Lista: 6 momentos históricos do UFC no Japão

O UFC retorna no próximo sábado ao Japão para seu oitavo evento no país. Relembramos seis momentos históricos vividos por Randy Couture, Kazushi Sakuraba, Frank Shamrock, Pat Miletich, Ben Henderson e Wanderlei Silva no octógono montado na Terra do Sol Nascente.

A maior organização do MMA mundial volta ao berço das artes marciais no próximo sábado, com a oitava edição do UFC no Japão, a quarta sob o comando da Zuffa.

Desde a primeira viagem ao outro lado do planeta, mesmo antes da solidificação do PRIDE como líder de mercado, o UFC viveu grandes momentos. Disputas de cinturão importantes ocorreram lá, astros deram início a grandes carreiras e um ídolo teve seu último momento histórico.

Vou listar aqui, em ordem cronológica, seis dos principais momentos vividos pelo UFC no Japão. Três deles aconteceram logo na primeira vez.

Ultimate Japan, 21/12/1997: Três ícones conquistando títulos

O primeiro evento realizado pelo UFC no Japão já seria histórico por isso. Também foi a primeira vez que Mike Goldberg assumiu a narração da transmissão americana e que a organização usou músicas individuais de entrada para os lutadores. Porém, quando três dos mais icônicos lutadores da história conquistam títulos na mesma noite, é um momento para ficar na memória.

Para atrair a atenção da torcida local, o UFC precisava de um nome de impacto. O matchmaker John Perretti convocou então Kazushi Sakuraba, uma das estrelas do pro wrestling local. O lutador, que se tornaria o maior ídolo da história do MMA japonês, disputou um torneio de quatro homens em uma noite com muita confusão. Na estreia, Sakuraba estava entrando no cacete contra Marcos “Conan” Silveira quando mergulhou num single-leg. “Big” John McCarthy entendeu que o brasileiro havia nocauteado o nipônico e encerrou a luta. Depois de muitos protestos, o árbitro decretou a luta sem resultado (no contest). Na outra semifinal, David “Tank” Abbott venceu, mas quebrou a mão. Na impossibilidade de o americano prosseguir, o UFC refez Sakuraba-Conan, desta vez valendo o título do torneio. Foi a primeira vitória de Sakuraba no MMA.

Frank Shamrock exibe o cinturão do UFC

Frank Shamrock exibe o cinturão do UFC

Outro nome histórico do MMA estreou no UFC naquela noite. Ao contrário de Sakuraba, Frank Shamrock já era um nome estabelecido no esporte, com mais de 20 lutas disputadas no Pancrase. Por este motivo ele já chegou disputando cinturão. E chegou causando. Em apenas 16 segundos, Frank finalizou o campeão olímpico de wrestling Kevin Jackson e se tornou o primeiro campeão dos meios-pesados da história do UFC (a categoria se chamava na época de peso médio, mas o limite era de 93kg). Shamrock defendeu o cinturão quatro vezes, um recorde que só foi batido por Tito Ortiz, em 2003, exatamente a última vítima de Frank. Após as cinco vitórias, Shamrock abandonou o UFC dizendo que o chamassem de volta quando tivessem algum desafio de verdade. Ele nunca mais voltou ao octógono.

A tríade de mitos do Ultimate Japan fez a luta principal. Randy Couture conquistou um cinturão do UFC pela primeira vez naquele dia ao destronar Maurice Smith por decisão. Este foi o primeiro passo de uma trajetória que coroou o primeiro campeão em duas categorias na história do UFC e um dos mais importantes nomes da história do esporte.

UFC 29, 16/12/2000: O recorde de Shamrock é igualado pela “Sensação Croata”

Frank Shamrock se manteve como recordista de defesas consecutivas de cinturão por três anos. Porém, um lutador igualou sua marca já no ano seguinte.

O UFC 29 marcou a última visita do octógono à Terra do Sol Nascente até a Zuffa voltar em 2012. O evento, que foi liderado pela primeira das cinco defesas consecutivas de Tito Ortiz, teve como luta coprincipal a quarta vez que Pat Miletich colocou seu título em jogo. A “Sensação Croata” que já havia batido Jorge Patino “Macaco” e André Pederneiras em outras defesas, finalizou o ex-pro wrestler Kenichi Yamamoto no segundo round com a única guilhotina que lhe rendeu vitória na carreira – Miletich era um ás das finalizações, especialista em mata-leão, mas nunca tinha pego uma guilhotina nas 18 finalizações que anotou na carreira.

Pat Miletich anotou sua quarta defesa consecutiva no UFC 29, no Japão (Foto: Susumu Nagao)

Pat Miletich anotou sua quarta defesa consecutiva no UFC 29, no Japão (Foto: Susumu Nagao)

Miletich perdeu o cinturão e a chance de quebrar o recorde de Shamrock na luta seguinte, quando foi finalizado pelo canadense Carlos Newton. Pat fez mais duas lutas no UFC e se aposentou em 2002, retornando quatro anos depois para dois combates na extinta IFL. Miletich foi introduzido no Hall da Fama do UFC em julho do ano passado.

