James Vick nocauteia Joseph Duffy em card preliminar excelente no UFC 217

O UFC 217 teve um um card preliminar excelente, recheado de combates intrigantes, nocautes espetaculares e momentos curiosos, marcados por demonstrações de baixo QI de luta. No duelo que liderou a porção, James Vick Joseph Duffy se encararam durante dez minutos muito movimentados até que Vick conseguiu o nocaute a um segundo do fim do segundo round.

Em um primeiro round frenético, Duffy não deixou Vick encontrar seu ritmo. Com ataques em volume elevado, o irlandês usou chutes nas pernas e socos no corpo por conta das dificuldades em transpor a desvantagem na envergadura. Assim, venceu a parcial.

Entretanto, o americano voltou muito melhor para a segunda etapa e teve muito mais sucesso em suas investidas. A cerca de dez segundos do fim do assalto, Vick acertou um violento uppercut que mandou Duffy a knockdown. Ele seguiu com marretadas no ground and pound até a interrupção, que veio aos 4:59 do round de número dois.

Walt Harris é desclassificado por chute ilegal contra Mark Godbeer

Anteriormente agendado para o UFC 216, o confronto entre Walt Harris e Mark Godbeer foi cancelado na ocasião quando o primeiro foi chamado para substituir Derrick Lewis contra Fabrício Werdum no dia do evento. Como acabou finalizado sem muitos danos pelo brasileiro, Harris foi rapidamente escalado novamente contra seu adversário original no UFC 217.

Harris pareceu ter se inspirado no revés para Werdum e decidiu aplicar seu jogo de solo. Ele chegou inclusive a conseguir uma fácil montada, mas logo perdeu a posição. Após passar a maior parte da parcial por baixo, Godbeer trabalhou para se levantar. De pé, sofreu uma joelhada na região genital que obrigou o árbitro a interromper o combate para lhe conceder o regulamentar tempo de recuperação. Contudo, Harris continuou atacando e acertou um chute alto que deixou o inglês sem condições de continuar, conforme decisão do médico aos 4:29 do primeiro round. Dessa forma, Godbeer foi declarado vencedor por desclassificação.

Ovince St. Preux vira sobre Corey Anderson com nocaute espetacular

Única aposta unânime nos palpites do MMA Brasil para o evento, Ovince St. Preux teve muitos problemas, mas superou Corey Anderson com um violento nocaute por chute alto no terceiro round.

Depois de levar um forte direto de St. Preux, Anderson adotou uma estratégia focada na sua maior habilidade, o wrestling. Assim, anotou duas quedas de grande impacto, abriu espaço para seu boxe ter mais efetividade e travou o haitiano na grade em diversas oportunidades. Ele quase viu tudo ir pelo ralo quando Ovince avançou com uma intensa blitz, que chegou a deixá-lo bambo, mas não foi suficiente para virar o round, apesar de ser um sinal para o que estava por vir.

St. Preux começou o segundo assalto com a mesma toada do final do primeiro e acertou um chute alto que fez Anderson andar para trás e perder o protetor bucal. Após uma pequena brecha nos avanços de Ovince, Dan Miragliotta parou o combate para devolver o protetor para Corey. Este intervalo parece ter sido o suficiente para que Anderson voltasse a imprimir sua pressão no wrestling e anotasse algumas quedas sem dar espaços para que o haitiano trabalhasse.

Em desvantagem e precisando de um nocaute ou finalização para vencer, Ovince tratou de aproveitar quando Anderson lhe forneceu área para atacar na distância. Dessa forma, St. Preux tirou um chute alto monstruoso da cartola, que mandou o campeão do TUF 19 para as profundezas da vala na marca de 1:25 da terceira etapa e ampliou sua sequência de vitórias em 2017 para três.

Randy Brown se aproveita de falhas de Mickey Gall para triunfar

Randy Brown aproveitou uma grande exibição de falta de inteligência de luta por parte de Mickey Gall e voltou a triunfar em decisão unânime.

