Por João Gabriel Gelli | 13/08/2018 00:42

No final da semana passada, o MMA Brasil iniciou um projeto de trazer análises de todos os atuais campeões do M-1 Challenge. Isto se deu por conta da parceria firmada entre a organização russa e o UFC visando o desenvolvimento do MMA na região, em um acordo que permitirá que os campeões do M-1 Challenge façam a transição para o UFC sem grandes percalços.

LEIA MAIS O que esperar dos campeões do M-1 Challenge no UFC – Parte 1

Como o UFC Fight Night 136 já está agendado para ser realizado em Moscou em setembro, a expectativa é que alguns campeões do M-1 Challenge estarão no card, com alguns deles já sendo presenças confirmadas. Dessa forma, após tratarmos dos detentores dos cinturões dos pesos mosca, galo e pena, fecharemos esta avaliação com os donos dos títulos nas categorias dos médios, meios-médios e leves.

Vale ressaltar que as divisões dos pesados e dos meios-pesados se encontram sem campeões atualmente.

Peso Médio – Artem Frolov (11-0) – 26 anos

Striking

Quando a luta está de pé, muitas vezes Frolov parece um maníaco. Ele adora se envolver em tiroteios e tem um grande poder de nocaute, que combinado a um ótimo instinto de definição leva a diversas interrupções. Apresenta um volume de golpes razoável e se movimenta de uma forma que pressiona os adversários e busca encurralá-los. Por outro lado, tem poucos cuidados defensivos, dependendo do excelente queixo em múltiplas situações.

Wrestling

Ocasionalmente utiliza as quedas como uma maneira de variar sua abordagem ao longo da luta, mas isto é feito em frequência abaixo da ideal, ainda mais quando se considera que tem um bom histórico no sambo e tem habilidade nesta valência técnica. Já no lado defensivo, tem alguns problemas de inconsistência, mas passou por ótima evolução. Em alguns momentos os oponentes entram limpos em suas pernas e conseguem derrubá-lo sem tanta resistência, enquanto em outros ele demonstra um equilíbrio acima da média para se manter de pé e se desvencilhar.

Grappling

Da mesma forma que nas situações em que a luta está de pé, ele gosta de buscar interrupções no solo. Para tal, ataca agressivamente em diversas finalizações, principalmente guilhotinas, triângulos e chaves de braço. Seu ground and pound é apenas moderado, utilizado mais com o intuito de abrir espaços para passagens de guardo e finalizações do que para nocautear. Quando está de costas para o chão, não fica passivo e procura brechas para atacar ou para levantar rapidamente.

Atributos Físicos

Frolov se mostrou um bom atleta, que, apesar de terminar a maior parte de suas lutas rapidamente, também é capaz de conservar energia e passar por combates longos. Ele é explosivo e forte, mas tem uma altura abaixo da média da categoria.

Experiência

Com uma carreira feita quase toda no M-1 Challenge, Frolov passou por uma crescente bem trabalhada no nível de competição. Talvez tenha lhe faltado algum teste mais robusto no campo do wrestling, mas já venceu concorrência de bom nível, como os ex-UFC Caio Monstro e Joe Riggs.

Expectativa

Frolov tem as ferramentas técnicas e físicas que lhe tornam um potencial favorito dos fãs ao ser um lutador completo e com mentalidade agressiva, que sempre busca encerrar seus combates. Some isso ao fato de que ainda é jovem e tem um amplo tempo para evoluir nos pontos em que ainda mostra maiores deficiências. Além disso, o peso médio é uma das piores divisões do UFC na atualidade em termos de profundidade e competição fora do top 15, apesar de ter uma elite excelente. Portanto, o que se espera de Artem é que colecione bônus e tenha um caminho rápido até o ranking até se tornar figura carimbada no top 10 da categoria.

Peso Meio-Médio – Alexey Kunchenko (18-0) – 34 anos

Striking

Na troca de golpes, Kunchenko apresenta um estilo de muay thai de ritmo lento, com muita leitura e tentativas de cortar a movimentação do adversário. Seu volume é baixo, com preferência para atacar com muita potência, mas sempre em combinações. Trabalha bem como contragolpeador e tem um instinto assassino apurado. Além disso, aplica joelhadas e chutes com eficiência. No aspecto defensivo, deixa a guarda bastante fechada, tem um queixo resistente e demonstrou evoluções nos movimentos de cabeça. Por fim, seu dirty boxing é forte, combinado a um ótimo porte físico.

Wrestling

Consegue mudar de nível com explosão e técnica e usa o wrestling como ferramenta para quando está em dificuldades em pé. Por conta de sua grande força, consegue dominar os oponentes no clinch e de lá que saem a maior parte de suas quedas. Sua defesa passou por grandes melhorias ao longo do tempo e agora é muito sólida. Nas situações em que é derrubado, trata logo de usar o momento do movimento para ficar de pé rapidamente.

