O “Clube dos Cinco” do MMA ganhou o sexto membro

Há um tempo debate-se a posição de cada um dos cinco maiores de todos os tempos do MMA num ranking imaginário. A discussão nunca vai acabar, mas agora essa lista definitivamente tem um nome a mais.

De uns anos pra cá, sempre que penso numa lista de melhores lutadores da história do MMA, me vem à cabeça o filme “Clube dos Cinco” (The Breakfast Club), seja porque sempre listo cinco nomes, ou porque são cinco pessoas de personalidades, talentos e realizações diferentes. Ou porque é um filme legal mesmo, que me recorda as sessões da tarde de um tempo em que minha maior preocupação era não ter o mesmo destino dos adolescentes do filme.

Alguns de vocês devem estar se perguntando por qual motivo eu penso nisso se vivo dizendo que ranking peso por peso é cretinice. Eu continuo achando que comparar um peso mosca com um pesado é um tanto bizarro e pior ainda se forem lutadores de épocas diferentes. Às vezes eu me sinto pateta discutindo isso. Mas quem nunca?

Faz um certo tempo que eu listo Anderson Silva, Fedor Emelianenko, Georges St. Pierre, Jon Jones e José Aldo, não necessariamente nesta ordem – até porque ordenei alfabeticamente aqui – como os maiores/melhores lutadores que o MMA produziu. Cada um a seu modo, esses caras escreveram alguns dos mais sensacionais capítulos da história das artes marciais mistas, com recordes a rodo, de toda sorte.

No fim das contas, o que vocês querem mesmo saber é qual deles é o melhor de todos.

Jon Jones é um trocador versátil e criativo, mesmo tendo origem na luta olímpica (Foto: UFC.com)

Jon Jones é um trocador versátil e criativo, mesmo tendo origem na luta olímpica (Foto: UFC.com)

Há quem diga que é o Spider. Dos cinco, Anderson provavelmente é o que menos domina todas as áreas do jogo, mas certamente é o que alcançou o nível mais elevado em um desses pontos. Existe quem defenda que Bones seja o maioral, afinal ele choca o mundo desde cedo sempre trazendo novas nuances, novos truques, vencendo gente da pesada em seus fortes. GSP é apontado por outra leva, o cara que provavelmente tem menos buracos dentre todos, que sempre foi um superatleta e que joga magistralmente nas onze.

O Último Imperador também é apoiado por uma horda barulhenta de fãs, que, com justiça, exaltam o fato de um sujeito baixo, com naipe de padeiro e fisionomia de quem espera a de fora no dominó na praça, ter ficado 10 anos invicto numa categoria em que o fim está mais próximo do que o muro da Fórmula Indy. Correndo por fora vem o Junior, cidadão que levantou um sistema defensivo quase inexpugnável e que, ofensivamente, tem uma origem e virou especialista em outra área.

As discussões vão longe e rendem bate-bocas que lembram torcedores de futebol defendendo suas agremiações em botequins Brasil afora. Nunca se chegará a um consenso – eu mesmo já mudei de ideia várias vezes. E agora ficou ainda pior, porque o Clube dos Cinco ganhou um novo membro. Quem ainda acha que Demetrious Johnson não faz parte desse seleto grupo precisa rever seus conceitos. Ou tratar seus preconceitos.

O Mighty Mouse igualou o incrível recorde de 10 defesas consecutivas do cinturão do UFC que pertencia apenas a Anderson. Johnson é um superatleta e obediente taticamente como St. Pierre, montou uma defesa sólida como a de Aldo, é versátil no ataque e vence os oponentes em seus pontos fortes como Jones, é frio e oportunista como Emelianenko. Porém, Demetrious não tem uma característica que os outros cinco possuiam. E talvez isso seja um belo diferencial.

