MMA Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016: Prévia das competições de wrestling estilo livre, parte 2

A segunda parte da nossa prévia olímpica do estilo livre de wrestling traz uma promessa de superastro, muito equilíbrio e um lutador do UFC em busca de fazer história.

No começo da semana trouxemos a primeira parte da prévia das competições de wrestling no estilo livre dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que acontecem nesta semana na Arena Carioca 2, no Parque Olímpico. Depois de apresentarmos os favoritos nas três categorias mais leves, chegou a hora de falar dos mais pesados. Tem candidato a superastro e lutador do UFC em ação.

Categoria até 86 quilos

Chegamos na divisão de peso do wrestler mais dominante atualmente do estilo livre. Abdulrashid Sadulaev fincou a bandeira russa no solo da categoria até 86 quilos em 2014 e ninguém foi capaz de tirá-la de lá até agora. Sadulaev, invicto desde novembro de 2013, venceu 11 campeonatos, que são listados como os mais importantes do esporte, desde a sua última derrota, incluindo dois Mundiais, em 2014 e 2015. Porém, o mais importante ainda falta para ele, que é a Olímpiada. O russo é, sem dúvidas. o maior favorito de todos os pesos a levar o ouro olímpico. Muitos planejam acompanhar suas lutas nessa Olímpiada para ver o começo de uma carreira que pode ser histórica e que pode igualar inclusive, se mantiver o seu domínio, carreiras dos maiores wrestlers de todos os tempos como Aleksandr Karelin, Alexander Medved e Buvaisar Saitiev.

Abdulrashid Sadulaev luta para se tornar um dos maiores de todos os tempos

Abdulrashid Sadulaev luta para se tornar um dos maiores de todos os tempos

O terceiro campeão olímpico de 2012 que volta para tentar reviver aquele momento indescritível é o azerbaijano Sharif Sharifov, que, além disso, foi campeão mundial em 2011. Sharifov, desde aqueles Jogos Olímpicos, se aventurou na categoria de cima e não obteve bons resultados. Ele voltou para 86kg neste ano, no Grand Prix da Alemanha, e chegou à final, vencendo adversários duros como J’Den Cox, mas, por motivos desconhecidos, deixou seu compatriota levar o ouro sem lutar. Um campeão olímpico sempre é uma força a ser reconhecida e, levando em conta que ele nunca enfrentou Sadulaev, pode ser interessante uma possível luta entre eles.

Não poderia deixar de mencionar o cubano Reineris Salas, pentacampeão pan-americano e duas vezes medalhista de prata em Mundiais. Salas vem de resultados expressivos na categoria de cima, vencendo quatro campeonatos em dois meses, inclusive derrotou o duro Nurmagomed Gadzhiev, atual campeão mundial júnior e do Alexander Medved Prizes, no duelo entre Cuba e Azerbaijão. Salas é um wrestler que vale a pena acompanhar, pois, além do estilo agradável de quedas explosivas, tem chances reais de chegar à final, como chegou nos Mundiais de 2013 e 2014.

O iraniano Alireza Karimimachiani, campeão mundial júnior e bronze no Mundial sênior do ano passado, já foi apontado por mim como o segundo melhor wrestler da categoria, mas sua apresentação na Copa do Mundo deste ano, perdendo para J’Den Cox e Shamil Kudiyamagomedov, trouxe dúvidas sobre onde ele se encontra na divisão no momento. Talvez esses reveses foram resultados de uma lesão recente que o tirou do seu melhor alguns meses atrás, talvez não. Vamos esperar e ver como ele estará nessa Olímpiada. Se estiver no seu melhor, Karimi será o maior adversário de Sadulaev na categoria.

Por fim , o turco Selim Yasar é o que podemos chamar de “carne de pescoço”. Campeão mundial júnior e finalista do Mundial sênior do ano passado, ele é um wrestler muito perigoso. Selim, que vem na verdade da região mais forte do mundo no estilo livre de wrestling, o Cáucaso do Norte, teve uma performance brilhante na recente Copa do Mundo, vencendo seus quatro adversários sem dificuldades.

