Por Pedro Carneiro | 10/04/2020 16:28

Listas são sempre um assunto complicado e polêmico. É comum a discordância e os debates acalorados quando há a tentativa de escalonar os melhores atletas de qualquer esporte.

O boxe é um esporte sesquicentenário, por isso existe certa dificuldade em conhecer todos os atletas e muitos lutadores que jamais fariam parte da lista dos 10 melhores do esporte, comumente são listados.

Para inflamar mais esse debate e atender as diversas vezes que os leitores nos pediram, o MMA Brasil resolveu fazer a sua lista de melhores lutadores de boxe de todos os tempos.

1- “Sugar” Ray Robinson – 173-19-6 (108 nocautes) / Período de atividade: 1940-1960

Sugar Ray Robinson (Foto: Kentake Page)

“Sugar” Ray Robinson é apontado pela maioria dos especialistas como o maior de todos os tempos, peso por peso.

Sugar nasceu em Detroit, em 1920, com o nome de Walker Smith Junior. Ele se profissionalizou aos 20 anos, depois de concluir uma carreira invicta como amador, com 85 vitórias (69 nocautes), 40 delas no primeiro round. Profissionalmente, Robinson foi campeão mundial dos meios-médios entre 1946 e 1951. No ano seguinte, conquistou o título dos médios vencendo o também lendário Jake LaMotta, que se notabilizou como seu maior rival.

Tecnicamente, Robinson era um lutador completo. Veloz, ambidestro, inventivo, além de saber usar todos os ângulos, e praticamente inventava novos. “Sugar” levou o jogo de pernas ao patamar da arte, com combinações como ninguém até hoje fez em um século de esporte.

Dentre os seus feitos, Ray foi o primeiro pugilista a conquistar cinco vezes o cinturão de uma mesma categoria; venceu lutadores do Hall da Fama do boxe (Jake LaMotta, Henry Armstrong, Carl Olson, Carmen Basilio, Gene Fullmer, Kid Gavillan e Rocky Graziano); foi o responsável pelo surgimento da expressão pound for pound, criada para compará-lo com lutadores mais pesados; foi eleito o maior boxeador de todos os tempos pela ESPN, The Ring e pelos astros Joe Louis, Muhammad Ali e “Sugar” Ray Leonard.

Para ver quem foi:  Sugar Ray Robinson vs. Jake LaMotta VI – The St.Valentine’s day massacre – 14 de fevereiro de 1951

2- Henry Armstrong – 150-21-10 (101 nocautes) / Período de atividade: 1931-1945

Henry Armstrong (Foto: Divulgação)

O maior feito de Henry Armstrong não foi ficar famoso por fazer parte do grupo seleto de lutadores campeões em três categorias distintas (em um período onde só haviam oito). Ele é uma lenda por ter sido campeão em três categorias (pena, leve e meio-médio), em 1938, AO MESMO TEMPO. Além disso, defendeu seu cinturão em 19 disputas.

Sua capacidade de imprimir um ritmo sobrenatural, a metralhadora de socos que afligiam o adversário por todos os ângulos possíveis e impossíveis e a capacidade de induzir os adversários ao erro para que pudesse nocauteá-los eram as principais características de Armstrong. Venceu os maiores nomes de sua época em uma lista onde se destacam Barney Ross, Benny Bass, Lou Ambers, Chalky Wright e Fritzie Zivic.

Para ver quem foi: Henry Armstrong vs. Barney Ross – 31 de maio de 1938

3- Joe Louis – 66-3 (52 nocautes) / Período de atividade: 1934-1951

Joe Louis (Foto: Pompton Lakes)

Joe Louis nasceu no Alabama em 1914 e teve uma carreira impressionante como boxeador amador (50-4) antes de se tornar profissional. Se tornou campeão mundial em 1937, e seu reinado como campeão durou 140 meses consecutivos, período em que ele defendeu o seu título 26 vezes – um recorde entre os pesos pesados. Dentre outras marcas, Joe defendeu o cinturão em 25 combates consecutivos, 22 vezes por nocaute. Foi considerado o peso pesado número um da história pela International Boxing Research Organization e número um na lista dos 100 maiores “pegadores” de todos os tempos da Ring Magazine. Além disso, foi quatro vezes nomeado o lutador do ano pela Ring Magazine (apenas Muhammad Ali está na frente, com 5 nomeações).

