Por João Gabriel Gelli | 01/01/2018 11:48

O calendário de 2017 do UFC se encerrou com o UFC 219 e 2018 já está aqui. Para fechar o ano, Cris Cyborg realizou sua primeira defesa do cinturão do peso pena ao encarar Holly Holm, que teve sua segunda oportunidade de conquistar o título da categoria. Além disso, o card contou com o retorno de Khabib Nurmagomedov, que duelou com Edson Barboza em importante combate no peso leve.

Agora, passado o evento, chega a hora de incorporar o matchmaker interno e analisar o que o futuro reserva aos principais envolvidos nas lutas de sábado.

LEIA MAIS Resenha MMA Brasil: UFC 219

Cris Cyborg contra Megan Anderson

A quarta aparição de Cris Cyborg no UFC marcou a primeira defesa do título do peso pena que ela conquistou há alguns meses. A adversária foi a ex-campeã da categoria de baixo e antiga desafiante da divisão atual, Holly Holm, que entregou o desafio mais complicado da carreira da brasileira, mas sucumbiu diante da boa técnica e vantagem física de Cris. Assim, Cyborg conquistou uma clara decisão unânime e agora fica com um cenário mais questionável de potenciais adversárias.

A própria Holly pode enfrentá-la novamente, mas deve precisar de uma ou duas vitórias para tanto. Dessa forma, surgem como opções Amanda Nunes, que está sem oponente definida no momento no peso galo, e a ex-Invicta FC Megan Anderson. Entre as duas, optamos por não travar uma categoria e fazer a vontade de Cyborg, que pediu para encarar a australiana no UFC 221, em fevereiro, na casa da adversária.

LEIA MAIS Cris Cyborg supera Holly Holm em dura jornada no UFC 219

Holly Holm contra Julianna Peña

A segunda tentativa de Holly Holm de se tornar a primeira mulher campeã de duas categorias no UFC acabou frustrada da mesma forma que a primeira, com um revés por decisão em luta disputada integralmente em pé. A diferença é que a algoz da vez foi Cris Cyborg, que conseguiu um resultado mais claro do que Germaine de Randamie.

Após mais uma derrota em combate por cinturão, Holm deve retornar ao peso galo e tentar acumular algumas vitórias com o intuito de receber mais uma oportunidade de lutar por um título, independentemente da categoria. Com isso em foco, um embate contra Julianna Peña pode colocá-la novamente num papel de muito destaque.

Khabib Nurmagomedov contra o campeão

Parece que passamos por este cenário todos os anos, no qual Khabib Nurmagomedov se lesiona, passa um bom tempo afastado e retorna com algumas dúvidas, mas atropela seu adversário sem piedade para deixar todos os fãs ainda mais frustrados pela sua incapacidade de se manter saudável. O UFC 219 não foi diferente. O que mudou, como sempre, foi a vítima, dessa vez o brasileiro Edson Barboza, que resistiu bravamente, mas foi surrado de maneira incrível pelo russo, que venceu os três rounds por larga margem e chegou ao nono triunfo em igual número de lutas no UFC.

Tal resultado contra um top 5 legítimo não deixa nenhuma margem para discussão: Khabib tem que lutar pelo cinturão em sua próxima aparição. A única pendência a ser resolvida é quem será o oponente, uma vez que Conor McGregor está com o título linear desde novembro de 2016 e não o defendeu ainda e Tony Ferguson detém o interino. Caso aconteça a unificação, Nurmagomedov encara o vencedor. Na possibilidade de McGregor não retornar mais ao MMA ou inventar algum de seus outros combates midiáticos, o russo deve enfrentar Ferguson para determinar quem é o melhor lutador da categoria.

LEIA MAIS Khabib Nurmagomedov massacra Edson Barboza e mantém invencibilidade no UFC 219

Edson Barboza contra Kevin Lee

O friburguense Edson Barboza entrou no octógono contra Khabib Nurmagomedov tendo em mente conquistar uma oportunidade de disputar o cinturão dos leves. Quinze minutos de uma grande surra depois, saiu do octógono com uma derrota que interrompeu a boa sequência de três vitórias que tinha no momento. No entanto, mesmo na adversidade, o brasileiro mostrou um grande coração e um plano decente, mas que foi sabotado pelo simples fato de estar frente a frente com um oponente mais qualificado. Dessa forma, Edson não deve descer muito na escala da categoria e provavelmente seguirá com duelos contra concorrência na beira do top 5, como é o caso de Kevin Lee, que é nossa sugestão para seu próximo oponente.

Carla Esparza contra Karolina Kowalkiewicz

Desde que perdeu o título do peso palha para Joanna Jedrzejczyk, Carla Esparza não tem feito grandes apresentações, mas chegou ao terceiro triunfo em quatro lutas ao superar Cynthia Calvillo em uma controversa decisão unânime. Esta vitória deve posicionar Esparza em condição de realizar um duelo de maior importância, como seria o caso de um confronto com a ex-desafiante Karolina Kowalkiewicz, que colocaria a vencedora em situação favorável para disputar uma eliminatória.

Carla Esparza tira invencibilidade de Cynthia Calvillo na decisão no UFC 219

Neil Magny contra Santiago Ponzinibbio

Depois de ser atropelado por Rafael dos Anjos, Neil Magny se recolocou numa trajetória positiva ao vencer mais um grande nome, o ex-campeão interino Carlos Condit. Seu plano tático, baseado na vantagem de alcance e nas quedas, foi suficiente para conter um enferrujado adversário, que só cresceu na segunda metade do combate. A vitória possibilita que Magny encare mais um top 10 em seu próximo compromisso, o que pode ser o caso do argentino Santiago Ponzinibbio, que vem de seis triunfos seguidos.

Neil Magny se recupera com vitória sobre Carlos Condit no UFC 219

Além dos duelos acima, seguem algumas sugestões para os outros envolvidos no card de sábado:

Dan Hooker vs. Kajan Johnson
Marc Diakiese vs. Abel Trujillo
Cynthia Calvillo vs. Randa Markos
Carlos Condit vs. Matt Brown
Michal Oleksiejczuk vs. Devin Clark
Khalil Rountree vs. Jeremy Kimball
Myles Jury vs. vencedor de Calvin KattarShane Burgos
Rick Glenn vs. Chas Skelly
Marvin Vettori vs. Tom Breese
Omari Akhmedov vs. vencedor de Israel AdesanyaRob Wilkinson
Matheus Nicolau vs. Tim Elliott
Louis Smolka vs. Jenel Lausa
Mark De La Rosa vs. Davey Grant

E aí? Curtiram os casamentos? Deixem suas sugestões nos comentários.

Matchmaker do MMA Brasil, fanático por esportes, mesmo sem botá-los em grande prática. Fã de MMA, NFL, estudante de Engenharia e viciado em séries.