MMA Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016: Prévia das competições de wrestling estilo livre, parte 1

Nos três últimos dias dos Jogos Olímpicos de 2016, as competições do estilo livre de wrestling terão vez na Arena Carioca 2. Veja nesta primeira parte da prévia quem são os favoritos nas categorias até 57 quilos, 65 e 74.

Está chegando o momento que todos os fãs e wrestlers esperam ansiosamente, a hora da História ser escrita, a ocasião da maior glória que qualquer wrestler pode conquistar, a glória olímpica. Como um personagem importante do wrestling disse no Twitter: “Sem mais brincadeiras, crianças! É 2016, seus títulos mundiais não significam nada num ano olímpico.” Agora tentem imaginar a importância disso tudo. Está na hora das competições do estilo livre do wrestling nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Dos dias 19 a 21 de agosto, a Arena Carioca 2 será o palco que vai receber as maiores estrelas mundiais do estilo livre de wrestling, com duas categorias em disputa por dia. Os fãs do esporte têm muita sorte de acompanhar o que considero a melhor fase do esporte, com maior cobertura da mídia (na parte nacional, o MMA Brasil está fazendo a sua parte) e com as melhores regras depois de muitas transições durante anos. O que o fã brasileiro sabia sobre wrestling na Olímpiada de 2012, em Londres, não se compara com o que sabe agora, na Olímpiada de 2016, no Rio, não é mesmo? Falando sobre os últimos Jogos Olímpicos, somente três wrestlers do estilo livre tentarão repetir o que conquistaram em Londres, dois azerbaijanos e um americano. Então, sem me alongar ainda mais, vamos começar a falar sobre os favoritos e as minhas apostas em cada categoria de peso.

Categoria até 57 quilos

Começando pela categoria mais acirrada da competição, temos os campeões das seis últimas edições do Campeonato Mundial e mais um que foi campeão dos dois últimos torneios mundiais na categoria não-olímpica até 61 quilos.

Yowlys Bonne coloca um adversário para voar no Pan de Toronto

Yowlys Bonne coloca um adversário para voar no Pan de Toronto

O georgiano Vladimir Khinchegashvili, atual campeão mundial e medalhista de prata olímpico, vem tendo alguns resultados mistos na categoria de cima desde que venceu o Mundial, mas, quando voltou à sua divisão de peso original, na Copa do Mundo, despachou todos que estavam em sua frente. Sua vitória mais marcante, entretanto, foi contra Haji Aliyev, na semifinal do Campeonato Europeu, na categoria em que o azerbaijano sagrou-se bicampeão mundial em 2015. Khinchegashvili adicionou mais um ouro à sua vasta coleção de medalhas.

Hassan Rahimi, iraniano vice mundial no ano passado e campeão mundial em 2013, é outro forte candidato ao ouro olímpico. Por muito pouco, 15 segundos para ser exato, ele não ficou no lugar mais alto do pódio em 2015. Do jeito que vem treinando (na verdade, do jeito que todo wrestler de ponta iraniano treina), é bem possível que ele tenha consertado onde falhou ao deixar escapar o ouro e brilhar nos tapetes do Rio. É bom lembrar que Rahimi vem de vários triunfos na Copa do Mundo, não perdendo sequer uma luta.

A surpresa (e que boa surpresa!) da categoria é o retorno do bicampeão mundial (2009 e 2014) e medalhista de bronze olímpico norte-coreano Kyong-Ill Yang, que estava sumido das competições internacionais desde que venceu o Mundial, há 2 anos. Yang fez a mesma coisa com Khinchegashvili o que este fez com Rahimi no ano passado, vencendo-o nos segundos finais na decisão do Campeonato Mundial de 2014. O coreano não poderia ser deixado de fora da lista dos favoritos.