Das suas derrotas, apenas uma, contra Max Schmeling em 1936, aconteceu antes de Louis se aposentar e voltar aos ringues. Ainda assim, Louis o venceu posteriormente em uma revanche, mas isso é apenas uma faceta de Joe. O americano é considerado o primeiro herói afro-americano, em decorrência do embate contra o alemão Max Schmeling que, embora contra a sua vontade, era garoto-propaganda do regime nazista de Adolf Hitler. A revanche entre Louis e Schmeling era vista como o confronto do negro anti-nazista contra o representante da raça ariana alemã. A vitória de Louis o catapultou como um ídolo nacional e lhe rendeu, além da fama, uma forte amizade com Schmeling.

Para saber quem foi: Joe Louis vs. Max Schmeling II – 22 de junho de 1938

 4- Muhammad Ali – 56-5 (37 nocautes) / Período de atividade: 1960-1981

Muhammad Ali (Foto: Getty Images)

Seu nome de batismo era Cassius Clay, e com essa alcunha, Ali foi campeão olímpico e venceu mais de 100 lutas amadoras. Foi campeão dos pesos pesados pela primeira vez em 1964, vencendo Sonny Liston, um dos maiores brawlers da história. Durante a preparação para a revanche contra Liston, Clay mudou o seu nome para Muhammad Ali. A mudança veio por influência do islamismo e da sua amizade com Malcolm X.

Ali possuía um estilo único no ringue. Foi um dos pais do trash talking e venceu adversários do calibre de Bob Foster, Ken Norton e Floyd Patterson. E se tratando de lutas contra lendas, nesse quesito Muhammad Ali é imbatível. Seus embates contra Joe Frazier e George Foreman são a mais pura história do boxe. Assistir os combates “Thrilla in Manilla” e o “Rumble in the Jungle” são uma obrigação para qualquer um que se declare fã de lutas.

Para ver quem foi: Muhammad Ali x Joe Frazier III – Thrilla in Manila – 1 de outubro de 1975

5- Willie Pep – 229-11-1 (65 nocautes) / Período de atividade: 1940-1966

Willie Pep (Foto: Divulgação)

Considerado o maior peso pena da história do boxe, Willie Pep foi campeão pela primeira vez quando já ostentava uma carreira invicta com 54 vitórias. É o pugilista com o recorde de vitórias oficiais com absurdos 229 triunfos. Assim como Robinson, ele conquistou o cinturão da categoria por cinco vezes durante a carreira.

Em 1946, Pep atingiu a marca absurda de 18 combates num mesmo ano, vencendo todas as pelejas. Willie é conhecido pela absurda capacidade defensiva, construída com movimentação lateral e um jogo de pernas lendário. Existe uma lenda, jamais confirmada, que Pep venceu um round sem ter lançado um único soco contra o adversário.

Para ver quem foi: Willie Pep vs Fabela Chavez – 19 de novembro de 1952

6- Jack Johnson – 73-13-10-5 (40 nocautes) / Período de atividade: 1887-1932

Jack Johnson (Foto: AP)

Filho de escravos, Jack Johnson sofreu com o preconceito durante toda sua carreira, recebendo o direito de lutar pelo título mundial dos pesados somente após se provar como o melhor boxeador negro e defender diversas vezes o posto de campeão mundial negro da categoria (sim, isso existia). Em 1908, Johnson venceu Tommy Burns e se tornou o primeiro negro a ser campeão mundial dos pesos pesados.

Apesar da vitória, seu estilo contragolpeador e a cor da sua pele foram motivos de diversas críticas e da descrença no mundo da luta. Dois anos depois, o então aposentado e invicto James Jeffries voltou aos ringues com a alcunha de “A Esperança Branca” para enfrentar Jack Jonhson. Jeffries afirmou: “Vou entrar nessa luta apenas pelo simples propósito de provar que um homem branco é melhor do que um negro”. Enfrentando um lutador invicto e os insultos de uma plateia de 22 mil pessoas, Jack Johnson venceu Jeffries no 15º round. Uma lenda.

Para ver quem foi: Jack Johnson vs. James Jeffries – 4 de julho de 1910

7- Jack Dempsey – 65-6-11 (51 nocautes) / Período de atividade: 1914-1927

Jack Dempsey (Foto: Divulgação)

Se apenas uma palavra pudesse definir Jack Dempsey, seria agressividade. O americano foi um dos mais populares boxeadores da história; sua capacidade de lutar tanto como destro quanto como canhoto e seu avassalador gancho de esquerda o tornaram uma das maiores lendas da nobre arte.

Campeão dos pesos pesados, Dempsey nocauteou Georges Carpentier, em 1921, na primeira luta da história a ser transmitida pelo rádio e a superar o faturamento de US$1 milhão. Dempsey, além de campeão de boxe, atuou em vários filmes, o que aumentou a sua popularidade e o fez de inspiração para vários outros lutadores como Mike Tyson, por exemplo.

