Os principais destaques e a análise completa do Bellator 182

Na sombra da luta de boxe entre Mayweather e McGregor, o Bellator 182 alegrou quem assistiu o evento na noite de sexta-feira, trazendo o retorno de um ex-campeão na luta principal.

Depois de um mês sem realizar eventos, o Bellator viajou para Nova York pela segunda vez para o Bellator 182, que foi realizado no Turning Stone Casino, na pequena cidade de Verona, no interior do estado. O card confirmou uma tendência que a organização vem demonstrando nos últimos tempos, fazendo um evento de qualidade tanto na parte principal quanto na preliminar, que antigamente só era habitada por nomes regionais sem muita importância senão vender ingressos.

O evento em geral foi pouco afetado por lesões, que só tiraram lutadores de menor importância do card. O único complicador inicial foi a pesagem, na qual Chidi Njokuani e Fernando Gonzalez acabaram não batendo o peso, mas isso também não afetou o evento de maneira geral.

Andrey Koreshkov passa por cima de Chidi Njokuani sem dificuldades

Se estivéssemos num estádio brasileiro, ao final da luta entre Andrey Koreshkov e Chidi Njoukuani, ouviríamos o clássico canto de “O campeão voltou”. Depois de perder o cinturão para Douglas Lima e passar quase um ano inteiro parado, Koreshkov voltou às atividades atropelando Njokuani impiedosamente.

Começando lentamente, o ex-campeão apertou demais o passo depois de acertar um soco rodado que pegou em cheio. Sentindo cheiro de sangue, o russo levou para o chão e bateu ferozmente até acabar a peleja com uma série de cotoveladas violenta. Apesar do desempenho excelente, ele ainda demonstrou a mesma falha que o levou a perder para Douglas Lima, abrindo muitas brechas ao partir para cima com tudo para finalizar a luta, no estilo “bora pra cima dele porra”.

 

Numa divisão sem Rory MacDonald, era provável de se apostar que Koreshkov ainda tem todas as condições de ser campeão novamente, mas com sua presença no Bellator, ainda é preciso que o russo evolua para fazer frente com o ex-UFC. Ainda assim, acho que Koreshkov hoje seria a luta mais dura na divisão para MacDonald, ainda mais do que o atual campeão.

Sugestões de casamento:

Andrey Koreshkov vs. vencedor de Lorenz Larkin-Paul Daley
Chidi Njokuani vs. Michael Page

Fernando Gonzalez vira a luta e finaliza Brennan Ward

Depois de anos lutando de forma irresponsável, Brennan Ward parecia finalmente começar a formar juízo e usar seu wrestling para garantir a vitória, mas, após entrar em queda sem grandes preocupações, acabou tendo o pescoço preso na guilhotina de Fernando Gonzalez, derrotado depois de dominar os dois rounds anteriores. A luta, que antes tinha sido anunciada para acontecer na divisão dos meios-médios, acabou sendo em peso casado de 180 libras (cerca de 81,6 quilos).

Ward já tinha tentado lutar de forma mais conservadora anteriormente, arriscando levar Daley para o chão mesmo depois de várias promessas de pancadaria, mas acabou vitimado pela joelhada voadora do inglês antes de obter qualquer sucesso. Agora com duas derrotas seguidas, ele vai cada vez se distanciando mais da elite e se consolidando somente como um lutador empolgante que tem dificuldades em manter consistência.

Gonzalez é um porteiro na divisão dos meios-médios do Bellator. Qualquer um que queira duelar contra os tops não pode perder para ele. Ele até possui qualidades na troca de golpes, mas é incrivelmente estático e nunca aumenta seu ritmo, sempre se mantendo em marcha lenta. Com a vitória sobre Ward, ele emenda a melhor sequência de vitórias de sua carreira na organização, também tendo vencido Brandon Girtz, mas, olhando para a frente, é difícil ver alguma luta vencível para ele.

Sugestões de casamento:

Fernando Gonzalez vs. perdedor de Lorenz LarkinPaul Daley
Brennan Ward vs. Ricky Rainey

Bruna Ellen bate Veta Arteaga em luta bastante apertada

O Bellator vem cada vez mais apostando em divulgar suas categorias femininas, sempre reservando um espaço no card principal para apresentar lutadoras que vem ganhando destaque na organização. Esse foi o caso do confronto de Bruna Ellen e Veta Arteaga, que, apesar de não serem muito conhecidas pelo público em geral, ganharam a chance de demonstrar seu talento na parte nobre do evento.

