Evander Holyfield vs. Mike Tyson II: Os 20 anos da “Luta da Mordida”

Há duas décadas, a revanche de um dos duelos mais aguardados da história acabou de modo infame. Na ocasião, Mike Tyson foi desclassificado após morder duas vezes e arrancar um pedaço da orelha de Evander Holyfield.

O peso pesado sempre foi a categoria mais charmosa e conhecida do boxe. Em mais de 150 anos de história, diversas histórias épicas foram contadas com Joe Louis, Rocky Marciano, Muhammad Ali e tantos outros grandes campeões da categoria. Um dos últimos capítulos marcantes da história da categoria completa 20 anos neste dia 28 de junho, a luta que ficou conhecida como “The Bite Fight”, ou “A Luta da Mordida”.

Os envolvidos nesse histórico duelo foram dois grandes nomes recentes dos pesados. Um deles foi “Iron” Mike Tyson, o fenômeno midiático que chamou atenção mundial pela brutalidade e que chegou a coletar todos os cinturões antes da sua primeira derrota, tornando-se campeão da WBA, WBC, IBF e da revista The Ring, o mais jovem campeão mundial do peso pesado em todos os tempos. Um dos personagens mais importantes do século passado.

Do outro lado, tínhamos “The Real Deal” Evander Holyfield, o único campeão indiscutível dos pesos cruzador e pesado, único lutador na história a ser campeão do peso pesado quatro vezes, que havia desbancado nomes como George Foreman, Larry Holmes e Riddick Bowe antes de duelar contra Mike.

O contexto anterior à luta

Mike Tyson era o grande lutador da época em 1989. Ele acumulava rápidos nocautes e era o campeão unificado e linear do peso pesado. Com 37 vitórias em sequência, a impressão era que ninguém poderia batê-lo, apenas ele mesmo. Já Holyfield tinha subido do peso cruzador, no qual era o campeão linear, e acumulou vitórias até chegar ao cartel invicto de 23 vitórias. Evander foi cogitado como possível adversário de Tyson, que foi marcado contra James “Buster” Douglas. Tyson foi surpreendido no décimo assalto, na maior zebra da história do boxe, em fevereiro de 1990.

Mike Tyson foi nocauteado pelo desafiante James "Buster" Douglas, azarão da ordem de 44 para 1, em Tóquio, em 1990 (Foto: REUTERS/Kyodo JAPAN)

Mike Tyson foi nocauteado pelo desafiante James “Buster” Douglas, azarão da ordem de 44 para 1, em Tóquio, em 1990 (Foto: REUTERS/Kyodo JAPAN)

Enquanto isso, Holyfield venceu Seamus McDonagh e se credenciou ao posto de desafiante de Douglas, enquanto Iron Mike começou a recuperação com um par de vitórias por nocaute no primeiro round. “The Real Deal” nocauteou Douglas no terceiro round, conquistando os cinturões da WBA, WBC e IBF, além do título de campeão linear. Tyson venceu duas lutas contra o perigoso Donovan “Razor” Ruddock, enquanto Holyfield concluiu uma defesa de cinturão contra a lenda George Foreman. Ficou definido que o aguardado duelo entre ambos aconteceria no dia 8 de novembro de 1991.

O primeiro problema que forçou o cancelamento da luta foi uma lesão na costela de Tyson, mas o combate nem teve a oportunidade de ser remarcado, já que o ex-campeão foi preso, acusado de estupro, e ficou três anos longe dos ringues, atrás das grades.

O início da rivalidade e a primeira luta

Tyson tinha sido liberado da prisão e Holyfield anunciou aposentadoria após descobrir uma doença cardíaca depois da derrota para Michael Moorer. Evander decidiu retornar ao esporte alegando que estava oficialmente curado. Depois de uma vitória por decisão sobre Ray Mercer, ele teve a oportunidade de fechar a trilogia contra Riddick Bowe. Na luta, Holyfield começou bem, mas acabou nocauteado no oitavo assalto. Ele ainda se recuperou com uma vitória sobre o ex-campeão Bobby Czyz.

Mike voltou ao boxe no mesmo estilo antigo: deixando corpos no chão. Tyson nocauteou Peter McNeeley e Buster Mathis Jr. No combate seguinte, tirou o cinturão do WBC das mãos de Frank Bruno e o da WBA de Bruce Seldon. McNeeley e Seldon foram nocauteados no primeiro assalto, enquanto Bruno e Mathis Jr. resistiram até o terceiro.

Poster Tyson vs Holyfield 1

O cenário estava perfeitamente montado e o próprio pôster do duelo tinha o slogan que mostrava o sentimento de todos: “Finalmente”.

Holyfield vinha como um enorme azarão para a luta, chegando a pagar 25 para 1 nas casas de apostas. No início do duelo, Tyson agia rápido, atacando o desafiante com uma boa direita – este foi, ao lado do quinto round, o único grande momento de Mike na luta. Evander mostrou mais intensidade física, trouxe o combate para o clinch em vários momentos e foi capaz de segurar o ímpeto do explosivo Tyson na maioria do combate, além de cansá-lo e machucá-lo em diversas oportunidades. O mais importante: retaliou praticamente todas as investidas ofensivas do adversário.

