Michael Bisping sobrevive a duas Bombas-H de Dan Henderson e defende o cinturão no UFC 204

Michael Bisping sobrevive a duas Bombas-H de Dan Henderson e defende o cinturão no UFC 204
MMA

Em luta divertida, Michael Bisping sofreu para vencer Dan Henderson no UFC 204, que marcou a primeira defesa do britânico e a aposentadoria do mito americano.

A Manchester Arena estava lotada para ver o herói do MMA local defender seu cinturão pela primeira vez no UFC 204. O horário ingrato poderia ter feito alguns pegarem no sono, mas Michael Bisping sofreu mais do que o necessário contra Dan Henderson e deixou a arena elétrica.

O punho direito engatilhado de Hendo ainda provoca pesadelos em Bisping. Sete anos depois do brutal nocaute do UFC 100, o hoje campeão fez um primeiro round tenso, com poucas ações ofensivas e muitos erros defensivos, várias vezes deixando o lado esquerdo da cabeça desprotegida. Macaco velho, Hendo percebeu a brecha e mandou a Bomba-H, que lançou Bisping a knockdown. A saraivada de socos e cotoveladas no ground and pound teriam rendido um 10-8 para o veterano caso as novas orientações de pontuação estivessem em vigor.

Bisping voltou um pouco mais atento e mais ativo para o segundo round, lançando combinações e usando os chutes para impedir contragolpes de Henderson. Porém, a mania de voltar o jab com a mão baixa deu as caras novamente, mas numa situação hilária. Hendo reclamou de um chute baixo, mas o árbitro Yves Lavigne não mandou parar. Bisping avançou socando, o que deixou o americano irritado e o fez mandar outra Bomba-H, novamente jogando o britânico longe. Desta vez não tinha tempo para o ground and pound e os juízes ficaram com um pepino nas mãos: 10-9 Hendo ou Bisping? Fui na segunda opção.

Depois de dois sustos e com o rosto amassado, finalmente Bisping tomou vergonha no terceiro assalto. Lutando mais fechado, menos exposto e com mais volume de jogo, ele abriu vantagem no round mais claro do combate. No quarto, Hendo aproveitou um chute baixo para descansar e recuperar o fôlego, que já estava prejudicado havia mais de 10 minutos. Mesmo assim, Bisping continuou melhor e abriu vantagem em 39-37.

Sabendo que sua carreira só tinha mais cinco minutos, Hendo juntou as forças que restavam do fundo de seu ser e tentou a última ofensiva. Ele até voltou às origens ao aplicar uma queda em Bisping, mas não conseguiu manter o campeão no chão por muito tempo. O campeão aumentou o ritmo no fim de uma parcial equilibrada. Para fechar a carreira com chave de ouro, Hendo deu uma cambalhota para tentar emendar um chute no estilo Tony Ferguson 20 anos mais velho. Foi só para lembrarmos que ele é o maior casca-grossa da história do MMA.

No fim das contas, eu marquei 48-47 Bisping, mesmo placar de dois dos juízes oficiais. Outros placares válidos poderiam ser 47-47 (10-8 Hendo no round 1, marcação que fatalmente aconteceria no ano que vem, quando estiverem valendo as novas recomendações de pontuação) ou 48-47 Hendo, com 10-9 para o veterano no segundo assalto. Nem mesmo o 49-46 que um dos juízes oficiais marcou é muito duro de engolir, já que o quinto assalto foi equilibrado.

Com a vitória, Michael Bisping não só defendeu seu título pela primeira vez, mas superou Georges St. Pierre como o maior vencedor da história do UFC (20 vitórias do britânico contra 19 do canadense) e empatou com Tito Ortiz e Frank Mir como os que mais lutaram no octógono (27 aparições cada). De quebra, os 119 golpes contundentes conectados pelo campeão formam a quinta vez que ele passou da contagem centenária numa luta, outro recorde do UFC.

