Lutas que eu gostaria de ver no UFC em 2017

Por Gabriel Carvalho | 21/01/2017 00:01

Uma das tradições do MMA Brasil era a lista de virada de ano de Alexandre Matos citando alguns combates que desejaria assistir ao longo ano. Para 2017, decidi assumir a responsabilidade e compartilhar alguns duelos que eu tenho muita vontade de assistir até o próximo dia 31 de dezembro.

Para cada luta, vou apresentar a minha justificativa, seja ela técnica ou entretenimento. Lembrando que combates como Michael Bisping vs. Tyron Woodley ou entre campeões não entrarão, já que nenhuma atualmente me enche os olhos e para respeitar o andamento das categorias:

Peso galo: Cody Garbrandt vs. Dominick Cruz II

Dominick Cruz é um gênio. O seu estilo de luta e a inteligência dentro e fora do octógono tornaram o “Dominator” um dos lutadores que mais aprecio assistir. Aos 45 minutos do segundo tempo de 2016, Cruz acabou caindo pela primeira vez em 10 anos, ao enfrentar Cody Garbrandt, que também virou gênio.

Tenho muita curiosidade para ver o que os brilhantismos de Dominick e Eric Del Fierro – seu treinador – irão desenhar para a revanche contra Garbrandt. Porém, o novo campeão dos galos precisa defender o cinturão contra TJ Dillashaw antes, outro combate que também chama bastante atenção.

Peso leve: Conor McGregor vs. Khabib Nurmagomedov

Esse confronto tende a ser muito interessante. O campeão dos leves Conor McGregor e o russo Khabib Nurmagomedov são os atletas que mais me impressionaram nos últimos tempos na divisão. Dois atletas que conseguem desmantelar seus oponentes de forma brutal e até chocante. Existem muitas controvérsias sobre o chão de McGregor e a trocação de Khabib, o que torna o combate ainda mais interessante.

No dia 4 de março, Nurmagomedov tem a oportunidade de garantir a disputa de título ao enfrentar o também excepcional Tony Ferguson, e então saberemos se o combate realmente acontecerá ou não.

Vale citar outros dois duelos envolvendo McGregor que eu adoraria assistir: a revanche contra José Aldo e a trilogia contra Nate Diaz, mas acredito que a probabilidade de acontecerem é menor do que o combate contra o russo.

Peso meio-médio: Robbie Lawler vs. Donald Cerrone

Que Tyron Woodley, Stephen Thompson e Demian Maia me desculpem, mas a luta dos sonhos nos meios-médios é entre Robbie Lawler e Donald Cerrone, dois dos maiores psicopatas da divisão.

O Coisa Ruim conseguiu proporcionar duas das lutas mais épicas de todos os tempos contra Rory MacDonald e Carlos Condit, enquanto o “Cowboy” Cerrone é cavalo de guerra, aceita qualquer compromisso, em qualquer cidade, qualquer peso e contra qualquer um.

O combate já esteve verbalmente firmado para o UFC 205, mas Lawler decidiu recusar para poder se recuperar melhor do nocaute brutal que sofreu para Woodley. A expectativa é que a luta aconteça em 2017.

Peso meio-pesado: Daniel Cormier vs. Jon Jones II

A esperada  revanche entre Daniel Cormier e Jon Jones já foi marcada duas vezes, porém, acabou caindo nas duas oportunidades, inclusive me decepcionando bastante na ocasião em que Jones foi pego em um exame antidoping com apenas 72 horas de antecedência para o duelo.

Jones vs. Cormier provavelmente é o melhor confronto que pode acontecer no UFC. Não existe outra divisão de peso que é casa de dois atletas tão excepcionais quanto os dois. A primeira pode ter sido bem favorável a Jones, mas será que o ex-campeão conseguiria tomar o título de Cormier em desempenho semelhante ao do UFC 182?

Ainda acredito que DC defenderá o título contra Anthony Johnson antes, porém, a revanche contra Jones precisa acontecer; o MMA ficaria órfão se esses dois não se enfrentarem novamente.

Peso pena feminino: Holly Holm vs. Cris Cyborg

Eu sou uma das pessoas que mais atacou o UFC na criação do peso pena. No entanto, a única luta capaz de trocar meus olhos por corações () é o possível confronto entre Holly Holm e Cristiane Cyborg.

Quando falamos de Holm e Cyborg, provavelmente estamos citando duas das quatro melhores strikers do MMA feminino, e definitivamente será uma honra ter as duas na mesma divisão. Acredito que o reinado de destruição da brasileira poderia sucumbir ao boxe da americana.

Para o combate acontecer, Holm precisa vencer o seu compromisso contra Germaine de Randamie e se tornar a primeira campeã peso pena da história do UFC. Já Cris precisa escapar de um longo gancho da USADA para tornar o duelo possível até o fim de 2017.

Editor do MMA Brasil. Fã de esportes em geral, apaixonado pela arte de punhos em rostos alheios. Amante de filmes e música.