No sexto assalto, a polêmica começou depois de uma cabeçada de Holyfield que abriu um corte em Tyson. Pouco tempo depois, um gancho de Evander colocou “Iron Mike” no solo. Na sétima parcial, outro choque de cabeças quase derrubou o campeão. Mike começou a desperdiçar diversos socos potentes, ficou cansado e sofreu fortes contragolpes de Evander, que quase encerrou a luta no décimo round.

No 11º, Holyfield seguiu aumentando o ritmo, jogou Tyson nas cordas e fez o que muitos consideravam impossível, forçando a interrupção do árbitro Mitch Halpern, concretizando mais uma grande surpresa na história do boxe.

A revanche – A Luta da Mordida

Sete meses depois, a revanche foi marcada, novamente na MGM Grand Garden Arena, em Las Vegas. Ainda no primeiro assalto, o então campeão Holyfield começou a frustrar o adversário, inclusive acertando uma forte sequência na reta final que abalou o garoto de Catskill, Nova York. No segundo round, outro choque de cabeças, que abriu um corte no olho de Michael. O acidente provocou a ira do desafiante por conta dos acontecimentos do combate anterior.

Eis que, no terceiro assalto, um dos momentos mais bizarros da história da nobre arte aconteceu. Mike partiu enfurecido, atacando o campeão com fortes socos. O clinch foi bastante usado por Holyfield para conseguir vantagem e controlar o ímpeto do desafiante. Num dos momentos em que o combate estava travado, Tyson posiciona sua cabeça perto da orelha direita de Holyfield e dá uma mordida, arrancando um pedaço de aproximadamente uma polegada. O campeão instantaneamente começou a gritar, ensandecido de dor. Mills Lane, que foi escalado como árbitro após protesto dos treinadores de Tyson, tirou dois pontos do desafiante por conta da mordida. A luta foi reiniciada e Mike mordeu a orelha do campeão novamente. Evander protestou e ainda resistiu ao final do round. Com a segunda mordida, a luta foi encerrada antes mesmo do quarto assalto, com Mike Tyson desclassificado.

O pós-luta e a consequência

Depois da decisão de Mills Lane, Tyson ficou bastante inconformado e partiu para cima de Holyfield e seu treinador, mas logo foi separado por seguranças. O árbitro foi entrevistado e explicou o motivo da desclassificação. Depois de 25 minutos de confusão, o announcer Jimmy Lennon Jr. finalmente declarou a vitória de Holyfield. Tyson quase arranjou outra confusão quando caminhava de volta ao vestiário, após um torcedor arremessar uma garrafa de água em sua direção.

Por conta do incidente, Tyson perdeu sua licença para boxear no estado de Nevada – a permissão só foi reinstaurada um ano depois. Nos anos seguintes, em diversas entrevistas, Holyfield disse que perdoou Tyson por conta de sua fé. O pedido de desculpas de Mike foi feito publicamente meses depois e inclusive inspirou um comercial da Nike:

  • Gabriel Fareli

    Parabens pelo texto Biel !
    Essa historia da mordida, foi muito contada durante a minha infancia (não tao bem quanto voce, claro) por meu pai e meu tio que eram fãs de boxe. Lembro que eles sempre reclamavam que ficavam acordados ate tarde, pra ver o Tyson nocautear em poucos minutos. Muito legal ler a historia tão detalhada assim.

    • Gabriel Carvalho

      Valeu, Fareli. Acho que essa luta foi o último momento mais comentado pelo “fã médio da Globo” na história recente do boxe. Até MayPac foi algo mais direcionado pra quem gostava de luta no geral aqui no Brasil.

  • James sousa

    Baita texto pode ser dizer que esse episódio marcou a derrocada definitiva na carreira do Tyson ?

    • Juan

      Acredito que sim.

    • Gabriel Carvalho

      Sim.

  • Juan

    A primeira luta com o Douglas é legal de assistir também. Teve knockdown do Tyson, podia ter ido para qualquer um.

    • Gabriel Carvalho

      Sim, teve até a polêmica de que o árbitro demorou mais na contagem e deu um tempo pro Buster se recuperar do knockdown no oitavo round.

    • Eu fico nervoso com aquela luta até hoje. A capa da Sports Illustrated me deu pesadelos por um tempo.

  • Vinicius Maia

    Rapaz, essa segunda luta do Tyson com o Holyfield tem um valor especial pra mim. Apesar de na época não entender porra nenhuma de boxe eu vi essa luta com meu pai e meus tios na casa da minha falecida avó no interior de Minas Gerais numa cidadezinha serrana.
    Não entendi direito o que aconteceu só sei que meus pai e meus tios ficaram putos kkk.
    Excelente texto Gabriel. Sempre bom ver a nobre arte ser retratada no mmabrasil com tanta qualidade.

    • Gabriel Carvalho

      Opa, muito obrigado, Vinícius. Foi meu primeiro sobre nobre arte aqui.

