Por João Gabriel Gelli | 12/02/2018 09:27

O UFC 221 representou a primeira passagem do octógono pela Austrália em 2018 e movimentou a categoria dos médios. Para comandar o evento, Yoel Romero e Luke Rockhold se enfrentaram para definir o primeiro desafiante do campeão Robert Whittaker, que está machucado no momento.

Agora, passado o evento, chega a hora de incorporar o matchmaker interno e analisar o que o futuro reserva aos principais envolvidos nas lutas de sábado.

Yoel Romero contra Robert Whittaker

Com cerca de um mês para se preparar, Yoel Romero entrou para substituir Robert Whittaker na luta principal do evento, colocado numa disputa de título interino contra Luke Rockhold. Porém, como o cubano não bateu o peso, acabou sem o cinturão após conseguir um brutal nocaute no terceiro round. Mesmo assim, todo o retrospecto de Romero na divisão dos médios e o rastro de destruição que deixou, inclusive contra a elite, seriam suficientes para credenciá-lo para encarar Whittaker novamente e tentar vingar a derrota sofrida no UFC 213.

Luke Rockhold contra Kelvin Gastelum

Depois que perdeu o cinturão dos médios, Luke Rockhold superou David Branch para se recuperar e logo recebeu uma nova chance de conquistar o título. Ao ter a oportunidade de se tornar campeão interino, Rockhold teve algum sucesso, mas acabou vítima do mesmo defeito que o levou a ser derrotado por Michael Bisping e foi nocauteado de forma muito violenta por Yoel Romero. Isto faz com que ele tenha que dar alguns passos atrás e vencer duas ou três antes de ter uma possibilidade de reconquistar o posto que já ocupou. Para começar este processo, uma opção pode ser um embate contra Kelvin Gastelum.

Curtis Blaydes contra Alistair Overeem

O duelo coprincipal do UFC 221 colocou o prospecto Curtis Blaydes em situação de conquistar a maior vitória de seu cartel ao encarar o veterano Mark Hunt. Após 15 minutos nos quais passou por algumas dificuldades, mas soube usar bem a vantagem no wrestling, Blaydes saiu com o triunfo e parece pronto para encarar concorrência na elite do peso pesado. Neste cenário, a opção é por um confronto com Alistair Overeem, que vem de derrota, mas ainda é um teste robusto dentro do top 5 e pode qualificar Curtis para uma disputa de cinturão ou eliminatória.

Mark Hunt vs. aposentadoria

A trajetória de Mark Hunt no UFC já é digna de aplausos. O neozelandês chegou vítima de chacota e construiu uma carreira que o levou à disputa do cinturão interino dos pesados e que lhe garantiu o respeito de um dos mais perigosos nocauteadores da divisão. Porém, aos 43 anos e com muitas batalhas nas costas, ele não consegue mais render como antes. Como já fez o que tinha que ter feito, é hora de pensar na saúde, que já está muito debilitada, e no futuro. Obrigado por tudo, Mark Hunt, mas não precisamos mais vê-lo sofrer no octógono.

Tyson Pedro vs. Misha Cirkunov

A derrota sofrida na última luta colocou várias interrogações sobre o verdadeiro potencial de Tyson Pedro. Neste sábado, o prospecto integrante do Top 10 do Futuro se recuperou de modo avassalador, primeiro dominando Saparbek Safarov na troca de golpes e depois o finalizando de modo espetacular, com uma kimura respondendo uma queda do russo. Com a moral reparada, pode ser um bom momento de colocar o australiano novamente contra um rival ranqueado numa divisão que sofre com a reposição de talentos. Por este motivo, a escolha da coluna é um confronto contra Misha Cirkunov, que também está em necessidade de se recuperar depois de duas derrotas consecutivas.

Alexander Volkanovski vs. Andre Fili

Numa noite pródiga para o projeto Top 10 do Futuro, Alexander Volkanovski foi o prospecto que mais assombrou no UFC 221. Tendo em Jeremy Kennedy um adversário que poderia lhe dar problemas, o australiano surrou o canadense impiedosamente no ground and pound, emitindo um grande sinal de alerta para a parte de cima da categoria dos penas. No final do combate, o próprio Volkanovski aproveitou o microfone da transmissão oficial do evento para pedir alguns nomes como próximo passo. Um deles foi Andre Fili, que se encontra com duas vitórias seguidas, três nas últimas quatro e perto do ranking da divisão. Esta é a nossa proposta de próximo passo para Volkanovski, visto que a boa fase de Fili pode representar um teste interessante para o prospecto.

Jussier Formiga contra Sergio Pettis

Escondido no card preliminar, Jussier Formiga aproveitou mais uma oportunidade de comprovar seu posicionamento como o porteiro da elite do peso mosca ao controlar Ben Nguyen até conquistar sua segunda vitória seguida, ambas por mata-leão. Para tentar seguir sua boa fase, o brasileiro pode encarar Sergio Pettis visando se colocar próximo de uma disputa de cinturão.

Além dos duelos acima, seguem algumas sugestões para os outros envolvidos no card de sábado:

Tai Tuivasa vs. Shamil Abdurakhimov
Cyril Asker vs. Luis Henrique KLB
Jake Matthews vs. Serginho Moraes
Li Jingliang vs. vencedor de Yushin Okami-Dhiego Lima
Saparbek Safarov vs. demissão
Dong Hyun Kim vs. Ross Pearson
Damien Brown vs. demissão
Israel Adesanya vs. Omari Akhmedov
Rob Wilkinson vs. demissão
Jeremy Kennedy vs. vencedor de Danny Henry-Hakeem Dawodu
Ben Nguyen vs. vencedor de Magomed Bibulatov-Ulka Sasaki
Mizuto Hirota vs. demissão
José Alberto Quiñones vs. Thomas Almeida
Teruto Ishihara vs. demissão
Luke Jumeau vs. Muslin Salikhov
Daichi Abe vs. Galore Bofando

E aí? Curtiram os casamentos? Deixem suas sugestões nos comentários

Matchmaker do MMA Brasil, fanático por esportes, mesmo sem botá-los em grande prática. Fã de MMA, NFL, estudante de Engenharia e viciado em séries.