Hoje é dia de Karate

Por Rodrigo Cruz | 16/02/2014 23:05

lyoto_machida_Way_Of_warEm 2014 faz 20 anos que comecei a treinar Karate. Tentei capoeira e judô antes, mas não consegui me apaixonar. Com o Karate foi diferente. Tinha feito a peneira pra o time de futsal sub-10 do colégio Hipócrates. Como não passei, fui tentar mais uma arte marcial. A partir daquele dia, fui descobrindo aos poucos a verdadeira arte de Gichin Funakoshi e tenho a honra de ter moldado meu caráter a partir dos seus ensinamentos.

Alguns torcedores dentro do MMA pouco entendem que existe uma grande diferença entre ATAQUE PESSOAL e DEFESA PESSOAL, e esperam sangue. Karate não é isso. O Karate bem feito é aquele onde o seu adversário ataca e você consegue contra-atacar antes de receber o golpe. Esta é uma das belezas do Karate-Do.

Ao longo de minha vida, fiz cerca de 80 lutas de Karate. Enfrentei vários faixas pretas de todos os lugares, cada uma delas é um novo aprendizado. Lutar contra alguém que sabe a “arte das mãos vazias” é terrível. Nós percebemos nos olhos de quem não tem esta habilidade em lutas de MMA. Você ataca, mas as mãos de seu adversário chegam primeiro em seu rosto. Como isso é possível?

Neste sábado, no UFC Fight Night 36, Lyoto Machida fez uma luta linda, emocionante para os fãs de sua arte. Se a montanha não vem a Maomé, Maomé vai até a montanha. Machida buscou o combate de forma inteligente. Soltou lindos Mawashi-Geris (chute lateral) que poderiam ter nocauteado Gegard Mousasi. Lançou Ato-Geris, Mae-Geris, Gyaku-Zukis (socos frontais com a perna trocada), além da base característica do Karate, pouco vista no MMA.

Hoje é dia de Karate. Todo dia é dia de Karate.

Gambarimasho. Oss.

Faixa-preta de caratê e praticante de jiu-jítsu e MMA. Jornalista e publicitário por formação, atua profissionalmente como promotor de eventos e agenciamento de atletas.