Cada um a seu modo, os cinco eram apontados como futuras estrelas, o talento transbordava desde cedo. Johnson, não. Até chegar ao UFC, ele era mais um. Mesmo no UFC. As vitórias iniciais sobre Kid Yamamoto e Miguel Torres foram grandes resultados, mas longe de terem sido grandes atuações. O trabalho dado a Dominick Cruz pareceu obra do acaso quando ele quase foi jantado na luta seguinte, no controverso empate contra Ian McCall. Foi a partir dali que Matt Hume foi mais “Mago” do que nunca. Já no combate seguinte, a revanche contra McCall, Demetrious parecia outro lutador. No caminho da evolução, nunca mais olhou para trás. Conquistou o cinturão inaugural, nunca o largou e parece cada vez melhor quando sobe novamente no octógono.

É uma pena que um monstro dessa magnitude jamais seja a estrela que seu talento merece. Jamais enriqueça como seus pares. Nunca atraia a atenção devida. Na verdade é mais pena para os fãs do que para ele. Muitos dizem que desligam a TV ou mudam de canal quando ele luta. As audiências, recordes negativos em seu portentoso histórico, mostram que ninguém se importa com um sujeitinho de 1,60m, mesmo se for o melhor do mundo contando todas as categorias na atualidade. No fundo, eu me pergunto que tipo de fã não gosta de ver atuações como a de sábado, ou contra Henry Cejudo, John Dodson, Tim Elliott. O nocautaço sobre Joseph Benavidez. A busca incessante pela finalização em lutas já definidas. A perseguição pela inalcançável perfeição.

Como bem disse Dave Doyle no MMA Fighting, se você achou essas lutas chatas, talvez MMA não seja para você.

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

  • Bruno Fares

    Que texto!!! Parabens Alexandre, assino embaixo, e óbvio que o Fedor é o número 1 da lista.

    • Lero

      Fedor deveria fazer a luta de aposentadoria contra o Anderson.

      O Dominick bem poderia estar nesse clube dos 5 se nao fosse pelas lesoes. De repente o Cain também. Quem sabe… O Alexandre é quem mais acredita na entidade “Cain no nivel do mar” =P

  • James sousa

    Demetrious para mim está a frente de Fedor ,Anderson Silva e José Aldo , para mim ele é top 3

    • Lucas Natan

      Falando da pura técnica, (onde entendo quase nada, convenhamos), em ser o lutador mais completo possível, se ele não for o 1º sozinho, tá empatado em 1º com GSP (e Jones!?). Acho que o que pesa contra ele realmente é o nível da competição. Dos 6, o cartel dele provavelmente não tá entre os 4 mais fortes.

      • A gente meio que tenta misturar tudo pra definir uma lista dessa, mas entram conceitos como domínio, capacidade de atuar de vários modos diferentes com o mesmo nível elevado e coisas do tipo.

  • Leandro Coco

    A frase final define o DJ. Como não apreciar a Arte de um cara desses ?
    Como já ouvi falar, ele é um “Cavaleiro de Ouro” lutando contra os “de Bronze”. hahahahahaha

  • Diego Florentino

    Talvez faltou citar o nível de velocidade do sujeito. É, relativamente entre os pesos, o lutador mais rápido da história. Não apenas a velocidade por si só, mas integrada num sistema de ataque muito contundente e uma defesa aparentemente impenetrável. A quantidade de golpes significativos que ele levou nesta última luta foi uma piada de mau gosto, apesar da postura ofensiva do seu desafiante.

    Em suma, um monstro!

    • Tanto o ataque quanto a defesa dele são muito afetados pela velocidade mesmo.

  • Sexto Empírico

    Não incluiria Aldo nesta lista. Apesar de todos os seus feitos, ele ainda não está no Olimpo do MMA. Um candidato a GOAT não pode perder, no auge da carreira, da maneira como ele perdeu, sendo humilhado. É o mesmo caso de Ronda Rousey. Aldo será, no máximo, um semi-deus, isso se não perder pro Holloway, o q eu acho bem provável se ele ousar sair de seu jogo retranqueiro. E se isso acontecer, será apenas um dos tantos “Anjos Caídos”, junto a Rousey, Cruz e outros tantos, além de seu parceiro Renan “30 vitórias seguidas, 10 anos invicto, melhor de pound-por-pound (segundo White) do mundo” Barão.

