Muito talento, polêmica e boicote no Campeonato Nacional Russo de wrestling no estilo livre

Até a polícia teve que interceder para controlar os ânimos na disputa da categoria até 57 quilos. Viktor Lebedev venceu, mas rejeitou a medalha. Delegação do Daguestão se retirou da competição em protesto contra a arbitragem.

Dos dias 27 a 29 de maio ocorreu um dos campeonatos mais fortes e importantes do wrestling no cenário internacional, especialmente em ano olímpico, o Campeonato Nacional Russo de wrestling. O torneio foi realizado na região conhecida como República da Iacútia e contou como sempre com wrestlers muito gabaritados e de habilidades de tirar o fôlego.

Este evento serviu como uma fase muito importante na seleção dos atletas que representarão o país nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, mas, segundo o próprio head coach da seleção nacional, Dzhambulat Tedeev, os vencedores não terão lugar garantido na delegação do país que irá para as Olimpíadas, pois eles darão preferência aos wrestlers que lutaram melhor em competições internacionais contra adversários estrangeiros.

Como nem tudo são flores, logo no primeiro dia de competição ocorreu um episódio lamentável na categoria até 57 quilos. O wrestler da casa (de Iacútia) Viktor Lebedev, bicampeão mundial e campeão dos Jogos Europeus, estava sendo claramente favorecido pelos árbitros. Primeiro, nas quartas de final, contra o daguestani Ismail Musukaev, atual campeão do Golden Grand Prix, Lebedev foi dado como vitorioso pelo placar de 4-3. Muskaev, revoltado com a marcação de alguns pontos dos juízes, foi para cima de Lebedev e uma confusão generalizada quase se instalou se não fosse pela intervenção de policiais. A organização admitiu o erro depois de rever a luta e deu a vitória para Musukaev por 4-2. Mesmo assim Lebedev avançou no campeonato, gerando revolta na delegação do Daguestão, que acabou retirando seus wrestlers da competição como forma de protesto.

Lebedev enfrentou na final do torneio Aleksander Bogomoev, campeão dos Jogos Europeus e bicampeão do Ivan Yarygin Grand Prix. Em mais uma luta bizarra, marcada pelo favorecimento a Lebedev, este último levou o combate por 1-1, no critério de desempate. A organização novamente voltou atrás e deu a vitória a Bogomoev por 2-1. No final, os dois ficaram em primeiro lugar, numa cena inusitada com ambos no lugar mais alto do pódio.

Ficou claro que nem o head coach russo nem os fãs ficaram satisfeitos com toda essa bagunça. Wrestlers talentosos e gabaritados dessa categoria, como Gadshimurad Rashidov, o próprio Bogomoev e talvez Musukaev, que perderam a chance de seguir no campeonato ou de se tornarem campeões incontestáveis, ainda terão a chance de representar a Rússia, dependendo de seus desempenhos em campeonatos internacionais que virão antes das Olimpíadas. Lebedev, apesar de tudo isso, ainda é o mais gabaritado dessa divisão de peso em campeonatos internacionais, juntamente com Dzhamal Otarsultanov, e obviamente poderá ser o representante olímpico russo. Porém, diante de toda a confusão, Lebedev acabou por recusar a medalha de ouro e a vaga na seleção olímpica, justificando as péssimas arbitragens que culminaram com o boicote daguestani.

Viktor Lebedev (aspas do RussiaWrestling.com)

“Julgando profissionalmente minhas lutas com Musukaev e Bogomoevym, eu digo de fato que perdi as lutas. Não foram erros grandes, mas o juiz me tirou da derrota inequivocadamente. Isso acontece sempre em qualquer região quando os atletas locais estão competindo.

Mesmo se eu estiver num pedestal com a medalha de ouro (nos Jogos Olímpicos do Rio), eu não vou ter grandes emoções. Eu não vou curtir como se eu estivesse conquistando meu sonho, o ouro olímpico. O vestígio do que aconteceu ficaria na minha alma.”

