Por Idonaldo Filho | 09/12/2018 21:15

O UFC 231, que aconteceu neste sábado, em Toronto, foi um grande evento com duas lutas de cinturão que ficarão na história, com a consagração de Max Holloway e Valentina Shevchenko.

O campeão dos penas brutalizou o desafiante Brian Ortega do início ao fim. Já Valentina se impôs fisicamente contra Joanna Jedrzejczyk e dominou tanto no chão quanto em pé.

Estreando interinamente na função de matchmaker do MMA Brasil, cabe a mim discutir sobre possíveis confrontos que possam estar por vir, envolvendo os lutadores participantes do excelente UFC 231.

Max Holloway vs. Renato Moicano

Com um kickboxing que empolga as massas e agressividade de sobra, Max Holloway fez uma candidata a luta do ano, mostrando que é, sim, um dos melhores lutadores hoje no UFC. Ele chegou a fazer o duelo parecer brincadeira de criança, tamanha a facilidade com que acertava golpes, principalmente no quarto round, o qual poderia inclusive ter ganho por 10-7.

O próximo da fila deve ser o brasileiro Renato Moicano, que vem em sequência de vitórias sobre oposição de bom nível, como Cub Swanson, Jeremy Stephens e Calvin Kattar. O atleta da American Top Team inclusive foi escalado como substituto para este UFC 231, caso acontecesse algo com os lutadores que lideraram o evento. Devemos ressaltar que a única derrota do brasileiro foi para o desafiante Ortega, em luta em que Renato estava vencendo até cair numa das armadilhas do arisco americano.

Brian Ortega vs. Mirsad Bektic

É inegável o talento de Ortega, um dos grapplers mais cruéis do MMA, que pode encaixar estrangulamentos a qualquer momento e de quase qualquer posição. Neste sábado, ele também mostrou queixo e coração de sobra, ao resistir a uma surra, só parando de lutar por decisão médica. Como boa parte da categoria está com luta marcada, inevitavelmente Ortega terá que dar alguns passos atrás, para buscar recuperação e tentar uma revanche contra Holloway no futuro.

Um lutador que também é conhecido como prospecto de alto nível e que está perto de conquistar uma vaga no top 5 é Mirsad Bektic. O bósnio lutaria no mesmo UFC 231 contra Renato Moicano, mas acabou se lesionando e saiu do combate. Com Bektic recuperado, uma luta contra Ortega tem tudo para ser intrigante, principalmente pela brutalidade e versatilidade do europeu. Com uma vitória, Bektic poderia se tornar o próximo desafiante.

Valentina Shevchenko vs. Nicco Montaño

Uma das melhores lutadoras a já ter pisado no octógono, a ex-peso galo Valentina Shevchenko não deu brechas e dominou a ex-campeã do peso palha Joanna Jedrzejczyk como quis, obtendo quedas de judô, acertando fortes chutes rodados no corpo, mantendo sua invencibilidade pessoal contra a polonesa, a quem enfrentou por três vezes no muay thai antes de migrar para o MMA.

O cinturão do peso mosca estava vago desde que o UFC teve a controversa decisão de retirá-lo da então campeã Nicco Montaño, que obteve o título vencendo o TUF 26. Nicco passou por problemas médicos relacionados ao corte de peso, e acabou não defendendo o seu cinturão contra a própria Valentina, no UFC 228. Na minha opinião, é mais do que obrigação do UFC dar a oportunidade para Montaño tentar conquistar de volta o que lhe pertencia. Tendo em vista que a divisão é recém-nascida e que não existem muitas candidatas a desafiante consolidadas, essa deve ser a luta a ser feita.

Joanna Jedrzejczyk vs. Jessica Eye

A querida Joanna Violência teve sua coroa arrancada por Rose Namajunas, que conseguiu decifrar a então dominante campeã e vencê-la duas vezes. Depois do desempenho dominante contra Tecia Torres, Jedrzejczyk foi escalada contra Shevchenko pelo título do peso mosca, numa luta que era sonhada pelos fãs de MMA há muito tempo. No final das contas, Joanna não conseguiu a vitória contra uma adversária mais forte e tão talentosa quanto ela.

