Fight Master: Bellator MMA – Episódio 4

Com as equipes divididas, técnicos montam os rankings e as primeiras lutas da temporada acontecem. Couture e Shamrock saem na frente.

Apesar de cansativo, com três longos episódios para as eliminatórias, deu para perceber que o Fight Master: Bellator MMA é promissor, com bom nível dos lutadores. Chega então a hora de conhecermos o dia-a-dia dos participantes (a parte reality do programa) e das duas primeiras lutas das quartas-de-final do mini-torneio pelo título do programa que vale uma vaga no GP dos meio-médios. Ao contrário do The Ultimate Fighter, os lutadores escolheram seus adversários, e não os técnicos.

No Fight Master, a casa, o centro de treinamento e o cage ficam no mesmo lugar. Isto é ótimo, pois os atletas não vão perder tempo entrando numa van fazendo “viagens” entre a casa e o CT. Fora que é mais barato para o Bellator, que não vai gastar com aluguel de vans e a compra de combustível.

Outra dúvida tirada neste episódio foi a do quarto membro da equipe Shamrock MMA. Andy Uhrich teve que ser eliminado da competição devido a um corte no supercílio. O líder da equipe Frank Shamrock teve o direito de escolher o substituto, um perdedor da primeira fase. Ele escolheu Joe Williams, que perdeu numa decisão apertada para Cole Williams.

A edição mostrou cada técnico falando com seus pupilos. Shamrock fez um caderno sobre técnica, mentalidade, corpo e espírito. Ele pediu para seus protegidos não dividirem com ninguém. Já Randy Couture fala sobre treinar inteligentemente, evitar o overtraining.

Randy Couture dá o seu palpite no ranking dos lutadores

Randy Couture dá o seu palpite no ranking dos lutadores

Para os lutadores escolherem seus adversários, eles serão ranqueados pelos técnicos e por Bjorn Rebney, o Dana White CEO do Bellator. O mais bem ranqueeado será o primeiro a escolher o adversário, o segundo escolherá depois e assim por diante.

Depois de algumas brincadeiras e discordâncias, ficou decidido que Joe Riggs (Jackson’s MMA) é o 1° do ranking. Ele é seguido do brasileiro da Xtreme Couture Cristiano Souza. O curioso é que Greg Jackson achava que Souza deveria ser o primeiro, mas Couture respondeu: “Riggs tem 60 lutas profissionais, não tem o que discutir.

O ranking ficou assim:

Joe Riggs (Jackson’s MMA)

Cristiano Souza (Xtreme Couture)

Chris Lozano (Shamrock MMA)

A.J. Matthews (Xtreme Couture)

Cole Williams (Xtreme Couture)

Tim Welch (Jackson’s MMA)

Eric Bradley (Jackson’s MMA)

Jason Norwood (Rino Sports)

Nick Barnes (Shamrock MMA)

10º Mike Dubois (Shamrock MMA)

11º Evan Cutts (Rino Sports)

12º Ismael Gonzales (Rino Sports)

13º Mike Bronzoulis (Xtreme Couture)

14º Bryan Travers (Jackson’s MMA)

15º Eric Scallan (Rino Sports)

16º Joe Williams (Shamrock MMA)

Apesar de os atletas escolherem seus oponentes, as lutas serão por ordem aleatória. A primeira será a de Cole Williams, que escolheu Mike Dubois. A edição não mostrou as outras escolhas. Claro que é para manter o suspense, mas isso deixa muito confuso.

Mike Dubois é um cara natural. Bem natural. Ele diz que caça ou cultiva a maioria das coisas que come. “Esquilo, javalis, veados, coelhos, pombos…”, disse Mike. Welch perguntou se ele comeria um rato. Mike respondeu: “Depende da fome. Mas assim, se fosse um rato do esgoto de Nova York, nem pensar, mas um rato do campo, comeria”.

Mike Dubois conta as histórias de suas caçadas para comer

Mike Dubois conta as histórias de suas caçadas para comer

Cole Williams é um que deixou a família em casa para lutar pelo sonho de ser um lutador e dar melhores condições para sua família. Riggs perguntou se eles tinham casa própria ou alugavam. “Nós moramos num trailer“, respondeu Cole. “Meu filho está crescendo e ele precisa de um quarto. Eu quero uma casa”, concluiu.

Hora da luta #1: Cole Williams vs Mike Dubois

Cole rapidamente quedou Mike, para desespero de Frank Shamrock. Cole foi muito metódico e buscou as costas rapidamente. Ele lançou alguns socos para conseguir um brecha do pescoço do oponente, encaixou um mata-leão e pouco depois Mike deu os três tapinhas, com 1:08 minuto de combate. O irônico é que o mata-leão tem esse nome pois, segundo a mitologia grega, foi assim que Hércules matou o Leão de Nemeia (MMA Brasil também é cultura).

Uma derrota para o time de Shamrock e uma vitória para Couture. Mas não acabou ainda. Depois foi a vez de Chris Lozano escolher Bryan Travers para ser seu adversário.

Travers disse que sua tática seria cansar Lozano, que não tem um cárdio muito bom. E Lozano está fazendo o óbvio, treinando sua capacidade cardiorrespitartória.

Três dias antes da luta, Travers conta para Mike “Zombie” Dubois que ele chegou a pesar 272 libras, o que surpreendeu o atleta da Shamrock MMA.

Hora da luta #2: Chris Lozano vs Bryan Travers

O primeiro round foi disputado na trocação e na esgrima do clinch. Travers botava Lozano de costas para a grade, mas este mostrava boa força e virava a posição. Porém, depois de algum tempo, ele não conseguia mais fazer isso. Na trocação, Lozano foi superior, conseguiu atordoar Travers. Lozano ainda usou várias joelhadas e chutes na perna. Travers até acertou o rival, mas já era próximo do fim do round. 10-9 Lozano.