Grandes favoritos como Shamil Kudyamagomedov, atual campeão europeu, do Ivan Yarygin GP e dos Jogos Mundiais Militares, na categoria até 86 quilos, e Bilyal Makhov, tricampeão mundial e único wrestler em 43 anos a conseguir medalhas no mesmo mundial (em 2015) em estilos diferentes, na categoria até 125 quilos, não participaram do campeonato por serem da delegação do Daguestão; portanto, não irei me ater a essas duas categorias de peso nessa matéria, somente focando nas outras três divisões de peso olímpicas (65, 74 e 97 quilos). Lembrando que o monstro daguestânes Abdulrashid Sadulaev, atual bicampeão mundial, da divisão até 86 quilos, foi poupado do Campeonato Nacional e é o único wrestler confirmado até agora na seleção que irá para as Olimpíadas representar a Rússia.

A categoria de peso mais esperada da competição foi a até 97 quilos, que contou com monstros como Abdusalam Gadisov, campeão mundial em 2014, a lenda Khadzhimurat Gatsalov, pentacampeão mundial e campeão olímpico e Anzor Boltukaev, medalhista de bronze em mundial e que vem vencendo todos os campeonatos que participa atualmente, como o Ivan Yarygin GP e o Campeonato Europeu.

Gadisov acabou não participando por ser representante do Daguestão, mas, apesar de ser tão favorito como os outros dois, seus resultados internacionais atuais não estão no mesmo pé de igualdade deles. Boltukaev e Gatsalov, além de terem títulos internacionais de peso neste ano, venceram o atual campeão mundial, Kyle Snyder. Além disso, Gatsalov venceu Gadisov no torneio Alexander Medved. No caso de Boltukaev, este tem uma vitória sobre o atual campeão olímpico, Jake Varner, na final do Ivan Yarygin GP deste ano.

O checheno Boltukaev fez um campeonato quase perfeito, não levando nenhum ponto sequer, derrotando seus adversários por W.O., 11-0 (superioridade técnica) e 3-0 antes de chegar à final. Na disputa do título, como era esperado, teve pela frente o veterano Gatsalov. O “Deus do Trovão”, como Boltukaev é conhecido pelos fãs, não respeitou a lenda viva russa, conseguindo uma queda de 4 pontos logo no começo e mais quatro turns (um a mais que o necessário) a partir da cruzeta para fechar o placar em 10-0 (superioridade técnica) com um minuto de luta. Boltukaev, que vem evoluindo a passos largos, caso seja o representante russo nas Olimpíadas, será um dos grandes favoritos a levar o ouro para casa, junto ao americano Kyle Snyder, o azerbaijano Khetag Gazyumov e o iraniano Reza Yazdani.

Final entre Boltukaev e Gatsalov:

Highlight recente feito pela United World Wrestling em homenagem a Boltukaev:

Na divisão de peso até 74 quilos, Aniuar Geduev, tricampeão europeu, bicampeão do Ivan Yarygin GP e medalhista de bronze no Mundial de 2015, venceu seus oponentes por 11-0, 4-0 e W.O.. Na final, encontrou o adversário mais difícil que ele poderia pegar no campeonato, Denis Tsargush, tricampeão mundial e arquirrival do americano Jordan Burroughs no cenário internacional. Numa luta apertada, Tsargush foi superado por 5-2, depois de sofrer uma exposição das costas, um step-out e uma queda no final do combate.

Geduev, caso seja confirmado sua participação no time olímpico russo, é o único adversário que tem chances reais de vencer Burroughs, o grande favorito da categoria, já que foi o único que deu trabalho ao americano no Mundial do ano passado, perdendo numa luta apertada por 4-3.

