Por Idonaldo Filho | 09/11/2021 20:43

Com os campeões mantendo seus respectivos cinturões, o UFC 268 teve grandes momentos, com lutas memoráveis e nocautes fulminantes. Pelos meios-médios, Kamaru Usman chegou a aplicar knockdown em Colby Covington, manteve o controle do duelo, vencendo uma decisão unânime. No peso palha, Rose Namajunas teve um combate um pouco mais disputado ao encarar Weili Zhang, mas levou na decisão dividida, encerrando de vez a dúvida que muitos tinham.

+UFC 268: Usman vs. Covington 2 – Resultados

+ Apoie o MMA Brasil e colabore com o jornalismo independente

Confira no MMA Brasil Matchmaker algumas possibilidades de casamentos envolvendo os lutadores que atuaram no UFC 268.

KAMARU USMAN VS. LEON EDWARDS

O nigeriano faz jus a sua posição de top 1 peso por peso. Usman mais uma vez mostrou que está sim na conversa para ser um dos melhores meios-médios da história. Na luta mostrou seu repertório costumeiro de quedas, mas impressionou no segundo assalto, ao acertar por duas vezes Covington de forma contundente, o derrubando, não nocauteando por pouco. Vimos um Usman com sequências eficientes, contragolpeando bem e com potência nos golpes, cada vez mais confortável na trocação, não dando mais munição para quem o chame de lutador chato.

Hoje, eu teria como desafiante unânime o britânico Leon Edwards, que vem em excelente sequência há tempos. O problema é: marcaram Edwards para enfrentar Jorge Masvidal em dezembro. Embora em minha opinião, Masvidal seja zebra, o americano é bom lutador e já surpreendeu alguns adversários no passado recente, não sendo carta fora do baralho. Devido a esse casamento, fica difícil de cravar, mas Edwards vencendo, é ele o desafiante. Se Leon for derrotado por Masvidal, a chance deve cair no colo de Vicente Luque, que hoje é o segundo na fila do merecimento.

COLBY COVINGTON VS. GILBERT BURNS

Covington mostrou que é um sujeito muito duro, aguentando um segundo round onde alguns já teriam sido nocauteados, sendo atropelado e voltando como se nada fosse para o restante da luta. Colby chegou a bambear Usman com alguns golpes, manteve um ritmo bacana, estando inteiro nos rounds finais, mas não foi o suficiente para vencer o aspirante a GOAT da categoria. Resta voltar a academia, treinar mais e torcer para o cinturão mudar de mãos, já que uma trilogia fica difícil diante de duas derrotas contra o nigeriano, sem que tenha tido controvérsias.

Gostaria de ver Colby enfrentando Gilbert Durinho. Além do elemento de rivalidade, já que são desafetos e há muito se alfinetam em entrevistas, é um casamento com um estilo que me agrada bastante. São dois estilos de trocação diferentes, pois Covington privilegia o volume de golpes e consegue impor um ritmo bacana, enquanto Durinho é um lutador que preza pela potência, soltando sequências poderosas, colocando toda a força do corpo nos socos. Igualmente quanto ao aspecto do grappling, tendo um wrestler e um atleta que possuí muitas credenciais no jiu-jítsu. Não vejo motivo para não fazer essa peleja.

ROSE NAMAJUNAS VS. CARLA ESPARZA 2

E mais uma vez Rose Namajunas manteve o cinturão, conseguindo a segunda vitória consecutiva contra Zhang, igualando sua sequência positiva contra Joanna Jedrzejczyk (2-0 contra a polonesa também). O confronto foi duro, com disputas apertadas em pé e, inclusive, também no solo. Muito técnica, Namajunas manteve o foco em sua estratégia, administrando melhor os golpes, atacando quando necessário, não gastando energia em vão. Para a próxima luta? Uma revanche.

