Por João Gabriel Gelli | 01/01/2017 19:59

Encerrando o calendário de 2016 do UFC, o UFC 207 marcou o retorno de Ronda Rousey ao octógono após a acachapante derrota para Holly Holm no ano passado. Ela voltou disputando o título contra Amanda Nunes, que se tornou campeã em sua ausência. Além disso, Dominick Cruz e Cody Garbrandt entregaram uma das melhores lutas do ano na disputa do cinturão dos galos.

Agora, passado o evento, chega a hora de incorporar o matchmaker interno e analisar o que o futuro reserva aos principais envolvidos nas lutas de sexta-feira.

LEIA MAIS Amanda Nunes exorciza Ronda Rousey em 48 segundos e se posta na disputa dos melhores de 2016

Amanda Nunes contra a vencedora de Valentina Shevchenko – Julianna Peña

Em uma inapelável surra, Amanda Nunes precisou de apenas 48 segundos para despachar Ronda Rousey e fazer sua primeira defesa do cinturão do peso galo. Com isso, montou um belo caso para concorrer ao prêmio de melhor lutador(a) do ano e se consolidou como uma possível campeã dominante. Agora, para mostrar se será capaz de controlar a categoria, deverá enfrentar a vencedora do confronto entre Valentina Shevchenko e Julianna Peña, que será o principal do UFC On FOX 23, em janeiro.

Ronda Rousey contra a aposentadoria

Em uma atuação que mostrou o quanto estava despreparada emocionalmente para lutar, Ronda Rousey entrou no octógono para levar um passeio de Amanda Nunes sem demonstrar reação alguma. Com duas derrotas arrasadoras em sequência, a probabilidade de Rousey dar prosseguimento à sua carreira no MMA é muito baixa e ela se aposentaria como a mais importante lutadora da história do esporte, mesmo com o triste término de sua trajetória.

Cody Garbrandt contra TJ Dillashaw

Na melhor atuação do ano, na minha opinião, Cody Garbrandt utilizou sua imensa velocidade nas mãos, movimentação intensa e grandes esquivas para derrubar a invencibilidade de nove anos de Dominick Cruz e conquistar o cinturão dos galos. Já na luta anterior, TJ Dillashaw anotou a segunda vitória desde que perdeu o título para Cruz ao aplicar uma clínica de transições e wrestling em John Lineker rumo a uma confortável decisão. Dessa forma, está desenhado um interessante confronto entre o recém coroado campeão e Dillashaw, que buscará recuperar o posto em um duelo de ex-companheiros de treino.

Dominick Cruz contra o vencedor de Jimmie Rivera-Bryan Caraway

Pela primeira vez em mais de nove anos, Dominick Cruz sentiu o sabor amargo da derrota. Apesar de seus melhores esforços, ele não conseguiu superar Cody Garbrandt e perdeu o cinturão. No entanto, como o melhor lutador da história da categoria, o caminho para uma nova chance de conquistá-lo não deve ser dos mais longos. Assim, uma eliminatória pode ser disputada contra aquele que sair vitorioso do embate entre Jimmie Rivera e Bryan Caraway.

Outra opção: Vencedor de Raphael AssunçãoAljamain Sterling

John Lineker contra o perdedor de Jimmie Rivera – Bryan Caraway

Depois de subir no ranking dos pesos galos com três vitórias contra bons adversários no ano que se encerrou, John Lineker encarou o oponente mais gabaritado de sua carreira e não teve chances contra Dillashaw. Com isso, sua ascensão é freada e o brasileiro terá que dar um passo atrás. Para tal, a sugestão é um duelo com quem sair derrotado do combate entre Rivera e Caraway.

Dong Hyun Kim contra Neil Magny

Em uma luta de resultado bastante controverso, Dong Hyun Kim superou Tarec Saffiedine por decisão dividida. Enquanto isso, Neil Magny mostrou evolução de costas para o chão e derrotou Johny Hendricks, conquistando a maior vitória de sua carreira. Com isso, ambos se posicionam no top 10 dos meios-médios e estão em crescimento na categoria. Por este motivo, um embate entre os dois será uma boa forma de determinar quem poderá seguir em frente rumo ao cinco melhores.

Johny Hendricks contra Tim Boetsch

Em um dos casos mais drásticos de decadência dos últimos tempos, o ex-campeão dos meios-médios Johny Hendricks chegou à terceira derrota em 2016, não tendo batido o peso nas duas últimas. Com o revés diante de Magny, Hendricks está terminado como um lutador de elite, ao menos no futuro próximo, e dá mostra de não ter mais a mesma paixão por lutar. Caso ele opte por continuar sua carreira, terá que fazê-lo na divisão de cima, contra oponentes consideravelmente mais fortes fisicamente, como Tim Boetsch, que é a opção da coluna.

Outra opção: Aposentadoria.

Além dos duelos acima, seguem algumas sugestões para os outros envolvidos no card de sexta:

Tarec Saffiedine vs. Roan Jucão

Ray Borg vs. Brandon Moreno

Louis Smolka vs. Ryan Benoit

Antonio Cara de Sapato vs. Scott Askham

Marvin Vettori vs. Marcelo Magrão

Alex Garcia vs. Alex Morono

Mike Pyle vs. aposentadoria

Niko Price vs. Jessi Ayari

Brandon Thatch vs. demissão

Tim Means vs. vencedor de Court McGee-Ben Saunders

Alex Cowboy vs. Peter Sobotta

E aí? Curtiram os casamentos? Deixem suas sugestões nos comentários.