King Mo consegue vingança sobre Rampage Jackson em luta monótona no Bellator 175

King Mo consegue vingança sobre Rampage Jackson em luta monótona no Bellator 175
MMA

Em combate mais animado que o primeiro, King Mo Lawal se vingou de um desmotivado Rampage Jackson e já ficou sabendo que enfrentará Ryan Bader em Nova York.

Depois de quase um mês sem realizar eventos, aparecendo na mídia somente para anunciar contratações e o grande pay-per-view de Nova York, a segunda maior organização de MMA mundial voltou a dar o ar da graça na AllState Arena, em Rosemont, Illinois, com o Bellator 175. Como atração principal, o card trouxe dois dos maiores nomes que o Bellator pode oferecer, com a revanche entre o veteraníssimo Rampage Jackson e King Mo Lawal. Com a rivalidade entre os dois vindo desde uma decisão dividida polêmica, em 2014 – no primeiro PPV da história da organização – os dois se encontraram dessa vez no peso pesado para definir a rixa de uma vez por todas (eu espero).

Começada a peleja, Rampage, para a surpresa de ninguém, se mostrou pouco móvel, enquanto King Mo se movimentava bastante, acertando golpes e se mantendo longe das patadas do ex-campeão do UFC. Com Rampage plantado, a tarefa de grampear e tentar a queda era muito mais tranquila para Lawal, que quedou duas vezes e conseguiu controlar boa parte do round na grade.

Mostrando alguma vontade, Rampage começou a segunda parcial mais agressivo, mas ainda continou presa fácil para a aproximação de King Mo, que tentou a queda na grade por alguns minutos antes de uma interrupção de Big John McCarthy. Voltando ao centro do cage, Rampage avançou com uma sequência que chegou a abalar Lawal, que entrou em queda rapidamente, mas ainda levando golpes. Sem sucesso na tentativa, foi King Mo que acabou sendo levado para o chão por Rampage na mais absoluta grosseria, pouco antes do final do round.

Com a luta empatada indo para o assalto derradeiro, King Mo tentou insistentemente levar a luta para o chão nos primeiros minutos da parcial, travando na grade, mas sem conseguir fazer um Rampage 20 quilos mais pesado ir para o chão. Sem obter sucesso, foi então a vez de Rampage tentar sua entrada de queda, que foi muito bem defendida por King Mo, que quase conseguiu pegar as costas de seu oponente. Perto do minuto final, Lawal começou a pressionar cada vez mais na troca de golpes, acertando ótimas combinações no tronco de Rampage, que já não tinha mais fôlego para levar tanto perigo. Terminada a luta, King Mo foi declarado vencedor na decisão dos juízes, com um triplo 29-28.

A luta de King Mo Lawal não foi excelente, mas foi o bastante para garantir sua segunda vitória seguida dentro do cage do Bellator desde a derrota polêmica para Phil Davis. O americano já teve o próximo compromisso marcado ali mesmo, com o anúncio de um confronto contra Ryan Bader no evento de Nova York.

Já para Rampage Jackson, há pouco para se animar. Apresentando uma forma horrível em suas últimas duas lutas, parecendo não ter motivação nenhuma para continuar lutando MMA, é bem provável que Rampage pendure suas luvas após ter acabado de cumprir seu contrato com o Bellator.

Emmanuel Sanchez emenda segunda vitória seguida vencendo Marcos Loro na decisão

Na luta coprincipal da noite, dois atletas em momentos distintos na carreira se enfrentaram. Enquanto Emmanuel Sanchez vinha da melhor vitória de sua carreira, Marcos Loro subia de categoria buscando recuperar o desempenho que o fez ter sido campeão do Bellator.

Sanchez começou com a agressividade habitual, tentando muitos chutes, chegando a acertar um na face do brasileiro. Com muita desvantagem física, apesar de Loro fintar e entrar em queda no tempo certo, Sanchez conseguiu se defender tranquilamente e se manter melhor em pé. Apesar da melhora no final do round, o brasileiro buscava muito o golpe definidor, enquanto Sanchez acertava os melhores golpes, terminando o assalto com vantagem.

