O K-1 e a origem das lendas do kickboxing

Com o acervo de lutas do Glory liberado na internet, talvez o fã mais novo não conheça a era de ouro da luta em pé e os nomes que fizeram história na trocação. O MMA Brasil faz um passeio pela história de um dos maiores eventos de luta, o K-1.

Seria impossível até para o melhor historiador do mundo descobrir quando ocorreu a primeira troca de golpes do homem. Seria difícil saber também a data de origem das artes marciais, pois ela se mistura com a própria civilização humana.

O termo artes marciais deriva do deus grego da guerra, Ares, e segundo a mitologia, o ensino da técnica da troca de golpes foi passado pelo próprio deus aos homens.

O que sabemos é que as artes marciais sempre atraíram a atenção do ser humano e ao longo dos séculos foram criados diversos estilos de luta. Alguns milhares de anos depois, no ano de 1993, Kazuyoshi Ishii criou um evento com o objetivo de revelar qual era o melhor lutador dos estilos de luta em pé. E assim surgiu o K-1.

Logo-K-1

As regras eram simples. As lutas tinham três rounds com a duração de três minutos cada. Elas eram decididas por nocaute, nocaute técnico, decisão dos juízes, desqualificação ou no contest (sem resultado). Caso acontecesse empate, poderiam haver até dois rounds extras. Não eram válidas cabeçadas, mordidas, cotoveladas, técnicas de projeção, ataques quando o oponente estava no chão ou tentando se levantar, segurar as cordas e golpes na nuca. Os torneios funcionavam em modelo de Grand Prix, sistema onde os competidores se eliminavam até que houvesse apenas um campeão.

O K-1 durante anos foi o maior evento de trocação do mundo, até chegar ao fim por problemas financeiros. Foi também o berço de vários lutadores que se aventuraram no mundo do MMA, tais como Mirko Cro Cop, Semmy Schilt, Mark Hunt, Ray Sefo, dentre outros.

Mas qual a importância do K-1 para o fã atual de lutas? Em primeiro lugar, o K-1 foi o precursor e a inspiração de todos os outros eventos de trocação que temos hoje e foi ali que se forjaram as grandes lendas da luta em pé. Segundo, muitas referências que o fã certamente já ouviu e ainda ouvirá são oriundas desta organização. Quando um comentarista afirma que Semmy Schilt venceu Ernesto Hoost, ou que Mark Hunt, Alistair Overeem e Cro Cop já foram vencedores do K-1, o ouvinte que não conhece a organização jamais entenderá a dimensão deste feito. Todos que acompanharam o K-1 sabiam que ali acontecia algo único, embates de gênios das artes marciais.

Seria impossível contar toda a história do K-1 aqui, mas o objetivo é apenas instigar os leitores para que conheçam melhor ou revisitem o passado da luta em pé. E para que o fã de lutas possa correr atrás do tempo perdido, vamos listar aqui os cinco maiores lutadores da história do K-1.

1. Ernesto Hoost

Ernesto Hoost (à esquerda) em ação contra Jérôme Le Banner, outra lenda do K-1

Ernesto Hoost (à esquerda) em ação contra Jérôme Le Banner, outra lenda do K-1

A lenda dentre as lendas. Apelidado de Mr. Perfect, o holandês foi quatro vezes campeão do Grand Prix do K-1 (em 1997, 1999, 2000 e 2002).

Ernesto era um lutador completo e imprevisível, possuía um grande poder de nocaute, mas a sua marca registrada eram os fortíssimos chutes baixos. Ele pode ser considerado o Pelé do K-1.

2. Peter Aerts

peter_aerts

O “Lenhador Holandês” é apontado por diversos especialistas como o maior kickboxer da história. Esteve entre os finalistas do GP do K-1 em praticamente todas as vezes que competiu. É conhecido pelos chutes que nocauteavam qualquer ser humano. Venceu o GP do K-1 em três oportunidades, nos anos de 1994, 1995 e 1998.

3. Remy Bonjasky

Pensou em joelhada voadora, lembrou Remy Bonjasky

Pensou em joelhada voadora, lembrou Remy Bonjasky

Vencedor do GP do K-1 também em três oportunidades (2003, 2004 e 2008), Remy possui uma técnica de defesa invejável e é famosos por suas joelhadas voadoras.

4. Andy Hug

Uma das marcas registradas de Andy Hug era o axe kick, o chute da machadada.

Uma das marcas registradas de Andy Hug era o axe kick, o chute da machadada.

Um dos técnicos lutadores da história. Praticante de caratê kyokushin, era dono de um vasto arsenal de golpes tão potentes quanto plásticos. Foi campeão do GP do K-1 apenas uma vez, em 1996. Porém, o motivo do titulo solitário é triste: Andy morreu com apenas 35 anos devido a complicações de uma leucemia.

5. Semmy Schilt

Semmy Schilt usando sua principal arma contra Badr Hari

Semmy Schilt usando sua principal arma contra Badr Hari

O maior vencedor do GP do K-1, empatado com Hoost, com quatro titulos (2005, 2006, 2007 e 2009). O gigante holandês não é o primeiro da lista porque é tecnicamente inferior aos demais, porém o controle da distância, a força e o uso do caratê kyokushin fizeram dele o lutador mais dominante da história do K-1. Schilt foi também o primeiro campeão dos pesados do Glory.

Menções honrosas: Stefan Leko, Jérôme Le Banner, Badr Hari, Mirko Cro Cop e Mike Bernardo.

Tendo em vista tudo isso, é hora do leitor procurar as lutas dessas lendas e se aventurar no mundo da luta em pé. Divirta-se.