Michael Bisping admite equívoco em aceitar luta contra Kelvin Gastelum

Exatamente três semanas após ser finalizado por Georges St. Pierre no duelo principal do UFC 217, o ex-campeão Michael Bisping  aceitou cobrir o espaço deixado por Anderson Silva no combate mais importante do UFC Xangai, contra Kelvin Gastelum. Na ocasião, Bisping acabou sendo duramente nocauteado ainda no primeiro round.

Passadas algumas semanas da segunda derrota consecutiva, Bisping reflete que enfrentar Gastelum naquele momento não foi a decisão correta a se tomar. Até mesmo seu técnico Jason Parillo sugeriu que Gastelum era uma ameaça maior que o próprio GSP.

“Não foi do jeito que eu queria e todo mundo sabe e viu. Eu me senti bem indo pra luta, sim. Olhando pra trás, eu estava desgastado pelos treinos e emocionalmente e fisicamente cansado? Sim, eu estava, mas o problema de ter um ego grande e achar que você ainda pode bater nas pessoas é que eu sabia de tudo isso mas eu ainda pensava que poderia vencer o Kelvim Gastelum. Não estou tirando nenhum mérito dele. Ele me pegou com um lindo gancho de direita que me derrubou. Deus o abençoe.” – disse Bisping em seu podcast Believe You Me.

“Foi uma grande aposta, mas não valeu a pena. Teria valido se tivesse dado certo, mas é isso que a gente faz. Você joga o dado, usa sua chance e espera pelo melhor. E o melhor homem, eu acho, foi o Kelvin.”

Foram exatamente 21 dias entre as duas derrotas sofridas (UFC 217 e Xangai), sendo a sequência de lutas mais rápida em toda a carreira de Bisping e também a primeira vez em que o inglês perde dois duelos seguidos. Ao aceitar substituir Anderson Silva mediante a falha no exame antidoping do “Spider”, Michael alegou que ainda estava em forma após a última luta. Todavia, “O Conde” admite que não foi bem assim e que ele estava, na verdade, desgastado dos meses de preparação para a luta contra GSP.

“Nessa luta eu estava tentando exorcizar alguns demônios e tentando voltar a vencer o mais rápido possível. Como eu disse, foi uma grande aposta e por muitos motivos foi a coisa errada a se fazer, mas eu não me arrependo. Se você olhar o grande esquema das coisas… eu vejo que foi a coisa errada a se fazer, mas naquela altura parecia o certo, então eu não me arrependo.”

“Depois da luta com GSP, quando eu aceitei a luta com o Gastelum, eu pensei ‘Bom, eu tive uma semana em off mas estou em boa forma, então vamos voltar’, então fiz sparring todos os dias da semana. Foi tudo o que fiz pra luta com o Kelvin: canhotos, cinco rounds, cinco dias, depois voei pra China – e eu estava acabado. Emocionalmente, fisicamente, mentalmente, eu estava gasto.”

Após as duas derrotas consecutivas, Bisping caiu para a sétima posição no ranking dos médios do UFC. Nessa altura, Bisping diz estar tranquilo com as pressões da carreira.

“Eu não estou querendo ser campeão outra vez. Eu quero terminar minha carreira com algumas lutas divertidas. Eu fui lá e não consegui completar o serviço. Eu estava cagando pros rankings. Vou lutar mais uma vez? Provavelmente. Mas essa fase da minha vida acabou e eu estou feliz com isso. Você não pode lutar pra sempre. Eu fui campeão, ninguém é campeão pra sempre. E eu tenho orgulho disso.”

Bisping ainda reiterou que deseja se aposentar no próximo evento do UFC em Londres, no Fight Night do próximo dia 17 de Março.