O mexicano voltou no mesmo ritmo para a segunda parcial, usando muito bem sua envergadura para acertar chutes e jabs, defendendo facilmente as tentativas de queda do brasileiro. Encaixando cada vez mais golpes com o passar do tempo, Sanchez chegou a jogar Loro no chão para depois trocar golpes abertamente antes do final do round.

O terceiro período se passou exatamente no mesmo ritmo, só que com Sanchez menos ativo depois de gastar muita energia nos primeiros rounds. Faltando segundos para o final da luta, Loro finalmente conseguiu levar Sanchez para o chão, mas já não tinha mais tempo para tentar nada que mudasse o seu destino.

A luta foi então para a decisão dos juízes, que deram a vitória unanimemente para Emmanuel Sanchez, com um triplo 30-27.

É inquestionável que Emmanuel Sanchez está na melhor fase de sua carreira. Com vitórias seguidas sobre Georgi Karakhanyan e Marcos Loro, ele chega bem perto de ter uma chance de disputa de título. Uma boa opção de luta para confirmar este status seria Daniel Straus, caso este perca para Patricio Pitbull.

Já o mesmo não pode ser dito sobre Marcos Galvão, que vem tendo atuações relativamente decepcionantes desde que perdeu o cinturão para Dudu Dantas. A derrota para um oponente como Sanchez deixa muitas dúvidas de suas chances contra o top 3 da divisão, mas acredito que o brasileiro insistirá em se manter neste peso. Sendo assim, acho que um duelo contra Noad Lahat seria interessante para ver se Galvão consegue ainda se manter relevante no Bellator.

Sergei Kharitonov nocauteia brutalmente Chase Gormley com um uppercut

Depois de ser alvo de uma das maiores zebras do ano, Sergei Kharitonov voltou ao cage circular do Bellator para enfrentar um adversário tão mediano quanto o que o nocauteou, o ex-UFC Chase Gormley.

Começando a luta trocando no centro do cage, Gormley buscava se movimentar bastante soltando diversos chutes e acertando bons jabs, mas, em um desses chutes, Kharitonov segurou a perna do americano e aplicou uma senhora joelhada na tampa de seu coco. Depois da joelhada, Kharitonov passou a avançar acertando mais golpes, mas também se deixando muito aberto para os de Gormley, que levava bastante perigo. Continuando avançando mesmo assim, o russo acertou uma combinação de direto e uppercut dos infernos de direita, que mandou Gormley para a mais profunda das valas aos 3:55 do primeiro round.

Conseguindo se recuperar depois do surpreendente nocaute que sofreu de Javy Ayala, o russo Sergei Kharitonov mostrou o que tem para oferecer na categoria dos pesados da organização e já pediu para lutar pelo cinturão. Porém, ainda não sei se já é hora para o 49 competir com alguém do topo da categoria, com uma vitória e uma derrota no evento. Assim, é bem provável que o Bellator opte por casá-lo contra algum bom nome que não ofereça tanto risco, como o também veterano do PRIDE James Thompson.

Já Chase Gormley fez sua última luta do contrato e, com apresentações não tão animadoras, não deve voltar a aparecer no Bellator.

Noad Lahat consegue segunda vitória no Bellator finalizando Lloyd Carter

Depois da excelente estréia em casa, no Bellator 164, Noad Lahat voltou aos Estados Unidos para enfrentar o mediano Lloyd Carter.

Ótimo lutador de jiu-jítsu, Lahat não demorou a tentar chegar no chão, mas, a principio, Carter conseguiu defender suas investidas. O americano parecia bastante temeroso em pé, se movimentando muito sem lançar nenhum ataque, mas acabou surpreendendo com um jab, levando o “Neo” rapidamente a knockdown. O israelense se recuperou rapidamente e conseguiu um double leg para levar a luta para o chão, onde dominou completamente até o final da parcial, com direito a tentativa de katagatame, montada e muito ground and pound.

Voltando para o segundo round, os dois continuaram hesitantes em pé, mas Lahat demonstrava superioridade, conseguindo uma queda depois de dois minutos. Tentando novamente finalizar, o israelense deu mole e quase acabou por baixo, mas muito por causa da inaptidão de Carter no chão, “Neo” acabou conseguindo pegar as costas do americano. Então foi questão de tempo para Lahat achar o mata-leão que finalizou a luta, passados 3:50 do segundo round.

