Helen Maroulis: do mato sem cachorro a uma das maiores conquistas olímpicas da história

Campeã mundial numa categoria não-olímpica, a americana Helen Maroulis tinha duas opções: baixava de peso para encarar a maior de todos os tempos ou subia para enfrentar a segunda maior. O que ela fez foi gigante.

Jogos Olímpicos sempre reservam momentos históricos que emocionam os fãs de esporte. Nesta quinta-feira, 18 de agosto, na Arena Carioca 2 do Rio-2016, os fãs de wrestling viveram uma ocasião especial, que entra para os anais olímpicos. Afinal, não é todo dia que uma titã é abatida em ação.

A wrestler Helen Maroulis é uma das grandes revelações da equipe americana. Ela conquistou o Campeonato Mundial de 2015 lutando na categoria até 55 quilos, que deixou de ser olímpica depois de Londres. Para cumprir o sonho de tentar buscar uma medalha no maior palco do esporte, Helen teria que tomar uma decisão: ou baixava dois quilos ou subia três. Em ambos os casos, uma monstra a aguardava.

Caso decidisse baixar de peso, Maroulis teria pela frente a japonesa Saori Yoshida, a maior wrestler de todos os tempos. Somando títulos mundiais e olímpicos, a japonesa enfileirou 16 (!) consecutivamente. Fora um revés em 2010 e um em 2012, Yoshida jamais havia sido derrotada em competição internacional. No Rio de Janeiro, Saori lutava pelo tetracampeonato olímpico, feito que nenhum wrestler, homem ou mulher, do estilo livre ou greco-romano, tampouco um dos Aleksandr, Karelin ou Medved, jamais alcançou até esta edição dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Na hipótese de subir de categoria, Helen seria obrigada a lidar com outra japonesa lendária, Kaori Icho (foto abaixo), dois anos mais jovem que Yoshida e dona de ridículos 13 títulos mundiais e olímpicos consecutivos. Assim como Saori, Kaori também lutava pelo tetracampeonato olímpico em sua categoria. Em 14 anos de competições internacionais, Icho perdeu apenas três lutas até o Rio-2016. Em 16 anos, Yoshida perdeu apenas duas.

Kaori-Icho-Rio-2016

Maroulis estava no que os antigos chamavam de mato sem cachorro. Era o clássico caso do “se correr, o bicho pega; se ficar, o bicho come”. Na teoria, subir de categoria parecia o passo menos dramático, visto que wrestlers já cortam muito peso por padrão. Além disso, Icho vinha de derrota recente, uma senhora chinelada por superioridade técnica (10-0) contra a mongol Purevdorj Orkhon, no Yarygin Grand Prix, em janeiro. Yoshida estava invicta desde 2012. A distância de Icho para o resto da divisão parecia menor do que o domínio da companheira de seleção.

Aos 24 anos, Maroulis vez ou outra é questionada sobre o futuro profissional no MMA. Ela nunca confirmou a mudança, tampouco negou, mas sempre deixou claro que a meta inicial era a medalha de ouro olímpica antes de uma potencial migração. Pelo cenário macabro descrito acima, parecia que a transição ficaria para 2020, depois dos Jogos de Tóquio, com Yoshida provavelmente aposentada aos 37 anos e Icho já mais desgastada, aos 35.

Bem, mas quem disse que o mais fácil (ou menos difícil, no caso) é melhor? Maroulis optou por baixar de peso e ficar mais forte frente à concorrência. Deu certo nos primeiros passos. A ucraniana Yuliya Khalvadzny, a chinesa Zhong Xuechun, a norte-coreana Jong Myong-suk e a sueca ex-campeã mundial Sofia Mattsson não deram conta da potência da americana, que abriu caminho para a final olímpica. Do outro lado da chave, Yoshida passou como um trem desgovernado, sem conceder ponto a nenhuma oponente rumo à quarta decisão olímpica de sua lendária carreira.

Desde que as mulheres passaram a competir no wrestling olímpico, nenhuma americana havia conquistado a medalha de ouro. A melhor campanha até esta quinta-feira era de Sara McMann, peso galo do UFC que ficou com a prata em Atenas-2004. Fora isso, três medalhas de bronze foram o máximo conquistado pelas wrestlers dos Estados Unidos, uma das maiores potências mundiais no masculino.