    • Sexto Empírico

      Minha lista pessoal, subjetiva, egoísta e sem critério, apenas baseada no meu achismo de melhores de todos os tempos. Pela ordem:

      1o. Fedor – Durante seu temido Império, reinou absoluto espancando QUALQUER ser humano que se atrevesse cruzar seu caminho. Se não houvesse armas no planeta, teria conquistado o mundo apenas com táticas de Sambô.

      2o. Anderson Siva – é um dos deuses do MMA mais pela genialidade e ousadia q pelo cartel propriamente dito. Apesar do tamanho e grande potencial, são raras as vezes que enfrentou alguém do seu tamanho. Sempre foi (e continua sendo) uma epopéia pro UFC fazê-lo enfrentar alguém que não seja de sua escolha, geralmente menor e técnicamente pior q ele.

      3o. Jon Jones – Único ser humano atualmente capaz de usurpar o posto de GOAT do Ultímo Imperador Fedor Emilianenko. Para isso, terá q voltar a ser aquele lutador visceral q era até o susto q tomou contra o Gustafson. A partir dali, deixou de ser o predador violento e faminto, que tratava o adversário não como um perigoso e preparado artista marcial e lutador profissional, mas sim como uma presa a ser abatida sem dó e com requintes de crueldade. Também precisará subir de peso e conquistar o título dos pesados. Só então seria considerado, incontestavelmente, o sucessor de Fedor e o maior porradeiro q já existiu.

      Esses são os únicos Deuses do MMA. Os que chegaram, de fato até o Olimpo. Lutadores como GSP, DJ, Aldo, Wand, Rousey, Minota entre outros carregam as táticas, pecados e medos dos pobres mortais. Estão, sim, elevados. Mas não possuem a aura santa daquela Trindade Divina.
      Amém!

      • Danilo

        É intrigante seu argumento que crava o Anderson como um dos Deuses. Você mesmo diz que ele passou muito tempo da carreira (e auge) sem correr grandes riscos, e por própria escolha. E deixa de fora caras como GSP, Aldo e DJ, caras que correram todos os riscos que podiam e fizeram de modo espetacular.
        Só pra deixar claro, sei que é tudo baseado na sua opinião e você pode achar o que quiser, o que to discutindo são apenas os argumentos que você apresentou.

      • Marco Aurélio

        E e sexto, td certo? Compactuo da mesma opinião, dessa lista un que com certeza nunca vai estar entre as suas estrelas é o GSP, quando tu participava do outro site, lembro que descia a lenha nele, abraço sexto.

        • Sexto Empírico

          E aí, firmeza, Marco Aurélio? De fato não gosto de lutadores q “jogam o jogo”, lutam pra somar pontos, enrolar, amarrar e ganhar round a round por pontos. Mestres da retranca. Dominick, o bailarino do rela e corre, era outro q estava na minha mira. Ainda bem q perdeu pra um porradeiro à moda antiga, o Gardbrandt. Abraço, fica bem. Apareça mais aqui pro debate.

          • Marco Aurélio

            Vou começar a visitar mais o MMA BRASIL, eu conheci o site pelos podcast quando o Alexandre participava com o Renato Rebelo, mas quase não visitava o MMA BRASIL, 6R era muito bom, não que o MMA BRASIL não seja, é que conheci o 6R primeiro, porém não estou mais conseguindo ler os comentários do 6R, parece uma filial do Combate.com

    • Gabriel Carvalho II

      Independente do Aldo ter perdido no auge, ele com certeza merece estar nesta lista por uma característica que reúne os outros cinco: o domínio.

