Há 10 anos, era iniciado o maior reinado do peso meio-médio no UFC

Com uma atuação de gala, Georges St. Pierre atropelou Matt Serra, vingou a maior zebra da história do UFC e deu início ao maior reinado da história do peso meio-médio na organização.

Em seus 25 anos de existência, o UFC já viu alguns impressionantes reinados serem erguidos. Um deles completou uma década nesta semana. No dia 19 de abril de 2008, os fãs de MMA testemunharam o início de uma das eras mais dominantes da história da maior organização do esporte. Naquele dia, o Bell Centre, em Montreal, Canadá, recebeu o octógono pela primeira vez para o UFC 83, quando a maior estrela do país recuperou o cinturão que havia sido perdido em uma zebra histórica um ano antes, que inclusive já foi relatada no MMA Brasil.

Depois de ser surpreendido por Matt Serra e ver o cinturão da categoria dos meios-médios partir de volta para os Estados Unidos, o canadense Georges St. Pierre reiniciou sua escalada enfrentando Josh Koscheck, no UFC 74. A atuação sólida foi importante para recuperar a confiança abalada pelo nocaute sofrido pouco mais de três meses antes. Em paralelo, Serra aproveitava a fama adquirida assumindo o papel de técnico do reality show The Ultimate Fighter 6. Seu rival no programa foi o ex-campeão Matt Hughes, contra quem Serra colocaria o cinturão em jogo no UFC 79, que aconteceria em dezembro de 2007.

O duelo fora do programa não aconteceu – na verdade, aconteceu um ano depois, sem o mesmo valor. Sofrendo de hérnia de disco, Serra precisou abandonar a luta no UFC 79 e abriu espaço para o retorno de St. Pierre, fechando a trilogia contra Hughes pelo cinturão interino. GSP finalizou o combate no segundo assalto com uma bela chave de braço. Poucas semanas depois, o UFC anunciou que a esperada revanche entre Serra e St. Pierre, valendo a unificação do título dos meios-médios, aconteceria no Canadá, em abril de 2008. Era a oportunidade de Georges apagar a derrota surpreendente frente a seus compatriotas.

Após um forte trash talk de ambas as partes, o Bell Centre foi tomado por uma atmosfera especial, com 21.390 torcedores eufóricos com a oportunidade de ver seu maior ídolo de volta ao trono – o maior público da história do UFC até então. Com gritos de “GSP! GSP!” ecoando por todo o ginásio, Georges mostrou confiança e não quis dar nenhum tipo de brecha para Serra em pé, aplicando um double leg com apenas cinco segundos de luta. Por baixo, o primeiro americano faixa-preta de Renzo Gracie e vice-campeão do ADCC 2001 não conseguia fazer nada. Amplamente superior, o canadense colocou o rosto no queixo de rival, que tentava qualquer coisa por baixo, mas era vítima de cotoveladas, e ainda viu Georges passar sua guarda facilmente.

Georges St. Pierre inicia um single leg em sua vitória sobre Matt Serra, no UFC 83 (Foto: Ed Mulholland)

Georges St. Pierre inicia um single leg em sua vitória sobre Matt Serra, no UFC 83 (Foto: Ed Mulholland)

Ainda no primeiro round, Serra entrou em desespero e ficou na posição de quatro-apoios, na qual Georges iniciou o trabalho de joelhadas no corpo. Matt chegou a ficar de pé para o minuto final, mas tomou outra queda e viu o canadense terminar o round de guarda passada, mandando mais uma joelhada brutal no corpo.

Depois de um assalto inteiramente sufocado, Matt aplicou um chute na linha de cintura, o que foi praticamente um convite para mais uma queda de GSP. O canadense apresentava mais agressividade e, apesar de Serra ter se levantado, Georges aplicou outra queda, deixou o adversário em posição fetal novamente e desferiu duras joelhadas no cansado e atordoado Matt até a interrupção de Yves Lavigne.

“Eu não conseguia ouvir meu córner”, disse St. Pierre em relação ao barulho ensurdecedor do público canadense. “No fim das contas, eu usei a energia do público para conquistar a vitória com uma saraivada de golpes”.

Aos 26 anos, Georges St. Pierre se tornava o mais jovem a reconquistar um cinturão no UFC. Nos anos seguintes, ele reinou no peso meio-médio com mãos de ferro, enfileirando nove desafiantes: Jon Fitch (UFC 87), BJ Penn (UFC 94), Thiago Pitbull (UFC 100), Dan Hardy (UFC 111), Josh Koscheck (UFC 124), Jake Shields (UFC 129), Carlos Condit (UFC 154), Nick Diaz (UFC 158) e Johny Hendricks (UFC 163). Após esta última – e controversa – vitória, St. Pierre abriu mão do cinturão e se aposentou, surpreendendo todo o mundo do MMA. Chegava ao fim o segundo maior reinado da história do UFC até aquele momento, que teve início dez anos atrás, na elétrica Montreal.