Para ver quem foi: Jack Dempsey vs. Georges Carpentier – 2 de julho de 1921

8- Benny Leonard – 91-5-1 (70 nocautes) / Período de atividade: 1911-1932

Benny Leonard (Foto: Divulgação)

Um dos maiores pesos-leves da história, Benny se diferenciava pela combinação de grande poder de nocaute com um jogo de pernas único. Considerado a inspiração para Willie Pep, Leonard perdeu pouquíssimos rounds ao longo da carreira. Se aposentou cedo, em virtude de um pedido de sua mãe, como bicampeão invicto (com exceção de uma luta que estava vencendo, mas foi desclassificado por um golpe ilegal).

Após a crise da bolsa de 1929, Benny chegou a falência e retornou ao boxe em 1931. Mesmo fora de forma, venceu 16 de suas 17 lutas. Então, continuou a trabalhar no boxe como juiz, e veio a falecer em decorrência de um ataque cardíaco durante um combate.

Para saber quem foi: Benny Leonard vs. Lew Tendler I – 27 de julho de 1927

9- Sam Langford – 180-29-39 (128 nocautes) / Período de atividade: 1902-1926

Sam Langford (Foto: The Ring)

Boxeador canadense, Sam Langford é conhecido como “o melhor lutador que ninguém conhece”. Com apenas 1,71 metro de altura e 84 quilos, Langford fez lutas entre os pesos leve e pesado, vencendo campeões ou lendas em cada uma das classes de peso. Com um grande poder de nocaute até mesmo nos pesados, Sam foi mais um dos casos de racismo e jamais recebeu uma oportunidade pelo título mundial.

Recebeu o título de campeão dos negros, desocupado de Jack Johnson, e há muitos relatos de que o próprio Johnson tenha evitado enfrentar Sam Langford devido ao poder de fogo das mãos do canadense. Certa vez, Jack Dempsey declarou: “Eu não temia nenhum homem. Só havia um homem que eu não lutaria porque eu sabia que ele me esmagaria. Eu tinha medo de Sam Langford”. Langford é considerado o melhor lutador da história do boxe que nunca ganhou um título mundial e é um dos maiores casos de injustiça da história do boxe.

Para ver quem foi: Sam Langford vs. Jim Flynn III – 17 de março de 1910

10- Harry Greb – 261-17-19-1 (48 nocautes) / Período de atividade: 1913-1926

Harry Greb (Foto: Reprodução)

Alguns pugilistas possuem muitas lutas na carreira, já que isso não era incomum no boxe. Já Harry Greb possui a surreal marca de 298 combates em um período de 13 anos como profissional. Greb possuía um estilo de rápido, agressivo e marcado pelo volume de golpes aplicados. A descrição de seu primeiro combate com Gene Tunney é assustadora e demostra quão selvagem era o estilo de luta de Harry.

O lendário lutador de Pittsburgh foi campeão dos meios-pesados entre 1922 e 1923 e campeão dos médios no período entre 1923 e 1926. Entretanto, a carreira de Harry Greb teve um final trágico. Cego de um olho, com baixa visão no outro e com sérias dificuldades respiratórias, Harry fez uma cirurgia para reparar os danos no nariz e nas vias respiratórias. Contudo, após complicações na operação e com a anestesia, o campeão nunca mais acordou.

Para ver quem foi: Harry Greb se exercitando e fazendo sparring em 1925 – não há registros das lutas em vídeo.

Bônus: Roberto Durán – 103-16 (70 nocautes) / Período de atividade: 1968-2001

Roberto Durán (Foto: Richard Mackson/USA Today Sports)

Apelidado de “Mãos de Pedra”, Roberto Durán será sempre lembrado pelo seu poder de nocaute avassalador. Treinado pelo lendário Ray Arcel, Durán foi campeão mundial em quatro categorias (leve, meio-médio, médio-ligeiro e médio).

É considerado por muitos o maior peso leve de todos os tempos e possui a inacreditável marca de ter lutado em 5 décadas diferentes (1960, 1970,1980, 1990 e 2000), igualando Jack Johnson (1898, 1900, 1910, 1920 e 1930), encerrando a sua carreira em 2001 aos 50 anos. Seus embates contra Sugar Ray Leonard e o famoso “No más”, quando desistiu da segunda luta, ficarão para sempre na história do boxe. Sua vida foi retratada no filme “Mãos de Pedra” de 2016.

Para ver quem foi: Roberto Dúran vs. Sugar Ray Leonard I – 20 de junho de 1980

Menções honrosas: Sugar Ray Leonard, Sonny Linston, Joe Gans, Rocky Marciano, Gene Tunney, Archie Moore, Jimmy Wilde, Ezzard Charles, George Foreman, Eder Jofre, Evander Holyfield e Julio César Chávez.