Lyoto Machida acredita que Chris Weidman estará preparado para trocar com Vitor Belfort no UFC 181

Por Alexandre Matos | 11/08/2014 16:15

Os desdobramentos técnicos para a luta entre Chris Weidman e Vitor Belfort, que acontecerá no UFC 181, no dia 6 de dezembro, são muitos. Porém, duas vertentes são as mais populares: o campeão terá superioridade na luta agarrada e o desafiante não dará chance na troca de golpes. Em relação a esta última colocação, há quem pense de modo diferente. E um “alguém” com enorme conhecimento de causa.

Lyoto Machida conversou com o MMA Fighting sobre a próxima disputa do cinturão dos médios. Para o ex-campeão dos meios-pesados do UFC, Weidman não precisará apelar apenas para o wrestling e o jiu-jítsu:

“Weidman está preparado para lutar em qualquer lugar. Se ele tiver que trocar em pé, ele o fará. Vitor obviamente pode acertar um soco e acabar com a luta, é isso que faz o esporte ser tão cativante, mas eu acho que ele (Weidman) estará preparado para encará-lo lá (na troca de golpes em pé).”

O Dragão tem histórico para falar. Além de ser um dos mais talentosos trocadores que o MMA já viu, Machida foi o último desafiante de Weidman. No combate do UFC 175, em julho, o baiano radicado no Pará viu o campeão bater de frente com sua movimentação elusiva e trocar por boa parte dos cinco rounds, inclusive levando vantagem na maior parte das oportunidades. Por outro lado, Lyoto e Belfort já treinaram juntos. Quando voltou ao UFC, em 2009, Vitor passou a mostrar uma postura baseada no caratê shotokan da família Machida.

Lyoto Machida despertou em Vitor Belfort o interesse pelo caratê shotokan

Lyoto Machida despertou em Vitor Belfort o interesse pelo caratê shotokan

Quando enfrentou Anderson Silva em duas ocasiões, Weidman também ouviu que a troca de golpes seria um território hostil. Na primeira, um gancho de esquerda fez o então campeão cair nocauteado com os olhos virados. Na segunda, um violento soco dentro do clinch novamente fez com que Anderson caísse apagado, mas desta vez o Spider se recuperou a tempo de suportar o castigo no ground and pound e resistir até o fim do assalto.

Lyoto fez questão de destacar a evolução que ambos os lutadores têm mostrado nos últimos tempos – o wrestler que troca com os melhores da história e o boxeador que aplica chutes mortais.

“É uma luta boa para os dois. Ambos têm chance, não podemos menosprezar nenhum deles. Weidman tem evoluído muito, tem um coração enorme. Vitor é super talentoso, também evoluiu muito e é um atleta que trabalha duro. Quando você tem uma luta parelha assim, difícil de desmembrar, é complicado prever um resultado.”

Sempre com uma novidade: no UFC 175, Chris Weidman apareceu com chutes contra um dos melhores chutadores da história do MMA (Stephen R. Sylvanie/USA TODAY Sports)

Sempre com uma novidade: no UFC 175, Chris Weidman apareceu com chutes contra um dos melhores chutadores da história do MMA (Stephen R. Sylvanie/USA TODAY Sports)

Apesar de não prever um resultado e de ir contra a maré ao supor que Weidman trocará com Belfort, Machida concordou com os que acham que o atual desafiante é uma bomba atômica com prazo de validade curto, principalmente após interromper o tratamento de reposição de testosterona (TRT).

“Acho que Vitor tem mais chance no primeiro round e na primeira metade do segundo por causa de suas características, mas a partir daí, acho que as chances de Weidman são maiores que as de Vitor.”

Weidman e Belfort tirarão todas as dúvidas no Mandalay Bay Events Center, onde será montado o octógono para o UFC 181. Até o momento, apenas este combate está oficializado para o evento de 6 de dezembro, mas espera-se para breve a confirmação da disputa de cinturão dos leves entre Anthony Pettis e Gilbert Melendez, técnicos do TUF 20.