Especial 10 Anos Sem PRIDE: confira aqui todas as matérias

Especial 10 Anos Sem PRIDE: confira aqui todas as matérias
MMA

No dia 27 de março de 2007, a announcer do PRIDE "orgulhosamente apresentou os irmãos Fertitta como os novos donos do PRIDE". Doze dias depois, foi realizado o último evento no icônico ringue branco. Contudo, o legado do PRIDE Fighting Championships resiste até hoje.

Há exatos 10 anos, o mundo do MMA foi atingido por uma bomba. A Dream Stage Entertainment, empresa dona do PRIDE Fighting Championships, reconhecidamente a maior organização de MMA do mundo, foi adquirida pela maior rival, a americana ZUFFA, LLC, proprietária do UFC e do WEC.

Rumores apontavam para a venda do PRIDE desde o ano anterior. A organização viu seu contrato com o canal aberto Fuji TV se encerrar em junho de 2006 – um suposto envolvimento do PRIDE com a yakuza, a máfia japonesa, teria sido o fator preponderante para a Fuji desistir do negócio. A DSE tentou manter o cronograma do PRIDE, mas, sem o aporte e a visibilidade da Fuji, a organização foi perdendo força. A série Bushido foi cancelada em novembro, assim como o GP de pesos leves. Neste meio, o PRIDE tentou mostrar uma sobrevida em dois eventos realizados em Las Vegas (os únicos feitos fora do Japão), mas era apenas o último suspiro de um moribundo.

No dia 27 de março de 2007, o presidente do PRIDE, Nobuyuki Sakakibara, acompanhado do cofundador Nobuhiko Takada, lideraram uma coletiva de imprensa na Roppongi Hills Arena, em Tóquio, para anunciar que a ZUFFA havia comprado o PRIDE e todos os seus ativos. Inicialmente, os irmãos Frank e Lorenzo Fertitta disseram que manteriam as atividades da organização japonesa, que passaria a se chamar Pride FC Worldwide Holdings. A ideia, de acordo com os donos da ZUFFA, era agir como a NFC e a AFC, organizações rivais de futebol americano que se fundiram para criar a NFL.

O PRIDE FC nasceu em 1997 para promover uma luta entre Takada e Rickson Gracie. Com as duas vitórias fáceis de Rickson (a revanche aconteceu no PRIDE 4), o PRIDE resolveu investir no aprofundamento de seu elenco, trouxe campeões do UFC, do RINGS, do Pancrase, do Shooto, criou torneios lendários, superastros e momentos históricos que fizeram da organização japonesa a maior potência do MMA na década de 2000. São do PRIDE os dois maiores públicos presentes a um evento de MMA na história, com os 67.451 torcedores no Tokyo Dome para o PRIDE Final Conflict 2003 e os incríveis 91.107 do PRIDE Shockwave 2002, realizado no Estádio Nacional de Tóquio, palco dos títulos intercontinentais do Flamengo, Grêmio e São Paulo nos anos 1980 e 1990.

Até o dia 8 de abril, data que marca os 10 anos do último evento promovido pelo PRIDE, o MMA Brasil publicará uma série de artigos que, somados, ajudarão principalmente os fãs mais recentes a entender porque a organização japonesa é cultuada até hoje, assim como os lutadores que brilharam do outro lado do planeta. Falaremos dos motivos que fizeram com que estrelas do PRIDE encontrassem dificuldade na transição para o UFC, apresentaremos listas de duelos memoráveis, momentos espetaculares, os atletas mais relevantes, grandes rivalidades e até lutadores que muitos fãs não sabiam que atuaram no PRIDE. Teremos também uma edição especial do podcast It’s Time! sobre o PRIDE.

Este artigo ficará fixo na área de destaques da home do MMA Brasil e será atualizado sempre que uma nova matéria sobre o assunto for publicada. Visite esta página diariamente para não perder nenhum conteúdo do Especial 10 Anos Sem PRIDE.

apoia-se-logo-180-100

Quer se tornar um COLABORADOR do MMA Brasil e concorrer a prêmios, participar do podcast e ajudar a fazer um site cada vez melhor? Conheça todos os BENEFÍCIOS do nosso projeto no APOIA.SE!