Gegard Mousasi vence Vitor Belfort à moda de Vitor Belfort

Muito respeito ao legado de Vitor Belfort, mas a diferença de idade, de fome, de condicionamento físico e técnico hoje em dia era muito grande em favor de Gegard Mousasi.

gegard-mousasi-vitor-belfort-ufc-204

Para alegria dos fãs, Mousasi adotou a postura de encurralar Belfort e controlar a distância num ponto em que o brasileiro poderia alcançá-lo. Por causa disso, o primeiro assalto foi tenso devido ao fato de Vitor ter capacidade de explodir. Porém, logo na primeira vez que o veterano tentou avançar, o bom serviço de contragolpes do europeu parou o oponente. Uma boa combinação de jab-direto de Mousasi fez Belfort balançar no fim da parcial, vencida pelo ex-campeão do Strikeforce.

O segundo assalto seguiu com o belo trabalho de jabs de Mousasi, que também retaliava rapidamente a todas as tentativas de ataque de Belfort. Cheio de confiança, Mousasi incorporou Belfort. Ele largou uma canelada de direita que fez o brasileiro balançar. Como Vitor não caiu, Gegard disparou o inferno no oponente, o derrubou com facilidade e montou. E quando isso acontece nas lutas do Belfort, já sabemos como termina. O velho leão virou de lado debaixo de uma chuva de socos, fazendo o árbitro encerrar o massacre na marca de 2:43 do segundo round.

Jimi Manuwa manda Ovince St. Preux para as profundezas da vala

Os pegadores Jimi Manuwa e Ovince St. Preux levantaram expectativa de pancadaria em Manchester. A troca de pancadas demorou, mas quando deu as caras, rendeu um nocaute brutal.

A esperada pancadaria passou longe no primeiro round. Fora uma joelhada no thai clinch aplicada por Manuwa, a primeira parcial foi disputada praticamente inteira no clinch na grade ou no grappling no chão. St. Preux levou vantagem nas transições e trocas de posição, mas teve que defender uma guilhotina quando o inglês mostrou perspicácia e agilidade. O descendente de haitianos saiu na frente por 10-9.

Manuwa seguiu melhor na troca de golpes em pé no segundo assalto, mas falhou em alongar as combinações. O britânico jogou dois bons ganchos na linha de cintura e, contra um oponente estático, demorou a acelerar. Porém, OSP pediu para perder e o Poster Boy lhe deu o que queria. Outro gancho na linha de cintura fez St. Preux abrir a guarda. Manuwa mandou um tiro em forma de cruzado de direita. Ovince balançou e finalmente Manuwa apertou. A combinação terminou com um gancho no queixo que fez o americano desabar desacordado por cima da perna, de olhos virados. Um nocaute brutal a 2:38 do segundo round.

Jiu-jítsu garante vitória de Stefan Struve sobre Daniel Omielanczuk

Depois de exibir alguma evolução na luta em pé, foi hora de Stefan Struve voltar para seu porto seguro. Deste modo, o gigante holandês conseguiu finalizar Daniel Omielanczuk.

Struve tinha a missão de mostrar que realmente aprendeu a controlar a distância em pé. Pois Omielanczuk não encontrou muito trabalho para acertar socos violentos no gigante, mesmo faltando polimento técnico na maioria das vezes. Porém, num desses avanços do polonês, o holandês conseguiu botar para baixo e, no chão, montou, pegou as costas, tentou finalizar, bateu e virou o round.

Logo no começo do segundo assalto, Daniel tentou derrubar no corpo a corpo na grade, mas sofreu com o tamanho do oponente. Struve reverteu a situação, disparou uma joelhada no thai clinch, derrubou no osoto gari e caiu quase montado. No solo, Struve ameaçou pegar o braço, mas logo saiu no triângulo de mão. Muito próximo à grade, encurralado, Omielanczuk girou para o lado errado e foi forçado a batucar na marca de 1:41 da segunda etapa.

A vitória marcou a primeira submissão de Struve em quatro anos e meio ou sete lutas. Neste intervalo, o holandês nocauteou o atual campeão Stipe Miocic, a quem desafiou na entrevista pós-luta.