      Aldo é o número 1 do mundo desde 2009, defendeu o cinturão NOVE vezes (contando WEC) e enfrentando alto nível de competição. Eu acho que ele é o sexto da lista justamente por ter perdido contra o McGregor, mas não deixa de ser gênio.

    • Respeito seu ponto, apesar de não concordar.

      • Sexto Empírico

        Também respeito seu ponto, apesar de achar que os retranqueiros GSP e Aldo, q vc adora, fariam uma ótima função amarrando lutas e limpando as escadas do Olimpo só pra ficarem perto dos deuses.

        • Como dizia o genial técnico Paul “Bear” Bryant, “offense sells tickets, defense wins championships”.

          • Sexto Empírico

            Well said!

    • Nono Empírico

      Você realmente tem um implicância com o Aldo, mas de fato a derrota para o Conor do jeito que aconteceu tirou todas as chances de ele ser alçado a GOAT.

      • Sexto Empírico

        Nono?!?!?? Cadê o resto da família? Kkkk… Gostei.

        Tenho implicância, não, fera. O Aldo é um fenômeno e melhor peso pena até aqui. Só que daí a achar que ele é o rei da cocada é muita diferença.

        • Nono Empírico

          HAHAHAHAHAHA! Poxa, fui banido de você sabe onde hoje por sua causa. Os caras viviam dizendo que eu era você (usava o nick Quasímodo, mas tive problema na minha conta Google…) e por isso resolvi fazer a “homenagem”, mas os donos de lá talvez pensaram que o NonoEmpírico era você (não tão) disfarçado. Complicado.

          Eu não acompanhava o site na época em que você andava por lá, mas pelo jeito você deve ter feito uma cagada das grandes pra haver tanto rancor. Tá parecendo um palestino tentando entrar numa sinagoga em Israel. Kkkkkkkkk

          • Sexto Empírico

            Ei, não vem por essa na minha conta, não! O adm. do site consegue checar se se trata da mesma pessoa. Os leitores menos perspicazes é q se confudem. E outra, tomei um ban mas também eu não quero comentar mais lá. Também tem meu lado. Assim como eu, outras pessoas, gente legal, não azeda igual eu, pararam de comentar por lá quando a censura começou a perseguição.

  • Rafael Maia

    Talvez, desses seis, o Demetrious seja o que conseguiu impor uma maior diferença entre os demais desafiantes. Ele é muito melhor que o restante da categoria em praticamente tudo.
    Diferente do Anderson, que era pior no wrestrling do que o Sonnen, ou pior no jiu jitsu do que o meu primo Demian (quem não é…)
    Diferente do caso do JJ que se desafiava nas modalidades em que seus adversários eram especialistas e vencia com algum risco.
    Diferente do Fedor que passou por apertos nas lutas e saiu engrandecido das batalhas….

    O DJ simplesmente não é ameaçado por ninguém, em nenhuma área…
    Podem dizer que a concorrência é fraca, mas tem pelo menos dois nomes que batem em todo mundo e apanham dele…não podemos dizer isso dos pesos pesados, por exemplo, que não tem ninguém que seja “especial” atualmente….

    Talvez o dom do DJ seja também sua maldição. A maior parte dos grandes astros se forjaram em grandes batalhas – passaram pelo fogo e venceram. DJ simplesmente vence e ninguém duvida que ele vai vencer.

    • É, cara, esse seu último parágrafo é algo a se pensar mesmo. Mas o St. Pierre era assim até aparecer o Johny Hendricks na vida dele. Será que aparece um Hendricks na vida do Johnson?

  • Bruno carrer

    Fedor, o melhor ponto.

  • Fernando Chaves

    baita texto !!!

  • Cássio Rafael Guimarães Nascim

    Excelente texto. E muito boa a referência do Fedor HAHAHA
    É um crime o DJ não ser a estrela que merece.. O cara é um monstro.

    • Muito vacilo mesmo, o sujeito é um monstro. E os motivos para não gostarem dele são todos bizarros.

