Por Bruno Costa | 31/12/2018 00:31

O UFC 232 prometia um ótimo evento e entregou o esperado. Ao final do eletrizante card, chegamos ao momento de análises e previsões sobre os próximos passos dos protagonistas das principais lutas da noite e prospectos que podem trazer impacto em suas categorias.

Jon Jones vs. Daniel Cormier

Jon Jones está de volta (ao menos nos estados em que comissões atléticas liberem licença ao homem) e continua aniquilando seus oponentes. A categoria dos meios-pesados foi amplamente devastada em uma ocasião, quando cheia de lutadores perigosos ainda em boa forma. Que nível de dominação devemos esperar caso a volta ao octógono seja confirmada sem mais ações e comportamentos que impeçam sua continuidade?

Um único lutador parece capaz de fazer frente a Jones: o seu antigo rival Daniel Cormier, contra quem tem oficialmente uma vitória e uma luta sem resultado. Obviamente, neste cenário, Cormier precisaria desistir de seu plano de lutar uma vez apenas antes de sua aposentadoria, já que não parece disposto a abandonar o cheque que o garantiria uma luta contra Brock Lesnar. Talvez, para termos um cenário diferente dos desafios anteriores, Jones e Cormier poderiam fazer uma disputa pelo título dos pesos pesados?

Alexander Gustafsson vs. Ovince St. Preux

O sueco Alexander Gustafsson teve a oportunidade de lutar pelo cinturão meio-pesado em três ocasiões diferentes, tendo o seu desempenho menos satisfatório nesta última. Considerando que Gustafsson mantenha sua motivação por aparições no octógono mesmo sem probabilidade de se tornar campeão a curto prazo, teria uma luta de recuperação contra Ovince St. Preux e, em demonstrando manter nível ao menos próximo do atual, uma possível missão de porteiro do top 5 da categoria.

Amanda Nunes vs. Ketlen Vieira

A “Leoa” Amanda Nunes acabou de nocautear a lutadora mais temida do MMA feminino e conquistou o cinturão do peso pena. Contudo, ela não demonstra interesse em continuar nesta faixa de peso, que sequer conta com plantel na organização. O caminho natural deve ser uma próxima luta para defender seu cinturão no peso galo, divisão na qual a brasileira Ketlen Vieira se credenciou ao posto de desafiante com boas vitórias sobre Sara McMann e Cat Zingano.

Cris Cyborg

Talvez a noite do UFC 232 tenha sido a última ocasião em que vimos Cris Cyborg em ação no octógono. A brasileira teve cinco vitórias antes de ser brutalmente nocauteada por Amanda Nunes, mas o peso pena nunca foi alavancado na organização, até mesmo pela falta de talento disponível no mercado.

A derrota do sábado passado foi a última luta do contrato de Cris com o UFC. A lutadora, que falava em renegociação dos seus valores, perde muito poder de barganha com a derrota. A maior probabilidade parece ser que vejamos as partes seguindo por caminhos diferentes no futuro. Caso surpreendentemente o contrato seja renovado, quem aparece como provável rival de Cyborg é a outra única lutadora da categoria na organização, Megan Anderson.

Corey Anderson x Anthony Smith

O americano Corey Anderson conquistou sua terceira vitória consecutiva e se posicionou muito bem no ranking dos meios-pesados. Uma luta contra Anthony Smith demonstraria quem está em melhores condições para enfrentar o topo da categoria, testando a resistência e inteligência de luta de Anderson e a defesa de quedas de Smith.

Alexander Volkanovski x Mirsad Bektic

Um duelo entre dois grinders de muito alto nível decide quem fica a uma luta de disputar o cinturão da categoria dos penas. Ambos vêm de vitórias sobre importantes veteranos da divisão e merecem estar na conversa entre os próximos possíveis desafiantes ao título de Max Holloway.

Petr Yan x Alejandro Perez

Com mais uma atuação segura, Petr Yan emendou sua terceira vitória em seis meses e continua sua caminhada rumo ao top 15 da categoria. O promissor peso galo merece continuar seu desenvolvimento e Alejandro Perez pode apresentar um novo tipo de desafio de estilo ao “sem piedade”, imprimindo pressão constante e ameaças de quedas durante todo o combate.

Nathaniel Wood x Frankie Saenz

O britânico Nathaniel Wood chegou ao UFC com boa vitória sobre o experiente Johnny Eduardo e repetiu a dose contra Andre Ewell. O ex-campeão do Cage Warriors demonstra que tem qualidades para se aproximar do ranking no peso galo. Para confirmar sua evolução, poderia enfrentar o wrestler Frankie Saenz, um bom nome veterano para testar prospectos.

Montel Jackson x Andre Ewell

Uma bela e rápida vitória contra um lutador experiente como Brian Kelleher pode acelerar desnecessariamente o processo de maturação de Montel Jackson. Para continuar evoluindo, Andre Ewell, que também lutou no UFC 232, se apresenta como boa opção por carregar vitória sobre um ex-campeão da organização e ser acessível na medida correta, além de duro o suficiente para garantir alguns minutos a mais no octógono ao jovem prospecto.

Outros combates:

Michael Chiesa x Sergio Moraes

Carlos Condit x Matt Brown

Uriah Hall x vencedor de Tom Breese vs. Alessio di Chirico

Curtis Millender x Neil Magny

Sugestões de lutas para os demais integrantes do card? Contamos com sua participação na caixa de comentários.