Apesar de conseguir sua segunda vitória na organização, Noad Lahat não impressionou muito contra o menor e menos talentoso Lloyd Carter. Agora, passadas as duas lutas de aquecimento depois da chegada no evento, é hora de disputar contra os nomes mais talentosos da divisão dos penas. Minha sugestão seria um confronto contra outro lutador que se apresentou nesta noite, Marcos Loro.

Outros destaques do Bellator 175

Abrindo o card principal, vimos o jovem Steve Kozola destruir Jake Roberts, finalizando a luta em menos de 30 segundos com uma saraivada de socos, definitivamente chamando atenção para si. Ainda no cage, ele foi incentivado a provocar Dillon Danis e, como nada no Bellator normalmente é coincidência, provavelmente Kozola deverá ser o lutador a receber Danis no futuro (este inclusive deve ter sido o plano da organização botando Kozola no card principal).

No preliminar, vimos o jovem Joaquin Buckley se recuperar de sua primeira derrota na carreira – boa zebra que aconteceu no Bellator 164 – conseguindo a vitória em cima de Justin Patterson na decisão unânime. Outro lutador do card preliminar para se ficar de olho é Manny Vazquez, ex-campeão do peso galo do Legacy FC, que estreou no Bellator vencendo Nate Willians também na decisão unânime dos juízes.

Essas foram as principais atrações do Bellator 175, pessoal! Voltaremos já no próximo sábado, dia 8 de abril, para mais uma incursão de Scott Coker na Itália com o Bellator 176, que trará como luta principal a revanche da não tão empolgante disputa entre Rafael Carvalho e Melvin Manhoef, valendo o cinturão dos pesos médios. Além disso, no card principal, teremos também a presença dos ex-TUF Carrington Banks e Djamil Chan, enfrentando respectivamente Mihail Nica e Valeriu Mircea, além da presença de Anastasia Yankova confrontando a grega Elina Kallionidou.

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

  • James sousa

    legal essa luta do King Mo x Bader no MSG mais isso vai fazer o Davis fica muito tempo parado

    • Rafael Oreiro

      Com McGeary vs Vassell e Bader vs Mo, agora é impossível o Davis defender o cinturão antes de perto do final do ano

  • Sexto Empírico

    King Mo é uma flor do Bellator q nunca desabrochou. Desculpa a rima brega. Tô com preguiça pra pensar em outras palavras.
    King Mo só demonstra aonde está o patamar dos “kings” do Bellator.

    • Gabriel Carvalho II

      Pior que não desabrochou mesmo. O maluco tinha um potencial imenso e só caiu.

    • Rafael Oreiro

      Quando chega na hora dele embalar e mostrar que é ótimo, parece que ele sempre dá uma travada.

    • Asisz Marco

      apesar que ele poderia ter 2 vitórias a mais no cartel, rampage 1 e davis, foram lutas que maciçamente foram apontadas para o king mo em sites especializados, mas vc tem razão, King Mo nunca deslanchou de fato, mas eu acho que ele poderia vencer do Manuwa para baixo no ranking do UFC tranquilamente.

      • Vinicius Maia

        Ae que tá. O Mo é um excelente wrestler mas ele não impõe GNP. Ele tenta fazer controle posicional mas bate muito pouco. Não sei se tem muito punch. Não cravaria um vitória dele contra o Manuwa pois um Rampage de bico aberto no Round 2 não o nocauteou por que tava muito cansado e fora de forma. No mais seria uma luta interessante de se ver.

  • Gabriel Carvalho II

    Bem que o Bellator poderia ter feito um esforço pra colocar uma disputa de título nesse card. As lutas foram bem legais de se assistir e capitaneados por dois caras conhecidos, era uma boa oportunidade de promover um campeão.

    • Rafael Oreiro

      Não entendo abrir mão de uma disputa de cinturão em um card desses e deixar disputas de cinturão como as dos próximos dois eventos escondidas na Itália e na Hungria, ainda mais sem transmissão ao vivo.