Final entre Geduev e Tsargush:

Highlight de Geduev:

Na categoria até 65 quilos, uma das mais abertas no mundo, o destaque foi Soslan Ramonov, campeão mundial em 2014 e medalhista de bronze no Mundial de 2015. Em sua primeira luta, Ramonov já teve um grande teste diante de Anzor Zakuev, wrestler de 18 anos que parece ter um futuro brilhante pela frente. O combate foi um show de ambas as partes, terminando em um placar de 21-12, como você pode ver neste vídeo:

Depois de vencer seu adversário seguinte por 7-4, Ramonov enfrentou na semifinal o campeão mundial junior e também campeão europeu Alan Gogaev, superando-o por 4-1. Na disputa pelo ouro, Ramonov bateu de frente com o duro Israil Kasumov, bicampeão do Ivan Yarygin GP. Passando um grande susto no final do primeiro período, Ramonov conseguiu vencer Kasumov por 8-3, com quatro quedas, sagrando-se campeão do torneio.

O russo e o atual campeão mundial da categoria, o italiano Frank Chamizo, estão empatados em 1 a 1 no confronto direto, com Ramonov levando a melhor na última delas, na final do torneio Alexander Medved deste ano. Se o russo for confirmado de fato como representante de seu país nas Olimpíadas, ambos serão grandes favoritos a figurarem no lugar mais alto do pódio.

Final entre Ramonov e Israil Kasumov:

Melhores momentos de Ramonov no Mundial de 2015:

  • Rapaz, que postura do caralho teve o Lebedev. Eu já o achava foda como atleta, agora tenho respeito enorme como pessoa. Isso bem que poderia servir de exemplo.

    • Elias Freire

      Concordo, Lebedev se mostrou muito íntegro nessa sua conduta, é para servir como exemplo para muitos atletas e pessoas no próprio dia a dia. De qualquer maneira, uma pena o campeonato ter terminado desse jeito, principalmente nessa categoria tão forte, agora teremos alguns campeonatos pela frente para decidirem quem irá representar a delegação russa. Rashidov, Bogomoev e Musukaev estão brigando por esse posto.

      Lembrando que a categoria até 57 kg internacionalmente está insana, recentemente o bicampeão mundial (de 2014 e 2015) na categoria até 61 kg, Haji Aliev, do Azerbaijão, decidiu descer para a 57 kg para deixá-la ainda mais forte do que costumeiramente é.

      • Ainda tem o Rahimi, o Khinchegashvili, o norte-coreano bi mundial, o mongol que nunca lembro o nome…

        • Elias Freire

          O mongol é o Erdenebat, acho que o norte coreano que vai não será esse e sim o Hak-Jin Jong. Nunca esqueça do Bonne, meu wrestler favorito e que tem tudo pra levar essas olimpíadas acabando com o jejum de medalhas de ouro dos cubanos.

          • Caralho, o Bonne…

            • Elias Freire

              Cara, o Bonne foi lá no Azerbaijão num duelo com o Haji Aliyev como parte do duelo entre Azerbaijão e Cuba, na categoria até 61 kg parece. O cubano conseguiu o encostamento. O pessoal do Azerbaijão nem colocou a luta no youtube, imagine agora como foi a luta.

  • Cláudio Vilança

    Bom dia galera, Bela matéria fornecida pelo Grande Elias Freire.
    Mais uma vez com uma ilustração daquilo que é o Wrestling, continua assim, porque muito sobre desporto de combate aprendemos com vocês do MMA Brasil.
    Força Galera do MMA Brasil

    • Elias Freire

      Agradeço pelas palavras Cláudio! Fiquei ligado aí que a próxima matéria falará sobre um campeonato muito importante, um show de wrestling, a Copa do Mundo.

  • Marley Fortunato da Silva

    É realmente incrível como o colunista Elias Freire, desperta o nosso total interesse, para um esporte que quase não tem destaque e lutadores aqui no nosso pais. Obrigado amigo pela enorme contribuição para o nosso conhecimento esportivo!

    Um abraço!