Por Idonaldo Filho | 21/12/2020 15:22

Pela última vez no ano, discutiremos possíveis futuros confrontos entre os lutadores do UFC aqui no MMA Brasil Matchmaker. Dessa vez, falaremos sobre o UFC Vegas 17, que teve mais uma ótima performance de Stephen Thompson contra o bom Geoff Neal. Também foi a noite que José Aldo retornou a coluna das vitórias, conseguindo uma decisão sobre Marlon Vera.

LEIA MAIS: UFC Vegas 17: Thompson vs. Neal – Resultados

Confira no MMA Brasil Matchmaker algumas possibilidades de casamentos envolvendo os lutadores que atuaram no UFC Vegas 17.

Stephen Thompson vs. Colby Covington

Mesmo prestes a completar 38 anos, Stephen Thompson segue mostrando que ainda é um atleta de topo. O americano teve um desempenho irretocável contra o compatriota Geoff Neal, conduzindo um baile na trocação, vencendo a decisão unânime com todos os rounds marcados para si próprio. Os reflexos aparentam estar em dia e, a técnica acima da média ainda está lá. Thompson muito provavelmente receberá uma luta importante para seu próximo duelo, uma vez que andou fazendo papel de porteiro em seus últimos combates.

Uma peleja muito intrigante e que terá muita relevância na divisão caso seja realizada é  Stephen Thompson contra Colby Covington. De personalidades extremamente opostas, o confronto também entregará um confronto de estilos entre um wrestler e um striker, ambos estando entre os cinco melhores lutadores do peso meio-médio. Como o campeão Kamaru Usman já venceu Covington, e enfrentará Gilbert Durinho, as opções para o “Chaos” são escassas, sobrando esse combate aqui casado.

Geoff Neal vs. Vicente Luque

Geoff Neal veio para a sua primeira luta principal no UFC invicto no líder do mercado, conquistando a chance de ter a maior vitória de sua carreira. Porém, o que vimos é que Neal ainda não está preparado, sendo frustrado totalmente pelo “Wonderboy” em pé, não conseguindo acompanhar o ritmo do carateca e não conseguindo nem mesmo levar um assalto sequer. Ainda assim, não é uma derrota que abala muito Neal, já que foi contra um atleta consolidado no evento e que estava bem acima dele no ranking.

Vicente Luque vem de duas vitórias seguidas, e essa inclusive pode até ser um “passo atrás”, mas assim como Neal, Luque foi tirado para nada por Thompson não muito tempo atrás. Uma luta entre Neal e Vicente certamente entregará uma pancadaria das boas, e confesso que não resisti a escrever esse casamento aqui na coluna. É um duelo ideal para compor um card principal de PPV, com boas expectativas para entreter o público.

José Aldo vs. TJ Dillashaw

Não foi uma performance irretocável como esperaríamos do José Aldo que conhecemos. Mas o brasileiro não deixou de conquistar uma importante vitória, sua primeira em quase dois anos, também sendo a única como peso galo até o momento. Aldo conseguiu impor o seu jogo nos dois primeiros rounds, sendo superior tecnicamente em comparação a Vera, também aplicando golpes mais contundentes. No terceiro assalto houve uma queda de rendimento já esperada, mas no conjunto Aldo fez o necessário para uma vitória tranquila.

Sabe quem está de volta muito em breve? TJ Dillashaw. O ex-campeão dos galos passou uma das maiores vergonhas que pode acontecer com um atleta profissional, tomando uma surra e depois caindo em exame antidoping. A suspensão de Dillashaw acaba no início do ano que vem, e como ele voltará com 35 anos, depois de um tempo parado e teoricamente agora estando limpo, ninguém sabe. Muita gente pode até achar desigual, mas como é uma incógnita como será o retorno do americano é uma opção muito válida e que coloca em disputa dois nomes gigantes para os fãs de MMA. Ah, foi esse também o pedido de Aldo na entrevista, o que é de se relevar uma vez que é raro vermos brasileiros pedindo adversários pós-luta.

