Por Gabriel Carvalho | 31/07/2018 13:15

Como já dito no título, José Aldo não será campeão do UFC novamente. E o mais importante é que não há problema algum nisso.

Antes de continuar, quero avisar que se você já está espumando de raiva e doido para me ofender na caixa de comentários, leia o artigo, pois em nenhum momento quero denegrir a imagem e os feitos de José Aldo. Interpretação de texto faz bem a todos.

Aldo definitivamente escreveu seu nome na história do MMA. Após conquistar o título do WEC de forma dominante, ele se tornou o primeiro campeão do peso pena da história do UFC e construiu um reinado impressionante. Foram sete defesas consecutivas de título, feito que é bastante complicado de se alcançar, conforme já provado por outros grandes atletas do UFC e pelo nível de dificuldade das lutas.

Além de ser muito dominante, José também chegou ao ápice cedo, já que foi campeão do WEC com 23 anos de idade. Porém, todo reinado esportivo acaba tendo um fim, e, no caso, dos mais dolorosos. Os dez anos de invencibilidade e os seis de título foram desmantelados em apenas 13 segundos por Conor McGregor. O que isso prova? Que McGregor é um sujeito fora de série, que utilizou a precisão para desmoronar uma das maiores fortalezas do MMA.

McGregor resolveu caçar outros caminhos e o título parou nas mãos de Aldo de novo, com uma atuação de gala contra Frankie Edgar, quando muitos – incluindo eu – já duvidavam de sua capacidade. O manauara foi colocado contra a parede e se desvencilhou de forma genial.

O brasileiro poderia reiniciar o seu reinado no peso pena depois da queda contra Conor, mas o esporte é feito de passagens de bastão. Aldo enfrentou um atleta novo, com um estilo que não tinha sido efetivamente testado contra, e que acabou dando certo (para o oponente) por duas vezes. Max Holloway, cinco anos mais novo que Aldo, superou o astro para conquistar a coroa dos penas.

Chegamos então ao status atual de Aldo. Mesmo perdendo de forma digna para um atleta mais novo e com um estilo que casava com uma de suas deficiências, a capacidade de José foi questionada novamente. Muitos duvidaram se um dos melhores de todos os tempos perderia para Jeremy Stephens, e ele provou que não. O nocaute fulminante foi um dos momentos mais bonitos da carreira de Zé, independentemente do que estava em jogo.

A atuação de José Aldo é suficiente para colocá-lo na linha para disputar o cinturão? Não. Ele mostrou muitos problemas de movimentação e engoliu alguns socos desnecessários quando teve a infeliz ideia de partir para a troca de golpes com Stephens. As aberturas dadas por Aldo seriam suficientes para uma geração nova e mais competente explorar e buscar o nocaute. Tendo em vista a idade, os danos ao corpo e sua atuação, podemos dizer que José Aldo não será campeão do UFC novamente.

Qual seria o motivo de tanta exigência? Por que um lutador que já escreveu seu nome entre os grandes do MMA precisa conquistar esse título de novo? Por mais clichê que isso soe, Aldo não precisa provar mais nada para ninguém no MMA. Ele poderia se aposentar amanhã e de cabeça erguida, sabendo que a sua história no esporte já foi feita. Existe um comportamento muito chato no MMA de exigir a máxima glória para todos os atletas, sendo que muitos deles não precisam disso para serem lembrados posteriormente. Aldo conseguiu e repetiu.

Claro que ele pode acreditar o quanto quiser que vá ser campeão, o que inclusive seria bom para os fãs, já que teríamos novamente a oportunidade de ver um fora de série lutando, motivado. Não faço ideia de qual seja a escolha que o ex-campeão tomará para a sua carreira daqui pra frente, mas, que foi um prazer vê-lo lutando, isso posso cravar.