Por Idonaldo Filho | 26/01/2021 11:07

Um dos principais eventos do ano, por contar com a maior estrela do evento, o UFC 257 trouxe a maior vitória da carreira de Dustin Poirier, nocauteando pela primeira vez o irlandês Conor McGregor, ficando agora em boa posição entre os leves. Também tivemos uma estreia fulminante de Michael Chandler, além de movimentações na divisão dos palhas e moscas também.

LEIA MAISUFC 257: Poirier vs. McGregor – Resultados

Confira no MMA Brasil Matchmaker algumas possibilidades de casamentos envolvendo os lutadores que atuaram no UFC 257.

DUSTIN POIRIER VS. CHARLES DO BRONX

O que Dustin Poirier fez é digno de lembrança para vários anos. O americano não era favorito, não viu a cor da bola no primeiro assalto, porém, logo no segundo round depois de vários chutes baixos em um oponente que não sabia como se defender destes golpes, Poirier obteve o nocaute. Eram esses os planos de Dana White? Certo que não. Mas para a categoria dos leves é um resultado excepcional, por se tratar de um lutador mais ativo e que está disposto a enfrentar qualquer que seja oponente, não se importando com nome.

Várias são as opções para o estadunidense. Tudo indica que Khabib Nurmagomedov não volta mesmo, ainda que Dana White tenha tentado enganar o público. O presidente se interessa em uma luta entre Poirier e Chandler pelo cinturão, mas é muito errado um sujeito com apenas um combate no evento ir logo de uma vez para a disputa de cinturão com gente mais merecedora.

É Charles do Bronx o adversário mais digno para Poirier em uma disputa de título vago. O brasileiro acabou com Tony Ferguson, está em uma sequência longa de vitórias e costuma empolgar bastante. É bem possível que Charles seja colocado de lado, mas de um ponto puramente esportivo ele mais do que conquistou a chance de lutar pelo ouro da divisão. Que baita contenda hein?

CONOR MCGREGOR VS. RAFAEL DOS ANJOS

Vimos pela primeira vez o astro Conor McGregor ser derrotado por nocaute, após ter as pernas minadas e posteriormente sucumbir a socos de Dustin Poirier, perdendo a revanche concedida ao americano. Conor já não é um lutador ativo e ganha uma grana preta toda vez que entra no octógono, depois de perder por nocaute é pouco provável que ele luta em curto prazo. Dito isso, fica muito difícil falar qualquer coisa, já que em poucos meses o panorama da divisão pode mudar bastante. Há várias opções cogitadas pelos fãs, mas acredito que ainda é cedo para definirmos o que irá acontecer com o “Notorious”.

Ainda que acredite que estamos sendo um pouco precipitados, vou dar a minha opção favorita. O brasileiro Rafael dos Anjos vem de vitória e, por muito tempo cogitou-se que RDA poderia ser o adversário de Conor McGregor em sua subida para o peso leve. É uma sugestão interessante e que tem certa história. Só que, nós sabemos que Conor enfrenta quem quiser no evento e, provavelmente Rafael não é a opção que mais o interessa e nem mesmo interessa o UFC. Luta contra Nate Diaz? Pode até ser, mas eu lá sei os interesses de Diaz em entrar dentro do cage ou não.

A outra que coloco para discussão foi sugerida no nosso grupo de colaboradores e é uma sugestão mais exótica: imagina se o UFC decide fazer McGregor vs. Jorge Masvidal pelo cinturão de BMF? É um negócio que venderia bastante e que conhecendo Dana White, não soa nem um pouco impossível. E para vocês, qual vai ser o destino de McGregor após essa derrota pesada?

Outra opção: Jorge Masvidal

MICHAEL CHANDLER VS. JUSTIN GAETHJE

Que estreia! Michael Chandler é uma lenda viva do Bellator, mas decidiu pela mudança de ares nesta fase da carreira, aceitando a proposta do UFC. Escalado contra o resiliente Dan Hooker, Chandler simplesmente com um soco desmontou o camarada que aguentou vários rounds de pura anarquia contra Edson Barboza e Paul Felder. Não poderia ter sido melhor e, é bem possível que Chandler inclusive tenha até mesmo conquistado um bilhete para furar a fila pela cinta, ao menos é o que parece vendo entrevistas do manda-chuva.

