Fãs de kickboxing, alegrai-vos: GLORY vai liberar acervo completo de mais de 2 mil lutas no YouTube

Principal organização do kickboxing profissional abandona sistema de assinatura e vai liberar acervo de mais de 2.000 lutas no GLORY, Ultimate Glory e It's Showtime, que envolvem estrelas do porte de Mirko Cro Cop, Semmy Schilt e Giorgio Petrosyan.

Você é um fã de lutas que prefere a boa e velha troca de golpes em pé a um xadrez de transições no chão? Então trago boas novas. O GLORY, principal organização do kickboxing mundial, resolveu abandonar o sistema de assinatura e vai disponibilizar seu valioso acervo de lutas de graça no YouTube.

Duelo das lendas Mirko Cro Cop e Remy Bonjaski faz parte da coleção de lutas do GLORY (Foto: Divulgação)

Duelo das lendas Mirko Cro Cop e Remy Bonjaski faz parte da coleção de lutas do GLORY (Foto: Divulgação)

Fundada em 2012 por Pierre Andurand, Scott Rudmann e Marcus Luer sob o nome GLORY World Series, a organização ocupou o espaço deixado pelo lendário K-1 e se tornou a organização número um do kickboxing profissional após adquirir o It’s Showtime. No Brasil, os eventos do GLORY são transmitidos pelo canal Esporte Interativo.

O GLORY disponibilizava suas lutas cobrando assinatura trimestral de US$55. Visando aumentar sua base de fãs, a promoção agora iniciou o processo de migração de todo o acervo de mais de 2.000 lutas para seu canal oficial no YouTube. Para os fãs de MMA, é uma oportunidade de ver Mirko Cro Cop, Semmy Schilt, Siyar Bahadurzada, Tyrone Spong, Pat Barry, Melvin Manhoef e Miguel Torres, dentre outros, em seu esporte de origem. Para quem não conhece o kickboxing profissional a fundo, é a oportunidade de conhecer monstros do presente como Giorgio Petrosyan, Gökhan Saki e Rico Verhoeven, além de lendas consagradas como Remy Bonjasky, Jérôme Le Banner, Schilt, Cro Cop e muito mais.

A galeria de atuais campeões do GLORY - o cinturão dos penas ainda será inaugurado

A galeria de atuais campeões do GLORY – o cinturão dos penas ainda será inaugurado

O processo de disponibilização no YouTube já começou pelo GLORY 1 Stockholm, evento inaugural disputado em maio de 2012 na capital sueca, que contou com astros como Sakhi, Petrosyan e Semmy Schilt disputando o cinturão dos pesados contra Errol Zimmerman. Neste evento foi possível verificar a ação explosiva que marca os combates do GLORY. Um exemplo é o combate entre Robin van Roosmalen e Dzhabar Askerov, válido pelo GP de pesos leves (até 70 quilos) e votado como a melhor luta de 2012.

Os vídeos serão liberados em alta definição (por enquanto na codificação de 720p). Além dos eventos do GLORY e do It’s Showtime, também estarão disponíveis os históricos combates realizados no Ultimate Glory (e na versão atualizada United Glory).

Confira no vídeo abaixo um aperitivo da videoteca do GLORY com o armênio naturalizado italiano Giorgio Petrosyan esbanjando talento no ringue de Estocolmo.

  • Nilo Júnior

    Excelente notícia!

  • Leo Corrêa

    muito massa!

  • Legal, o Kickboxing poderia crescer muito fora dos Estados Unidos. Tem muita gente mesmo que não curte do chão. Na Colômbia a maioria dos meus amigos acha Jiu Jitsu e Wrestling (dois homens seminus no chão) negocio de viado… rs

    • No Brasil também tem muita gente que pensa assim.

    • Suruhito

      BJJ e MMA para o público que não gosta aqui tem o mesmo status.

    • Suruhito

      BJJ e MMA para o público que não gosta aqui tem o mesmo status. Menos o Pastor, o Pastor ganha todo mundo no braço, não precisa ficar de agarramento, então é machão!!

      • ai contra o Rumble ele foi menos machão então… rs.

        Se no país que inventou praticamente o MMA e o BJJ tem esse preconceito, agora imagina como é por fora. nesses mercados o Kickboxing poderia se dar bem. Só que falta a máquina de Marketing dos americanos.

        • Verdade. Muita gente que reclama de luta agarrada no MMA não gosta de boxe nem de kickboxing. Essas pessoas gostam de porradaria com luva de 4oz.

          • ai precisa fazer a distinção de fão hardcore de verdade e galera Mainstream. Tipo, eu de criança assistia a F1 quase unicamente por o colombiano Juan Pablo Montoya. Quando ele foi para Nascar, já quase nunca assisti F1 de novo.

            Se não tiver eventos de Kickboxing com bom Marketing que nem o MMA ou o Boxe, a maioria das pessoas do comum nunca vão seguir de perto.

  • Suruhito

    Vou me acabar!!!

  • Bruno Fares

    Momento ignoracia sobre KB:

    Badh Hari não lutou no Glory? Só K1?

    • Felipe Freitas

      http://en.wikipedia.org/wiki/Badr_Hari

      Só achei o cartel dele na wikipedia. No site diz que ele nunca foi pro Glory.

    • Badr Hari chegou a lutar no It’s Showtime antes de ser comprado pelo GLORY, mas foi preso na época que o GLORY apareceu. Ele voltou pelo K-1, lutou no Legend da Rússia e em outro evento que não lembro o nome. Ele chegou a desistir do kickboxing, disse que se dedicaria ao boxe, depois voltou atrás. É um maluco, apesar de ser bom pra cacete.

      • Bravin

        Foi preso pq agrediu um cara no bar se não me engano, ele nunca foi muito bom da cabeça.

  • MaR

    Grande noticia, agora vou poder ver muitas lutas do Petrosyan que pra mim é o maior lutador de kickboxing de todos os tempos.

    • Eu também tendo a achar que o Petrosyan é o melhor, mas o kickboxing é zoneado que nem o boxe, o MMA, com centenas de organizações promovendo lutas. Tem muita gente boa que não luta o GLORY ou o K-1. Dizem que o Samart Payakaroon, que foi campeão do Lumpinee no muay thai e dos supergalos do CMB no boxe é o melhor de todos os tempos, mas ele lutou nos anos 80, antes do K-1 nascer.

  • Ana

    É possível participar do GLORY sem exatamente ser kickboxing? Tipo um lutador de caratê ou um boxeador poderiam participar? No K1 podia, não?