    • Sexto Empírico

      Na primeira, o Hollyfield deu uma aula de boxe pro Tyson, que ja nao tinh aquela explosao do seu primor. Na segunda, essa coisa bizarra da mordida, tirando as duas duvidas, dos que ainda tinham, q Tyson tinha (tem) parafuso faltando.

      • Eu queria ter visto Tyson-Holyfield em 1992. Acho que o resultado teria sido o mesmo, mas não teria mais as desculpas do Tyson fora de ritmo, fora de forma, sem explosão ou seja lá o que.

        • Sexto Empírico

          Eu também e acho a mesma coisa q vc. Portanto, historicamente, foi lucro ele perder pro Buster Douglas, já q ficou aquela áurea de uma época em q era invencível, campo fértil para desculpas e choradeira de fãs mais apegados.

          • Sim. A derrota pro Douglas é tida como um acidente. Pro Holyfield, não seria.

  • Diego Florentino

    Acho que a primeira luta de boxe que eu assisti na vida foi a do Tyson contra o McNeely. Eu ainda lembro do Galvão Bueno narrando a luta naquele estilo “lá vem a fera” e também do Tyson destruindo o cidadão.

    Memórias.

  • Rafael Alves

    Bela matéria! Acho que um dos momentos mais infames do esporte.
    Faltou dizer que no ano anterior o Holyfield mais famoso (o Reginaldo) iniciava a mais épica rivalidade do boxe nacional contra o Todo-Duro…

  • Cássio Rafael Guimarães Nascim

    Excelente texto. Muito bom mesmo. Mostrou todo o contexto, pós e etc.

  • Gabriel Carvalho

    O impacto dessa luta foi tão grande que rolou até matéria no Globo Esporte.

    • A luta passou ao vivo na Globo.

      • Beto Magnun

        Lembro do meu pai assistindo. E depois vi num jornal mostrando que em algum lugar dos EUA, estavam vendendo orelhas de chocolate.

  • Sexto Empírico

    Essa “era Mike Tyson” foi magica. Ele era simplesmente um tanque, um Panzer em uma blitzkrieg, passando por cima dos adversarios de uma maneira arrasadora, rapida e violenta. Com apenas 19 anos, ja era dono do esporte e pensava q tambem era dono do mundo. Foi ai que seus problemas comecaram… E duraram…

    • Tyson pegou uma tremenda entressafra.

      • Sexto Empírico

        Pegou sim, mas era bonito ver ele derrubando aqueles gigantes. Fora que ele vingou o Ali contra o Larry Holmes (pupilo-sparring-algoz-traíra) e aquilo foi lindo.

        • Mas o Holmes tava acabado, com mais de 40 anos. O resultado seria outro entre o Tyson do auge contra o Holmes do auge.

        • Malk Suruhito

          Só faltou o “creonte”. Busineess is business.

      • Pedro Augusto

        E Alexandre vamos paracom essa férias e trabalha “quando sai o próximo minuto do boxe”?kkk

  • Carlos Ximenes

    OFF: Alguém sabe me dizer se algum canal vai transmitir a luta do Pacquiao nesse fim de semana?

    • Rafael Oreiro

      Vai ser transmitido no SporTV, com o Rhoodes nos comentários

      • Carlos Ximenes

        Obrigado, sabe dizer qual o horário da transmissão?

        • Rafael Oreiro

          Pelo o que eu vi, eles queriam começar transmitindo as preliminares as 22h no SporTV

      • Bruno Fares

        Meu Deus…

      • Rhoodes narrando, não?

  • Saulo Henrique

    Parabéns pelo excelente texto. Tem um documentário, ” Chasing Tyson” , acho eu que é esse o nome, feito pela ESPN. 30 por 30,sei lá. Mas fala dessa “perseguição” do Evander até o Tyson. Vi uma vez só que passou na ESPN, e vale a pena. E se alguém achar legendado..favor mandar o link! Hehe. Abraços.

  • Danilo

    Esse episódio marcou tanto que até lançaram orelhas de chocolate. Lembro das chamadas pra essa luta, de todo o clima que se montou e horário cruel pra crianças como eu, que não tinham permissão pra ficar acordado até tarde.

    https://img.r7.com/images/2014/01/02/8drs2i9731_7whofz7cpd_file.jpg?dimensions=780×536&no_crop=true

  • Malk Suruhito

    Não sei pq (e não foi pelo tom cômico), ver neste video o Hollyfield e do Tyson juntos e se abraçando me brotou um sorriso no rosto. Não assisti todas as lutas do Mike, não o considero um dos melhores de todos os tempos (ao menos, não no top-10), mas sempre curti esta história de redenção dele, na verdade, tenho empatia por ele o lance da condenação por estupro (mas pela forma pela qual foi conduzida do que se ele era culpado ou não).
    Ainda lembro dele em Crocodilo Dundee como instrutor de Ioga..

    • Tyson é um personagem tão marcante que é comum sentir empatia por ele apesar de todas as merdas.