Milhões de Mayweather e Pacquiao superam carreiras inteiras de superastros da NBA

Floyd Mayweather e Manny Pacquiao ganharam na luta de maio mais do que LeBron James faturou em salários durante toda a sua carreira na NBA. Embora não tenham definido seus próximos adversários, uma revanche começa a ser possível.

Os números nababescos produzidos pelo aguardado combate entre Floyd Mayweather e Manny Pacquiao foram intensamente debatidos não só no MMA Brasil, mas até em veículos não especializados. Ainda assim, o choque aumenta quando vemos tais números concretizados e colocados em perspectiva.

Showtime e HBO, os canais que coproduziram a luta do século e que venderam pay-per-view na América do Norte, divulgaram que o combate vendeu pelo menos 4,4 milhões de pacotes, superando em larga margem o recorde anterior, que era de cerca de 2,5 milhões na vitória de Mayweather sobre Oscar de la Hoya.

Somando a bolada de pay-per-view com venda de ingressos e transmissão em circuito fechado, o duelo arrecadou cerca de US$600 milhões, tornando-se a luta mais lucrativa da história, superando a vitória de Mayweather sobre Canelo Álvarez, que detinha a marca até maio. E o mais incrível é que a conta ainda não fechou, já que há a venda dos direitos de transmissão internacional, porcentagem de venda de produtos oficiais como camisas e bonés no local e até mesmo o fechamento da conta do pay-per-view.

Esse montante de audiência e dinheiro, que esmagou todos os recordes da história dos esportes de combate, deixou Mayweather e Pacquiao mais ricos. Mas não apenas mais ricos. Muita coisa mais ricos. Entre bolsa garantida e lucro de venda, estima-se que o americano faturou entre US$220 e 230 milhões de dólares, enquanto o filipino levou para casa a quantia aproximada de US$150 milhões.

Milhões de Mayweather e Pacquiao superam carreiras inteiras de superastros da NBA

Não é preciso dizer a ninguém que 220 milhões de dólares é muita grana. Só que uma dupla de analistas americanos especializados em pagamentos e impostos esportivos fez um levantamento comparativo que deixa o salário de Mayweather para os 36 minutos de luta beirando o surreal. Confira:

– Mayweather ganhou apenas nesta luta o que o superastro da NBA Tim Duncan ganhou de salários do San Antonio Spurs durante sua lendária carreira de 18 anos e cinco títulos;

– Mayweather (e também Pacquiao) superou o que LeBron James, maior astro do basquete na atualidade, ganhou em salários na carreira do Cleveland Cavaliers e Miami Heat;

– Ajustando a inflação, Mayweather ganhou cerca de US$100 milhões a mais do que a soma de todos os salários de Michael Jordan na NBA;

– Ele também superou a folha salarial de todos os times da NBA, da NFL e da NHL. Na MLB, apenas o Los Angeles Dodgers tem uma folha salarial maior do que Mayweather embolsou na luta de maio;

– O maior salário da MLB, do pitcher do LA Dodgers Clayton Kershaw, é mais de sete vezes menor que a fortuna que Floyd recebeu na última luta;

– A arrecadação do lutador supera o valor de pelo menos três franquias da NHL (Carolina Hurricanes, Columbus Blue Jackets e Florida Panthers);

– Se contar apenas o tempo da luta, que foi o trabalho em si, Mayweather ganhou US$6.111.111,11 por minuto, ou US$101.851,85 por segundo. Nada mal.

Floyd Mayweather não para de justificar o apelido (Foto: Naoki Fukuda/Ring Magazine)

Floyd Mayweather não para de justificar o apelido (Foto: Naoki Fukuda/Ring Magazine)

Com tanta grana assim, chega a ser curioso o fato de Mayweather ter aberto mão do cinturão da WBO, que estava em posse de Pacquiao na luta. O americano não quis pagar a taxa de disputa de cinturão da entidade, no valor de US$200 mil, ainda que a WBO tenha colocado seu nome no site oficial como campeão deste a atualização dos rankings seguinte ao combate. Nesta segunda-feira expira o prazo do pagamento e caso Floyd confirme que não o fará, Timothy Bradley, dono do título interino, será confirmado como o campeão definitivo. Espera-se ainda que “Money” abra mão dos demais títulos em sua posse (WBA, WBC e The Ring nas categorias meio-médio e super meio-médio) pelo mesmo motivo.

Descontando os impostos e o pagamento dos custos do camp de treinamento, estima-se que tenha sobrado mais de US$130 milhões para Floyd. Por ser dono de sua própria empresa de promoção, a Mayweather Promotions, o americano se livrou de pagar algumas dezenas de milhões, coisa que Pacquiao terá que desembolsar para a Top Rank do empresário Bob Arum, que copromoveu o duelo em parceria com a empresa do adversário.

Pelo visto, as fortunas motivaram os lutadores. Mayweather só tem mais uma luta no contrato com a Showtime, que provavelmente acontecerá no dia 12 de setembro, no fim de semana da independência do México, data comum dos combates do americano no segundo semestre. Nomes como Amir Khan, Kell Brook e Keith Thurman foram especulados, mas nada até o momento foi oficializado. Enquanto isso, Mayweather e Pacquiao seguem se provocando, apimentando a rivalidade.

Floyd postou em sua conta no Instagram um vídeo fazendo troça da contusão no ombro que Pacquiao disse ter sofrido antes do combate e que teria o incomodado na luta. Ele chama um bob (boneco que simula saco de pancada) de Manny e questiona se o filipino estaria dizendo às pessoas que não foi derrotado justamente porque “seu pequeno braço” estaria machucado. O americano então dá dois tapas no rosto do boneco enquanto diz: “Pare de mentir”.

Pacquiao não deixou a provocação por menos. O astro deu uma declaração como resposta tocando no passado do rival:

Nós devemos entender Floyd Mayweather Jr. por causa de sua estrutura familiar. Ele vem de uma família de ex-presidiários e ele mesmo é um ex-presidiário. Não podemos culpá-lo porque esse ato apenas mostrou que tipo de educação familiar ele teve. Isso apenas me lembra o que ele fez com sua ex-mulher. Espero que ele encontre tempo para refletir sobre sua vida e que se arrependa dos pecados que ele cometeu no passado.

Sem estar amarrado a nenhum contrato de televisão e sendo dono da própria empresa de promoção, o cenário fica mais fácil para Mayweather negociar uma revanche contra Pacquiao, que provavelmente aconteceria em maio de 2016. Ele tem repetidamente dito que se aposentaria após encerrar o contrato com a Showtime, mas as provocações parecem apontar para outro caminho.

  • Leonardo Neves

    Mcgregor ganhará proximkpróximo disso em sua luta contra Mendes. Kkkk😂

  • Leonardo Moura

    A luta decepcionou, e pelo jeito que transcorreu, parece indicar que todas as outras lutas entre eles seriam parecidas, ou seja, acirradas e muito técnicas, sem a pancadaria que chama a atenção do fã casual. Não creio que uma nova luta entre eles vá chamar tanta atenção. Poucos voltariam a pagar 140.000 USD por um assento ao lado do ringue.
    Acho que Floyd só iria querer nova luta se fosse por valor ainda maior que o da primeira, o que não deve ocorrer. C’est fini

    • Pelo contrário. Vão dizer que a primeira foi ruim (eu não achei, mas enfim…) por causa da lesão no ombro do Pacquiao, que agora ele vai meter mais pressão, vai nocautear e blá blá blá. Vai vender que nem água no deserto de novo.

  • Gabriel Fareli

    UAU !
    É muito dinheiro velho, incrivel !!

  • Risos.