  • Rafa FriAll

    Para manter em 5 eu tiraria o Aldo. Pra mim ele está um degrau abaixo, junto ao Cruz.

    • Cruz só está abaixo porque parou muito tempo. Se tivesse seguido ativo e fazendo o que fazia e faz, provavelmente estaria aqui também.

  • Luiz Gustavo

    Ótimo texto…Tiraria o Anderson mas é incrível a evolução do Demetrious dentro do cenário esportivo.
    Ótima discussão entre esses monstros

    • Você acha que o Anderson não é um dos seis melhores da história?

  • Fernando

    O cara não ter sido derrotado dentro do octógono faz muita diferença p galera, não deveria. Uma derrota não deve apagar o que o cara fez nos anos anteriores. O que diferencia uma lenda invicta de uma lenda com L no cartel é que um deles parou antes de perder, não quer dizer que ele é melhor.

    Se o Anderson não tivesse renovado o contrato dele pouco antes de perder p o Weidman, o que falariam dele hoje? O homem que não sangra, imbatível, sobrehumano. Ou seja, ele è exatamente o mesmo lutador, o que mudou foi a percepção que as pessoas tem dele pelo choque de realidade que as pessoas tiveram quando ele perdeu (poxa, então ele era só um ser humano).

    O mesmo vale para o Aldo.

    Se Jon Jones tivesse dado as revanches para o DC, para o Gustaffsson e tivesse enfrentado o Anthony Johnson, será que ele estaria invicto?

    Excelente texto e lista. Concordo plenamente com as escolhas e análise

  • Leonardo Paz

    q texto, q homem esse Alexandre!!
    essa é uma discusão q vai longe, cada um com sua lista e seus criterios!
    todos ali tem motivos de sobra para estar presente e tbem apresentam argumentos para ser ultrapassado dentro dessa ordem.
    mas negar q DJ merece estar nessa lista, ai ja é outra discusao.

  • Renan Oliveira

    DJ > Todos

    • Nono Empírico

      Aí sim!

    • Sexto Empírico

      E aí, Renanzão. Vc deve estar curtindo o momento, hein: Cormier e DJ no topo. Só falta o Cruz (Deus… ops, quero dizer… Fedor me livre!) pegar a cinta novamente, pra começar o ballet e eu falar mal dele, kkkkkkk…
      Ps. Esse maluco aí acima, Nono (um primo? kkk…), não sou eu, não. Eu só tenho essa conta, com o desenho q vc fez pra mim. Vou estampar numa camisa. Abraço, amigão. Aparece mais aqui na resenha.

  • Nono Empírico

    Determinar categoricamente o melhor da história em qualquer área sem critérios objetivos é uma insanidade! Fora o fato de que os caras continuam lutando… Se o JJ e o DJ começam a tomar pau, por alguma razão desconhecida, após três derrotas seguidas a configuração da lista mudaria. E aí – com a voz do Marcelo Rezende – eu te pergunto: qual é a utilidade de uma lista categórica-de-melhor-de-todos-os-tempos que pode/deve/será invariavelmente mudada de tempos em tempos?

    Além de todos esses problemas, há o mais grave que é ignorado por todos. Como determinar quem é o melhor de todos os tempos se os tempos ainda não acabaram? A única forma de fazer uma coisa assim de modo justo é, no último dia de todos os tempos, estabelecer critérios objetivos e avaliar TODOS os lutadores de TODAS as categorias do MMA e só assim, após escolha da comissão julgadora, decretar o GOAT. Caso contrário, é o mesmo que determinar quem é o “Bola de Ouro 2017” do futebol tupiniquim na décima rodada do Brasileirão…

    Outro ponto que merece atenção e parece não ser levado em conta nessas classificações estapafúrdias é o fator “extra-campo”: como falar em AS como GOAT depois do doping e do julgamento mais vergonhoso da história de todos os esportes? E detalhe: ele mesmo disse que tinha sido a primeira vez que fora testado de verdade… E o JJ se escondendo debaixo do cage pra não ser testado? E, depois de conseguir fazer levamentamento-terra sumô com 300kg, ser pego com bloqueadores de estrogênio…

    Então, nessa lógica, o Amstrong lá segue como melhor ciclista de todos os tempos? Hmmmmm.