Lozano voltou cansado para o segundo assalto (como Travers já esperava). O pupilo de Greg Jackson pressionou o oponente até conseguir uma queda na metade do round. A partir de então, dominou no clássico estilo Jackson’s MMA até o fim do segundo round. Travers venceu o segundo e garantiu o assalto de desempate.

Bryan Travers aproveitou o cansaço de Chris Lozano para derrubá-lo, mas não foi suficiente para vencer

Bryan Travers aproveitou o cansaço de Chris Lozano para derrubá-lo, mas não foi suficiente para vencer

O terceiro assalto foi o mais empolgante. Era porrada de todos os lados. Apesar de ser um wrestler, Travers deu trabalho para Chris Lozano. Acredito que o que garantiu a vitória por decisão dividida para Lozano foi o último minuto, onde claramente ele acertou mais golpes que Bryan Travers.

No episódio seguinte teremos a luta de Jason Norwood contra Mike Bronzoulis e de Ismael Gonzalez contra Joe Williams.

Minha opinião sobre o Fight Master após quatro episódios: é um bom programa, mas estou gostando da mesma maneira como gosto do TUF. Os fato de os lutadores escolherem seus adversários é muito legal. Claro que ainda falta rolar as tretas no programa e falta um Junie Browning para dar aquela subida na audiência e empolgação. Contar que o Mike Dubois caça ou planta seu alimento foi legal. Mas contar que o Bryan Travers é um ex-obeso não mudou muita coisa, já que não teve fotos.

Até o próximo episódio. Beijo, Brittney Palmer.

  • Vinícius Gonçalves

    Interessante a história do Dubois… Mas pelos 1os episódios (pelo que li) acho que não estão deixando o foco nos treinos, como foi falado que seria, não acham?

  • Bruno Sader

    Salve povão, eu estou acompanhando de perto o Fight Master desde o começo, vamos as considerações:
    .
    Num geral, estou gostando muito do programa. Achou bem melhor que o TUF. Pq?
    .
    Primeiro que não estão perdendo tempo com babaquices, brincadeiras, história da vida da pessoa, etc. No máximo mencionam, como foi a parada da caça do Dubois e do peso do Travers. Discordo do Felipe no ponto de que não precisa de nenhum Julian Lane pra dar graça. Tomara que continue sem.
    .
    O grande aspecto que está me fazendo achar bem legal o FM é a disputa entre técnicos. Como eles não vão lutar, eles querem ganhar com seus atletas dos outros técnicos. Está mostrando o relacionamento mais próximo dos atletas com técnicos e o esforço dos coachs.
    .
    Fora que o FM são técnicos MESMO! Não tem um Wand da vida dando instrução no córner de “Vai lá e bate forte na cara dele!”.
    E como o microfone dos técnicos fica ligado bem alto o tempo todo, dá pra ouvir exatamente as reações e instruções deles.
    .
    O Greg Jackson inclusive me irritou um pouco, ele fica toda hora tentando influenciar os juízes falando “NOssa, otimo golpe Travers, isso vale muitos pontos!” quando na real o cara nem acertou direito.
    .
    Eu acho que dá pra mostrar mais dos treinos mas não adianta achar que eles vão ficar mostrando parte técnica o tempo todo. Nem dá. Tem que mostrar a base do treinamento. Por exemplo, o Randy foi muito bem falando “Não adianta se matar de treinar nesses 30 dias, tem que treinar com inteligência”. Ou o Frank fazendo o discurso de “treinar a mente para a luta” hahahaha achei bem legal.
    .
    Acho que o Jackson é o melhor para esse tipo de programa pois não vão formar nenhum atleta no programa, então por ele ser um ótimo estrategista, vai saber usar as melhores qualidades já existentes.
    .
    Só ficou BEM CONFUSA a parte da ordem dos combates? Se o número 1 escolheu primeiro pq não passou a luta dele primeiro? Muito estranho ficou.
    .
    No aguardo para os próximos chapters!
    .
    EARNED not gived!

    • A ordem de exibição das lutas foi aleatória. Talvez tenha a ver com o cruzamento seguinte, ou com a duração das lutas.
      .
      PS: não faltava vírgula, tá certinho.

    • Felipe Freitas

      Eu acho que um Junie Browning/Julian Lane serve para preencher os momentos que não rolam a luta. Afinal, é isso que boa parte quer ver. Mas por exemplo, o TUF 17 não teve nenhum pela-saco e foi uma das melhores edições da história. As lutas foram fodas e os atletas eram normais.

  • Estou achando o FM bem maneiro, do mesmo jeito que gosto do TUF (exceto o TUF Brasil 2, que se perdeu na idéia da Globo em fazer um BBB com lutas). A idéia de 4 técnicos tá bem legal, fica uma disputa maior de egos e menos palhaçadas como o Werdum fez. O fato de os lutadores escolherem suas lutas é bem interessante, e a dinâmica de anunciarem a luta, já com os caras prontos para lutar e voltarem no tempo para mostrar como foi a escolha e o que os lutadores fizeram pra se preparar pra ela foi legal. Gostei das lutas, só que o Zumbi Dubois me decepcionou um pouco, esperava mais dele.

  • Vinícius Gonçalves

    Realmente parece melhor que o TUF, ainda q eu esperasse mais. Onde posso assistir?

    • Se você estiver no Brasil, só nos velhos links amigos ou downloads piratas. Se tiver nos Estados Unidos, pode assistir na Spike TV.

    • Bruno Sader

      Eu baixo no ISOHUNT.COM os episódios via torrent. Toda sexta feira tem lá em HD e sem intervalos pra baixar!