Mirsad Bektic volta de contusão fazendo o de costume: destruindo gente

Depois de quase um ano e meio parado se recuperando de lesão no joelho, o bósnio Mirsad Bektic voltou para lembrar que a categoria dos penas tem um sujeito violento. A vítima da vez foi Russell Doane.

mirsad-bektic-russell-doane-ufc-204

Substituto de última hora, Doane até equilibrou a luta em pé nos primeiros momentos, muito por alguma ferrugem de Bektic. Mas quando o europeu grudou, o confronto virou monólogo. Bektic foi lá embaixo para catar o calcanhar de Doane e derrubá-lo. Em seguida, duas quedas poderosas deixaram Russel em definitivo no chão. A primeira tentativa de mata-leão de Bektic pareceu que esmagaria a cabeça do rival. Russell até mostrou valor se defendendo, mas a insistência do bósnio rendeu frutos e, com mais um mata-leão, deu cabo do oponente quando o cronômetro marcava 4:22 de luta.

Fotos: Josh Hedges/UFC

  • Rafael Alves

    Marquei empate… e torci demais para eu estar certo. Bisping seguiria campeão e Hendo aposentaria empatando com um campeão.
    Aliás, tenho a impressão que, se o confronto não fosse na Inglaterra o resultado seria, pelo menos, uma dividida (nos EUA tenho visto já mais 10-8). De todo jeito, encerrar uma carreira perdendo com a dignidade que o Henderson perdeu, para o campeão da categoria é um feito que não me lembro ter ocorrido antes, e que coroa lindamente a carreira dele.

    • Empate seria legal mesmo. Raramente um é legal, mas esse seria. E também acho que o resultado poderia ser outro se fosse nos EUA.

      Hendo é foda.

  • James sousa

    muito legal essa luta de despedida do Hendo lutando 25 minutos
    em relação a luta marquei 49-46 por campeão , e o UFC que se vire pra decidir quem vai ser o próximo desafiante
    e o Vitor Belfort se aposentou mesmo como diziam antes da luta ?

  • Beto Magnun

    Marquei 48-47 Bisping, mas o inglês lutou cagado de medo. Em momento algum lembrou o Bisping das 3 lutas anteriores. Enfim, pelo menos o Hendo se aposentou e entregou uma luta digna. Mesmo sendo lutador de uma nota só ele jogou com inteligência.
    Belfort tava esperando o Mousasi bicho preguiça, mas o armênio veio com sangue no olho. Talvez a melhor performance dele no ufc. E tomara que o Vitor não aposente. Ele deve ao mundo uma revanche com o Anderson no Brasil.
    Manuwa, Brad Tavares e Leon Edwards formam a trinca dos striker s mais chatos do ufc. Mas ontem Manuwa finalmente mostrou o pq do Hype em cima dele de quando ainda era invicto. Ainda assim parecia que ele não ia aumentar o hitmo.
    De resto… Marajó com uma performance sensacional, Tukenov comprovando que foi superestimado, Perry dando chocolate pro chocolate (aliás essa sim merecia o bônus de luta da noite) e Bektic fazendo o que se espera dele. O evento foi um dos melhores do ano até agora.

    • Faz tempo que o Mousasi não é mais bicho-preguiça. Se o Vitor achou isso, foi um erro gravíssimo de avaliação e preparação.

      Pareceu que o Manuwa respeitou muito o OSP.

      Marajó tirou onda, passou a carreta.

  • Saulo Henrique

    Dan Henderson foi um dos meus primeiros heróis clássicos do mma. Obrigado por tudo, guerreiro.

  • Marcos E

    Ficou tão perto de dar empate e de aparecer uma vitória do Dan Henderson, que achei mesmo que isso ia acontecer, só para bagunçar um pouco mais o UFC.

    • Vitória do Hendo não provocaria bagunça nenhuma. Aliás, talvez fosse o melhor resultado pro futuro da categoria. E empate seria o mesmo de vitória do Bisping, o cinturão continuaria com ele.

      • Marcos E

        Pq se o Hendo ganhasse seria o melhor resultado para a categoria?