    E o Fedor com aquelas lutinhas bagaceiras na Rússia que a mãe e a esposa dele eram as responsáveis por pontuar? Além disso, me desculpem, mas um cara que perde para Pezão não pode ser considerado nem o melhor do bairro!

    • Bom, como você foi um tanto mal educado no seu comentário, seguem algumas respostas pra mostrar que, além de mal educado, você falou um caminhão com bobagem.

      Sim, fazer listas de melhores de todos os tempos de qualquer coisa é difícil. E essa é a graça da parada. Eu não gosto de coisas fáceis.

      Sim, essas listas mudam de tempos em tempos. em 1955, a lista de melhores de todos os tempos do futebol tinha Puskas, Di Stefano, Leonidas da Silva e outros. Nenhum deles estaria numa lista atual. O nome disso é evolução do esporte. Achar que uma lista dessa seria fixa ao longo dos tempos é uma das visões mais absurdas (para manter a educação num nível aceitável) que eu poderia listar. Mentalmente eu usei outro termo, mas vamos em frente.

      Outra graça da parada é montar uma lista hoje e outra daqui a 10 anos, comparando-as. Depois uma daqui a 30 e comparar com aquela primeira. É um modo excelente de enxergar a evolução de um esporte. Se um desses 6 estiver numa lista feita em 2047, sinal que o MMA parou no tempo.

      Como definir o melhor de todos os tempos se os tempos não acabaram é absolutamente lógico. O melhor de todos os tempos hoje é o melhor até 21/04/2017. O melhor de todos os tempos daqui a 5 anos será o melhor até 21/04/2022. Isso pra mim é tão óbvio que nem precisa de muito debate, muito menos considerar como algo “mais grave”.

      Lance Armstrong segue como o maior ciclista de todos os tempos? Acho que você não se atualizou no assunto, pois ele teve quase todos os títulos cassados. Provavelmente o maior ciclista é o Eddy Merckx, o Miguel Indurain ou o Bernard Hinault.

      Em resumo, na hora que você falou em “além de todos esses problemas”, não havia problema algum.

      • Danilo

        “Insanidade”, “classificações estapafúrdias”, “sem critérios objetivos”. Cara, quanta viagem.

        • O pior é sustentar falta de educação com argumentos fracos. E se ele for o Quasímodo, me surpreende mais ainda, porque não era de fazer essas coisas.

      • Carlos Ximenes

        Concordo com tudo.
        Lembro de uma entrevista com o ex-jogador alemão Paul Breitner, campeão mundial em 74, antes da Copa de 2014. Perguntaram para ele antes da Copa se a seleção da Alemanha que iria jogar aquela copa venceria a dele, ele respondeu: “Com certeza, é como fazer uma corrida entre um carro 74 e um carro 2014”.
        O entrevistador então perguntou: “Então essa é a melhor seleção alemã de todos os tempos.”
        Ele respondeu: “Não, pois o esporte é uma constante mudança, para avaliar a melhor seleção da história temos que ver a sua dominância na sua época e não comparar com times de outros períodos.”
        Seguindo a lógica dele, que para mim faz TOTAL sentido, aponto o Último Imperador como o Melhor de Todos os Tempos, por ter dominado uma categoria encardida durante 1 década, mesmo com um físico de duas categorias abaixo. Depois aparecem AS e GSP. Aldo,DJ e Jones eu não quero colocar na lista pois ainda lutam(E o Anderson? Convenhamos que ele já se aposentou, só esqueceram de avisar).
        Se DJ manter o ritmo, talvez daqui 5 anos eu tenha que tirar Fedor do topo, com dor no coração, mas como Breitner disse: “O esporte é uma constante mudança”