Evento idealizado por Rickson Gracie, Mestre do Combate promete revolucionar o MMA

Por Alexandre Matos | 08/10/2012 23:44

Como a maioria dos leitores do MMA Brasil já sabe, o UFC foi criado por Rorion Gracie em conjunto com dois empresários norte-americanos. O filho mais velho de Helio Gracie tinha o intuito de mostrar ao mundo a superioridade técnica do jiu-jítsu desenvolvido pela sua família em relação às demais artes marciais.

Royce Gracie, irmão mais novo de Rorion, tornou-se o primeiro ídolo da história do UFC, fez o mundo abrir os olhos para o jiu-jítsu brasileiro e o UFC cresceu e alavancou o MMA ao redor do planeta. Isso tudo é história. Neste processo de evolução, a família mais nobre do MMA deixou o UFC, que seguiu seu próprio caminho.

Em 2012, mais um evento nasce idealizado por um integrante do famoso clã brasileiro. Pelas mãos e cabeça de Rickson Gracie, o maior expoente da história do jiu-jítsu, foi concebido o Mestre do Combate. A competição, que tem previsão de estrear no dia 22 de novembro em parceria de transmissão do canal Esporte Interativo, promete revolucionar o MMA como conhecemos hoje, conforme palavras dos próprios organizadores do evento.

O Mestre do Combate diferencia-se em alguns pontos fundamentais dos principais eventos de hoje em dia. Em determinados assuntos, a concordância tenderá a ser maior do que em outros. “Queremos criar um novo paradigma e recuperar valores da luta que foram perdidos ao longo do tempo. Hoje a luta significa sangue e dinheiro. Vamos valorizar o espirito de vitória e a estratégia”, diz Rickson. Vejamos o que vai trazer o novo evento.

Pesagem no dia do evento

Esta provavelmente será a regra que mais receberá apoio dos fãs de luta. A pesagem oficial das edições do Mestre do Combate será realizada na noite das lutas, e não na véspera, como acontece com todos os demais eventos espalhados pelo mundo. Isto significa que os atletas não terão mais 24 horas para recuperar o peso perdido.

Limitar a reposição de peso dará aos combates um maior equilíbrio na questão física dos lutadores, já que dificilmente veremos um atleta muito mais forte que seu adversário no momento do combate. Quem se desgastar muito cortando peso vai levar o prejuízo físico para a luta. Por conta disto, provavelmente muitos lutadores repensarão suas categorias.

Rounds de dez minutos como no PRIDE

Um dos motivos que faz com que a velha guarda da família Gracie critique o MMA moderno é o limite de tempo imposto aos combates. Para eles, esta regra atrapalha o especialista em jiu-jítsu, que é uma arte marcial que privilegia a paciência do atleta.

Cinco minutos de round muitas vezes não é tempo suficiente para um lutador trabalhar no chão em busca do momento ideal para dar o bote e conseguir uma submissão. Como acontecia no PRIDE, o primeiro round das lutas do Mestre do Combate terá dez minutos de duração e o segundo, cinco.

Rickson diz que este tempo mais longo privilegia a estratégia e não só a explosão. O empresário não deixa de estar certo, mas mexer neste tempo vai influenciar completamente a preparação física dos lutadores. Como o mais provável é que o Mestre do Combate não faça contratos de exclusividade, seus lutadores terão permissão de competir em outras organizações. O preparo para um round de dez minutos provavelmente vai atrapalhar no começo da luta quando o atleta estiver competindo no formato tradicional de três rounds de 5 minutos – será que valerá a pena vencer uma luta no Mestre do Combate e perder em seguida no Jungle, por exemplo?

Gongo não salva o lutador

“Big” John McCarthy será o responsável pela arbitragem do Mestre do Combate

Lembra do mata-leão que Maiquel Falcão tinha encaixado em Gerald Harris no UFC 123? A opinião comum na época dizia que, com mais dez segundos de round, o americano não resistiria e seria obrigado a desistir. Como o gongo soou, Harris manteve-se na luta e só perdeu por decisão. Fosse no Mestre do Combate, Maiquel provavelmente teria finalizado, já que os rounds serão esticados em caso de nocaute ou finalização iminente.

