Por Alexandre Matos | 09/07/2016 04:47

É muito bom quando um combate cercado de expectativas entrega o que prometia. Na noite desta sexta-feira, na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas, Joanna Jedrzejczyk viu a arquirrival Claudia Gadelha lhe dar um trabalho imenso, mas conseguiu uma virada espetacular na luta principal do TUF 23 Finale.

Claudinha aproveitou o conhecido começo devagar da campeã e anotou um knockdown com um jab logo nos segundos iniciais da peleja. A desafiante partiu para o trabalho no ground and pound e, mesmo quando a campeã se levantou, foi implacável no clinch e aplicou uma queda poderosa.

Joanna se recuperou a poucos segundos do fim do assalto inicial, pareceu que equilibraria a luta no começo do segundo, mas viu o clinch, o dirty boxing e as quedas de Gadelha surtirem efeito novamente. Mesmo quando Jedrzejczyk se levantou, Claudia não saiu de perto, seguiu na pressão e enviou a campeã mais uma vez para baixo, sob castigo no ground and pound.

A campeã jamais havia levado tanto tempo para acelerar o combate e Claudinha dava a impressão que tinha as ações sob controle. Foi quando a brasileira travou fisicamente de tanta força feita nos clinches e as combinações de Joanna passaram a entrar com consistência. A desafiante ainda conseguiu uma queda na raça, mas não teve forças para manter a rival no solo. De pé, as lutadoras trocaram couro pesado e Jedrzejczyk diminuiu o prejuízo para 29-28, mas já com o momento da luta em seu controle.

O quarto assalto foi um passeio. Exausta, Claudia ofereceu pouca resistência e só fez suportar o castigo sem cair. A energia de Gadelha se dirigia rapidamente para o buraco enquanto a campeã bailava, trocava a base e golpeava com combinações versáteis, desempatando o combate com um 10-8. Na última parcial, o ritmo de Jedrzejczyk seguiu forte, mas Gadelha tirou forças de onde não tinha para tentar a cartada decisiva. Porém, o esforço da potiguar serviu apenas para evitar o segundo 10-8.

Na contagem do MMA Brasil, a campeã manteve o cinturão com o placar de 48-46, mesma pontuação anotada pelos juízes Jeff Mullen e Marcos Rosales. Dave Hagen foi mais incisivo, marcou 10-8 também no quinto assalto e validou a decisão unânime a favor de Joanna Jedrzejczyk com um 48-45.

Tatiana Suarez e Andrew Sanchez conquistam o TUF 23

Nas duas finais do TUF 23, vitória dos favoritos Tatiana Suarez sobre Amanda Cooper e Andrew Sanchez diante de Khalil Rountree.

Tatiana Suarez comemora com o troféu do TUF 23 ao lado de seus treinadores

Tatiana Suarez comemora com o troféu do TUF 23 ao lado de seus treinadores

Tatiana teve o trabalho facilitado quando caiu por cima logo nos segundos inciais, mas Amanda deu o bote e esticou o braço da oponente. Suarez se safou do perigo, aplicou nova queda e bateu no ground and pound até encontrar a brecha para encaixar o triângulo de mão. Cooper bateu várias vezes por baixo do tronco da adversária, o árbitro não intercedeu e Tatiana não soltou o estrangulamento. Quando John McCarthy se aproximou, Amanda apagou e deu um chute por reflexo.

O wrestling de Andrew Sanchez deu conta de Khalil Rountree na final masculina do TUF 23

O wrestling de Andrew Sanchez deu conta de Khalil Rountree na final masculina do TUF 23

Na final masculina, Sanchez expõs a total falta de conhecimento de luta agarrada de Rountree. Andrew usou uma abordagem segura para escapar dos mísseis de khalil e executar quedas em todos os assaltos. No chão, Rountree deu a impressão que nunca treinou jiu-jítsu na vida. Guarda quase inexistente, quadril plantado no piso e nenhuma menção de raspagem fizeram de Rountree um sujeito que só esperou o tempo passar para ver a derrota oficializada.

Will Brooks estreia no UFC com vitória sobre Ross Pearson

No dia seguinte que o ex-campeão dos leves do Bellator conquista o título do UFC, outro antigo dono da coroa rival estreia com o pé direito no octógono.

Will Brooks teve uma atuação distinta em cada assalto. No primeiro, travou uma interessante batalha no clinch com Ross Pearson. No segundo, lembrou o lutador dominante do Bellator com muita pressão na longa distância, na curta (especialmente), nas quedas e no clinch, chegando perto de anotar um 10-8. No terceiro, Pearson ligou o senso de urgência e atacou implacavelmenteo adversário na grade, mas Brooks aplicou nova queda para quebrar o ímpeto do inglês. No fim das contas, os três juízes concordaram com o 29-28 anotado pelo MMA Brasil.

Doo Ho Choi aplica nocaute assombroso em Thiago Tavares

Apesar da cara de menino bonzinho, o sul-coreano Doo Ho Choi segue fazendo estrago no octógono. A vítima da vez foi o catarinense Thiago Tavares.

Thiaguinho não quis dar sopa para o azar e logo tratou de derrubar o asiático. Sabendo da qualidade do grappling de Tavares, Choi manteve a calma e se levantou sem se desgastar muito. Em pé, controlou a distância, negou as investidas do brasileiro e lançou um direto de direita no meio do rosto de Thiago, que caiu em situação periclitante e foi nocauteado no primeiro golpe no solo.

Netto BJJ leva 34 segundos para nocautear Andrew Holbrook

Antes que o americano Andrew Holbrook tomasse gosto pelo combate, o brasileiro Joaquim “Netto BJJ” Silva tratou de por um fim na contenda. Netto segurou um chute no corpo de Holbrook, botou o adversário no chão e o nocauteou com uma série de petardos no ground and pound.