Por Alexandre Matos | 24/11/2013 02:31

O ano de 2013 já havia nocauteado Anderson Silva e levado Georges St. Pierre e Jon Jones a águas profundas. Mas não foi suficiente. Neste sábado, o maior kickboxer da atualidade foi violentamente nocauteado no torneio disputado no GLORY 12, no lendário Madison Square Garden, em Nova York.

O italiano de origem armênia Giorgio Petrosyan caminhava (ou ainda caminha) a passos largos rumo a se tornar o maior da história. Mas Andy Ristie não estava disposto a facilitar seu trajeto. Depois de ver o superastro vencer os dois rounds iniciais com sua técnica apurada e ótimos contragolpes, o lutador nascido no Suriname mandou Petrosyan para as profundezas obscuras da vala com um cruzadaço de direita daqueles de derrubar muro de concreto.

Petrosyan, para quem não sabe, não somente é um monstro que, até ontem, havia vencido 76 lutas (35 por nocaute), empatado duas e perdido apenas uma – e por decisão – num esporte onde as derrotas por nocaute acontecem até mesmo com os mitos. O italiano também foi campeão do K-1 World MAX em 2009 e 2012, do Grand Slam do GLORY em 2012 e do World Kickboxing Network.

Para atingir tais feitos, Petrosyan desenvolveu um estilo de luta extremamente técnico e um sistema defensivo considerado intransponível – pelo menos até encontrar o punho esquerdo de Ristie. Ninguém passa tanto tempo sem perder num esporte que conta apenas com golpes traumáticos e combates numa mesma noite, mas The Doctor foi fazendo história luta após luta, chegando ao ponto de fazer a comunidade do kickboxing acreditar que nocauteá-lo era virtualmente impossível. Este foi o tamanho do feito de Ristie.

Não satisfeito com uma vitória deste porte, Ristie transformou sua noite magnífica em algo quase surreal. Na final, ele encarou o holandês Robin van Roosmalen, considerado o número dois do mundo na categoria até 70 quilos, e novamente colocou a canhota em ação. Um gancho violentíssimo, que se seguiu de um direto de direita igualmente potente, explodiu contra o queixo de Van Roosmalen, que desabou em colapso. Se a vitória sobre Petrosyan era daquelas maiores que um cinturão, Ristie encerrou a noite de sonho com o título do torneio dos leves do GLORY, hoje a maior organização do kickboxing mundial.