A luta no geral foi muito equilibrada, principalmente no terceiro round, que foi o definidor do confronto, dividindo as opiniões dos juízes, que deram vitória para a brasileira em decisão dividida, concordando com o placar dado pelo MMA Brasil. Ellen se saiu muito bem apostando em contragolpear, aproveitando que Arteaga avançava muito em linha reta, abrindo brechas para a brasileira golpear. No segundo assalto, a brasileira voltou a demonstrar sua falta de experiência, perdendo uma posição de domínio nas costas por causa de uma tentativa de finalização, acabando por baixo de Arteaga, que usou a posição para levar o round. Já no decisivo terceiro, Bruna demonstrou um ótimo tempo de queda levando a luta para o chão e dominando durante parte do round, virando a parcial depois de um bom começo da italiana.

Com 21 anos, Bruna Ellen ainda possui muito tempo para ganhar experiência. Desenvolvendo-se aos poucos, a brasileira pode ser uma lutadora importante no peso mosca em alguns anos. Ela demonstrou qualidades vencendo uma adversária como Arteaga, que antes só havia perdido para Anastasia Yankova, também em luta bastante contestada, mas igualmente demonstrou que ainda é muito crua no MMA e que ainda precisa de paciência para seu futuro.

Sugestões de casamento:

Bruna Ellen vs. Helen Harper
Veta Arteaga vs. Kate Jackson

AJ McKee vence, mas não impressiona diante de Blair Tugman

O californiano AJ McKee segue em seu crescente desenvolvimento na carreira. Com uma atuação segura, mas sem grandes destaques, ele venceu facilmente Blair Tugman usando uma combinação de wrestling e troca de golpes criativa, com bastante chutes e cotoveladas. Primeiramente um wrestler, AJ tem se desenvolvido bem na luta em pé, mas parece ainda ter bastante o que aprender no quesito defensivo, que pode oferecer brechas perigosas contra lutadores de nível mais alto. Outro aspecto no qual McKee deve melhorar é a fluidez de suas mudanças de nível, visto que tentou por diversas vezes quedas de uma distância longa demais, o que diminui bastante sua chance de sucesso.

 

Apesar dos poréns, McKee está em um baita nível para um lutador de apenas 22 anos e já deveria estar sendo testado contra uma oposição mais qualificada. Tugman é um atleta de cartel muito irregular e de quem não se esperava muita coisa, ainda mais em somente sua terceira luta na divisão durante a carreira, depois de subir do peso galo.

Na entrevista pós-luta, AJ McKee fez sua tradicional provocação a James Gallagher, deixando muitos com a expectativa dessa ser a próxima luta a ser casada. Em minha opinião, a luta entre McKee e Gallagher ainda irá acontecer, mas atualmente não seria a melhor opção. Numa organização como o Bellator, não tem porque queimar um prospecto tão novo, ainda mais por uma luta que pode ser bastante mais atrativa mais para a frente. McKee hoje está passos à frente de Gallagher na divisão, inclusive tendo empatado o recorde de vitórias seguidas de Ben Askren no Bellator, e tem que ser testado contra um nome mais cascudo em seu próximo combate.

Sugestões de casamento:

AJ McKee vs. Henry Corrales
Blair Tugman vs. Steve Garcia Jr.

Outros Destaques do Bellator 182

O Bellator trouxe novamente lutas de qualidade em seu card preliminar, o que costumava ser raridade. Abrindo o evento hoje, vimos um ótimo prospecto para o futuro ganhar sua segunda luta profissional. O americano Joey Davis, quatro vezes campeão da Divisão II da NCAA e invicto na carreira universitária, não tomou conhecimento de J.T. Roswell conseguindo uma queda com pouco tempo de luta e finalizando a luta no ground and pound com cotoveladas.

Com um pouco mais de tempo de desenvolvimento, é provável que Davis se torne um grande perigo na divisão, sendo talvez o wrestler com mais potencial dentre os vários que vêm iniciando sua carreira dentro do Bellator, como Tyrell Fortune e Jarod Trice.