Sara Dosho, Kaori Icho e Eri Tosaka exibem as medalhas de ouro conquistadas no primeiro dia de competições femininas no wrestling

Sara Dosho, Kaori Icho e Eri Tosaka exibem as medalhas de ouro conquistadas no primeiro dia de competições femininas no wrestling

A escola japonesa entre as mulheres é tão forte quanto a russa no masculino – e mais dominante -, o que fazia da tarefa de Maroulis ainda maior. Nas competições dos Jogos do Rio de Janeiro, as japonesas aterrorizaram a concorrência levando todas as medalhas de ouro com Eri Tosaka (até 48kg), Kaori Icho (58kg), Risako Kawai (63kg) e Sara Dosho (69kg). A única derrota havia acontecido na categoria mais pesada, até 75kg, quando Rio Watari caiu na estreia contra a brasileira Aline Silva. Faltava somente Yoshida, a maior de todas, para completar o absurdo retrospecto de cinco títulos em seis categorias.

Na decisão, a montanha que Maroulis tinha que escalar, que já era enorme, cresceu ainda mais quando ela foi posta em shot clock por falta de combatividade e não conseguiu pontuar nos 30 segundos seguintes, fazendo com que Yoshida saísse na frente por 1-0 no primeiro round. Se é difícil vencer a japonesa, imagine ainda ter que fazê-lo tendo que virar a luta.

De volta no segundo round, Helen tinha três minutos para executar o milagre. Uma queda curta a deixou na frente por 2-1. Foi aí que a estratégia de competir num peso mais baixo se mostrou genial. Pressionada, Yoshida não conseguiu lidar com a maior força física da americana, que ainda se deu ao luxo de aplicar outra queda para vencer por 4-1, na maior zebra até agora na Olimpíada do Rio de Janeiro – e que dificilmente será superada.

Helen Maroulis pula no colo do técnico Terry Steiner enquanto Saori Yoshida cai desolada no tapete

Helen Maroulis pula no colo do técnico Terry Steiner enquanto Saori Yoshida cai desolada no tapete

O pódio mostrou a comovente discrepância entre a alegria imensurável de Helen Maroulis, no andar mais alto, e de Mattson e Nataliya Synyshyn, no mais baixo, com a tristeza latente de Yoshida, que não tem muito conhecimento do sentimento de derrota e teve que reaprender do jeito mais amargo.

Encerradas as competições femininas, hoje talvez seja possível dizer que Kaori Icho é a maior wrestler de todos os tempos, a única tetracampeã olímpica entre homens e mulheres. Talvez o título de Maroulis acelere uma transição para o MMA. O certo é que os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro nos proporcionaram mais um momento antológico. Vou contar para os meus filhos e netos o dia em que eu vi a maior de todos os tempos cair.

Helen-Maroulis-Saori-Yoshida-Rio-2016

  • Kadu Rampazzo

    Sinistra! Depois que eu vi essa mulher quando estava perdendo, pegar a lente de contato do chão e botar no olho enquanto a nariz sangrava e virar a luta. Tudo isso em menos de um minuto, eu já não duvidava de mais nada vindo dela. Que venha para o MMA porque coração não falta.

    • Sinistra aquela cena mesmo, lascou no olho e que se foda. Puta coração de campeã olímpica.

  • Malk Suruhito

    Alexandre, vc considera uma zebra maior do que contra aquele Russo ( que não lembro o nome agora.. Kareni-alguma-coisa)?

    • Bruno Fares

      Karelin.

      Não me chamo Alexandre mas já adianto que a resposta é não.

    • Não. A Maroulis é melhor que o Gardner.

  • James sousa

    que dia na arena carioca 2 , primeiro na categoria 75 kg Zhang Fengliu , Aline Silva e Adeline Gray ficando fora do pódio e com Erica Wiebe campeã olímpica , mais ainda tinha a maior surpresa do dia a vitoria da Helen Maroulis , falei que acreditava que um dia um campeão (a) olímpico teria um cinturão do UFC minha Torcida e pra que seja a Helen Maroulis te cuidar Joanna

  • kg

    Não gosto de Wrestling e nem dei importância para estas competições na olimpíada. Agora to me sentindo meio idiota por isso!!

    • Você já tinha visto wrestling antes ou não gosta por preconceito?

      • kg

        Ja sim. Acompanhei os textos do Elias que foram publicados explicando as regras pra entender o sport e vi algumas lutas que foram exibidas no combate.

  • James sousa

    o que vocês acharam da participação brasileira nesses jogos ? e o que pode se esperar dos atletas brasileiros nas próximas grandes competições de Wrestling ?