Podcast Episódio 140: Prévia do UFC Austrália e muito mais

Mesmo sem evento do UFC, nossa equipe de analistas juntou diversos assuntos relevantes para o episódio 140 do nosso podcast It's Time!, que passou por prévia do UFC Austrália, Bellator, WSOF, mudanças de ambientes, doping, dentre outros fatos.

Não é porque não teve UFC que não tem podcast. Nossa equipe, sempre antenada, coletou alguns assuntos relevantes para o episódio 140 do It’ Time!

O programa já contou com a primeira participação de um colaborador do nosso projeto no APOIA.SE. Thiago Kuhl foi quem ajudou desde o Patreon e nada mais justo do que fazer a estreia. E o Thiago teve grande atuação, mantendo o nível que vocês estão acostumados.

Junto com Bruno Sader e Diego Tintin, foi debatida a vitória avassaladora de Justin Gaethje no WSOF 29. O campeão dos leves se manteve invicto e levantou a questão: hora de se mudar? Até onde poderia ir? UFC é possível?

Em seguida foi a vez do Bellator, que não fez evento, mas promoveu diversas notícias. Uma delas foi o lamentável caso de doping de Kimbo Slice e Ken Shamrock. Usando o gancho, nossa equipe analisou os números do Bellator 151. Para encerrar o debate sobre a segunda mais importante organização do MMA mundial, a contratação de Matt Mitrione, que anuncia que vai ganhar 6 digitos de salário.

O UFC também foi assunto, especialmente no lado econômico. Nosso time falou do novo patrocínio de protetor bucal assinado pela organização líder do mercado. Falando em patrocinio, a Reebok investiu pesado na Tristar Gym. Isso pode ser um indício que Georges St. Pierre vai voltar? Seguindo na equipe, Rory MacDonald disse que pode estar de saída. Será que vai ser um Phil Davis ou Ben Henderson ou o canadense só quer se valorizar?

Para finalizar, uma prévia de todas as lutas do UFC Austrália, que acontece no próximo sábado, liderado pelo confronto entre os pesos pesados Mark Hunt e Frank Mir, pelo dos meios-médios Hector Lombard e Neil Magny, além de diversos combates muito interessantes.

Endereço para assinar o podcast pelo iTunes: https://itunes.apple.com/br/podcast/its-time!-o-podcast-do-mma/id939262973

Endereço para quem preferir assinar o feed RSS do podcast por outras vias: http://www.mmabrasil.com.br/feed/podcast

Versão do episódio 140 em arquivo compactado (.zip) (clique com o botão direito do mouse e em seguida selecione “Salvar link como”)

Quer virar um COLABORADOR do MMA Brasil? Conheça os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

  • Thiago Kuhl

    Esse é pra baixar, gravar num cd e emoldurar heim!

    • Bruno Fares

      Valeu pela participação!

  • 1- Muito foda o Bruno reforçar a impressão que temos uma família aqui. Comovente a galera abraçando o apoia.se. E também importante ressaltar que quem não pode ajudar, já é muito querido por todos nós só pelo fato de serem leitores fieis. Vocês todos são fodas.

    2- Bruno mandando abraço pro grupo de whatsapp dos colaboradores do apoia.se antes de falar do MMAlcool.

    3- Porra, não é possível que o Bruno seja advogado e não radialista. A comunicação brasileira tá perdendo um grande nome. O MMA Brasil agradece (e a conta bancária do Bruno também, já que vai ganhar mais $$ na advocacia do que no radialismo).

    4- Thiago Kuhl: te chamar pro podcast já era uma ideia minha desde antes do apoia.se. E você cumpriu com minhas expectativas.

    5- Digitar “mma brasil” no Google poderia cair no Ministério do Meio Ambiente, mas o MMA Brasil vem na frente. Somos fodas.

    6- O problema do Gaethje no WSOF é que as transmissões não dão muita audiência nos EUA. Então é foda investir num cara que luta pra ratings de 200 mil telespectadores. E o Gaethje ganha 50+50 (foi a bolsa da luta anterior), então esquece oferecer 28+28, teria que contar com muita vontade do cara lutar no UFC.