Rob Font vs. Cody Garbrandt

Rob Font conquistou a maior vitória de sua carreira contra o brasileiro Marlon Moraes. Não surpreendeu que Font conseguiria atuar melhor na longa distância, mas a maneira como venceu o “Magic”, com uma bela sequência, um jab poderoso e obtendo um nocaute limpo no ground and pound (com o açogueiro do árbitro olhando), foi simplesmente sensacional. Com isso, Rob deve pegar o elevador no ranking do peso galo, onde um casamento especial o esperará.

Cody Garbrandt andou fazendo muito barulho pedindo title shot do peso mosca, querendo furar a fila, chegou até a conseguir mas acabou se lesionando. E quer saber? O peso mosca não precisa mais de Cody Garbrandt. A categoria já está chamando a atenção dos fãs com combates sensacionais e, como a revanche de Deiveson Figueiredo e Brandon Moreno deve acontecer e demorar após um justo descanso para os dois, acho que Cody perdeu a chance. De volta para os galos, Font merece uma luta contra Garbrandt e a gente que assiste também. Disputa de alto nível no boxe, onde veremos se o “No Love” terá os mesmos problemas que Marlon teve com a diferença de envergadura.

Marcin Tybura vs. Sergey Pavlovich

Para a alegria de todos nós, Marcin Tybura acabou com Greg Hardy Jr. O polonês teve um início pouco inspirador, mas quando conseguiu levar o ex-jogador de futebol americano para o solo foi um monólogo. Tybura bateu como quis, aproveitando de um oponente indefeso no chão e que não mostrou nenhuma noção básica que seja de defesa. É a quarta vitória seguida de Marcin, que agora está empatado com a maior sequência de vitórias na categoria. É mais que merecido uma volta aos 15 melhores do evento, e um confronto contra alguém dessa classe.

Sergey Pavlovich anda sumido depois de uma lesão. O russo é um dos principais prospectos do UFC no peso pesado, sendo o 13º colocado na lista dessa faixa de peso. Conhecido pelo bom grappling, Pavlovich poderá se testar contra Tybura, que também é bom lutador nesse aspecto. Para mais, é um teste relevante para Pavlovich se desenvolver, assim como um justo duelo contra ranqueado para Tybura.

Anthony Pettis vs. Al Iaquinta

O “Showtime” até tentou suas clássicas piruetas, algumas coisas diferentes, mas o resultado foi abaixo do esperado. É nítido que Anthony Pettis não é mais o cara que encantou o mundo, porém ele vem de dois resultados positivos consecutivos, em contendas realizados no peso meio-médio. Na entrevista pós-luta, Pettis comentou que retornará ao peso leve, então é aí que devemos colocar sua próxima peleja.

Imagino que alguns possam discordar, mas eu gosto de Al Iaquinta como opção. O “Ragin” é ranqueado, mas tá em má fase. É totalmente compreensível a opção de casar Iaquinta contra algum atleta em curva ascendente, porém contra Pettis há uma possibilidade de luta divertida, com a chance de Iaquinta se recuperar e também é mais plausível do UFC marcar. Concordam com a escolha?

Veja opções para os demais lutadores envolvidos no UFC Vegas 17:

Marlon Vera vs. Said Nurmagomedov
Michel Pereira vs. Sergey Khandozhko
Khaos Williams vs. Orion Cosce
Marlon Moraes vs. Song Yadong
Greg Hardy vs. Tom Aspinall
Alex Morono vs. Dwight Grant
Pannie Kianzad vs. Perdedora de Ketlen Vieira/Yana Kunitskaya
Sijara Eubanks vs. Stephanie Egger
Derron Winn vs. Dalcha Lungiambula
Antonio Arroyo vs. demissão
Taila Santos vs. Antonina Shevchenko
Gillian Robertson vs. Justine Kish
Tafon Nchukwi vs. Phil Hawes
Jamie Pickett vs.  Andreas Michailidis
Jimmy Flick vs. David Dvorak
Cody Durden vs. Ryan Benoit
Christos Giagos vs. Devonte Smith
Carlton Minus vs. demissão

E você? Vamos discutir nos comentários outras opções de casamentos!