 

Outra luta importante no preliminar aconteceu na categoria dos médios, com a vitória de Chris Honeycutt sobre o ex-UFC Kevin Casey por nocaute. Apesar da previsível vitória de Honeycutt, a atuação foi acima do esperado, conseguindo sua vitória mais convincente até agora na subida para o peso médio. Com três vitórias na divisão, agora é hora de Honeycutt começar a enfrentar os melhores nomes da categoria para comprovar se subir de peso foi realmente uma decisão acertada.

Em duas lutas importantes no peso pena, quatro lutadores importantes da divisão entraram no cage durante o card preliminar. O ex-campeão do WSOF Georgi Karankhanyan conseguiu a vitória sobre o ex-UFC Daniel Piñeda depois de uma interrupção médica após uma pedalada do armênio abrir um corte gigante no supercílio de seu adversário. Enquanto isso, Henry Corrales venceu tranquilamente o também ex-UFC Noad Lahat na decisão dos juízes, emendando sua segunda vitória seguida no Bellator.

Na penúltima luta do preliminar, a brasileira Talita “Treta” Nogueira finalmente fez sua estreia no Bellator depois de dois anos de espera, finalizando Amanda Bell com um mata-leão ainda no primeiro round. Bell era considerada uma das poucas esperanças da divisão para o futuro, mas, com pouco tempo de preparação, não conseguiu segurar o jiu-jítsu apurado da brasileira, que já pinta como uma possível futura desafiante caso consiga se manter ativa.

 

Em lutas de menos destaque, mas ainda com bons nomes, o peso meio-pesado Vadim Nemkov – parceiro de treinos de Fedor Emelianenko – acabou nocauteando Philipe Monstro no segundo round, botando o emprego do brasileiro em perigo. Enquanto isso, em mais uma luta no peso pena feminino, Arlene Blencowe venceu Sinead Kavanagh em decisão dividida, freando totalmente as expectativas que tinham sido criadas sobre a irlandesa, que agora emenda duas derrotas seguidas. No peso meio-médio, Ricky Rainey voltou a vencer numa decisão sobre Marc Stevens e deve receber a oportunidade de voltar a lutar contra um adversário de nome em sua próxima luta.

 

Essas foram as principais atrações do Bellator 182! Voltaremos agora somente no dia 23 de setembro para o Bellator 183, que trará o confronto entre Ben Henderson e Patricky Pitbull na luta principal. No card principal, veremos também a estreia de Roy Nelson no Bellator contra Javy Ayala, além de duas de grande potencial de ação, quando Paul Daley enfrentará Lorenz Larkin, no peso meio-médio, e Goiti Yamauchi fará uma batalha de grapplers contra Adam Piccolotti, no peso leve. Até lá!

  • Gabriel Carvalho

    “Se estivéssemos num estádio brasileiro, ao final da luta entre Andrey Koreshkov e Chidi Njoukuani, ouviríamos o clássico canto de “O campeão voltou”

    HAHAHAHAHAHAH

    E sensacional como o McKee oscila entre fazer uma luta bosta contra um cara mediano e dar um show, como foi o caso da luta com o Mazzota.

    • Rafael Oreiro

      McKee não consegue fazer lutas que demonstrem o potencial dele contra caras medianos.

  • João Gabriel Gelli

    Vadim Nemkov foi uma adição excelente pros meios-pesados do Bellator. Pode chegar no topo da divisão rápido.

    • Rafael Oreiro

      Com certeza, é um bom nome pra melhorar a qualidade da categoria.

  • Gabriel Fareli

    Ficou muito legal o novo formato da análise dos eventos. Gostei ✌

  • André Guilherme Oliveira

    Evento bacana com boas lutas ate no preliminar. Raridade no Bellator

    • Rafael Oreiro

      Era raridade mas hoje em dia tá cada vez mais comum. Já é o terceiro card seguido que eles fazem um card preliminar maneiro. Vamos ver no futuro agora.

  • James sousa

    Gostei da opção de luta para o Koreshkov

    • Rafael Oreiro

      Acho que as únicas opções pra ele agora são Larkin-Daley ou Gonzalez. Achei Larkin-Daley melhor..