    7- O piso do UFC atualmente é 12+12.

    8- Acho que o Gaethje tem um pouco menos de valor que o Eddie Alvarez (sem entrar no mérito comercial). Gaethje é um selvagem, mas a defesa dele é um convite a se foder rude contra os melhores. Ele corre risco de nem virar top 10 do UFC desse jeito.

    9- Gaethje foi suspenso indefinidamente por causa do backflip que ele dá na comemoração. Ele tinha sido notificado por escrito antes da luta pra não fazer e cagou solenemente. Esse moleque deve entrar em modo psycho nas lutas, aí não oxigena o cérebro.

    Depois volto com outros comentários sobre o Bellator e o UFC.

    • Thiago Kuhl

      3- sei não heim essa advocacia paulista não tá pagando tao bem não.
      4- Foi uma honra! Quando precisarem de quorum, estou a disposição!
      5 – MMA Brasil > qqr ministério
      6- Entao é possível q ele vá para o Bellator, até…
      9- acho exagero da comissão, mas beleza, consigo compreender o pq.

      • 3- Pra você ver como é dura a vida de jornalista radialista.
        5- Ctz
        6- É possível.

      • Bruno Fares

        Exato. Mal sabe ele como está pagando “bem” a devocacia.

    • Bruno Fares

      3- Midia esportiva brasileira só gosta de jornalismo parcial pacheco e engraçadinho, vide Tiago Leifert, Neto, pessoal do Combate, etc… to fora.

  • Sobre Bellator:

    1- Gosto nem de imaginar se o DaDa morre numa luta contra um puto dopado. Scott Coker tinha que ser jogado num cage de 3 x 3m junto com Cain Velasquez, Jon Jones, Fabricio Werdum e Justin Gaethje.

    O que aconteceria? No mínimo o Bellator pediria falência. O MMA sofreria um baque profundo. E tudo isso pra uma luta que nunca deveria ter acontecido. A comissão do Texas é vergonhosa e nem pegar os caras no doping faz com que ela seja menos vergonhosa.

    Shamrock e Kimbo dopados e não conseguiam fazer nada na luta. E não foram pegos com remédio pra ficar doidão que nem Forrest Griffin. Que grandíssimos lixos.

    2- Mitrione seria varrido impiedosamente pelo Minakov, seria feito de esfregão. Fora ele, periga o Meathead fazer uma graça mesmo contra Bobby Lashley e Tony Johnson.

    3- Mitrione foi o último com carreira toda no UFC.

    • João Gabriel Gelli

      Mike Jackson, que perdeu pro Mickey Gall, fez sua única luta da carreira no UFC e ainda está empregado hehehehe.

      • Tem nem carreira.

      • Gabriel Carvalho II

        O mais legal é que o Mike pediu uma luta contra o Artem Lobov. Mal posso esperar.

        Ah, e ambos são fortes candidatos no Baranga Awards 2016 de pior atuação e de ”o que estou fazendo no UFC”

        • João Gabriel Gelli

          Artem já está na planilha.

    • Bruno Fares

      1- Cain e cia, armados com foices.

    • Thiago Kuhl

      1 – Escroto seria colocar com o Toquinho. Só ele, mas sem buzina de fim de round e sem arbitro pra separar.

  • Fernando Cesar

    Parabéns Alexandre e equipe MMA Brasil pelo ótimo trabalho de qualidade que vcs fazem. sou apostador amador e desde que conheci o site de vcs, nunca faço uma aposta se quer sem consultar suas prévias.

    Obs: tenho TODOS os podcasts baixados.

    Valew pessoal sucesso!!

    • Boa, garoto! Separa uma parte do lucro e bota no apoia.se.

  • Sobre UFC:

    1- Cara que acha que GSP nunca fez luta boa deveria repensar a vida, na boa. Essa implicância é ridícula. Ele fez muito menos lutas chatas do que legais. Tintin foi certeiro: quem diz que ele só faz luta chata está mentindo. Parece que vagabundo meio que procurou um modo de diminuir o cara perante o Anderson na luta pelo #1 da história. segiundo o que o Kuhl falou no podcast.