  • Cássio Rafael Guimarães Nascim

    Caraca, velho! Mto ansioso! Lendo sobre os eventos, fui ver os cards e etc.. meu amigo, como eu sinto não ter acompanhado isso ao vivo. É uma das coisas q eu mais gostaria de poder “consertar” é ter acompanhado o Pride.
    Vou acompanhar de perto essa Semana.

    • Rafael Oreiro

      Gostaria de ter tido idade pra acompanhar a época do PRIDE hahahaha

  • Fernando Chaves

    show !!!1

  • James sousa

    muito legal esse especial sobre o pride

  • Kadu Rampazzo

    It’s Time sobre o Pride s2

    • Cássio Rafael Guimarães Nascim

      Que horas começa o It’s time? Acho que não vou conseguir esperar postarem amanhã kkkk

      • Rafael Oreiro

        Fala Cássio, It’s Time hoje começará ao vivo a partir das 21:30 no Facebook da Central3, mas ainda não será o nosso especial sobre o PRIDE, este deve rolar semana que vem!

  • Saulo Henrique

    Muito legal.

  • Gabriel Fareli

    Eu não acompanhava MMA na epoca do PRIDE. Mas vai ser interessante ler sobre um dos maiores eventos de todos os tempos. Tô curioso pra ler as materias

    • Rafael Oreiro

      Também não acompanhei na época, mas só de ver vídeos já dá pra ver a atmosfera diferente que o PRIDE tinha

  • Edilson Dos Santos Júnior

    Ótimo texto, sou fã do trabalho do MMABrasil!

    • Rafael Oreiro

      Muito obrigado por acompanhar nosso trabalho!

    • Obrigado, Edilson! Espero que consigamos seguir com o trabalho a contento de vocês.

  • Marco antônio

    Essa semana o F5 some do teclado, mas será por bons motivos! MMA Brasil ♥

  • Alex Silva

    muito bom!

  • jardel

    Alexandre esfregando as mãos para o podcast especial do pride semana que vem cara .

  • André Oliveira

    Meu deus! O que nós fizemos para merecer um presentão desses? Hahahaha

  • Ricardo

    Uma das melhores coisas do Pride , eram os torneios , ali sim saiam grandes lutas , esse sistema de cinturão do UFC é um saco , chato e monótono , se tivesse torneios valendo títulos no UFC , seria outra vida pro evento .

    • PRIDE tinha cinturão também. E uns critérios bizarros pra definir desafiante.

  • Leonardo Paz

    q bela homenagem que se inicia!!
    podia ter um podcasta extra so sobre o pride!!!
    e mais uma x um excelente trabalho da equipe!!!!

    • Vai ter um podcast sobre o PRIDE. Será a próxima edição.

  • Paulo Josué Lemos Alves

    Que belo trabalho jornalístico. Parabéns Alexandre e equipe MMA Brasil !

  • Paulo Josué Lemos Alves

    Retomando uma pergunta que fiz no podcast ontem. Na avaliação de vocês, Wanderlei era mais um vândalo físico, numa época em que o MMA era mais força bruta e menos técnica, ou ele tinha qualidade mesmo? Visto que com a evolução do MMA ele perdeu espaço. Claro que pela maior idade também. Mas acharia interessante uma opinião sobre isso, assim como o caso do Pelé também, que era um dos maiores nomes da época do vale tudo e depois não conseguiu mais nada de relevante.

    • Ninguém tem o retrospecto que ele teve sem ter qualidade.

  • Ricardo Sedano

    Apesar da descrença do Sr. @apmatos:disqus de que eu iria por as matérias do Pride em dia, estou eu fazendo essa prazerosa missão. Como não ler sobre o evento que fez minha paixão por MMA surgir?! Apesar de não lembrar tanto por questão de idade, lembro de ver com meu avô no sportv. Então deixando nesse tópico os parabéns e o agradecimento de me fazer lembrar de ótimos momentos vendo esse evento, que quando criança achava divertido também por me lembrar dos desenhos e video games com a narração e a entrada na árena.
    Que continuem estes textos históricos pois são bem legais!