UFC 144, 26/02/2012: Frankie Edgar é deposto do trono

Ninguém levou fé que o pequenino Frankie Edgar desbancou BJ Penn, o melhor peso leve de todos os tempos. Passados dois anos da grande zebra, com uma vitória dominante na revanche contra BJ e depois de duas batalhas de proporções bíblicas com Gray Maynard, Frankie parecia um campeão indestrutível. Até que um forasteiro apareceu em seu caminho.

Ben Henderson chegou ao UFC com a imagem desgastada. Ele perdera o cinturão do WEC para Anthony Pettis por causa do Showtime Kick. Marcado na história como antagonista de um dos momentos mais espetaculares que o MMA já viu, Henderson foi comendo pelas beiradas e, depois de três boas vitórias, teve sua chance contra Edgar. Azarão pagando 2.2 nas casas de apostas, o “Smooth” usou sua vantagem física e uma sólida dieta de chutes baixos para quebrar o ritmo do campeão e vencer na decisão dos juízes.

Ben Henderson desbancou Frankie Edgar no Japão (Foto: Al Bello/Zuffa LLC)

Ben Henderson desbancou Frankie Edgar no Japão (Foto: Al Bello/Zuffa LLC)

O UFC 144 foi a primeira vez da Zuffa no Japão e primeiro evento da organização no país desde o UFC 29. Naquela mesma noite de 2012, Pettis teria conquistado seu posto de desafiante, mas novamente uma revanche adiou os planos – antes, a trilogia de Edgar com Maynard jogou Pettis para frente e agora foi a vez da revanche entre Henderson e Edgar.

UFC On FUEL TV 8, 03/03/2013: O canto do cisne do maior ídolo do Japão

Alguns parágrafos acima eu cunhei que Sakuraba foi o maior ídolo do MMA japonês. Mas provavelmente ele não foi o maior dentre os que fizeram fama no país. Esta posição cabe a Wanderlei Silva, lutador que mais venceu lutas e anotou nocautes na história do PRIDE.

A última luta da carreira de Wand, pelo menos enquanto o imbrólio com a Comissão Atlética de Nevada não acaba, aconteceu no país que o consagrou. Na gangorra de resultados, o curitibano foi convocado para enfrentar o heroi de guerra americano Brian Stann. Eles trocaram porradas por selvagens nove minutos e oito segundos, com direito a knockdowns de lado a lado, e o “Cachorro Louco” voltou a inflamar a Saitama Super Arena depois de quase sete anos.

A pancadaria rendeu o bônus de luta da noite a ambos e o de nocaute ao brasileiro, este dividido com Mark Hunt, que quebrou o maxilar de Stefan Struve. O evento marcou ainda a maior audiência da história do canal americano FUEL TV, hoje FOX Sports 2.

Wanderlei Silva e Brian Stann protagonizaram pancadaria épica na Saitama Super Arena (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

Wanderlei Silva e Brian Stann protagonizaram pancadaria épica na Saitama Super Arena (Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC)

  • Juan

    Retrospectiva interessante.

  • Marley Fortunato da Silva

    Bom dia para todos os internautas, que iram se deleitar com mais um ótimo texto do Alexandre!!

    Ver um evento no Japão, é apertar o botão nostalgia e lembrar dos tempos gloriosos do Pride! Sendo que estes eventos do UFC na terra do sol nascente, também foram históricos, apesar de eu só ter assistido através de VHS, muitos dos que vão comentar nem sabem o que é!

    Um dos melhores momentos que tenho na mente, foi a luta de Pat Miletich, que foi um dos maiores responsáveis em me fazer gostar de MMA!

    Em relação ao Vanderlei silva, eu sou como você Alexandre, privilegio a arte, a técnica, a estratégia de luta em detrimento da pancadaria pura e selvagem, mas com o Vanderlei era diferente, pois ele conseguia me encantar com o seu jeito de quebrar o psicológico do adversário na pesagem, com seu jeito de “cachorro louco” de trocar sem medo de ser nocauteado; naquela luta contra Brian Stan, The Axe Murderer, despertou em mim e nos mais de 14.000 pessoas no Saitama Super Arena, “os instintos mais primitivos”!

    • Sim, o Wand fazia isso mesmo, por isso tinha tantos fãs, mesmo sendo limitado tecnicamente.

      • Rafael Maia

        O Rich Franklin falou que lutar com o Wand (nos bons tempos), era como lutar contra um furacão.
        Não acho que isso tem espaço no MMA de hoje, mas eu assisto as lutas do Wand no Pride periodicamente, só pra não esquecer como foi!

        • Tipo isso mesmo. E com regras que permitem tiro de meta e pisão, além de ringues com cordas, facilitam mais o estilo do Wand.

      • Marley Fortunato da Silva

        Por que é aquilo Alexandre: já pensou que no MMA só existissem lutadores como Demetrious Johnson e GSP? Eu acho o máximo estes caras, mas as vezes é bom ver um Vanderlei Silva, uma Paige Vanzant onde a vontade supera a técnica!

    • André Monte

      É isso ai marley….kd vc meu filhote.

