MMA Brasil Matchmaker: Lutas a casar após o UFC 212

O UFC 212 marcou o retorno do UFC ao Rio de Janeiro e talvez o começo de uma nova era no peso pena. Qual será o primeiro desafio do novo campeão Max Holloway? Está na hora de José Aldo subir?

Após 2016 ficar sem uma única passagem do octógono pelo Rio de Janeiro, o UFC 212 marcou o retorno do UFC para seu maior reduto no Brasil. Para liderar o cardJosé Aldo fez sua primeira defesa do segundo reinado como campeão do peso pena ao unificar o título com o interino Max Holloway. Além disso, o embate entre as ex-desafiantes do peso palha Claudia GadelhaKarolina Kowalkiewicz serviu como luta coprincipal, Vitor Belfort pode ter se aposentado do UFC e Raphael AssunçãoMarlon Moraes fizeram um duelo chave pela divisão dos galos.

LEIA MAIS Max Holloway brutaliza José Aldo, silencia arena e unifica o cinturão dos penas no UFC 212

Preliminares do UFC 212: Raphael Assunção vence decisão controversa na estreia de Marlon Moraes

Agora, passado o evento, chega a hora de incorporar o matchmaker interno e analisar o que o futuro reserva aos principais envolvidos nas lutas de sábado.

Max Holloway contra Frankie Edgar

Em uma exibição de gala, Max Holloway impôs seu estilo de jogo sobre José Aldo e conseguiu um feito enorme ao nocautear o melhor lutador da história da categoria – e um dos maiores de todos os tempos – na casa do adversário, perante um público hostil. Com isso, o havaiano ampliou seu número de vitórias em sequência para 11, a quinta série mais ampla que o UFC já viu, e unificou o título dos penas. Para seu próximo passo, é hora do UFC realizar seu primeiro evento no Havaí, colocando Holloway na primeira defesa de cinturão num fantástico duelo contra Frankie Edgar.

José Aldo contra Cub Swanson

Defendendo o cinturão do peso pena pela quarta vez no Brasil, José Aldo acabou sofrendo uma dura derrota ao ser nocauteado por Max Holloway no terceiro round da luta principal do UFC 212.

O resultado deve levar o brasileiro à sua primeira luta sem valer um título desde 2009. Naquela ocasião, nocauteou Cub Swanson em oito segundos com uma joelhada voadora dupla. Como uma forma de simetria histórica, um novo duelo com Swanson pode fazer sentido para Aldo, uma vez que o americano está em uma boa sequência de vitórias, mas tem derrotas mais recentes e acachapantes para tanto Holloway quanto Edgar.

Outra opção para o ex-campeão seria subir para o peso leve, com opções inéditas de confrontos e novos desafios para sua carreira. No entanto, o esperado é que Aldo tente refazer os passos até o topo do peso pena novamente.

Claudia Gadelha contra a vencedora de Maryna Moroz-Carla Esparza

Em uma atuação inteligente, Claudia Gadelha não teve dificuldade para superar Karolina Kowalkiewicz. Uma vez que conseguiu levar o combate para o solo, a brasileira rapidamente realizou a transição para as costas e encaixou o mata-leão que encerrou a peleja ainda no primeiro round.

Uma vitória tão maiúscula sobre uma ex-desafiante deixa claro que Claudinha é realmente a segunda força do peso palha e reafirma o fato de que ela é a maior ameaça em curto prazo para o reinado de Joanna Jedrzejczyk. Contudo, a polonesa já a superou em duas oportunidades, com a segunda há apenas um ano. Por isso, Claudia deve ser forçada a ampliar sua sequência e encarar mais um desafio, que pode vir na forma de um confronto com Tecia Torres ou com a vencedora do duelo entre Maryna Moroz e Carla Esparza.

Karolina Kowalkiewicz contra a vencedora de Felice Herrig-Justine Kish

Depois de ser derrotada por Joanna Jedrzejczyk e falhar em sua tentativa de conquistar o cinturão do peso palha, Karolina Kowalkiewicz decidiu encarar outro grande desafio, Claudia Gadelha no Brasil. Entretanto, seus planos não saíram como previsto e a polonesa acabou finalizada ainda no primeiro assalto.

Após ser batida por duas oponentes do mais alto nível da categoria em sequência, deve baixar um pouco o nível de concorrência para tentar iniciar uma nova caminhada rumo ao título. Para tal, um confronto interessante pode ser contra a vencedora do embate entre Felice Herrig e Justine Kish.

Vitor Belfort contra Anderson Silva

Contrariando as expectativas de todos, que aguardavam um anúncio de aposentadoria, Vitor Belfort superou Nate Marquardt por decisão unânime – foi a primeira vez desde 2007 que venceu nas papeletas dos juízes – e declarou que pretende lutar mais cinco vezes ainda. Seu contrato com o UFC ainda tem mais uma luta e está bem claro que ele pretende cumpri-la, então não há razão para aposentá-lo aqui, por mais que esta fosse a oportunidade ideal para tal. Com uma opção fora do caminho, voltamos então para o já tradicional casamento entre Belfort e Anderson Silva, que já apareceu diversas vezes na coluna, mas agora teria ambos os atletas vindo de vitórias, algo que não acontecia há muito tempo e que pode tornar o duelo mais interessante.

