Patricky Pitbull nocauteia Josh Thomson na luta principal do Bellator 172, que ficou sem Fedor Emelianenko

O Bellator 172 ficou sem a luta de Fedor Emelianenko em cima da hora, mas terminou com um nocaute de Patricky Pitbull sobre Josh Thomson e mais uma vitória de Cheick Kongo, a quarta consecutiva.

O Bellator voltou novamente ao SAP Center, em San Jose, Califórnia, lar dos melhores cards da organização de Scott Coker. Dessa vez, o ginásio recebeu o Bellator 172, com a esperada volta do lendário Fedor Emelianenko aos cages americanos. Para recebê-lo, escolheram um adverário bem mais digno do que os que o russo vinha enfrentando desde sua volta da aposentadoria: Matt Mitrione.

Contudo, infelicidades acontecem, e a luta principal tão planejada e promovida pelo Bellator caiu cerca de três horas antes do evento por causa de pedras nos rins que mandaram Mitrione para o hospital e o impediram de lutar. Por este motivo, o duelo de pesos leves entre o veterano ex-UFC Josh Thomson e o brasileiro Patricky Pitbull foi promovido ao posto principal da noite.

Thomson começou a luta se movimentando bem, acertando bons chutes nas pernas, enquanto Patricky parecia esperar muito o ataque do americano para contragolpear. Com o passar do tempo, Pitbull passou a tomar mais a iniciativa e cresceu na luta, acertando duros golpes. Quando pegou confiança, o potiguar encaixou um cruzadão de direita, que levou Thomson a knockdown. O americano conseguiu se levantar rapidamente, se recuperou e voltou aos chutes no final da parcial, tentando dois altos.

Após passar o primeiro round tentando encurtar para derrubar, Thomson tentou novamente no segundo, mas acabou chocando sua cabeça com a do brasileiro e caindo no chão. Quando o americano levantou, Pitbull encaixou um uppercut preciso no queixo, que já caiu pensando se no céu tem pão. Mais dois socos forçaram a interrupção do árbitro “Big” John McCarthy na marca dos 40 segundos.

Após ser nocauteado brutalmente por Michael Chandler, Patricky Pitbull se arriscou e pegou mais uma luta difícil em seguida e fez o risco valer a pena. O brasileiro voltou para as conversas de disputa de cinturão, mas, devido à derrota ter sido recente, essa deve ser uma possibilidade remota agora. Ele terá que fazer mais uma luta pelo menos antes de receber mais uma chance, e essa pode ser contra Ben Henderson.

Enquanto isso, Josh Thomson tinha praticamente garantida a luta pelo cinturão, mas viu suas pretensões terem fim por agora. Com a idade avançada, é difícil imaginar que Thomson volte a fazer novamente uma corrida pelo cinturão, mas mesmo assim ele continua a ser um nome mais do que valioso para a organização. O interesse agora deve ser casar uma luta contra um adversário como Ryan Couture, diminuindo o nível de concorrência do “Punk” por enquanto.

Cheick Kongo domina completamente Oli Thompson e vence na decisão

A categoria dos pesados no Bellator está com o título vago e viu o duelo entre Fedor e Mitrione cair. Melhor para Cheick Kongo, que chegou à quarta vitória seguida na divisão e se estabelece cada vez mais como candidato a disputar o cinturão.

Cheick Kongo passou facilmente por Oli Thompson (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Cheick Kongo passou facilmente por Oli Thompson (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Começando a peleja, Oli Thompson tentava se movimentar para encurralar Kongo na grade, preparando sua patada de direita. Quem se deu bem primeiro foi Kongo, que acertou um bom cruzado na face do britânico. Porém, o francês se abriu muito tentando dar sequência e também tomou uma direita. Os dois atordoados foram para o clinch, de onde Kongo conseguiu uma queda, controlando o britânico no chão por algum tempo. Perto do final do round, Thompson conseguiu levantar, mas engoliu diversas joelhadas na cara do thai clinch antes do final do assalto, saindo bastante grogue para o intervalo.

Ainda um pouco abalado, Thompson voltou levando novamente a luta para o clinch, cozinhando as ações. Depois de dois minutos, Kongo conseguiu reverter a posição e levou novamente a luta para o solo, onde passeou, acertando muitos golpes da meia guarda e chegando muito perto de nocautear o britânico. O mesmo cenário foi repetido no terceiro round, no qual Kongo conseguiu a queda logo nos primeiros segundos e manteve a posição durante a parcial inteira, só que sem ser tão efetivo como no anterior.