        • João Gabriel Gelli

          Porque a próxima disputa de cinturão ia ser muito fácil de casar. Era só colocar o vencedor de Weidman-Romero contra o de Rockhold-Jacaré pelo título vago.

  • Danilo Lopes

    Bisping saiu sem dúvidas muito menor dessa luta.

    É de fato uma vergonha vê-lo como campeão em uma categoria com tanto cara mil vezes mais talentoso que ele.

    É uma cara que nunca perdeu quando foi pros jurados na Inglaterra.

    Vitórias extremamente polêmicas como contra Hamill, Miller, Leites, Anderson(essa nem tanto) e Bendo.

    Não dura a próxima defesa.

    Revi a luta hoje e novamente marquei 47 vs 48 Hendo. Dúvida mesmo só o 5o round no qual o Bisping jogou a maioria dos golpes no vazio, tomou 4 golpes de encontro relevantes e uma queda. Dei pro Hendo as duas vezes.

    46 vs 49 Bisping? Meu pai…

    • Gabriel Carvalho II

      Achei que a lutas contra o Dan Miller e contra o Thales foram longe de ser polêmicas. Vitória clara do Bisping em ambas as lutas.

    • Rafael Oreiro

      E ele nocauteou um desses caras muito mais talentosos aí no primeiro round pra pegar o cinturão. Ele com certeza saiu menor dessa luta, mas tem muito mais valor do que você deu pra ele.

    • Eu não achei nenhum problema com a vitória do Bisping sobre o Thales. Na verdade foi bastante clara, por vantagem larga. Também não vi nenhuma polêmica contra o Dan Miller. Luta feia dele foi contra o Chris Leben. Em compensação, ele perdeu pro Sonnen de forma polêmica também.

      Também acho que não dura a próxima defesa, mas isso não tira nenhum mérito dele.

      E, sim, 49-46 Bisping não é absurdo.

  • Gabriel Carvalho II

    O Bisping respeitou bastante o poder do Hendo, e depois de ganhar bastante confiança, acabou se expondo e quase perdeu a luta.

    E Daniel Omielanczuk mostrou um belo QI de luta. Ele tava bem em pé e misteriosamente resolveu quedar o Struve. Lamentável.

    • Eu achei o Bisping um tanto receoso mesmo quando estava com vantagem nos rounds.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Marquei 48-47 Henderson, mas não contesto a vitória do Bisping, o campeão tava bem com medo de avançar, e pra mim qualquer um do top 10 com um plano tático decente vence ele, não contesto o cinturão dele, ele venceu legitimamente, mas não creio que ele irá segurar na próxima vez, agora só saberemos o desafiante após o UFC Melbourne, se o Rockhold vencer acho que o vencedor de Weidman x Romero já tá com o passaporte assinado.

    • Sim. Nenhum problema com 48-47 Hendo nem com vitória do Bisping.

      Não sei se qualquer top 10 ganha dele, mas a maioria seria favorito.

      • Idonaldo Gomes Assis Filho

        Acho que o Hall é o único que o Bisping venceria kk

  • Nicolas P S

    Acho que estou precisando ver um Highlight da luta do Bisping porque vi uma linda vitoria do Henderson encerando uma imensa carrera (a luta contra o Fedor…)… Se a gente ficar com a posição (o papo…) que um desafiante que tem que massacrar o campeao no seu local para ser campeao, ta bom, eu fico bem com o empate… Me parece mas justo.

    Obrigado Dan Henderson para essa ultima aula de mestre, e obrigado Mmabrasil para uma cobertura do evento.

    • Não tem essa de desafiante ter que dominar o campeão. Eu acho que um juiz, se faz isso num julgamento, comete um ero grave. O Frankie Edgar tirou o cinturão do BJ Penn e depois perdeu pro Ben Henderson em lutas bem parelhas.

      Hendo é foda.

  • Thiago Kuhl

    Como tem hatter do Bisping nesse mundo.

