Liam McGeary pega Tito Ortiz no triângulo invertido e tem encontro marcado com Phil Davis

No Bellator MMA: Dynamite 1, Liam McGeary mantém cinturão contra Tito Ortiz, Phil Davis vence torneio com facilidade e Saulo Cavalari é o 1º brasileiro campeão do GLORY.

Tito Ortiz tinha uma chance para reconquistar um cinturão depois de mais de uma década. Porém, a chance envolveria atacar o ponto forte de Liam McGeary. E quando algo tem tanta chance de dar errado, provavelmente vai dar.

Na luta principal do Bellator MMA: Dynamite 1, evento híbrido de MMA e kickboxing realizado neste sábado, no SAP Center de San Jose, Califórnia, o campeão McGeary aproveitou a primeira oportunidade clara para finalizar o quarentão Ortiz no assalto inicial.

O duelo começou lento, com estudos de ambos em pé. Tito então aplicou uma queda que Liam pareceu não ter feito nenhum esforço para evitá-la. O integrante do Hall da Fama do UFC caiu por cima e começou a trabalhar no ground and pound. Chegou até a passar a guarda de McGeary, mas causou poucos danos. Monstrando calma, o campeão esperou o ritmo do oponente cair. Primeiro foi uma tentativa de chave de braço, quase que um teste. Em seguida, repôs a guarda e rapidamente grampeou o americano com um triângulo invertido. Fim de papo na marca de 4:41 de luta.

Esta foi a primeira vez que Ortiz foi submetido desde 1997, quando caiu numa guilhotina de Guy Mezger ainda em sua segunda luta. Na verdade aquela foi a única vez que Tito sofreu uma finalização clássica antes deste sábado – ele bateu sob espancamento para Frank Shamrock, em 1999.

LEIA MAIS Fim do mistério: Fedor Emelianenko vai lutar no evento de fim de ano do ex-presidente do PRIDE

Phil Davis conquista GP com uma finalização e um nocaute

O ex-UFC Phil Davis estreou no Bellator mostrando que está muito acima dos adversários na nova casa, pelo menos dos que ele enfrentou. O Mr. Wonderful conquistou o torneio de uma noite dos meios-pesados e será o próximo desafiante de Liam McGeary.

Para chegar na final, Davis encarou na primeira luta o ex-campeão Emanuel Newton. Sem dar sopa para o azar, já que voltaria a lutar pouco tempo depois, Davis tratou de colocar o wrestling para jogo. Ele derrubou Newton, pegou as costas e retornou para finalizar na kimura, sua marca registrada.

Davis pegaria na final Muhammed “King Mo” Lawal, que estreou vencendo o ex-desafiante Linton Vassell. Porém, uma queda aplicada pelo inglês machucou a costela de King Mo. Como o tempo de descanso esfriou o corpo de Lawal, as dores aumentaram e ele ficou impossibilitado de voltar para a final. Vassell, que levou um knockdown e engoliu diversas pancadas fortes, também foi vetado de continuar. Sobrou então para a terceira opção, Francis Carmont, que venceu a luta reserva na abertura da programação, cerca de cinco horas antes.

Na final contra Carmont, Davis nao teve nenhum problema. A luta passou cerca de dois minutos sem nada acontecer além de Carmont balançar os braços para confundir o americano. Pois quando o francês avançou, Davis acertou um cruzado de esquerda que mandou o oponente a knockdown. Mais dois ou três socos foram aplicados até o árbitro interromper na marca de 2:15.

Saulo Cavalari é o primeiro brasileiro campeão do GLORY

Na primeira vez que um brasileiro disputou um cinturão do GLORY, Saulo Cavalari repetiu a vitória do ano passado sobre Zack Mwekassa para ficar com o título dos meios-pesados que estava vago desde que Gökhan Saki foi destituído por passar mais de um ano sem defender a coroa.

O congolês começou melhor com sua agressividade costumeira e venceu o primeiro assalto. Saulo voltou melhor no segundo e mandou o rival à lona com um belo chute alto, mesmo artifício que lhe rendeu o nocaute de 2014. Mwekassa se recuperou e, com um duro trabalho na linha de cintura do brasileiro, igualou as ações e passou no placar, graças a um ponto perdido pelo brasileiro no segundo assalto, que fez a vantagem cair de 10-8 para 9-8.

