de sua carreira e provavelmente dono do posto de desafiante número um do vencedor da unificação entre Whittaker e Michael Bisping, Gegard Mousasi mandou tudo às favas, não aceitou a proposta de renovação contratual oferecida pelo UFC e meteu o pé para o Bellator.

O UFC 213 ainda recuperou Alistair Overeem e Anthony Pettis. O ex-desafiante dos pesados desempatou a trilogia com Fabricio Werdum, enquanto o ex-campeão dos leves voltou a vencer com atuação sólida.

No entanto, o melhor mesmo tinha acontecido na sexta. Justin Gaethje fez o de sempre, mas agora diante de uma audiência bem maior do que tinha no WSOF. Resultado: o espetacular nocaute sobre Michael Johnson colocou o anárquico ex-campeão da extinta organização nos corações dos fãs, extasiados com uma demonstração de coragem, queixo de titânio e agressividade em elevadas doses.

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

Assine o novo feed do podcast It’s Time! em http://www.central3.com.br/programa/its-time/feed

Versão do episódio 205 para download (clique com o botão direito do mouse e em seguida selecione “Salvar link como”)

  • Gabriel Carvalho

    Baita podcast. E baita perda do UFC, Mousasi merece contrato vitalicio.

  • Rafael Alves

    Acho que o Mousasi torna-se candidato a ser campeão em duas categorias diferentes no Bellator e, obviamente, tornou muito dificil a meta pro Rory. Aliás, gostaria muito de ver, no atual momento Whittaker e Bisping frente o Mousasi, não vai mais rolar.

    Acho que o Werdum fez o “certo” para o momento. Tinha, segundo o corner (que ele obviamente confia), vencido o primeiro round e estava com o terceiro ganho, de pé por mais que estivesse com cara de acabar a luta sempre pode sobrar uma mão vadia, no chão ele não seria finalizado. Talvez se o Cordeiro tivesse dito: o segundo foi dele, o primeiro foi apertado, vamos acabar pra não deixar com juizes” ele tivesse seguido de pé.

    • Sexto Empírico

      O Rory não tem tamanho pro Mousa. Mas seria interessante, claro.

      Werdum agiu no automático: viu o cara no chão e, jiujiteiro bom q é, tentou finalizar. O próprio Reem cometeu o mesmo “erro” contra o Miocic. Coisas do jogo. Feio é ele ficar chorando por aí. E o Cordeiro não tem nada q ficar dando nota pra round. Isso é papel (oficial) dos juízes da comissão e de palpiteiros igual a nós.

  • Sexto Empírico

    Miesha Tate desmaiou e se pesou pelada. Abalada e enfraquecida, honrou sua palavra, foi pra luta e foi esganada pela Amanda, lutadora menos talentosa q ela.
    Ronda foi ao inferno. Paparicada e acostumada a ter tudo, teve seu mundo profissional destruído por um violento e humilhante chute na cara. Se escondeu de todos, chorou e se entupiu de frango frito. Um ano depois, estava em forma e fisicamente prepara para guerra. Porém, nitidamente, fora de ritmo e mentalmente enfraquecida. Profissional q sempre foi, subiu ao 8, cumpriu sua palavra e foi novamente humilhada.
    Amanda Nunes tinha um nariz entupido…

    Mousasi é o LUTADOR no sentido mais completo da palavra. Irmão caçula daquela estirpe q nos fez apaixonar por esse tal de MMA. Multi-Campeão, veterano numa carcaça ainda tão jovem. Uma pena ter saído do UFC. Se não entrar no Bellator no modo avião, como fez no UFC, será brilhante. É, com sobras, o mais talentoso e experiente de todo o plantel do Bellator – não conto os da “liga das lendas”.

  • Marllon

    Escrevi isso em outro forum,e continuo pensando assim:

    Achei uma decisão estupida.
    Assinou por 6 lutas,sendo que tem 3 relevantes para fazer.
    No UFC estava a uma luta para lutar pelo cinturão,digamos que Bisping pegue o Robert em Novembro,e o mousa pega-se o Rockhold no mesmo card,la para Maio estaria lutando.
    Não sei também se o Bellator estaria pagando tanto a mais para ele,tendo em vista o quanto de mídia e relevância que ira perder,por estar lutando em uma organização menor.

    • Bruno Fares

      Entendo seu ponto Marllon, mas nós teríamos que saber os valores exatos envolvidos em dinheiro né? Duvido que o Mousa esteja nessa pra sair no prejuízo.