    Pessoal fala como se ele tivesse ganhado de forma injusta o cinturão. Melhor lembrar que nessa divisão cheia de gente “milhões de vezes melhor que o Bisping” ele foi o único que aceitou uma luta de véspera pelo cinturão. E nocauteou o chatíssimo Rockhold. Ganhou na bola, o choro é livre.

    Vi de novo a luta, marquei somente o primeiro round pro Hendo, 49-46, mas aceito MUITO na boa o 48-47 pq o 5º round foi bem apertado, de toda forma, still champion.

    Se o Jacaboy conseguir ganhar de um top 5 (finalmente), vai ter a chance de fazer algo relevante no UFC, o que não deve acontecer, pois a tendência é que perca sua chance, de novo.

    Minha aposta é que antes de julho de 2017 a divisão voltará a ter como campeão o melhor lutador do peso, um tal de Weidman :)

    • Danilo

      Assim, eu esperava mais do Bisping, ainda mais com o que ele vinha apresentando. Mas foi interessante ver o tamanho do respeito que a Bomba H impõe, fez o matador que mandou Rockhold pra outra dimensão lutar de forma totalmente contida e se expor por nervosismo.

      Mas fora isso, o Conde é muito merecedor de estar onde está sim. Nada caiu de graça no colo dele, ele foi lá e pegou na marra. Confesso que na hora até achei sacanagem o resultado, mas depois que a emoção abaixou não tem como não ver que o resultado foi o que foi mesmo.

      No mais, é como o Alexandre disse ontem, o campeão merece que sejamos menos duros com ele.

    • Lero

      Eu acho o Romero uma luta horrível pra o Chris.

      • A luta é difícil mesmo, mas muita gente já derrubou o Romero, até o Ronny Markes. Temos que levar em consideração que o Romero melhorou, mas é um alerta.

        • Lero

          Nas primeiras lutas do Romero ele parecia que estava se divertindo no octógono, não lutando a vera. Até aquela luta contra o Derek Brunson, que na época eu achava uma baranga mas que agora está feito um assassino parecia que o Romero estava brincando no octógono. Já depois da luta contra o Kennedy não lembro ninguém derrubando ele. Acho que só Jacaré tem conseguido.

        • James sousa

          seria a luta entre os dois melhores wrestlers da divisão ?

  • Saulo Henrique

    Alexandre. .vai ter texto sobre o Hendo??

  • Lero

    a derrota com mais gosto de vitória que já vi no MMA (Acho que a derrota do Anderson para o Cormier está em segundo lugar) Grande Dan Dangerous Hendo.
    Bisping como sempre, humilde na vitória, ganhou do Spider e demostrou sua admiração pelo Anderson, agora depois dessa luta o mesmo.
    Eu vi empate.

    • A derrota pro Anderson foi vitória muito por causa do Cormier, né? Não pelos esforços do Anderson.

      • Lero

        Por pegar a luta com 2? Dias de preparação, numa categoria acima, contra um cara que é o pior casamento possível para ele, e não ter feito tão feio na luta.
        Normalmente torço contra o Spider mas esse dia estava torcendo por ele hahaha.

        • Danilo

          Mas temos que levar em conta que, exatamente pelo Anderson ter pego a luta com pouco tempo de preparação somado com o fato do DC ter muito a perder e por isso ter feito uma luta de compadre, que o Anderson teve chance de não fazer feio e nem sair destruído do octógono.
          Pq né? Se ele pega o mesmo Cormier que lançou Barnett, Hendo e Gustafsson no chão como saco de batata, a derrota com certeza não teria gosto de vitória.

          • Lero

            Nao sabia que tinha essa teoria tao amplamente aceitada…
            Para mim, mais do que luta de compadre foi que o Cormier estava com o sicologico abalado depois de toda a montanha russa que aconteceu com o JJ esses dias.
            Mas poderia ser luta de compadre mesmo. só que nao acredito muito

            • Danilo

              Bom, o anúncio do doping do Jones saiu na quarta, o evento era no sábado, o Anderson teve dois dias pra “se preparar” pra luta. Com esse cenário, o que ficou pra mim disso tudo, é que o Cormier tinha muito a perder se perdesse pra alguém que só entrou pra tapar buraco. Então, nessa situação, ele evitou trocar em pé com o Anderson, por motivos óbvios. E no chão, fez o bastante pra garantir a vitória, porque não tinha motivos pra massacrar alguém que tava ali de tapa buraco e sequer tinha feito um camp.
              Mas isso é só o que eu acho. Respeito sua opinião.