Grappling

No solo, costuma pesar bastante o quadril para tirar as brechas que podem aparecer para os oponentes e controlá-los. Seu ground and pound é apenas razoável e causa pouco estrago, sem grande capacidade de definição. Ele prefere estabilizar a posição a tentar passagens de guarda e finalizações e raramente se envolve em scrambles.

Atributos Físicos

Levemente abaixo da média da divisão em termos de altura, Kunchenko compensa com muita força física. Ele é um excelente atleta, com bom dinamismo, explosão, velocidade adequada e condicionamento físico para lidar com combates travados e prolongados.

Experiência

Aos 34 anos e invicto em 18 combates como profissional, Kunchenko já encarou concorrência de todos os tipos, tendo defendido o cinturão do M-1 Challenge em quatro oportunidades. Já são 13 nocautes, o que mostra ótimo poder de definição e superou nomes como o ex-campeão dos leves da organização Alexander Butenko, Murad Abdulaev e Sergey Romanov.

Expectativa

Ele foi o primeiro dos campeões do M-1 Challenge a ter uma luta casada no UFC e irá encarar Thiago Alves no UFC Fight Night 136, na Rússia. Se não tivesse uma idade já avançada, provavelmente seria uma aposta segura para atingir o ranking dos meios-médios, mas deve ter um caminho longo para alcançar tal região, por mais que tenha condições físicas e técnicas para tal. Dessa forma, a expectativa é que passe por Pitbull sem maiores dificuldades e siga crescendo na categoria. Caso aceite lutas em um ritmo frequente, pode alcançar o top 15 e lá tem boas chances contra alguns dos nomes presentes, com a possibilidade de eventualmente entrar no grupo dos dez melhores da divisão.

Peso Leve – Damir Ismagulov (17-2) – 27 anos

Striking

Com movimentação constante e bem executada, Ismagulov tem preferência por atuar na longa distância como um kickboxer de técnica apurada, o que faz o melhor uso de sua envergadura. Ele lança fortes combinações de socos que quase sempre terminam em chutes ou joelhadas. Defensivamente, mexe bastante a cabeça e tem um queixo bom, mas precisa se adaptar para defender chutes nas pernas de maneira mais eficiente.

Wrestling

Sabe realizar a transição da troca de golpes para a entrada de quedas, que são executadas com velocidade e timing adequados, de forma que deixa o adversário mais vulnerável. Ele utiliza esta ferramenta com frequência e mostra talento no aspecto, que se tornou mais uma arma em seu arsenal. Ele também já exibiu a capacidade de lidar com oponentes mais fortes e defende quedas no clinch com muita habilidade. Seu wrestling defensivo é transponível e depende muito da forte movimentação para manter o rival afastado. Vale ressaltar que ele foi pouco testado nesse âmbito nos combates mais recentes, mas já deu sinais o suficiente de que está acima da média no setor.

Grappling

Possui um ground and pound constante e capaz de causar danos, que ajuda a abrir espaços para que realize boas transições. Também ameaça com finalizações para melhorar sua posição. Entretanto, seu controle posicional ainda deixa brechas, o que é um ponto de melhoria para o futuro.

Atributos Físicos

Ismagulov é um atleta acima da média, que trabalha em ótimo ritmo durante cinco rounds sem quedas bruscas de rendimento. Em termos físicos, está levemente acima do padrão de altura da divisão e tem a força adequada para encarar a concorrência.

Experiência

Ele apresenta um amplo retrospecto no MMA, muito por ter lutado em ritmo constante desde que se profissionalizou há cerca de 4 anos. Com onze vitórias seguidas e duas defesas do cinturão dos leves do M-1 Challenge, Ismagulov já deu sinais de que está pronto para o nível de competição do UFC.

Expectativa

É difícil cravar até onde ele pode chegar, uma vez que existem muitos lutadores de ótimo nível que nunca serão ranqueados no peso leve pelo simples fato de que ela abriga um volume grande de atletas de qualidade. Mesmo assim, seu arsenal técnico é completo e de bom patamar, capaz de rivalizar com grandes oponentes na categoria mais encardida do MMA. Dessa forma, a grande realidade é que Ismagulov deve ser mais um forte nome na metade superior do peso leve e que estará constantemente na briga para invadir o top 15 e se manter relevante no UFC por um longo tempo, sempre envolvido em lutas interessantes.

Matchmaker do MMA Brasil, fanático por esportes, mesmo sem botá-los em grande prática. Fã de MMA, NFL, estudante de Engenharia e viciado em séries.