Como é o caso da categoria até 65kg, um americano pode ser uma grande ameaça a seus adversários e inclusive tem chances consideráveis de sair com uma medalha. J’Den Cox, bicampeão da NCAA, vem evoluindo muito a cada competição e já venceu adversários gabaritados nos últimos meses, como Meisam Mostafa Joukar e Alireza Karimimachiani. Esta última foi sua maior vitória até agora em sua recente carreira internacional, um triunfo que abriu os olhos dos fãs e dos wrestlers de sua categoria.

Minha aposta: essa é a mais fácil, Abdulrashid Sadulaev, sem mais.

Categoria até 97 quilos

Na categoria até 97kg, que, ao lado da 57kg, está entre as mais disputadas do estilo livre, o atual campeão mundial e da NCAA Division I, Kyle Snyder, fenômeno americano de 20 anos de idade, vem com tudo para repetir o ouro olímpico nessa divisão para seu país, já que seu maior rival doméstico no peso, Jake Varner, conseguiu o primeiro lugar em 2012, em Londres. Snyder vem de resultados mistos desde que conquistou o título mundial no ano passado, ao pegar o bronze em campeonatos como o Ivan Yarygin, Alexander Medved Prizes e o Grand Prix alemão, em todas perdendo para os maiores cascas grossas desse peso, e ter uma performance invicta na Copa do Mundo de 2016.

O monstro russo que vem dando o que falar será um dos maiores favoritos dessa categoria, o “Deus do Trovão” Anzor Boltukaev, medalhista de bronze no Mundial de 2013. O checheno vem vencendo tudo neste ano, depois de ficar afastado por alguns anos das competições. Boltukaev conquistou o Ivan Yarygin vencendo Jake Varner e Kyle Snyder; o Campeonato Europeu destruindo um adversário duríssimo como o georgiano Elizbar Odikadze e, por fim o Campeonato Russo, tirando para nada a lenda viva Khadzimurat Gatsalov com apenas um minuto de luta na final.

Anzor Boltukaev é uma das forças da equilibrada categoria até 97 quilos

Anzor Boltukaev é uma das forças da equilibrada categoria até 97 quilos

O iraniano Reza Yazdani é o mais gabaritado dessa divisão na Olimpíada, com dois títulos mundiais. Yazdani passou o carro em Jake Varner no final de 2015 e, neste ano, venceu pela quinta vez o Asiático (Campeonato e Jogos). Juntamente com o wrestler cubano Yowlys Bonne Rodriguez, Yazdani é meu wrestler preferido, pois apresenta características que considero atrativas em um lutador de ponta que são quedas explosivas e técnica impecável. O problema é que o iraniano se contunde mais do que Dominick Cruz e Rogério Minotouro se contundem no MMA e, desde sua última lesão, há dúvidas quanto a sua performance no Rio, já que, desde que se lesionou, seus treinadores preferiram mantê-lo longe de competições, só recuperando-o e treinando no Irã. Na minha opinião, Yazdani ou vem para o ouro ou não sobe ao pódio.

Fechando a lista dos favoritos na 97kg, o veterano Khetag Gazyumov, do Azerbaijão, campeão mundial e bronze olímpico, recentemente vem de uma vitória muito importante antes de se tornar campeão do German Grand Prix, ao superar Kyle Snyder na semifinal do torneio. Gazyumov venceu os Jogos Europeus, em 2015, inclusive derrotando a fera russa Abdusalam Gadisov na semifinal. No Mundial do ano passado, levou a medalha de bronze para casa. Mais recentemente, no duelo entre Cuba e Azerbaijão, Gazyumov superou facilmente Javier Cortina, bicampeão pan-americano e medalhista de bronze no Mundial de 2014. O azerbaijano está em terceiro lugar no ranking da UWW.

Um que pode trazer dor de cabeça a seus oponentes é o sempre duro Elizbar Odikadze, da Geórgia, bicampeão do Golden Grand Prix e campeão do Yasar Dogu. Odikadze por muito pouco não derrotou Snyder e Gadisov na Copa do Mundo de 2016. Perder nos detalhes para wrestlers da elite é um indicativo que alguns ajustes aqui e ali podem te levar longe no esporte.

Minha aposta: isso vai depender de como Yazdani se apresentará. Se ele estiver no auge de sua forma física, sem que sua atual lesão o incomode, minha aposta é nele. Porém, se estiver 1% abaixo de seu potencial máximo, minha aposta é no russo Anzor Boltukaev, que vem destruindo todos em seu caminho.