Esta regra potencialmente pode levar o MMA a se aproximar mais de uma luta de rua do que de um esporte profissional – ou voltar aos primórdios do MMA. A capacidade de resistir a um estrangulamento faz parte do treinamento e pode inclusive encaixar-se em uma estratégia de luta. Por exemplo, resistindo a uma guilhotina, o lutador fará seu adversário cansar, podendo facilitar um pouco sua condição para o(s) round(s) seguinte(s).

Além disso, cabe uma pergunta: o árbitro decidirá se uma posição X está devidamente encaixada para postergar o fim de um round? Por quanto tempo o round será esticado. O que os anunciantes do Esporte Interativo pensam de rounds sem prazo para terminar?

Vitórias por nocaute, finalização ou… sua escolha?

Se a pesagem na noite do evento provavelmente será bem recebida, o método de definição de um vencedor pode ser considerado, digamos, “pouco ortodoxo”. Caso um combate atinja o limite de tempo, o vitorioso será definido através de uma banca julgadora. Até aí, nada demais, visto que hoje isto já acontece com os juízes laterais. A inovação do Mestres do Combate fica por conta de quem integrará a equipe julgadora. Um voto será dado pelo árbitro da luta, outro será apontado por Rickson Gracie e o terceiro voto será dado pelo público, seja o que estiver presente à arena ou em casa, acompanhando a transmissão pela televisão. O lutador que receber dois dos três votos será declarado vencedor.

Na tentativa de tornar o MMA o mais profissional possível, deixar o resultado de um combate nas mãos de torcedores, figuras essencialmente movidas por paixão (como deve ser, diga-se), significa andar na contramão do profissionalismo. Esta medida provavelmente será popular, mas não necessariamente benéfica para o esporte

Competição individual e por equipe

O MMA é um esporte individual por natureza – o lutador não pode ser ajudado por ninguém durante o combate. Porém o Mestre do Combate ressucitará uma prática tentada em alguns eventos como a extinta IFL e o M-1 Challenge, por exemplo.

Em cada edição, duas equipes de cinco lutadores se enfrentarão. O time que vencer pelo menos três disputas será declarado vencedor e retornará na edição seguinte, lutando por premiações progressivas (ao todo serão distribuídos 700 mil reais entre bolsas e prêmios durante a temporada 2012/2013). Os cinco lutadores serão divididos pelas cinco categorias de peso mais tradicionais, o peso leve (até 70,2 quilos), meio-médio (até 77 quilos), médio (até 83,7 quilos), meio-pesado (até 92,9 quilos) e pesado (acima de 93 quilos). Cada equipe será liderada por um treinador de renome nas artes marciais e representarão uma cidade brasileira.

Card da primeira edição do Mestre do Combate já foi definido

Os times que disputarão a primeira edição já foram decididos. O líder da Brazilian Top Team Murilo Bustamante será o técnico da equipe do Rio de Janeiro. Ele vai contar com Cristiano Bananada (peso leve), Gabriel Monkey (meio-médio), Gersinho Conceição (médio), Armando Sapo Sixel (meio-pesado) e Fernandão Miúdo (pesado). Eles enfrentarão o time de São Paulo, liderado pelo mestre de muay thai Francisco Veras, que terá à disposição Celsinho Venicius (peso leve), Viscardi Andrade (meio-médio), Bruno Oliveira (médio), Marcos Rogério Pezão (meio-pesado) e João Izidoro (pesado). Com nomes conhecidos no MMA nacional e até internacional, caso de Pezão, além de um tricampeão mundial de jiu-jítsu (Venícius), a equipe paulista entrará como favorita na disputa.

A edição de estreia do Mestre do Combate, que terá o famoso árbitro “Big” John McCarthy no comando das lutas, acontecerá no Vivo Rio, na cidade do Rio de Janeiro, no dia 22 de novembro. Além do torneio Rio-São Paulo, o evento terá na luta principal o duelo entre o brasileiro Alexandre Pulga e o americano Pety Mafort. Os ingressos já estão sendo vendidos no site www.ingressorapido.com.br, na fan page do Facebook do evento ou na bilheteria do Vivo Rio. O valor das entradas varia de R$200,00 a R$1.200,00.

Fundador e editor-chefe do MMA Brasil. Colunista do site oficial do UFC. Prestes a se aposentar e virar colunista especial do próprio site.