Só que para mim ele ainda precisa de mais. E não consigo resistir a uma guerra entre Michael Chandler e Justin Gaethje. Os dois por muito tempo foram dois dos melhores pesos leves fora do UFC, são totalmente loucos da cabeça e envolvidos em lutas memoráveis. O potencial de pancadaria é gigante entre dois wrestlers que amam trocar porrada, fazendo sentido também em termos de ranqueamento no peso leve.  Por mim quanto mais rápido marcarem essa peleja melhor.

DAN HOOKER VS. DREW DOBER

Hooker começou a luta com muita cautela, respeitando demais Chandler. Não houve muito o que fazer, o ex-campeão do Bellator acertou um poderoso soco e Dan já caiu praticamente sem oferecer resistência. Eu acredito que diante dessa sequência lutando apenas com a elite da divisão, Hooker deveria dar alguns passos atrás para enfrentar o pessoal mais da parte baixa da tabela. Ainda há a possibilidade de grandes pelejas mesmo com essa redução do nível de oposição.

Uma que eu gostaria de ver é contra Drew Dober. O americano enfrentará o russo Islam Makhachev em uma luta encardida, onde muito provavelmente perderá. Se arranjar um jeito de ganhar, melhor ainda, pois Hooker está na sua frente. Mas se perder é uma possibilidade justa também, considerando ainda que Hooker irá ficar um tempo de fora muito provavelmente, já que o nocaute foi pesado. É um duelo bem interessante e que garantirá o entretenimento dos espectadores.

JOANNE CALDERWOOD VS. VIVIANE ARAUJO

A veterana Joanne Calderwood conquistou mais uma vitória importante em busca da chance pelo título, uma vez que costuma sempre parar no “quase”. A escocesa não teve muitas dificuldades para assegurar o resultado positivo na decisão dos juízes em luta mais animada do que o esperado. Por ser uma divisão ainda rasa e que tem uma campeã dominante, existe a possibilidade de caso vencer mais uma “JoJo” lutar pela cinta, já que seria uma oponente inédita para Valentina Shevchenko.

Semana passada mesmo eu havia sugerido para Viviane Araújo – que venceu Roxanne Modafferi – lutar com Calderwood. Portanto, praticamente replicando o que escrevi na coluna do UFC Fight Island 8, o casamento é bastante adequado e seria mais uma veterana para testar o nível da brasileira. É um confronto para top 5 inclusive, que tem tudo para ser um duelo divertido na trocação.

MARINA RODRIGUEZ VS. NINA ANSAROFF

Muito subestimada e inclusive até deixada de lado em comparação a oponente mais midiática, Marina Rodriguez calou o público com um (ou foram dois?) nocaute fulminante sobre Amanda Ribas, contando com a falta de certeza de Herb Dean em interromper o duelo. Nocautes desse tipo não são tão comuns no MMA feminino e, como Marina é muito técnica em pé, seu crescimento pode ser muito bom para o peso palha, se tornando mais uma das ótimas representantes de nosso país nas divisões mais leves.

É Nina Ansaroff a minha sugestão. Após um tempo parado por ter sido mamãe, Nina irá retornar ao esporte para encarar a ás do jiu-jítsu Mackenzie Dern. É outro duelo que eu gostaria que acontecesse independente do resultado – vejo Nina favorita. A americana é uma excelente trocadora, com bom clinch, com boa técnica. Marina como é do muay thai, possuí também boas qualidades nas áreas que Nina é boa. É um casamento que gostaria muito de assistir.

Confira opções para os demais atletas envolvidos no UFC 257:

Jessica Eye vs. Vencedora de Grasso/Barber
Makhmud Muradov vs. Krzysztof Jotko
Andrew Sanchez vs. Jun Yong Park
Amanda Ribas vs. Vencedora de Viana/Martin
Arman Tsarukyan vs. Nasrat Haqparast
Matt Frevola vs. Magomed Mustafaev
Brad Tavares vs. Sean Strickland
Antonio Cara de Sapato vs. Oskar Piechota
Juliana Peña vs. Raquel Pennington
Sara McMann vs. Sijara Eubanks
Marcin Prachnio vs. Modestas Bukauskas
Khalil Rountree vs. John Allan
Movsar Evloev vs. Bryce Mitchell
Nik Lentz vs. Jordan Griffin
Amir Albazi vs. Vencedor de Espinoza/Elliot
Zhalgas Zhumagulov vs. Perdedor de Osbourne/Bondar