O polêmico russo Viktor Lebedev fecha a lista de campeões mundiais das últimas seis edições, sendo bicampeão mundial em 2010 e 2011. Vencedor do Campeonato Nacional russo deste ano de forma muito duvidosa, Lebedev disse que não participaria da Olimpíada, mas acabou voltando atrás e por muito pouco não ficou de fora da competição. Seu último resultado legítimo foi o primeiro lugar nos primeiros Jogos Europeus, no ano passado. Apesar da polêmica, Lebedev não deixa de ser um dos favoritos da categoria, sendo um adversário duro e experiente para qualquer wrestler do planeta.

O azerbaijano Haji Aliyev, bicampeão mundial em 2014 e 2015 na categoria de cima, decidiu não ficar de fora da Olímpiada e baixou de peso, complicando a vida de todos os adversários supracitados. No último campeonato que disputou, o German Grand Prix, aplicou três superioridades técnicas para se sagrar campeão. A última vez que bateu um peso menor do que 60 quilos num campeonato foi em 2008, então vamos esperar para ver como ele vai se sair nessa nova categoria, mas tenha certeza de que ele se torna um favorito automático ao fazer a mudança.

Minha aposta de ouro: nenhuma das feras acima. Isso mesmo! Na minha opinião, o campeão olímpico será um personagem que nunca foi campeão mundial, mas que sempre está nas cabeças, assustando com seu estilo bruto e magnífico. Yowlys Bonne Rodríguez, cubano tricampeão pan-americano e medalhista de bronze em Mundial, é a minha aposta. Bonne, que adora fazer seus adversários “voarem”, deu uma surra tão grande no azerbaijano acima, pouco tempo atrás, que dá para imaginar o motivo de esta ser a única luta do duelo entre Cuba contra Azerbaijão que não foi colocada no canal do YouTube da Federação de Wrestling do Azerbaijão. Rodríguez é um candidato muito forte para acabar com o jejum de medalhas de ouro de Cuba no estilo livre de wrestling. Talvez se sua luta não tivesse sido tão mal julgada no ano passado, contra Lebedev, ele já poderia ter acabado com esse jejum. De qualquer maneira, a chance é agora, no melhor lugar possível para se redimir, na maior arena do esporte.

Categoria até 65 quilos

Togrul Asgarov é uma das forças na embolada categoria até 65 quilos

Togrul Asgarov é uma das forças na embolada categoria até 65 quilos

A próxima categoria de peso é a mais difícil de ter uma aposta de quem vai vencer. Três wrestlers de alto calibre têm se mostrado ser uma pedra no sapato do outro ultimamente. Primeiro, o atual campeão mundial, o cubano naturalizado italiano Frank Chamizo, que, apesar de um revés no Alexander Medved Prizes deste ano, vem de um Campeonato Europeu muito forte, ficando em primeiro lugar e estabelecendo com firmeza sua primeira colocação no ranking da United World Wrestling.

O russo Soslan Ramonov, campeão mundial em 2014 e terceiro colocado em 2015, é outro favorito. Ele venceu o nacional russo ao derrotar o terceiro colocado do ranking da UWW na disputa pelo ouro. Além disso, Ramonov vem de um triunfo muito importante em fevereiro, ao vencer Chamizo na final do Alexander Medved Prizes, vingando a derrota que sofreu para o italiano no duro torneio polonês Waclaw Ziolkowski Memorial, em meados de 2015.

Para fechar a lista de favoritos desta divisão, quem melhor do que o atual campeão olímpico Togrul Asgarov? Ele vai tentar conquistar pela segunda vez o torneio mais importante do esporte. O azerbaijano voltou com tudo nas competições internacionais ao ficar em primeiro lugar nos Jogos Europeus, em 2015. Na final, venceu Chamizo por encostamento. Já no Mundial, Asgarov foi derrotado pelo italiano por 10-5, mas não sem antes de uma polêmica, pois parecia que, em determinado momento da luta, o azerbaijano teria conseguido o encostamento. No final das contas, Asgarov não teve um bom torneio e ficou apenas em quinto lugar. Neste ano, ele somente competiu (e venceu) no Grand Prix da Alemanha.