Existe uma indefinição quanto a categoria que a polonesa pretende ficar. Ficou nítido que o corte de peso na categoria dos moscas é muito melhor para sua saúde, porém ela enfrentará atletas grandes, algumas inclusive saindo do peso galo, categoria nove quilos acima da que ela costumava atuar. Caso a europeia queira continuar como mosca, Jessica Eye, que venceu Katlyn Chookagian em luta contestável na mesma noite, é uma boa pedida e garantia de luta interessante. Caso queira voltar ao peso palha, a carateca Michelle Waterson, que vem de duas vitórias seguidas, promete fazer um duelo movimentado.

Gunnar Nelson vs. Michel Trator

O frio islandês Gunnar Nelson conquistou uma boa vitória no UFC 231, ao mostrar toda a sua qualidade no chão, conseguindo posições com fluidez e facilidade, finalizando o brasileiro Alex Cowboy com um mata-leão, que foi mais facilmente encaixado devido à enorme quantia de sangue, cortesia de uma cotovelada avassaladora que rasgou o rosto de Cowboy.

Primeiro pensei em duelos de Nelson contra Rafael dos Anjos ou Leon Edwards. Porém, enquanto o primeiro seria no momento um passo grande demais, o segundo vem de seis vitórias consecutivas e deve enfrentar oposição mais acima na categoria. Portanto, acho que Gunnar precisa ainda de mais uma vitória para enfrentar atletas do top 7. Neste cenário, o brasileiro Michel Trator, ex-peso leve assim como Cowboy e que vem de oito vitórias consecutivas, merece há um tempo um adversário ranqueado. Este pode ser um confronto interessante entre strikers de estilos bem distintos, mas que têm o seu melhor na luta agarrada.

Thiago Marreta vs. Jan Blachowicz

Não teve nem esboço de estudo no combate entre Thiago Marreta e Jimi Manuwa. Os dois strikers freneticamente trocaram socos e chutes sem se preocupar muito com a defesa – até agora ainda não sei como essa luta não teve fim no primeiro assalto. O brutal nocaute foi bom para o brasileiro, que entra no top 10 da categoria, ainda com boa margem de crescimento em meio ao nível duvidoso dos atuais meios-pesados.

Como o cinturão será disputado entre Jon Jones e Alexander Gustafsson no último evento do ano, há tempo suficiente para fazer uma luta para definir um possível desafiante do vencedor deste duelo. Jan Blachowicz, que saiu de quase demitido, no início de 2017, para entrar no top 5 neste ano, está com quatro vitórias seguidas, o que é algo a se considerar na categoria. Uma luta contra Marreta poderia credenciar o vencedor como próximo desafiante.

Confira as sugestões de lutas para os demais lutadores que participaram do UFC 231:

Alex Cowboy vs. Alan Jouban
Hakeem Dawodu vs. Sheymon Moraes
Kyle Bochniak vs. demissão
Jimi Manuwa vs. Gokhan Saki
Nina Ansaroff vs. Karolina Kowalkiewicz
Claudia Gadelha vs. Randa Markos
Gilbert Durinho vs. Beneil Dariush
Olivier Aubin-Mercier vs. Andrew Holbrook
Katlyn Chookagian vs. Montana De la Rosa
Eryk Anders vs. Peter Sobotta
Elias Theodorou  vs. David Branch
Brad Katona vs. Tim Elliot
Matthew Lopez vs. Luke Sanders
Chad Laprise vs. Frank Camacho
Dhiego Lima vs. Niko Price
Carlos Diego Ferreira vs. Scott Holtzman
Kyle Nelson vs. Matt Sayles
Devin Clark vs. Gadzhimurad Antigulov
Aleksandar Rakic vs. Nikita Krylov