Mais versátilo como kickboxer que o africano, que trabalha mais o boxe do que os chutes, Cavalari voltou a encaixar boas sequências nos dois últimos rounds e conseguiu a virada. Na contagem do MMA Brasil, Saulo Cavalari venceu por 47-46. Dois juízes marcaram 48-46, enquanto o outro anotou empate em 47-47, definindo assim a vitória do curitibano por decisão majoritária.

  • silva dias

    Vamos lá, alguns pontos a destacar eu particularmente esperava mas do Newton, foi muito mal contra o Davis. E uma pergunta Alexandre Davis v McGeary quem leva? haha.

  • Gutierres Nascimento

    Foi um grande evento, triste o King Mo não ter condições de fazer à final. Tito Ortiz teve uma performance digna, gostei disso. As lutas de kickboxing agradaram bastante também; e tô muito curioso pra ver McGeary vs Davis.

    • Digno pelo lado de não ter passado vergonha?

      • Gutierres Nascimento

        Exato.

        • Bem, como ele perdeu do modo mais previsível e praticamente na primeira tentativa do McGeary, não sei se podemos dizer que ele não passou vergonha. Não foi humilhado no sentido de entrar na porrada porque esse nem é o estilo do McGeary, mas ele perdeu do modo mais previsível possível praticamente sem conseguir se defender (não prestei atenção, mas vi gente dizendo que ele chegou a bater na chave de braço). Foi tipo o Garrincha driblando pra direita: todo mundo sabia e nego caía assim mesmo. Como o McGeary não é um gênio como era o Mané…

          • Gutierres Nascimento

            eu imaginei que o McGeary ia negar umas tentativas vergonhosas de queda e nocautear rapidamente, devia ter pensado que não seria um grande problema pra ele ficar por baixo do Tito

            • Acho que o McGeary levou a queda do Tito com o mesmo pensamento do Werdum sendo derrubado pelo Velasquez com o sorrisinho no rosto e a guilhotina armada.

  • Gabriel Monteiro

    É inegável que o Scott Cocker sabe fazer um show. O evento foi todo voltado para o público e é muito legal de ver.
    Senti falta de uma resenha da luta do Thompson..

    • A luta do Thomson não teve graça nem relevância. Não consegui prestar atenção em mais da metade dela. Bronzoulis não tem nível, é fraco com as costas no chão e mal conseguiu defender queda.

      • André Guilherme Oliveira

        De qualquer forma foi a estreia do cara no Bellator e acredito que merecia ao menos uma nota. Foi uma bela finalização e uma bela atitude ao perceber o oponente ainda apagado.

        • Eu teria que rever a luta, perdi pelo menos metade dela. Não é de meu feitio falar sobre o que não vi direito.

  • André Guilherme Oliveira

    Grande evento, um verdadeiro show. Gostei das performances do Davis, o King Mo também se apresentou muito bem e foi decepcionante ele não fazer a final. De qualquer forma aquele Suplê que o machucou foi belíssimo.

    O Thomson conseguiu uma bela finalização depois de dominar o Bronzoulis a luta inteira, grande volta depois de ser tão roubado que parecia ter perdido a vontade de lutar no UFC.

    O Cavalari também lutou muito bem, tomou uma pressão no primeiro round, mas após isso acabou dominando bem a luta.

    De ruim no card principal so a luta feminina no Glory, o Scott Cocker ta fazendo um belo trabalho no Bellator.

    • Coker faz um belo trabalho no campo do entretenimento. No campo esportivo tem várias falhas.

      • André Guilherme Oliveira

        Não poderia concordar mais, ele realmente tem privilegiado o show em detrimento do talento, tanto que alguns lutadores já estão começando a se manifestar.
        Liberou bons lutadores por nada, abriu mão da competitividade em algumas categorias e deixou o mérito dos antigos campeões de torneio de lado. Isso é péssimo pro evento.

