Por Idonaldo Filho | 28/03/2021 20:30

O UFC 260 trouxe um card um pouco machucado devido a duelos que foram cancelados, mas, principalmente pelas duas lutas principais, o evento valeu a pena quem ficou acordado durante a madrugada do último sábado (27).

+ UFC 260: Miocic vs. Ngannou – Resultados

Pelo cinturão dos pesados, Francis Ngannou confirmou o favoritismo, derrotando Stipe Miocic e levando a cinta para casa. No duelo coprincipal, Vicente Luque é mais um a aproveitar a má fase de Tyron Woodley, finalizando-o no primeiro assalto em uma grande luta.

+ Participe do programa de colaboradores do MMA Brasil e apoie o jornalismo independente de MMA

Confira no MMA Brasil Matchmaker algumas possibilidades de casamentos envolvendo os lutadores que atuaram no UFC 260.

FRANCIS NGANNOU VS JON JONES

Assustador. Francis Ngannou mostrou mais uma vez que foi feito para o MMA. O camaronês teve uma trajetória de vida muito dura até se tornar atleta profissional de MMA, mas uma vez entrando no esporte a carreira só seguiu em ascendente. O cinturão é a maior recompensa de todo esse esforço, chegando no auge, aos 34 anos de idade, no topo do UFC. O próximo desafio é claro diante do interesse de Dana White e, aparentemente, dos fãs.

Sobre a luta, Ngannou foi mais agressivo durante todo o duelo. Quando ameaçado por uma queda de Miocic, um sprawl perfeito mostrou que o camaronês evoluiu no aspecto e não mais é um striker unidimensional, sabendo defender-se adequadamente. Um chute lindo também entrou forte, além de outros golpes poderosos, que Miocic aguentou. No segundo assalto, já perto da grade, um forte soco entrou e Stipe caiu de costas para a grade, o agora ex-campeão chegou a se levantar, acertou um belo golpe e, avançando para tentar mais recebeu uma esquerda em cheio no contragolpe, caindo todo amassado só para levar alguns conferes de Francis.

Não é a minha opção ideal, mas não tem como eu inventar aqui, o próximo adversário de Ngannou deve ser Jon Jones. O controverso meio-pesado é já uma lenda consolidada no UFC, mas mostrou um nível muito abaixo do que costumamos acompanhar em suas últimas aparições, seja por desmotivação, decadência física ou falta de alguma substância. Finalmente indo para os pesados, depois de muito tempo de cogitação, Jones está ficando grande e deve ter nesse desafio uma chance de mostrar que ainda não está acabado. Se o marketing for bem feito essa luta vai vender muita coisa, pode apostar.

STIPE MIOCIC VS. CURTIS BLAYDES

Chegou ao fim o segundo reinado de Stipe Miocic nos pesados do UFC. O bombeiro apareceu bem mais leve no combate, se manteve muito calmo e perdeu o primeiro assalto. No segundo aconteceu o que vimos, sendo um nocaute bastante pesado e que deverá deixar Stipe de molho por algum tempo. Ele tem nome para conseguir uma revanche imediata? Claro, e mereceria inclusive, mas as circunstâncias não estão nada boas para isso acontecer. Resta a Miocic enfrentar algum outro membro dos pesados que esteja rondando o top 5.

Sugiro um duelo de perdedor vs. perdedor por aqui. Curtis Blaydes foi nocauteado pela Besta Negra, Derrick Lewis, com um uppercut preciso. Curtis sempre bateu na trave quando esteve perto de disputar o título e, uma peleja com Miocic, pelo menos para mim, era algo que gostaria bastante de ver. Acredito que a oportunidade seja ótima para isso, com o vencedor se recolocando nas conversas de título, enquanto o perdedor fatalmente deverá dar alguns passos para trás.