    Contra o Nick Diaz e com o Jake Shields dá pra reclamar. Mas tem quem reclame das lutas contra o Pitbull, na segunda contra o Kos (que foi FOTN do UFC 124).

    2- Essa parada de melhor academia é foda. Muita gente critica o Dorea como técnico de MMA (justamente, no meu ver), mas parece que o Cigano se dá bem com ele. Larri Passos nunca foi um técnico de ponta e fez o número 1 do mundo e tricampeão de Roland Garros. Como o pessoal no podcast falou, treino é questão não só de qualidade técnica, mas também de afinidade.

    3- Boa ideia sobre a matéria relacionando as melhores academias pra treinar alguma variante do jogo. Bora deixar de vampetagem.

    4- Rory MacDonald coloca qualquer cinturão meio-médio e médio do mundo no bolso sem a menor dificuldade. Se ele for pro WSOF, espanca o Dave Branch (que é campeão meio-pesado também), o Jon Fitch, o Jake Shields e o Toquinho. Se for pro Bellator, espanca o Ben Henderson e o Rafael Carvalho (e não duvido que ganhe do Liam McGeary, como disse o Kuhl). Ele tem total direito de querer ganhar mais, mas tomara que o UFC segure.

    5- Disputa de salário entre UFC e Bellator por Mitrione e Rory MacDonald são bem diferentes, como o Sader falou muito bem. Pelo menos deveria ser.

    6- Acho MacDonald-Thomspon luta de muito sentido mesmo. E o Stephen Thompson não é favorito.

    • Thiago Kuhl

      4- ele é tão favorito que só nao vai ser campeao de todas as categorias pq não bate o peso. Mas se cortar uma perna pra lutar de leve e pena, aposto no Rory.

    • Bruno Fares

      6- Tem sentido mas eu queria pancadaria com o RL…

    • João

      6- Depois daquela luta contra o barba fica difícil apostar contra o Wonderboy. Mas fiquei animado demais com essa luta, os meus dois meio-médios favoritos.

  • Assuntos gerais:

    1- É correto dizer que eu estava me embriagando (uma vez por ano vale). E tava muito bem vestido, abaixo o clubismo. Eu estava no bar exatamente com o Felipe Paranhos (pra quem achou que tinha rolado treta com o texto dele sobre GSP e UFC 200).

    2- Peço pro André Gewehr dizer como se pronuncia o sobrenome dele pro Bruno não errar. Adiantou nada.

    • Bruno Fares

      2- Ele disse que eu acertei!

  • Sobre o horário do UFC Austrália, é incrível como o UFC não respeita o público australiano e o japonês, mas respeita o chinês e o malaio.

  • Thiago Kuhl

    Olha, estamos de parabéns Tintin e Bruno, 2:30 3 advogados sem falar de qualquer conteúdo jurídico (chato!) é um milagre!! Já podemos até considerar que sabemos viver em sociedade.

    • Bruno Fares

      Habemus milagrum!

  • Leo Corrêa

    Muito legal o podcast com a participação do público. O pessoal do site e o convidado estão de parabéns. valeu o

  • Thiago Kuhl

    Estou ouvindo o podcast e gostaria de fazer alguns comentários:

    1 – Eu disse que eu não duvidava que o Mitrione vença o Derrick Lewis, na realidade eu quis dizer Bobby Lashley, sei lá de onde tirei o Lewis, mas baranga por baranga…

    2 – Falei, falei e não fui claro. Sobre o terem dado o Wonderboy para o Rory para que ele perca o que eu queria dizer era: Uma derrota do Overeem não teria um efeito ruim para o UFC se ele continuasse no plantel, pois ele vende pela “imagem” dele e não pelos resultados positivos, por sua vez, uma derrota do Rory pode causar problemas para o UFC pois ele tem uma imagem muito baseada nos bons resultados dele.

    3 – Rin Nakai foi Queen of Pancrase mesmo, sabe o que isso significa? Nada.

    4 – Cara. HAMderley Silva. Não tenho nada a adicionar aqui, mas tinha que citar.