Por Gustavo Menor | 19/07/2017 22:08

No próximo domingo, dia 23 de julho, dois dos mais condecorados lutadores de toda a história do jiu-jítsu vão se reencontrar no combate mais esperado pelos amantes da arte suave. Os 10 vezes campeões mundiais Marcus Almeida “Buchecha” e Roger Gracie farão a superluta do Gracie Pro 2017, evento idealizado por Kyra Gracie, que vai acontecer no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, na Arena Carioca 1.

Além desta antológica revanche, o Gracie Pro 2017 terá competições de jiu-jítsu nos dias 22 e 23. No sábado, acontecerão disputas nas categorias Pré-Mirim (4 a 6 anos), Mirim (7 anos), Infantil A (8 e 9 anos), Infantil B (10 e 11 anos), Infanto-Juvenil A (12 e 13 anos), Infanto-Juvenil B (14 e 15 anos), Juvenil (16 e 17 anos) e Adulto (acima de 18 anos, da faixa branca à preta). Haverá também competições em categorias Master 1+2 (acima 30 anos), Master 3+4 (acima 41 anos), Master 5+6 (acima de 51 anos) no masculino e Master 1 a 6 (acima de 30 anos) no feminino.

As finais das faixas pretas, masculino e feminino, acontecerão no domingo. Os vencedores nas categorias absoluto receberão prêmios que vão de um quimono e um kit (absoluto faixa azul) até R$4.000 para faixa preta masculino e feminino.

O Gracie Pro 2017 terá diversos outros eventos paralelos como seminários de Kyra Gracie, Renzo Gracie, Ralph Gracie, Carlão Barreto, Sylvio Bhering, Amaury Bitetti, Milton Vieira e Erica Paes; clínicas de jiu-jítsu, seminários de defesa pessoal, food trucks e mais.

Marcus Buchecha vs. Roger Gracie

No primeiro e único encontro, no Metamoris 1, ocorrido em 2012, Buchecha e Roger empataram depois de 20 minutos de luta – pelo regulamento do campeonato, somente a finalização contava. Gracie vinha de uma grave infecção por estafilococo contraída dias antes do evento, mas que não o impediu de entregar uma luta muito dura e disputada.

Agora, cinco anos depois, os dois se enfrentarão sob as regras de pontuações, vantagens, punições e decisão da IBJJF, com apenas a diferença na duração do combate, que será de 15 minutos. Desta vez o regulamento acertou em contar pontuação, o que vai dar outra dinâmica para o combate.

Nenhum dos dois atletas são conhecidos por fazer antijogo ou truncar luta. Roger Gracie, com seu controle posicional e sistema defensivo quase impenetrável, aplica muito bem o chamado “jiu-jítsu feijão com arroz” e construiu sua gloriosa carreira utilizando e executando perfeitamente os fundamentos básicos da arte marcial, como os estrangulamentos da montada, que você aprende nas primeiras aulas na faixa branca. Porém, aplicar essas técnicas contra os melhores do mundo é coisa para poucos. E Roger é um desses poucos. Para muitos, ele é considerado o maior competidor da história do esporte.

No entanto, Buchecha caminha para tomar o lugar de Roger. Além de ter empatado no número de títulos mundiais do rival, Buchecha superou um recorde de Roger ao conquistar o quarto título no absoluto. Suas ações no último Campeonato Mundial da IBJJF fizeram muita gente já colocá-lo no patamar de Roger como os maiores de todos os tempos. Confrontar os dois melhores pesos pesados faz desta provavelmente a maior luta da história do jiu-jítsu.

Marcus mescla o jiu-jítsu clássico com movimentos e posições atuais. Ele é um lutador muito explosivo, tem uma meia-guarda agressiva e sua movimentação não lembra nem de longe o que estamos acostumados a ver nos atletas mais pesados. Buchecha também tem um jogo de quedas sólido, desenvolvido inclusive na AKA, academia de wrestlers do nível de Daniel Cormier e Khabib Nurmagomedov. Esta característica de Almeida permite que ele defina estrategicamente como a luta vai transcorrer. Os nove anos de diferença também favorecem o atleta da Checkmat, que fez a reta final dos treinos na BTT e na Checkmat do Rio de Janeiro.

A certeza é de que teremos um lutão e dificilmente haverá um desequilíbrio técnico muito grande. Na primeira vez, além da infecção, Roger também estava sem ritmo no jiu-jístu, devido ao foco que estava dando ao MMA. Agora, as informações dão conta que o astro está afiado novamente.

Acredito num combate tão disputado quanto o primeiro. Porém, valendo pontos, o favoritismo está do lado de Buchecha, que está em ritmo de competição e é mais jovem. Almeida deve prevalecer fisicamente e isso fará a diferença – as respectivas equipes informaram que Buchecha está com 110 quilos e Roger, com pouco menos de 100.

E vocês, o que acham? Estão ansiosos por essa luta? Deixem suas opiniões ai nos comentários.

Oss!

Colunista de Jiu-jítsu do MMA Brasil. Único cara que perdeu um dedo tentando não se atrasar para o treino. Isso mostra o quanto eu gosto disso.