NoMaschenko: Vasyl Lomachenko atropela e faz Guillermo Rigondeaux desistir no sexto assalto

Gênio ucraniano vence batalha inédita entre bicampeões olímpicos e avança rumo ao posto de número um peso por peso do boxe mundial.

No último sábado, o teatro do Madison Square Garden,em Nova York, viveu uma noite especial. Pela primeira vez na história do boxe profissional, dois bicampeões olímpicos se enfrentaram. O duelo entre Vasyl Lomachenko e Guillermo Rigondeaux valia não só o cinturão mundial dos superpenas, versão WBO (Organização Mundial de Boxe, na sigla em inglês), mas também o icônico posto de número um peso por peso da atualidade.

Em que pese o fato de o cubano ser oito anos mais velho e ter subido duas categorias de peso (Rigondeaux é campeão mundial dos supergalos), ele só fez alguma frente no primeiro assalto, que teve muito mais estudos e respeito de um pelo outro do que ação. A partir dali, Lomachenko foi tomando conta da luta de modo crescente.

Rigondeaux, considerado um dos mais brilhantes lutadores defensivos de todos os tempos, simplesmente não teve resposta para o magnífico jogo de pernas do ucraniano. Lomachenko criou ângulos diversos e acertou o desafiante com inúmeras combinações. De quebra, praticamente não deu espaço para Rigo golpear – de acordo com as estatísticas do Compubox, “El Chacal” não acertou mais de três golpes num round, alcançando a pífia marca de 15 golpes aterrissados, nenhum deles potente o suficiente para causar problemas ao campeão.

Lomachenko imprimiu um ritmo crescente que provavelmente lhe renderia um nocaute tardio. Não foi preciso. Depois de engolir vários golpes contundentes, Rigondeaux desistiu no intervalo do sexto para o sétimo assalto. Ele foi o quarto adversário consecutivo de Lomachenko a desistir no banquinho do córner.

“Talvez eu deva mudar meu sobrenome”, disse Lomachenko na entrevista dentro do ringue. “Meu nome é No-Mas-chenko”, completou, numa referência à histórica desistência de Roberto Durán contra Sugar Ray Leonard, em 1980.

Rigondeaux mostrou uma passividade incomum na luta. Ele também jogou sujo, várias vezes agarrando os braços de Lomachenko e eventualmente baixando tanto a cabeça que o ucraniano acabava acertando sua nuca. O cubano alegou uma lesão na mão esquerda para justificar a desistência.

“Ele é um lutador duro”, disse Lomachenko. “Ele é um rei no boxe, mas um rei em sua categoria de peso. Este não é o seu tamanho, não é o seu peso. Não foi uma grande vitória para mim porque esta não é a divisão dele.”