VICENTE LUQUE VS. LI JINGLIANG

Que luta maluca em? Luque teve o oponente de maior nome na carreira em Tyron Woodley, mesmo o americano estando em fase horripilante e em fim de carreira. Vicente não perdoou e, respondeu bem as investidas do ex-campeão, conseguiu atordoar Tyron significativamente rente a grade, finalizando  com um D’Arce. 10º colocado no ranking dos meios-médios, veremos o multinacionalidades Luque cada vez mais perto do top 5, a depender de quem enfrentar no futuro.

Vicente pediu na entrevista pós-luta o nome de Nate Diaz. Foi um pedido muito bom, mas vamos falar de verdade? Difícil isso acontecer, ninguém sabe o que passa na cabeça de Nate e acredito que não é Luque quem fará ele retornar ao octógono. Um combate que seria unanimidade entre os fãs é Luque vs. Li Jingliang. O chinês venceu um ex-top 5 em Santiago Ponzinibbio de forma impactante, entrou com tudo nos rankings e também busca desafios. Quem vai negar uma pancadaria dessas?

TYRON WOODLEY VS. ROBBIE LAWLER 2

Ele até que tentou mudar sua estratégia costumeira, mas não dá mais para Tyron Woodley contra a elite da divisão. Perto de completar 39 anos, remanescente do Strikeforce, Woodley acumula o quarto revés em sequência, ficando em posição difícil na organização. Ainda não sabemos se o “Chosen One” vai se aposentar, podendo as vezes até ser demitido, já que o evento cortou alguns medalhões caros recentemente como Junior Cigano e Alistair Overeem. Palpites podem ser diversos para o futuro do ex-campeão da categoria.

Já que ficamos meio que sem saber o que irá acontecer, vamos supor que Woodley continue no evento. É possível que sirvam algum prospecto para usa-lo como escada, ou entregar alguma luta entre veteranos. Que tal uma revanche contra Robbie Lawler? É uma tentativa de pelo menos manter um deles no evento, enquanto o derrotado certamente se despede do octógono. A fase de ambos é péssima, fazendo com que haja certo equilíbrio. Outra opção mais exótica seria Michel Trator, que já está apto para lutar com o encerramento de sua suspensão por doping.

Outra opção: Michel Trator

SEAN O’MALLEY VS. RICKY SIMON

Aproveitando que o adversário vinha em má fase, Sean O’Malley teve um ótimo desempenho, utilizou diversos golpes, alguns até mais plásticos, chutou, socou, e conseguiu um nocaute brutal sobre Thomas Almeida. Enquanto por um lado é um decreto da demissão de Thominhas, que decepcionou bastante nos últimos anos, por outro consolida O’Malley mais ainda e pode dar um pouco do hype que foi perdido em sua derrota para Marlon Vera.

Eu ainda desejo ver O’Malley contra wrestlers e curiosamente um ótimo está livre. Ricky Simon vem de três vitórias consecutivas, é duro pra caramba e não é nada bobo em pé. Uma contenda entre os dois pode muito bem fazer parte de um card principal de qualquer evento, trazendo uma disputa de estilos curiosa, levando o vencedor ao top 15 sem muita dificuldade. E sabendo que Simon é um lutador bastante ativo, não há muito problemas caso essa opção seja escolhida pelo UFC, que pode marca-la em breve.

Confira outras pelejas entre os envolvidos no UFC 260:

Thomas Almeida vs. demissão
Miranda Maverick vs. Perdedora de Modafferi/Santos
Gillian Robertson vs. Perdedora de Moroz/Fiorot
Jamie Mullarkey vs. Chris Gruetzmacher
Khama Worthy vs. Perdedor de Hadzovic/Motta
Alonzo Menifield vs. William Knight
Abubakar Nurmagomedov vs. Amiran Gogoladze
Jarred Gooden vs. Orion Cosce
Michal Oleksiejczuk vs. Vencedor de Clark/Cutelaba
Modestas Bukauskas vs. Fabio Cherant
Omar Morales vs. Charles Jourdain
Shane Young vs. Kevin Aguilar
Marc Andre Barriault vs. Jack Marshman
Abu Azaitar vs. Isi Fitikefu

Foto: UFC/Divulgação