      • Marley Fortunato da Silva

        Fala André!
        Pô cara, Eu sei que estou bem sumido do grupo, devido alguns compromissos, mas vou voltar para participar dos palpites das lutas! um grande abraço!!

  • Bruno Fares

    Nossa, não tinha ideia que o Sakuraba tinha sido campeão do UFC.

    • Campeão de torneio, mas foi. Por isso que eu levantei essa bola, porque muita gente não sabia disso.

  • Paulo Melo

    Recordar é viver , curto muito esses textos que voltam no passado , já que aprendo muito
    Comentando o que acompanhei , essa luta do Bendo , lembro um cara que trabalhava cmg ( o unico que gostava de mma na empresa , fora eu que estava começando ) disse que o “tal” Edgar era um animal e tudo mais e tal , lembro que fiquei com essa lembrança antes de ver a luta que tive que ver num link na net , pq como o evento foi tarde o bar fechou , me fazendo perder 2 lutas antes rs
    E eis que aquele lutador que ficava arrumando o cabelo ( apelidamos ele de “mendigo” , pq qdo vi , falei : esse maluco parece um mendigo ! o apelido pegou entre eu e meus amigos ) , se movimenta muito e com uma pedalada inicia uma vantagem na luta , comecei a curtir ver o Bendo lutar naquela luta , e eis que ele se torna campeão !
    Wand vs Stann … eu tava qse dormindo ( dificilmente tenho sono vendo MMA ) naquele card , achei as lutas até então muito chatas , eis que o “Hunto” quebra a mandíbula do Struve , o que me fez dar uma acordada , mas Wand vs Stann foi épico , troca de porrada o tempo todo , Wand caindo e se segurando no Stann ! E eis que o Wand faz a finta e manda duas pedradas , fechando o evento com chave de ouro ! Que luta !

    • Lembrando que Hunto vs Struve foi péssimo até o nocaute.

      • Bruno Fares

        Mas valeu a pena, pq o Hunt é demais. Ele bate e sai andando, nem vai conferir.

        • Sim, mas foram 11:40 de luta lixo. Por sorte esse walk-off dele faz a gente esquecer do quão ruim foi a luta.

  • Arthur Malaspina

    Que nostálgico! Grande texto!

    Wand vs Stann foi coisa linda de deus! Que quebra pau!

    Sou meio suspeito porque sou fã de todos os lutadores citados!

  • Rafa FriAll

    Muito legal, e essa luta do Wand foi um espetáculo. Se após ela tivesse se aposentado, iria encerrar a carreira por cima e como um dos maiores.

    • Danilo

      Pois é, duas coisas que Wand não soube como lidar: A hora de parar e a de ficar calado.

      A segunda, inclusive, ele continua sem saber.

  • Lucas Natan

    [OFF]
    Pessoal, estamos com um grupo no what’s app pra falar sobre MMA, o pessoal é, em sua maioria, daqui do mmabrasil e do sexto round , mas temos poucas pessoas no grupo. Quero convidar quem quiser participar.

    A gente aposta nos vencedores dos eventos, e o vencedor ganha um brinde pra coroar (só pra incentivar mesmo, algo simples). E agora vamos começar um “turno” , que vai desse fim de semana até o fim do ano, onde o vencedor pode ganhar uma camiseta relacionada ao MMA (estamos confirmando).

    Enfim, meu número é 38 9847-4610 , quem quiser participar só mandar msg pra esse número aí ou deixar o número aqui nos comentários.

    Abraço.

    • André Monte

      Excelente ideia jovem.

    • Lukas Andrade

      Adiciona aí (81) 984373128

    • Pedro Lins

      se a camisa for da Hayabusa… hehehe

    • Ilton Souza

      (85) 9 8796-4872

  • Bruno carrer

    Excelente texto Alexandre, pois relembrar é viver

  • Lukas Andrade

    Edgar vs Henderson foi vitória do Edgar, na minha opinião, mas foi uma luta bem igual. Mas Henderson vs Edgar II foi um roubo claro, vi um 49-46 claro pro Edgar.

    • Sim, a segunda foi clara pro Edgar, mas a primeira eu dei pro Henderson.

  • Danilo

    Mais um ótimo texto, Alexandre! Pura nostalgia.

    Ao lembrar da luta entre Frank e Tito, um momento que não esqueço é a banana que Frank Shamrock deu depois de nocautear o Tito a base de muquetas. O que foi muito legal, pois Tito vinha jogando Frank no chão durante toda a luta até o momento.

    Lembro que torci muito pro Miletich ganhar do Carlos Newton, mas infelizmente não deu.
    Na primeira luta entre Henderson e Edgar, aceito vitória pro Bendo pois a luta bem parelha. Mas na segunda acho que Edgar venceu.

    E sobre Wand, como Rafa bem disse ali embaixo, poderia ter parado. Uma vitória, no seu clássico estilo selvagem, na saitama super arena, diante do público japonês onde se consagrou. Seria épico.
    Mas ele conseguiu estragar tudo fazendo e falando muita merda. Enfim.

    • Também torci pro Miletich contra o Newton e também acho que o Edgar ganhou a segunda do Henderson, mas perdeu a primeira. E também acho que o Wand poderia ter parado ali.