Raphael Assunção contra Dominick Cruz

Já posicionado como um claro top 5 da divisão e com um excelente retrospecto recente, Raphael Assunção se provou um desafio muito complicado para a estreia de Marlon Moraes no UFC, conseguindo uma vitória por margem mínima em decisão dividida e contestada. Com duas vitórias seguidas em placares apertados, o pernambucano mantém seu posto como membro da elite, mas a natureza de seus triunfos não impressiona em quesitos de entretenimento. Dessa forma, Assunção deve ser casado em uma eliminatória pelo cinturão contra Dominick Cruz ou com o vencedor do embate entre Jimmie Rivera e Thomas Almeida, com leve preferência pela primeira opção.

Marlon Moraes contra o vencedor de Rob Font-Douglas D’Silva

Chegando ao UFC com o status de melhor peso galo do mundo fora da organização, Marlon Moraes teve um complicado confronto para sua estreia, que foi Raphael Assunção. Em combate muito equilibrado e passível de ser marcado para qualquer lado, Marlon saiu do lado perdedor de uma decisão dividida. Assim, seus planos de chegar e uma rápida rota rumo ao cinturão foi interrompido e ele terá que tomar um caminho mais longo para chegar a este objetivo. Para começar sua estrada em um nível abaixo na escala da categoria, a sugestão é por um embate contra o vencedor do duelo entre Rob Font Douglas D’Silva.

Além dos duelos acima, seguem algumas sugestões para os outros envolvidos no card de sábado:

Nate Marquardt vs aposentadoria

Paulo Borrachinha vs Anthony Smith

Oluwale Bamgbose vs demissão

Yancy Medeiros vs Emil Weber Meek

Erick Silva vs Court McGee

Antônio Cara de Sapato vs Uriah Hall

Eric Spicely vs Brad Scott

Matthew Lopez vs Brian Kelleher

Iuri Marajó vs Johnny Eduardo

Viviane Sucuri vs Randa Markos

Jamie Moyle vs Alexa Grasso

Luan Tarzan vs Sheldon Westcott

Jim Wallhead vs Oliver Enkamp

Deiveson Daico vs vencedor de Naoki Inoue-Carls John de Tomas

Marco Beltrán vs perdedor de Naoki Inoue-Carls John de Tomas

E aí? Curtiram os casamentos? Deixem suas sugestões nos comentários.

  • Lero

    Marlon vs Lineker.

    • João Gabriel Gelli

      Anarquia!

  • James sousa

    Vitor Belfort x Lyoto Machida e não casaria o Raphael Assunção com o Cruz pelo motivo de para Mim ele perdeu Sábado não colocaria ele em uma eliminatória agora se fosse matchmaker consideraria ele vindo de derrota e daria o Lineker para o Assunção

    • Rafael Oreiro

      Porra, boa ideia! É uma luta que poderia por pro evento de outubro em São Paulo. Hoje em dia apostaria facil no Lyoto, mesmo com esse tempo todo parado.

      • James sousa

        concordo Lyoto favorito

      • Vinicius Maia

        Chris Cammozi é favorito contra o Vitor. Depois do que vi sábado Vitor tem que aposentar pra não ficar que nem o Lima Duarte pedindo melão na cama.

    • João Gabriel Gelli

      Belfort vs Machida é muito boa ideia.

  • Ronaldo

    Erick Silva x Demissão

    • João Gabriel Gelli

      Pode ser também, mas as lutas dele são bem empolgantes e eu achei que ele demonstrou evoluções nesse sábado. Por isso daria mais uma chance.

      • Malk Suruhito

        Além do fator Herdyano..

    • Sexto Empírico

      Não! Erick Silva, perdendo ou ganhando, todos querem ver lutar. Faz luta boa. Merece ficar nem que for pra porteiro de card principal.

  • Matheus Araujo

    Johnny Eduardo x Iuri Marajó… Biel achará que é um paradoxo kkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • João Gabriel Gelli

      Biel não vai entender o que tá acontecendo.

  • Sexto Empírico

    Se Aldo resolvesse subir pros penas, quem seria a melhor opção? Eu pediria o Barbosa.

    • James sousa

      ele e pena

      • Sexto Empírico

        Ops, verdade! Meu tico e teco deu uma falhada, rs.

    • João Gabriel Gelli

      Acho que colocaria com o Poirier ou o Alvarez.

      • Sexto Empírico

        É mesmo, hein. Poirier, teoricamente, seria até mais digesto. Tem o Pettis também. Seria uma saga interessante o Aldo nos leves.

  • Thiago Gon

    Gostei da ideia de colocar o Aldo pra recuperação…

    Pontos que levanto:

    1) O cerne do problema do Aldo pode estar nesse método de corte de peso da NU. Os caras deixam PESO DEMAIS para desidratar horas antes. Com o tempo na estrada isso atrapalha até o que foi assimilados nos treinos.

    2) Levando em conta técnica / físico geral dos TOPs da categoria de cima, não consigo ver o Aldo indo longe. Não porque o Aldo é pior em técnica, mas porque a galera de cima é muito boa também.

    SUGESTÃO: Aldo fazer um teste com novos treinos/parceiros de sparrings e alterar o método de corte de peso (principalmente com pós proibição do soro IV).

    É fato que o que funcionou por anos, não vai rolar mais.