Brown tomou a maior parte das ações no primeiro assalto, com boa pressão em pé e algumas sequências fortes de socos. Além disso, pontuou com uma queda e trabalhou por cima durante quase todo o round, escapando de investidas de triângulos e chaves de braço de Gall e conectando com diversos ataques pesados no ground and pound.

Já na segunda parcial, Mickey tentou uma queda estabanada e ficou por baixo de Brown, mas logo conseguiu raspá-lo e tratou de mostrar suas habilidades por cima, com forte controle posicional, ground and pound de fluxo constante e passagens de guarda. Gall ainda tentou uma guilhotina e montou para devolver o passeio sofrido na primeira etapa na mesma moeda.

Com a luta empatada no começo do terceiro round, Gall tomou a inexplicável decisão de puxar Brown para sua guarda. Assim, sofreu imediatamente uma sequência muito forte de golpes no solo. Após sobreviver, Mickey só ameaçou novamente em uma tentativa desesperada de guilhotina que o jamaicano defendeu sem maiores dificuldades. Dessa forma, Randy apenas se manteve no controle das posições até o fim do combate e saiu vitorioso por decisão unânime, com dois juízes anotando o placar de 29-28 e o terceiro um 29-27, com um provável 10-8 no primeiro round.

Curtis Blaydes quase se torna vítima de seu QI de luta, mas nocauteia Oleksiy Oliynyk

Em confronto entre lutadores que buscavam um lugar próximo ao top 5 dos pesos pesados, Curtis Blaydes superou Oleksiy Oliynyk por nocaute técnico.

O ritmo do primeiro round nem parecia o de dois pesos pesados de fora da elite. Blaydes tratou de levar a luta para Oliynyk, com algumas quedas aplicadas e diversos momentos nos quais ambos se travaram no thai clinch e dispararam uma chuva de uppercuts contra o queixo do outro. Nessa, o ucraniano levou a pior, se cansou e virou presa fácil para o americano, que quase conseguiu a interrupção.

Na volta para a segunda etapa, mais troca de golpes potentes seguida de nova queda de Curtis. O americano seguia com a vantagem e infligia muitos danos até o momento em que teve a inexplicável ideia de disparar um chute contra o rosto de Oliynyk, mas que apenas resvalou em sua orelha, enquanto este estava no chão, o que fez com que o árbitro parasse o combate para dar tempo para o ucraniano se recuperar. Todavia, o médico que o examinou declarou que ele não tinha mais condições de seguir na luta. Então, após muita discussão, a Comissão concluiu que o golpe não foi determinante para o término do combate e tornou Blaydes o vencedor por nocaute técnico aos 1:56 da segunda parcial.

Ricardo Carcacinha apaga Aiemann Zahabi com cotovelada infernal

No duelo que abriu o card, Ricardo Carcacinha aplicou um dos fortes candidatos ao prêmio de nocaute do ano com uma cotovelada rodada monstruosa contra Aiemann Zahabi no terceiro round.

O combate começou com vantagem para o brasileiro, que acertou golpes pesados e conseguiu derrubar o adversário algumas vezes para vencer a primeira parcial. No entanto, o canadense se encontrou na luta no segundo assalto, com um controle mais efetivo da distância e sólida dieta de jabs para evitar as investidas mais potentes de Carcacinha. Assim, o embate alcançou seu último round empatado.

Com ambos precisando vencer a parcial para levar a vitória, Ricardo começou mais ativo, mas teve seu ímpeto reduzido em muitos momentos pela abordagem mais calculada de Zahabi. Contudo, ao ser encurralado, o brasileiro tentou uma cotovelada giratória, defendida pela guarda do canadense, que aproveitou a brecha para disparar golpes mais pesados. O problema para ele foi que nessa empolgação, Carcacinha repetiu o movimento que tinha tentado anteriormente, mas girou para o outro lado dessa vez e encontrou a têmpora do oponente, que desabou nocauteado na marca de 1:58 do terceiro round.

  • James sousa

    Excelente luta entre o Carcacinha x Aiemann Zahabi .dois mostraram porque estão no TOP 10 do futuro