Quem pode incomodar nesta categoria é o americano Frank Molinaro, derrotado por Asgarov na final do Grand Prix alemão, que vem mostrando crescimento em cada competição internacional e tem ataques explosivos nas pernas que sempre lhe rendem quatro pontos – Asgarov que o diga.

Minha aposta: isso é mais uma aposta cara e coroa, pois é insanidade dizer que um é favorito sobre o outro, mas vou de Asgarov. Acho que se ele tiver acertado o seu problema de condicionamento físico que o atrapalhou durante anos, tem chances contra Chamizo e/ou Ramonov, pois ambos se mostraram bem vulneráveis a um contra-ataque levando ao encostamento. Asgarov já exibiu pelo menos duas vezes contra o italiano que ele é forte nessa área.

Categoria até 74 quilos

Nesta divisão, o favorito é obviamente o wrestler mais gabaritado do cenário atual do estilo livre, o americano Jordan Burroughs, tricampeão mundial e campeão olímpico, com seu cartel insano de 129-2 na modalidade. Burroughs vem de três títulos internacionais neste ano, o respeitado Yasar Dogu, o campeonato pan-americano e o Grand Prix da Alemanha. Além disso, conquistou um título em casa, no U.S. Olympic Trials, e uma bela vitória no Beat the Streets. Jordan não perde desde setembro de 2014, quando lutou lesionado contra o russo Denis Tsargush, no Mundial daquele ano. Porém, se engana quem pensa que ele terá um campeonato fácil.

Jordan Burroughs (de vermelho) é o mais condecorado wrestler da atualidade no estilo livre

Jordan Burroughs (de vermelho) é o mais condecorado wrestler da atualidade no estilo livre

O maior adversário de Burroughs nessa Olímpiada vem da Rússia. Aniuar Geduev, tricampeão europeu e medalhista de bronze no Mundial do ano passado, que conquistou o nacional russo vencendo na final o famoso arquirrival de Burroughs, Tsargush. Geduev deu um tremendo susto no americano no Mundial de 2015, perdendo por apenas um ponto e inclusive derrubou Burroughs usando um double leg, movimento característico do americano. Se tem um wrestler que tem chances consideráveis de quebrar a banca nessa categoria, é Geduev.

Outro que está evoluindo a passos largos e teve provavelmente o melhor desempenho da Copa do Mundo deste ano foi o iraniano Hassan Yazdani, campeão mundial júnior e medalhista de prata no Mundial de 2015 na categoria não-olímpica até 70 quilos. Yazdani passou o carro na Copa do Mundo contra adversários duros como Alex Dieringer e Khetag Tsabolov. O interessante é que o iraniano nunca enfrentou Burroughs nem Geduev, então teríamos uma bela surpresa nessa Olimpíada, não? É possível.

Minha aposta: Jordan Burroughs vem ao Rio para conquistar seu segundo ouro olímpico e acho que ele inclusive tem maiores chances do que em Londres, pois complementou muito bem seu jogo de quedas com leg laces que poucos adversários tem conseguido defender.

Fique de olho nos próximos dias na segunda e última parte desta prévia, com as categorias até 86 quilos, 97 e 125. Até lá!

  • James sousa

    excelente prévia , já estou empolgado para as disputas do estilo livre
    vai ter prévia também para as categorias femininas ? acho que as disputas femininas já começam nessa quarta dia 17

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Não tem brasileiros concorrendo no wrestling?

    • Bruno Fares

      Vem na segunda parte.

    • Elias Freire

      Tem sim, só não estão entre os favoritos para conquistar medalhas entre os homens.

  • Gabriel Fareli

    Ótimo texto, Elias !
    Pra quem ainda entende bem pouco do esporte, como eu, ajuda bastante essa previa !!!