            • Sim, o psicológico do Cormier tava afetado e isso fez ele lutar com o freio de mão puxado.

        • Mas é isso que eu disse, ele não fez tão feio por causa do DC. Se o Cormier tivesse acelerado, teríamos visto um sacode desnecessário.

  • Rafael Maia

    O Hendo é mito! Meu lutador favorito!
    Se a regra fosse quem causa mais estrago vence, sabemos quem seria o campeão hoje, né?
    O Bisping vai precisar de muita lanternagem para voltar ao normal!
    Grande atuação aos 46 anos, sem palavras!

    O Belfort tá fazendo hora extra na carreira… um dia o “suco Gummi” cobra seu preço!

    O Manuwa quebrou todos do MMA Brasil! Ninguém acreditou nele (nem eu)!
    O OSP é um homem de um braço só, nunca vai chegar ao topo assim!

    • Se fosse por estrago causado, a luta teria outro vencedor. Mas ainda bem que não é assim, acho que a dinâmica do esporte seria prejudicada.

      • Rafael Maia

        Certamente que sim. Não acho legal ter como objetivo machucar o oponente.
        Mas sempre é estranho ver uma pessoa machucada e outra de cara limpa, sendo q o resultado foi o contrário.

        • Sim, é estranho mesmo, até porque muitas vezes esse cenário aponta o vencedor.

  • Roberto Amado

    Marquei 48 X 47 Henderson, mas admito que a emoção pode ter afetado meu julgamento. Achei que seria uma luta fácil pro inglês, mas depois do KD passei a quase torcer por uma vitória do Henderson. Eu dei os rounds 1, 2 e 5 para o americano.

    • Nenhum problema. Eu mesmo dei o R1 e R5 pro Hendo. Apesar de achar um erro dar o R2, é um erro que não chega a incomodar como vários outros que vemos toda semana.

      • Roberto Amado

        Entao, eu fiquei o tempo todo com a percepcao de que apesar de ter o maior volume de golpes, o ingles acertou muito golpe na guarda do americano. Mas olhando o fightmetric vi que minha percepcao foi errada, foram 119 golpes significativos do The Count contra 81 do Henderson. Enfim, foi uma luta bem parelha e qualquer resultado seria aceitavel, ate mesmo o empate. (desculpa a falta de acentos, o pc deu pau e tive que usar o teclado frances mesmo rsrsrs)

  • Rafael

    10 a 8 (Já tem sido aplicado para kcD seguidos de atropelo – sangue é relativo, mas desta vez não seria)
    10 a 10 (Vantangem obtida durante o round ao meu ver foi perdida pós KcD)
    9 a 10 (superioridade sem contundência em uma área do esporte)
    9 a 10 (superioridade sem contundência em uma área do esporte)
    10 a 10 (Trocaram bons momentos, o Round seria de Bisping por ter desferido mais golpes SE não houvesse a queda que sempre tem sido supervalorizada, resultando no empate)

    Empate seria o resultado ideal a luta, ao Mito e ao guerreiro que manteria o cinturão sem desmerecer o monstro Hendo)

    E Se houvesse pontuação fracionada neste meu cenário? Qual a probabilidade do Hendo sair vencedor desta luta? Ainda acho super válido esta ideia, sobretudo em lutas de 5 rounds, eu daria fácil pelo menos um round 10 a 9.5 para Bisping.

    • Rafa, essa luta foi tão especial que os únicos resultados absurdos seriam 50-45 Bisping e 49-46 Hendo. Qualquer coisa pra cima disso até o empate seria aceitável.

      Sobre a pontuação fracionada, três comissões atléticas fizeram um estudo prático e chegaram à conclusão que não vale a pena pelo baixo número de lutas que teriam o resultado alterado.