Categoria até 125 quilos

Finalmente, na categoria dos mamutes, até 125kg, um dos três wrestlers mais dominantes da atualidade estará em ação, o turco Taha Akgul, bicampeão mundial e tetracampeão europeu. Akgul, apesar de todo seu domínio nos dois últimos anos, em 2016 não obteve bons resultados. No Campeonato Europeu, acabou derrotado por muito pouco pelo georgiano Geno Petriashvili nos segundos finais. Depois, ficou-se sabendo que Akgul estava lesionado e não lutou no melhor de sua forma. Parece-me que o turco já está bem. Com aquele jogo de quedas e ofensividade no par terre, fica difícil ver alguém pará-lo, apesar que o seu caminho não será nada fácil, como veremos a seguir.

Geno Petriashvili, da Géorgia, campeão mundial júnior de 2013, é o primeiro no ranking da UWW, já que ele não sabe o que é perder desde que conquistou a medalha de bronze no Mundial do ano passado. Geno venceu campeonatos como o Golden Grand Prix, o Campeonato Europeu entre os adultos, o Sub-23 e também apresentou um desempenho impecável na Copa do Mundo, vencendo todos os seus adversários. O georgiano, como já mencionado acima, foi o único wrestler que venceu Akgul desde 2013.

Bilyal Makhov, tricampeão mundial e bronze olímpico em 2012, é a esperança russa nessa categoria. Vale lembrar o quão absurdamente bom Makhov é ao conquistar duas medalhas no Mundial do ano passado, em dois estilos diferentes, feito que não acontecia há 43 anos. O russo vem de medalha de ouro no respeitado torneio Waclaw Ziolkowski Memorial. Makhov, se antes lutando em dois estilos, já era uma grande ameaça a todos os wrestlers de sua divisão, imagine agora focando em apenas um. Ele já deixou claro que, depois dessa Olimpíada, seu foco será o cinturão do UFC. Que os pesados do UFC se cuidem!

UFC contrata Bilyal Makhov, peso pesado multicampeão de luta olímpica que ainda sequer estreou no MMA

Jamaladdin Magomedov, do Azerbaijão, é um wrestler que não podemos ignorar, pois conseguiu a medalha de prata no Mundial do ano passado, perdendo apenas para Akgul e, em seu triunfo mais recente, levou o ouro no Grand Prix of Germany. Magomedov está em quinto no ranking da UWW.

Minha aposta: Taha Akgul, pois, além de estar dominando o cenário internacional desde 2014, venceu com muita facilidade Makhov e Magomedov no Mundial de 2015, perdendo apenas no critério de desempate para o monstro Petriashvili enquanto estava machucado. Repetindo o que já disse em matéria anterior, só vejo o georgiano e o russo como adversários capazes de fazer frente a ele, mas mesmo assim não os vejo superando o turco nessa Olimpíada.

  • AlbertoJr Amaral

    MATÉRIA MUITO BEM TRABALHADA! PARABÉNS!

    MAS ESTOU ANSIOSO PELO UFC 203- SÓ ADIANTANDO –
    McGregor VENCE NOS PONTOS NICK NÃO QUER REVANCHE ALDO VAI SER DECLARADO CAMPEÃO LINEAR DOS PENAS NA COLETIVA FINAL DO UFC 202 – PRÓXIMA LUTA: McGregor VS Georges St-Pierre- NY. O NEGOCIO É DINHEIRO NÃO COMPETIÇÃO! ABRAÇOS!

  • James sousa

    muito bom texto , parabéns ao MMA Brasil não conheço outro site que faça tão boa cobertura sobre a modalidade como o MMA ,Brasil as competições de Wrestling nesses jogos olímpicos estão sensacionais

    • o/

      • James sousa

        me apaixonei pelo esporte nem terminou as Olimpíadas e eu já estou querendo saber qual a próxima grande competição

  • Gabriel Fareli

    Confesso que não acompanho Wrestling, mas depois dessa prévia tô mais ansioso ainda pra ver essas feras lutando no sábado.
    Tem ocasião melhor pra ver um esporte ao vivo pela primeira vez, se tornar mais íntimo dele, do que numa final olímpica ?

  • Leonardo

    Vou de Sadulaev, Snyder e Akgul.