Terminada a luta, o resultado foi dado pela decisão dos juízes, que marcaram unânimamente a vitória avassaladora de Cheick Kongo, com placares de 30-26, 30-25 e 30-25.

Com mais uma vitória na conta, Cheick Kongo soma agora quatro seguidas. Não que isso signifique muito em uma categoria como a dos pesados no Bellator. Porém, com essa sequência e o nível decente de luta que vem apresentando, atualmente Kongo é o lutador que mais merece uma oportunidade pelo cinturão vago da categoria. Essa disputa pode ser, atualmente, contra Bobby Lashley ou o vencedor de Emelianenko-Mitrione, caso seja remarcada.

Já Oli Thompson ficou em uma situação bastante difícil na categoria. Com duas derrotas seguidas, a possibilidade de dizer adeus é grande. Porém na situação atual da divisão, eu daria mais uma chance para o inglês, casando um confronto com Sergei Kharitonov.

Mauricio Alonso termina de enterrar a carreira de Josh Koscheck

Depois de ter sido dispensado do UFC por anos de derrotas seguidas, Josh Koscheck tentou se reabilitar contra Mauricio Alonso, um adversário de nível muito mais baixo. Mas a vida não anda fácil para o ex-TUF 1.

A vida segue muito difícil para Josh Koscheck nos cages de MMA (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

A vida segue muito difícil para Josh Koscheck nos cages de MMA (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

No começo do primeiro round, os dois começaram trocando muito plantados, com Alonso acertando um bom cruzado. O brasileiro seguiu bem na trocação, mantendo Koscheck na longa distância com seus jabs e chutes baixos, evitando ser encurralado na grade se movendo lateralmente. Perto do final do round, Alonso acertou outro cruzado na face de Kos e, aproveitando o momento, encurralou o americano e emendou um forte uppercut, só precisando dar mais dois conferes no chão antes da interrupção confusa de John McCarthy aos 4:42 do primeiro round.

Ganhando de Kos, é muito difícil de imaginar o que espera o brasileiro, visto que os planos do Bellator claramente eram para uma vitória do americano. Agora, Alonso deve ganhar mais uma boa chance na organização, mas sem a consideração de ter vencido alguém realmente de elite. A sugestão fica por um confronto contra Dakota Cochrane, em uma preliminar de evento grande.

Já para Koscheck, as opções nunca foram tão claras. Não tem como justificar o desempenho ruim somente pelo tempo longo de inatividade, é inegável que o ex-desafiante do UFC não tem mais capacidade de competir em alto nível no MMA. A saída para ele deveria ser a aposentadoria, antes que sua situação fique ainda pior.

Outros destaques do Bellator 172

Com a saída de Mitrione e Fedor do evento, o confronto interessante entre Anatoly Tokov e Francisco “Kiko” France foi movido para a parte principal do evento. Apesar de ter algumas dificuldades durante a luta, o prospecto russo lutou bem e conseguiu o nocaute técnico aos 2:24 do segundo round, mostrando que é um lutador para se ficar de olho, ainda mais no deserto que é a categoria dos médios do Bellator.

Anatoly Tokov confirmou sua posição de importante prospecto na vitória sobre Francisco

Anatoly Tokov confirmou sua posição de importante prospecto na vitória sobre Francisco “Kiko” France (Foto: Dave Mandel/Sherdog.com)

Enquanto isso, na segunda luta do card principal vimos um duelo bastante animado que acabou em um antíclimax, já que Brooke Mayo, que parecia estar vencendo a luta, foi impedida de continuar no meio do terceiro round, após seu olho esquerdo inchar até o tamanho de uma bola de golfe das grandes. A vitória foi dada então para a italiana Veta Arteaga após interrupção médica aos 4:04 do terceiro assalto.

No card preliminar, o lutador brasileiro de jiu-jítsu Diego Herzog não correspondeu seu favoritismo e empatou com Martin Sano na decisão majoritária dos juízes.

Essas foram as principais atrações do Bellator 172, pessoal! Voltaremos na próxima sexta, dia 24, para outra incursão da organização na Irlanda, com o Bellator 173. No combate principal, teremos o ex-campeão dos meios-pesados Liam McGeary enfrentando o ex-TUF 19 Chris Fields. Complementando o card principal, mais uma luta do prospecto irlandês James Gallagher, dessa vez contra o israelense Kirill Medvedovski, além de um combate no peso pena feminino entre a promissora Sinead Kavanagh e a francesa Iony Razafiarison. Até lá!