Não vejo outra luta a não ser Carla Esparza. A Cookie Monster já venceu Rose na final do TUF 20, mas com o tempo, Namajunas evoluiu e superou a ex-adversária, se tornando campeã, enquanto Carla teve alguns momentos mais complicados, até assegurar a boa sequência de vitórias que a credencia a disputar o título atualmente. O principal impeditivo para essa disputa é o próprio patrão, Dana White, que não parece lá muito simpático a essa peleja em específico. Paciência, mas acredito que é a melhor opção tanto esportivamente quanto comercialmente.

WEILI ZHANG VS. MARINA RODRIGUEZ

Weili Zhang mostrou algum repertório no seu jogo de quedas, mas acabou não sendo suficiente para superar a técnica de Namajunas. A chinesa é superior no poder, porém não conseguiu superar a movimentação e eficiência nos golpes da campeã, amargando agora a segunda derrota em sequência e ficando distante de uma nova oportunidade pelo ouro da divisão. O ideal agora é acumular uma boa sequência enfrentando atletas em ascensão no evento, para que justifique uma nova oportunidade.

Eu sei que casei Marina Rodriguez contra Joanna Jedrzejczyk recentemente nesta coluna, mas a polonesa chegou a ser retirada dos rankings por conta da inatividade e não tende a voltar tão cedo, mas independentemente disso, acho que um confronto entre Zhang e Rodriguez não pode ser dispensado, já que é uma contenda que coloca duas trocadoras com estilos distintos, mas que geralmente entregam combates divertidos, podendo tranquilamente encabeçar um evento sem muitos problemas, considerando o nível de ambas as atletas, sobretudo no striking.

JUSTIN GAETHJE VS. CONOR MCGREGOR

É um psicopata, um maníaco. Justin Gaethje simplesmente é incapaz de fazer uma luta monótona, entregando o melhor combate do ano contra o não menos lunático Michael Chandler. Com seu tradicional foda-se para a defesa, Gaethje amassou Chandler com golpes diversos, os potentes chutes baixos, aplicou knockdown, chegou a levar um suplê e escapar com uma cambalhota. O homem fez a festa dos fãs presentes na arena e também dos telespectadores, que sem dúvida não tem nada a reclamar e mal podem esperar para seu retorno.

Como acredito que o justo desafiante deva sair de uma luta entre Islam Makhachev e Beneil Dariush, sobra para Justin Gaethje um tal notório irlandês chamado Conor McGregor. O astro do UFC esteve como sempre, mais envolvido em polêmicas fora do octógono do que por notícias referentes ao esporte, porém está aí no elenco e sem muita perspectiva de quem enfrentar, já que vem de dois reveses, virando freguês de Dustin Poirier. Enfrentando Gaethje, McGregor terá um estilo que até casa bem com o seu, podendo aproveitar sua boa técnica e precisão contra a loucura do oponente e seu despreparo defensivo, mas como vem muito em baixa, não sei se seria favorito.

Confira outras opções para os envolvidos no UFC 268:

Marlon Vera vs. Vencedor de Simon/Assunção
Frankie Edgar vs. Perdedor de Simon/Assunção
Shane Burgos vs. Hakeem Dawodu
Billy Quarantillo vs. Jamall Emmers
Michael Chandler vs. Rafael dos Anjos
Alex Poatan vs. Karl Roberson
Andreas Michailidis vs. Perdedor de Wright/Blindado
Bobby Green vs. Vencedor de Moicano/Hernandez
Al Iaquinta vs. Christos Giagos
Chris Curtis vs. Abubakar Nurmagomedov
Phil Hawes vs. Jack Marshman
Nassourdine Imavov vs. Darren Till
Edmen Shahbazyan vs. Jun Yong Park
Ian Garry vs. Niklas Stolze
Jordan Williams vs. demissão
Chris Barnett vs. Parker Porter
Gian Villante vs. aposentadoria
Dustin Jacoby vs. Ion Cutelaba
John Allan vs. demissão
Melsik Baghdasaryan vs. Nate Landwehr
Bruno Souza vs. Perdedor de Levy/Garcia
Ode Osbourne vs. Tyson Nam
C.J. Vergara vs. Francisco Figueiredo

Fotos: UFC/Divulgação