Podcast Episódio 185: Análise do UFC 208 e a volta de Anderson Silva

Podcast Episódio 185: Análise do UFC 208 e a volta de Anderson Silva
MMA

Anderson Silva voltando a vencer depois de mais de quatro anos puxou a discussão no episódio 185 do podcast It's Time!, que cobriu o UFC 208 do último sábado.

Depois de mais de quatro anos, finalmente Anderson Silva voltou a vencer. Não foi sem controvérsia, não foi como antigamente, mas ele teve o braço levantado ao final da luta coprincipal do UFC 208. Este foi o principal assunto do episódio 185 do podcast It’s Time!, o 16º da nossa parceria com os estúdios da Central3.

Até que ponto a atuação do “Spider” foi ajudada pelo comportamento do adversário Derek Brunson? Houve alguma evolução no jogo do ícone brasileiro? E os próximos passos para ele?

Outros dois brasileiros tiveram atuações seguras no UFC 208: Ronaldo Jacaré passeou na finalização sobre Tim Boetsch e Glover Teixeira tomou algum susto em pé, mas foi sólido na luta agarrada contra Jared Cannonier. Apesar dos resultados positivos, Jacaré nem Glover devem ter seus caminhos adiantados rumo a disputas de título. O que fazer com eles?

Outro assunto relevante no debate foi a luta principal, que coroou Germaine de Randamie como a primeira campeã do peso pena da história do UFC. Ela teve uma atuação taticamente correta contra Holly Holm, que teve muita dificuldade de se impor. As principais ferramentas da holandesa e as dificuldades da americana nortearam a análise, que também abordou o comportamento de Germaine no final de dois rounds que poderia ter afetado o resultado final.

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

Assine o novo feed do podcast It’s Time! em http://www.central3.com.br/programa/its-time/feed

Versão do episódio 185 para download (clique com o botão direito do mouse e em seguida selecione “Salvar link como”)

  • Sexto Empírico

    O UFC 208 foi razoável? Vcs estão sendo muito bonzinhos. Poderia até ser, se estivessem lutando num Bellator, WOSF, ONE FC ou qualquer outra dessas organizações de segunda, que até apresentam shows melhores que o do último Sábado. Os atletas desse card, à exceção de Poirier, Miller, Jacaré e Anderson (esse por cumprir o seu papel esperado de aparecer, rebolar, fazer alguma gracinha e vender PPV) foram uma catástrofe. Quem luta num evento tão grandioso deveria ser capaz de um melhor desempenho. Já houve FNs RAZOÁVEIS melhores que essa porcaria de Card. Prometeram um banquete e entregaram um sanduiche de mortadela. Se eu fosse o Dana, colocava todos na geladeira e dava luta ruim na volta.

    A Germaine tá de brincadeira. Cirurgia na mão… Agora é assim, pega o cinturão, junto vem mais exposição, mais grana, etc. Então, esses lutadores medíocres, que foram campeões mais por obra do acaso q outra coisa, tratam logo de arranjar de tudo pra não lutar e não correr o risco de largar o osso. Ou então, querem escolher lutas vencíveis, ou as famigeradas money fights. Sim, estou falando do Bisping também. Tomara que percam o mais rápido possível e voltem para o meio da tabela. Do lado de fora, guardando a porta da elite, lugar de onde nem deveriam ter saído.

    • Cirurgia na mão foi foda. E agora acha que a Holm merece revanche antes da Cris. Piadista.

  • James sousa

    vocês lembraram dos casos do Cigano e do Hendricks , mas também tem o caso do Pettis que já tinha um TS garantindo e pegou uma luta fácil e perdeu Jacaré nõ tem o TS garantido ainda mais correu esse risco também

  • Bruno Moraes da Costa

    Galera, Bruno iniciou falando que o card da semana passada foi interessante. Minha baba no sofá pelo sono profundo durante maior parte do card não concordou.

    Achei a performance do Anderson MUITO melhor contra o Bisping do que contra o Brunson. Cansou muito mais agora do que em Londres. Por mais que tenha feito algum esforço a mais no clinch e se defendendo no chão, foram 3 rounds contra 5. Pela primeira vez achei muito mais frágil a condição atlética do Anderson.

    Só deixar uma menção aqui à bela defesa de quedas do Cannonier. Que negócio mais bizarro, PQP!

    • Também não achei o evento tão bom assim, mas o card principal não foi ruim.

      Sobre a comparação das atuações do Anderson, nenhuma foi legal, mas talvez você tenha razão na questão de cansaço. Mas ele não fica mais novo…