        Agora, nada no Bellator tem me chateado tanto como o modo que eles trataram o caso do Frodo Kashbulaev.

  • Gabriel Carvalho II

    Gostei do evento.

    Não lembro se eu falei isso ou se o Alexandre comentou, mas a ”SBTização” do Bellator é muito boa. Creio que não irá passar o seu maior concorrente, mas irá trazer coisas que você não vai ver no mainstream.

    Não sei se já confirmaram o Rickels, mas bem que o Bellator podia meter o Thomson pra pegar o Chandler em novembro, seria sinistro!

    • Eu falei sobre “strikeforcezação” do Bellator. E isso é bom pelo lado do entretenimento, mas levou o Strikeforce à falência. Espero que a Viacom segure a onda do Scott Coker.

      Fora isso, Coker e Rich Chou trouxeram pro Bellator a mania que tinham no Strikeforce de colocar lutador famoso contra morto de fome. Isso é foda também, não tem graça nenhuma.

  • Marley Fortunato da Silva

    Bom dia a todos os amantes de MMA!
    Gostei muito do evento…É muito bom quando um empresário pensa fora da “caixinha” e nos brinda com algo que ficamos acostumados a não ver mais. Apesar dessa evento ter confirmado (pelo ao menos para mim), que o nível técnico dos atletas está bem abaixo do UFC, é bom ver que o MMA não se restringe a companhia presidida pelo Dana White.

    Em relação a Phil Davis, achei uma injustiça o UFC não valorizar o atleta, pois ele deveria ter tido uma oportunidade de disputar o titulo (mesmo que perdesse para Jon Jones e Daniel Cormier), pois acho que ele seria top 3 atualmente. Espero que ele fature o cinturão do Bellator!

    • A maioria está abaixo do nível do UFC mesmo, mas uma luta do Davis contra o King Mo talvez mostrasse que há exceção (porque há mesmo).

      • Marley Fortunato da Silva

        É verdade Alexandre! Fiquei chateado pelo fato do King Mo ter se contundido. Seria uma luta muito interessante!

      • caveira king of stab

        vocês acham que esse evento é ruim comparado ao ufc, e concordo, mas também esquecem que 90 % dos lutadores do ufc são terríveis, e só pegar do 8 colocado do ranking pra baixo e dar uma analisada, em algumas categorias, até do 5 pra baixo, é tudo lixo

        • hahahahaha você é sensacional!

          • caveira king of stab

            cara..é claro que todos do ufc são bons comparado com um peréba como eu, mas o que eu quis dizer é que muitos deles não são completos…te dou até exemplos grotescos entre os melhores das categorias…os braços do pettis são inúteis, rda expôs isso, adefesa de quedas do mcgregor é motivo de piada, assim como sua defesa de costas para o chão, então pega um clay guida, o cara não sabe dar um soco…aquilo é um lutador? seja sincero comigo? demian maya, também não sabe dar um soco, é uma desgraça pro mma, muitas “lendas” do mma passaram a carreira inteira fazendo o anti jogo do wrestling ou do jiujistu, justamente pq não tinha a mínima noção de luta em pé, só foram aprender a lutar em pé no final de carreira, e mesmo assim lutaram toscamente e foram aniquilados por qualquer lutador top da categoria…exemplo é minotauro, endeusado pelos brasileiros e por todos no mma, por favor, o cara é um saco de pancadas humano, só venceu no jiujitsu a vida toda.. tito ortiz, não sabe dar o soco até hoje….até o vitor belfort teve uma carreira mediocre, só venceu zé ninguens, só recentemente no ufc começou a enfrentar lutadores de respeito em sequência

    • Lero

      Mas o Davis é quase o Bisping dos meio pesados, disputou eliminatória para o título contra o Rashad e perdeu, depois contra o Rumble e perdeu também. Estava a umas duas lutas de mais um disputa para o título e perdeu do Bader… O UFC só mantem porteiros porradeiros, porteiros grapplers de elite tipo Davis ou Shields, não são muito bem vindos na empresa.

