Por Rafael Fernandez | 13/06/2022 12:54

Uma das lutas mais insanas da história, uma soberana campeã pela primeira vez se mostrando humana e a aposentadoria de uma lenda. O que mais faltou para o UFC 275?

O evento realizado nesse último sábado (11) entrou para a história e trouxe a disputa de cinturão dos meios-pesados como a luta principal. Em uma montanha-russa de emoções, o tcheco Jiri Prochazka finalizou Glover Teixeira faltando 30 segundos para o final do combate e se tornou o novo campeão da categoria.

No duelo coprincipal, a campeã do peso mosca, Valentina Shevchenko, passou alguns apertos contra a desafiante Taila Santos e manteve o título com uma decisão dividida. Além disso, Weili Zhang nocauteou Joanna Jedrzejczyk com um soco giratório em um combate que foi o último da carreira da polonesa.

Confira no MMA Brasil Matchmaker algumas possibilidades de casamentos envolvendo os lutadores que atuaram no UFC 275.

JIRI PROCHAZKA VS. GLOVER TEIXEIRA 2

O que falar desse combate? Em termos de entretenimento, deve ser a melhor luta por título da história da divisão dos meios-pesados. Era como um furacão estivesse sendo transmitido na televisão e tudo o que era visto era destruição por todo lado. É claro que ambos os lutadores não tiveram as melhores decisões durante a luta.

Prochazka com as constantes tentativas de finalização ou golpes que quase sempre acabavam com Glover na montada. Por parte do brasileiro, a tentativa de guilhotina no último round quando o desafiante estava a ponto de ser nocauteado foi a mais crucial. Entretanto, as constantes mudanças no domínio do confronto, a garra do agora ex-campeão e a perseverança do tcheco até os últimos momentos deixará a peleja marcada na memória de todos.

Admito que a sugestão venha de um lado mais sentimental depois de quão caótica foi a luta. Glover já havia indicado que os planos eram para se aposentar no final do ano e, se tudo ocorresse certo, como campeão. Então, pensando nisso e vendo quão disputado foi o combate, acho que uma revanche no final do ano seja um boa possibilidade, com o brasileiro se aposentando independente do resultado.

VALENTINA SHEVCHENKO VS. TAILA SANTOS 2

Não é todo dia que, em uma luta de Valentina Shevchenko, vamos para a decisão dos juízes sem a certeza da vitória da campeã. Shevchenko foi surpreendida pela força de Taila Santos e com a boa defesa de quedas da brasileira durante os primeiros rounds do combate. Nos três primeiros assaltos, Taila pegou as costas em dois rounds e ficou por cima por boa parte do tempo em outro. Entretanto, a falta de ofensividade da brasileira pesou porque, apesar de estar por cima, a adversária era quem mais oferecia perigo com finalizações e golpes. Por isso, ao final dos 25 minutos, a campeã manteve o título numa decisão apertada. Com a vitória, Valentina entrou na história do UFC com o recorde de defesas de cinturão no MMA feminino da organização.

Ao decorrer da semana, eu pensava que estaria escrevendo aqui sobre outra performance dominante de Valentina e como ela deveria enfrentar a vencedora de Julianna Peña e Amanda Nunes. Entretanto, durante a luta comecei a pensar que mais uma defesa de título seja o passo mais provável. Quando terminou, por mais que tenha pensado em uma revanche com Katlyn Chookagian, a minha sugestão é uma revanche com a própria Taila. Isso se deve a quão apertada o combate foi e acho que poderíamos ter assistido uma das maiores zebras da história se não fosse uma colisão de cabeças acidental no início do quarto round, que deixou a brasileiro com o olho direito bem quase totalmente fechado.

WEILI ZHANG VS. CARLA ESPARZA

Como manter o nível da primeiro combate que foi simplesmente o melhor da história do MMA feminino? Fácil, sendo Weili Zhang e Joanna Jedrzejczyk. É desnecessário ficar comentando quão incríveis ambas lutadoras são. Zhang veio com uma estratégia diferente do confronto anterior e focou nas quedas no primeiro round. Isso se mostrou bem eficaz e a chinesa causou estrago no ground & pound. Entretanto, a polonesa se mostrou guerreira, conseguiu se levantar e chegou a machucar a adversária no final do round. O segundo assalto continuou de onde pararam: trocação frenética. Quando menos esperávamos, Weili Zhang acerta um soco giratório e nocauteia Joanna. A chinesa mostrou evolução e estar pronta para reconquistar seu título. Após a luta, Jedrzejczyk deixou as luvas no octógono e desejo uma boa aposentadoria para a maior da história no peso palha.

Acho que essa é a sugestão mais fácil a se fazer. Depois da horrível luta entre Rose Namajunas e Carla Esparza no mês passado, o UFC já havia deixado claro que quem vencesse entre Zhang e Joanna lutaria pelo título. Então, o caminho está livre para Weili Zhang disputar o cinturão e, após o nível apresentado contra a polonesa, a vejo passando por cima da Esparza e se tornando novamente campeã da categoria.

Confira outras lutas para os envolvidos no UFC 275:

Joanna Jedrzejczyk vs. aposentadoria
Jake Matthews vs. Niko Price
André Fialho vs. Khaos Williams
Jack Della Maddalena vs. Danny Roberts
Ramazan Emeev vs. Ange Loosa
Joshua Culibao vs. vencedor de Woodson/Saldana
Seung Woo Choi vs. Steven Peterson
Hayisaer Maheshate vs. Jamie Mullarkey
Steve Garcia vs. perdedor de Motta/VanCamp
Brendan Allen vs. vencedor de Du Plessis/Tavares
Jacob Malkoun vs. Nick Maximov
Kyung Ho Kang vs. John Castaneda
Batgerei Danaa vs. Saimon Oliveira
Silvana Gómez Juárez vs. Ashley Yoder
Na Liang vs. demissão
Joselyne Edwards vs. vencedora de Dumont/Wolf
Ramona Pascual vs. perdedora de dos Santos/Perez

Foto: UFC/Divulgação/Twitter