Josh Barnett vira e pega Andrei Arlovski no mata-leão na luta principal do UFC Fight Night 93

Multicampeão no grappling Josh Barnett finaliza Andrei Arlovski na disputa de ex-campeões do UFC Fight Night 93, em Hamburgo, e se torna o segundo peso pesado com mais vitórias neste método nas grandes ligas do MMA.

Um animado duelo de veteranos ex-campeões do peso pesado fechou um evento não tão animado assim na estreia do UFC em Hamburgo, na Alemanha. Na Barclaycard Arena, Josh Barnett mostou o poder de seu grappling para vencer o bielorrusso Andrei Arlovski.

Punhos voaram para todo lado nos 30 segundos iniciais de luta. Arlovski e Barnett balançaram pesadamente pelo menos uma vez cada, dando a impressão que a luta não duraria muito mais do que aquilo. Os lutadores então trocaram força no clinch contra a grade e o europeu conseguiu uma queda e um breve trabalho no chão para garantir o primeiro 10-9.

Barnett mostrou muita inteligência a partir dali. Ele pegou o tempo de queda do adversário para reverter uma tentativa e acabar montado, primeiro pesando e desgastando o adversário, depois metralhando Arlovski no ground and pound, dando margem para o árbitro inclusive interromper a luta. Andrei mostrou coração e foi salvo pelo gongo depois de apenas tentar tirar a cabeça do tiroteio.

Arlovski voltou ainda com as pernas moles, mas tentou uma última ofensiva ao disparar saraivada de socos que contou até com dedo no olho de Barnett. O americano se descuidou, virou as costas e correu risco de ser nocauteado. Em seguida, travou no clinch e deu o golpe de mestre. Ao invés de voltar para o centro, Arlovski cinturou e tentou derrubar. Ainda no meio do movimento, Josh já pegou a kimura e caiu com o golpe encaixado. Andrei se safou, mas deu as costas e teve que batucar no mata-leão na marca de 2:53 da terceira etapa. A vitória rendeu US$100 mil a mais para Barnett, que levou para casa os bônus de desempenho e de luta da noite.

Esta foi a primeira vez que alguém conseguiu submeter Arlovski no MMA e também a primeira vitória de Barnett por este método desde que retornou ao UFC, em 2013. No entanto, o triunfo fez do americano o segundo peso pesado que mais venceu por finalização na história do peso pesado somando UFC, PRIDE, Strikeforce e WEC. Ele tem 9 finalizações, contra 13 de Rodrigo Minotauro, 8 de Frank Mir, 7 de Fabricio Werdum e 6 de Fedor Emelianenko. No retrospecto recente no UFC, Barnett segue alternando vitórias e derrotas, enquanto Arlovski chegou ao terceiro revés consecutivo.

Wrestling salva Alexander Gustafsson contra Jan Blachowicz

Antes da luta, havíamos dito que Alexander Gustafsson era melhor que Jan Blachowicz em todos os ramos. Pelo menos nesta vez, porém, o polonês mostrou que não é bem assim. Sorte do sueco que o adversário tinha uma brecha enorme a ser explorada.

Mesmo menor e com menos alcance, Blachowicz dominou as ações na troca de golpes, lançando socos e chutes, variando entre a cabeça e a linha de cintura de Gustafsson. O sueco se viu pressionado e teve que mudar a abordagem, aplicando uma queda e caindo por cima. Blachowicz mostrou o velho problema de lutar com as costas no chão, levou a virada no round e abriu o caminho para a vitória de Alex.

O tempo perdido foi bem menor no segundo assalto e Gustafsson logo derrubou e caiu por cima novamente. No chão, ele emulou o lado sujo de Randy Couture e Dan Henderson nos primórdios da Team Quest tapando o nariz de Blachowicz com a mão e passando a cabeça no rosto do oponente. Mesmo desgastado e ensanguentado, Jan voltou a dominar a troca de golpes no terceiro assalto, obrigando novamente o sueco a levar as ações para o chão em duas oportunidades para garantir a vitória.

Ryan Bader anota nocaute brutal sobre Ilir Latifi

Depois de rondar com o perigo, Ryan Bader manda Ilir Latifi para as profundezas da vala na metade do segundo round, recuperando-se da derrota na luta passada.

A imagem de Ilir Latifi caindo em colapso após joelhada de Ryan Bader

A imagem de Ilir Latifi caindo em colapso após joelhada de Ryan Bader

Bader adotou uma postura perigosa ao resolver trocar socos com o bruto Latifi. O sueco, aparentando estar fisicamente mais forte do que em outras oportunidades, foi ágil ao se desvencilhar de algumas tentativas do americano, defendeu as entradas que Bader deu para levar a luta para o chão e ainda conseguiu um knockdown quando uma violenta direita explodiu no queixo de Ryan.

Cheio de moral e confiança, Latifi voltou decidido para o segundo round, mas esse excesso acabou lhe custando a derrota. Achando que a disputa do wrestling lhe favorecia, ele tentou um single leg sem preparação prévia e, pior, sem reparar que Bader havia iniciado o movimento de joelhada. Pois Latifi foi em cheio em direção à rótula do oponente. A joelhada chocou contra o rosto do sueco com violência e mandou Latifi pesadamente à lona. Bader ficou com o segundo bônus de desempenho da noite.

  • IMPERADOR

    Sera que a derrota para o Johnson minou de vez o psicologico do Gustafsson?
    Em minha opinião, o melhor meio pesado do UFC: mais completo e com quase 100Kg, boxeia flutuando que nem um peso galo.
    Se isso, realmente, se verificar, será uma pena…