  • Paulo Zanchet

    Achei bem bacana o evento. Mesclar o kickboxing com o MMA num mesmo evento é muito empolgante para os fãs da porrada. Eu, particularmente, curti demais. Acho que o Phil Davis leva o cinturão, mas de qualquer forma será uma grande luta. Parabéns ao curitibano! Não sabia que o Brasil tinha alguma expressão no kickboxing. Ah, e o que foi aquela entrada do Fedor no final? Sinistro!

    • Cosmo Alexandre foi campeão mundial de muay thai e do It’s Showtime, Francisco Filho é um nome lendário do K-1, Ewerton Teixeira e Glaube Feitosa fizeram bons papeis no K-1, Vitor Miranda já ganhou duas etapas do K-1, Alex Pereira foi campeão de um torneio do GLORY (assim como o Cavalari) e o Anderson Braddock foi vice em outro.

      • Renato Ribeiro

        O Cosmo Alexandre é meu camarada de infância, a gente morava na mesma rua e estudava na mesma escola. Quando ele começou com essa parada de luta – a gente não sabia bem o que era, só sabia que não era karatê – ninguém achou que o moleque fosse chegar tão longe, ainda mais saindo de São Vicente. Acho a história dele foda demais.

  • Danilo Lopes

    Gostei do evento, belas lutas e aquela produção de sempre. Lene Hardt anunciando os atletas de deixou muito nostálgico, principalmente quando ela fez a entrada do Fedor.

    Foi muito interessante ver como o público de MMA é muito segmentado. Eu diria que as opiniões estavam em 50/50 com relação a quem conhecia a Lene e tava emocionado de vê-la introduzindo os atletas e aqueles que não a conheciam e em geral estavam detestando sua voz.

    Com relação às lutas fiquei aliviado com a vitória do Saulo, ele foi muito prejudicado por um juiz mal informado sobre as regras do Glory. Tirou ponto dele por clinch sem previo warning – coisa que não existe nas regras do Glory. Também não anotou KD e sim Split naquele KD com chute na cabeça que deu pra ver até os olhinhos do Mwekassa virando.

    Fiquei mais feliz quando vi o Carmont ao invés do Kingo Mo, Mo vs Phill tinha tudo pra ser uma das lutas mais chatas de todos os tempos.

    Com relação ao Tito, me surpreendeu demais ver a imprensa americana subestimando tanto o jogo de chão do Lian e dizendo que ele só tinha chances em pé. A guarda do cara é sinistra, mas eu acho que o Phill consegue anular ele no Riding Position e tomar o cinturão.

    É isso ai. Bellator pode não ter um elenco lá dos melhores mas tem feito eventos geniais mais voltados pra fãs antigos de MMA.

    • Conheço a Lenne desde sempre e nunca fui desses fãs ardorosos. Era legal, tinha a ver com o PRIDE e só. Não é o estilo de announcer que eu gosto.

      Discordo muito que Carmont seria melhor que o King Mo na final. A luta seria mais competitiva (e essa parada de luta mais chata de todos os tempos é balela, várias lutas entre wrestlers de elite viram pancadaria). Só isso pra mim já justificava, seria bem melhor do que o troço tosco que rolou, com o Carmont fazendo nada e levando um porradão. A final foi constrangedora em vários aspectos.

      • Beto Magnun

        Acha que a mudança de categoria prejudicou o Carmont ou ele só se perdeu? Pois o cara era um adversário duro, mas depois da derrota para o Jacaré parece que não é mais o mesmo.

        • Acho que se perdeu até antes, quando largou de mão a luta em pé pra querer apenas derrubar e deitar por cima. E quando tentou voltar a trocar em pé, já estava perdido.

  • Bruno Fares

    Baita evento, baita produção! Concordo com a maioria, pode não ter os melhores lutadores mas é um baita show ainda!

    • Rafa FriAll

      Curti bastante tb.

      • Você é viúva e barangueiro.

        • Bruno Fares

          Legal é luta pelo cinturão dos moscas! (polêmica!)

  • Lero

    Que merda de lutas principais no Glory foram essas, com caras estreantes, outros de cartel negativo no kickboxing e lutadores do Bellator lutando Kickboxing.